Issuu on Google+


REVISTA ACONTECE INTERIOR

L

ançamos a segunda edição da Revista Acontece Interior. Estávamos preparados, otimistas, mas a repercussão, a aceitação e a chegada dos novos parceiros e investidores, superaram todas as nossas expectativas. Entendemos que o mercado publicitário quer expor seus produtos e serviços num veículo que mostre jornalismo com boa informação e que tenha circulação regional. É o que estamos propondo. Estamos presentes em mais de 100 pontos de oito cidades do interior do estado. Os nossos principais temas não têm outro propósito, senão convidar segmentos da sociedade para discutir o interesse coletivo. “Esbarrar” na história de Dona Lenita e do filho Leonardo, nos despertou o dever de comunicadores sociais, de levar à público, uma situação inaceitável. Não se pode ignorar o ser humano que pede ajuda, principalmente para o filho, uma criança de quatro anos que quer estudar e, para conseguir esse sonho, necessita de atendimento médico. Obrigação não é favor.A partir desse caso, começamos a buscar e encontramos outras muitas situações parecidas na região. Por isso a Revista Acontece Interior decidiu discutir a saúde pública e saber o que pensam os gestores. Essa edição também está cheia de novidades. Os bastidores da política contados por quem sabe tudo, emoção no esporte, cores vivas na moda, saúde, social e muito mais. Tenha uma ótima leitura e forme a sua opinião. Esperamos o seu retorno. Escreva para os nossos colaboradores. Obrigado, Adriano Lizarelli - adrianolizarelli@gmail.com DICA DA REVISTA: Estamos lançando a cobertura de eventos. Festa de 15 anos, casamento, confraternização empresarial. Adilson Peres aconteceinterioradm@yahoo.com.br (24) 99937-1524 / 981405630

............................................. Acontece Interior, uma escolha inteligente!

DIREÇÃO Adriano Lizarelli adrianolizarelli@gmail.com Adilson Peres aconteceinterioradm@yahoo.com.br EDITOR RESPONSÁVEL Adriano Lizarelli Jornalista Profissional – 23.082-97-85V-SP ADMINISTRAÇÃO/COMERCIAL Adilson Peres COLABORADORES Alex Martins......................... Advogado Aline Franco........................... Jornalista Gabriel Borges..................... Fotografia Gilberto Caldas..................... Sociólogo Julio Esteves..... Bastidores da Política Julio Monteiro............ Personal Stylist Tai Para Todos........... Colunista Social Willian Ferreira...................... Jornalista COMPUTAÇÃO GRÁFICA Carlos Mesquita Carbo Comunicação Luana Andrade contatocarbo@gmail.com

}

REVISÃO Yelmo Papa - yelmo@globomail.com CONSULTORIA JURÍDICA Luiz Carlos Portela – Portela Advogados COMERCIAL Adilson Peres aconteceinterioradm@yahoo.com.br (24) 9937-1524 / 8140-5630 CONTATO COMERCIAL Edmilson Silveira Edmilson.silveira4@gmail.com (24) 9992-7986 / 8118-6740 Julio Faria jc_faria@hotmail.com (24) 9946-2824

A Revista Acontece Interior é uma publicação mensal da Lizarelli Comunicação Ltda, com circulação nas cidades de Volta Redonda, Barra Mansa, Resende, Porto Real, Quatis, Itatiaia, Pirai e Pinheiral. As reportagens, colunas e artigos são assinados cujo conceito e conteúdo são de responsabilidade de seus autores. Cópias de parte ou do total de textos, artes e fotos só são permitidas com autorização da Direção. Todos os direitos são reservados.


ÍNDICE

06 :: REPORTAGEM DE CAPA Saúde Pública, um pedido de ajuda. O LEITOR ACONTECE :: 11 Canal aberto para o leitor. 12 :: ECONOMIA Tilápia gera renda em Piraí. HISTÓRIA :: 16 Como nasceu uma maternidade. 18 :: NEGÓCIOS Móveis Copacabana, uma história de mais de meia década.

ESPORTE :: 20 Uma história de superação.

