Page 14

Educação

Escola E.B. 2,3/s Dr. Isidoro de Sousa O ano letivo que agora se inicia traz um conjunto de novidades que passam algo despercebidas a muitos dos interessados na coisa educativa. É a estrutura dos currículos do ensino básico e secundário que se alterou, foram os critérios de organização e distribuição do serviço letivo que se alteraram, são as questões em redor da avaliação que são algo diferentes do ano anterior. Para além da reconfiguração de algumas das estruturas de organização das escolas, como é o caso da alteração da composição do Conselho Pedagógico e o pelo menos aparente alargamento de competências do Conselho Geral.

Apesar das alterações e mudanças, tão frequentes na educação, para todos os efeitos os objetivos permanecem inalterados, como permanecem as mesmas expetativas de sempre. Os objetivos passam, como e desde sempre, por valorizar e capacitar os jovens. As expetativas assentam no papel da escola como instrumento de desenvolvimento pessoal e social. O desafio, que deve ser entendido numa estreita relação entre professores, alunos e famílias, consiste em caminhar na promoção efetiva do sucesso, individual de cada aluno, coletivo do agrupamento e da comunidade.

Pelos gráficos, que evidenciam os percursos dos resultados escolares nos últimos três anos letivos, se pode confirmar o paulatino abaixamento das médias e a significativa diferença entre avaliação interna e avaliação externa. Perante os gráficos podemos, com leviana facilidade, apontar dedos e referenciar culpados. Contudo, no campo da educação, as variáveis não são fáceis de isolar e, quando isoladas, há sempre uma ou outra que se intromete por entre indicadores, por razões e queixas, argumentos ou meras opiniões condicionando os resultados finais. Para o ano letivo que agora se inicia e considerando as novidades que este ano traz consigo e os desafios expressos nos gráficos, a comissão que gere o agrupamento de escolas definiu duas prioridades. 1. Apoiar a dinâmica de trabalho em sala de aula, mediante a valorização de estratégias de resolução de problemas, de trabalho colaborativo entre intervenientes, de adequação local/ regional dos currículos, entre outros;

Os resultados do final do ano letivo passado do Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo, deixam muito espaço para que professores e alunos, escola e famílias possam e devam pensar o que fazer e como fazer no que se refere à melhoria dos resultados, à construção do papel da escola na vida individual e coletiva e à responsabilidade que compete a cada um neste processo.

2. Articular o trabalho escolar e educativo do agrupamento com a comunidade, mediante a valorização do contexto sócio-educativo, por intermédio de ações a desenvolver em colaboração com entidades locais, a realização de iniciativas da escola junto da população ou o estabelecimento de parcerias; Será a partir destes objetivos, enquanto eixos de ação, que se irão estruturar plano de atividades e demais instrumentos de gestão, que deverão privilegiar: o trabalho pedagógico – que valorize as relações entre docente e aluno, as competências e os saberes disciplinares; as relações com a comunidade e o contexto local como fonte de competências e aprendizagem. Para esse efeito e porque temos consciência do papel da educação, da escola e do agrupamento contamos consigo.

O Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo Escola E.B. 2,3/s Dr. Isidoro de Sousa Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo Estrada Quinta de Santa Maria 7090 Viana do Alentejo Tel.: 266 930 070 e-mail: info@eps-viana-alentejo.rcts.pt www.aevianadoalentejo.edu.pt

14

Profile for Municipio de Viana do Alentejo Viana do Alentejo

Boletim Municipal Viana do Alentejo Setembro 2012  

Boletim Municipal Viana do Alentejo Setembro 2012

Boletim Municipal Viana do Alentejo Setembro 2012  

Boletim Municipal Viana do Alentejo Setembro 2012

Profile for 67482
Advertisement