24 :: JURÍDICO Direitos humanos no Brasil. ESPAÇO UNIVERSITÁRIO :: 26 Notícias da UNIFOA. 32 :: SAÚDE A importância do sono para a saúde. PERFIL TURISMO :: 40 As belas opções da costa verde.. Tiragem: 5.000 exemplares Fotos: Gabriel Borges Montagem e retoque de imagem: Carbo Comunicação


REPORTAGEM DE CAPA

Saúde Pública >>> Por: Adriano Lizarelli

Foi um pedido de ajuda. “Nasci em São Paulo e me mudei para Angra dos Reis quando tinha 12 anos. Hoje tenho 42. Meu filho menor, Leonardo, de quatro anos, nasceu em Angra com um problema de visão. Um tempo depois fiquei sabendo que se tratava de catarata congênita. Por mais de dois anos procurei ajuda e orientação médica onde eu morava e não consegui. Os amigos me disseram para eu me mudar para Volta Redonda para tentar salvar a visão do meu filho. Segui o conselho e já faz quase um ano e meio que estou morando com ele na Cidade do Aço. Vim com muita fé, esperança e dependendo da ajuda das pessoas. Moro no bairro São Geraldo, onde em agosto de 2012, fui pedir ajuda no Posto de Saúde pela primeira vez. Me deram encaminhamento para a Policlínica da Cidadania onde só fui ser atendida três meses depois por um oftalmologista. Fui orientada e fizemos todos os exames mas não teve data disponível para fazer o Risco Cirúrgico – tipo de um exame para avaliar se o paciente pode ou não passar por cirurgia. Os resultados dos outros exames perderam validade. Em fevereiro de 2013 fui para o Posto de Saúde pedir, novamente um encaminhamento . Repeti essa mesma situação por quatro vezes . Na mais recente, fiz de novo os exames do meu filho, necessários para a cirurgia. A avaliação estava marcada para o dia 25 de outubro, e mais uma vez foi cancelado. Eu não agüento mais pedir para que meu filho seja tratado, operado, curado da catarata congênita. Ele tem muita vontade de ir para escola estudar, conhecer outros garotos da idade dele, mas a visão está comprometida e eu não consigo atendimento médico especializado pelo sistema de saúde de Volta Redonda. Pagar eu não tenho condições. Ás vezes eu me pergunto que pecado eu cometi para não ser atendida por Deus. Por favor moço, me ajuda. Ajuda meu filho. Ele só tem quatro anos. Uma vida inteira pela frente”. Foi um relato emocionante e ao mesmo tempo intrigante. Com pode o sistema de saúde pública de uma das principais cidades do interior do estado ter falhas como essa, contada por Dona Lenita Benedita de Oliveira? Ela está desempregada, vivendo com o dinheiro de uma pensão do ex-marido, da ajuda dos vizinhos e sonhando com uma cirurgia de catara para o filho Leonardo Oliveira Gouveas de quatro anos. Cheia de exames, consultas, diagnósticos, encaminhamentos... mas não consegue ser atendida como gostaria. Porque ?

06


Em Barra Mansa, o vendedor Marcelo Augusto Gomes de 33 anos, também nos conta que em 2011 foi três vezes ao Centro do Idoso da cidade acompanhando a mãe. Dona Maria Aparecida Martins tinha na época 68 anos. “A gente chegava antes das 5h da manhã e só era atendido por volta das 7h horas . Tinham (sic) muitas pessoas e a gente estava procurando consulta com um cardiologista. Minha mãe foi com minha madrinha Célia, outras três vezes atrás de uma consulta. Depois de muita dificuldade nós conseguimos . O sistema de saúde pública não fez os exames pedidos pelo médico. Fizemos numa clinica particular. Foi meu tio que ajudou, pagando as despesas no começo do ano passado. Depois dos exames, foi mais outra batalha para se conseguir uma nova consulta. Entre um atendimento e outro, idas e mais idas ao serviço público, foram quase seis meses. Mas pelo menos, ficamos sabendo o que minha mãe tinha. Era obstrução de uma veia do coração. O médico disse que era para fazer uma cirurgia de emergência. Mas nós nunca conseguíamos marcar, pois lá no Centro do Idoso eles falavam que, para esse tipo de cirurgia, tinha muita gente na fila de espera”. Dona Maria Aparecida morreu no fim de julho deste ano, segundo o filho Marcelo, de ataque cardíaco sem conseguir a cirurgia. Não há números exatos, mas certamente casos como esses não são raros na

região. Há muitas reclamações de longas filas de espera por uma consulta. Quando há a consulta, outra longa espera para se conseguir exames e se for preciso cirurgia, a espera pode chegar a meses. Nas três maiores cidades do Sulfluminense, estão sendo investidos em 2013, de acordo com dados das secretarias, R$ 317 milhões . Em 2014 serão R$ 370 milhões. São 1.867 médicos atendendo pelo sistema público municipal. Volta Redonda tem 1.069, Barra Mansa 536 e Resende 262. Em algumas especialidades são poucos médicos. Em Volta Redonda, por exemplo, não há nenhum pneumopediatra e só tem dois angiologistas. Em Barra Mansa a situação é crítica em otorrinolaringologia e gastroenterologia entre outros. Já em Resende, as principais deficiências são na psiquiatria, pneumologia e neuropediatria. De forma geral, os gestores municipais de saúde das três cidades, dizem que “esses especialistas não têm interesse em atender pelo SUS”. Outro freqüente questionamento, que se escuta pelas filas de espera do sistema publico de saúde, é a insuficiente quantidade de hospitais no Sul do estado. As obras do Hospital Regional em Volta Redonda ficaram paradas um bom tempo e estão a passos lentos.

A secretária municipal de Saúde, Dra. Suely Pinto, disse:

“O Hospital Regional é um importante projeto de ampliação de acesso na atenção hospitalar de alta complexidade. Trata-se de pactuação solidária entre os secretários Municipais de Saúde, o secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e o Ministério da Saúde. Não se trata apenas da construção física, prevista para maio de 2014, e sim de toda a incorporação tecnológica, da discussão do modelo assistencial, de gestão e ensino. Além disso, incorpora-se ao projeto a implantação do Instituto de Ciências da Saúde, estrutura a ser administrada pela UERJ, o que o transformará em hospital de ensino.” Com relação à falta de estrutura e as constantes reclamações sobre os serviços públicos, Suely Pinto disse: 07


REPORTAGEM DE CAPA

“Na minha opinião, as demandas de saúde são únicas e trazem a dor e o sofrimento de cada um. Às vezes o sistema não consegue responder às necessidades de forma tão específica. O sistema de saúde de Volta Redonda está estruturado para acolher todas as demandas da população, que seguem o fluxo de encaminhamento organizado na rede de atenção integral aos usuários. Ampliação do acesso, em tempo adequado, com resolutividade e eficiência é o que norteia o compromisso da nossa gestão. O município estabeleceu a saúde como uma prioridade. Os investimentos em aumento e melhoria da capacidade são muitos, como exemplo a Policlínica da Cidadania, Centro de Imagens, Centro Oftalmológico, novas Unidades de Saúde da Família para ampliação da atenção básica, tais como: Retiro, São João, Voldac, Santo Agostinho, entre outras. Quanto ao agendamento de consultas e exames, funcionamos através de um sistema de regulação do SUS (SISREG), com um pequeno percentual de demanda reprimida. Hoje a maioria dos exames e consultas ambulatoriais está sendo agendada em até sete dias, e em 30 dias para os mais complexos. Em algumas especialidades, o SUS em Volta Redonda tem agendado com maior brevidade que o sistema privado. A Secretaria de Saúde de Volta Redonda vive hoje a realidade de todos os municípios do país quanto à falta e rotatividade de médicos. Hoje possuímos uma rede fortalecida com médicos generalistas e de diversas especialidades,

08

conseguindo responder à necessidade da população. A questão dos recursos humanos na saúde configura-se hoje como o grande desafio do SUS. O que se busca é a efetivação de uma Política Nacional de Gestão do Trabalho que garanta a adesão e a manutenção do profissional de saúde, junto aos serviços do SUS. Como Vicepresidente do COSEMS/RJ – Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e diretora de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde para a Região Sudeste do CONASEMS – Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde, tenho acompanhado sistematicamente discussões nacionais como a proposta de consolidação da carreira pública para os profissionais de saúde do SUS. Outra questão diz respeito à formação dos profissionais do setor . A maioria não é formada para as necessidades do SUS, que é universal, e sim para as necessidades do mercado privado de trabalho. Essa inversão de valores e interesses é altamente prejudicial para o atendimento público. Quanto à assistência farmacêutica, Volta Redonda tem investido na ampliação da grade de medicamentos, com garantia dos mesmos na atenção básica, na média e alta complexidade.” Em Resende, onde o crescimento econômico vem trazendo também maior procura pelos serviços públicos na saúde, a estrutura que recebeu reforço nos últimos anos, dá sinais de que

precisa de mais atenção. Dona Vilma Oliveira de 42 anos, moradora da Fazenda da Barra II, precisou de um cardiologista este ano. Só conseguiu atendimento quase três meses depois “O retorno também demorou outros três meses”. A cidade tem o Hospital de Emergência, a Santa Casa, e a APMIR no segmento da maternidade. Há também quatro policlínicas, centros especializados e apenas uma UPA 24 horas.

Segundo o secretário de Saúde Daniel Brito, a“Unidade de Pronto Atendimento é do tipo III, de maior porte e atende a demanda atual.” O Secretário continua dizendo que “a principal demanda da rede pública de Resende é por atendimento especializado, seja por exames ou consultas médicas especializadas. O SUS tem dentro de suas diretrizes o atendimento hierarquizado. Os atendimentos mais complexos são realizados por serviços referenciados na


região de saúde ou em outras, conforme pactuação realizada nas câmaras técnicas regionais. Ocorre que essas referências não atendem à região a contento, gerando filas. É impossível para os municípios de pequeno e médio porte assumirem esse tipo de assistência, dado ao elevado custo e o risco de não assistir aquilo que é sua atribuição: o atendimento básico. Há uma carência de médicos em muitas especialidades, devido ao tempo de formação - um cardiologista leva 11 anos, otorrino nove anos, neurocirurgião 11 anos, pediatra nove anos -; poucas vagas de residência médica (programa de formação de especialistas); e procura pelos formandos por especialidades mais requisitadas pelo mercado e com boa remuneração em consultórios. Esse descompasso, somente, será resolvido em médio e longo prazo com a formação de especialistas pelas universidades em consonância com a necessidade do mercado. Ressalto, que essa carência de especialistas não é um problema da rede pública e é queixa frequente na rede privada também. Os investimentos externos aportados no município, sobretudo, os recursos federais, estão em declínio em relação ao gasto total do município com saúde. A EC 29 exige um investimento mínimo de recursos municipais de 15% das receitas brutas do município. Hoje, nossa aplicação gira em torno de 29%. Os recursos federais representavam em 2009, aproximadamente, 60% de todo recurso da saúde e o recurso municipal 40%. Essa proporção, hoje, demonstra um espectro bastante preocupante para o gestor municipal, pois, demonstra uma inversão dos valores apontados em 2009 - 60% recursos municipais e 40% externos, incluindo os federais-. Obviamente, esse

estrangulamento do município dificulta a capacidade de investimentos em infraestrutura e melhoria dos salários dos servidores da saúde.” Em Barra Mansa, onde existem duas UPAs, mas apenas uma está em funcionamento, o Secretário Municipal de Saúde, Jonathan Aguiar, explica o porquê da Unidade de Pronto Atendimento da região Leste ainda estar parada, sem atendimento.

“A UPA da região Leste está sendo estruturada para começar seu funcionamento no início de 2014. Recebemos a obra concluída no final de 2012. No entanto, ela não foi inaugurada, pois não foi prevista dotação orçamentária para seu funcionamento. Outro ponto é que ainda faltam equipamentos fundamentais para seu funcionamento, que estão sendo adquiridos por essa gestão e temos também que ajustar umas não conformidades encontradas pelos técnicos da SES (Secretaria Estadual de Saúde) em vistoria para liberação do seu funcionamento na estrutura física.” Jonathan continua explicando que a melhorias no atendimento público dependem também de uma revisão no conceito sobre saúde no país.:

“O enfrentamento destes problemas não depende de soluções mágicas ou de ações de curto prazo. Exige ações estruturais de médio e longo prazo que deem conta de enfrentar uma herança histórica brasileira, que durante séculos impediu o reconhecimento dos direitos da grande maioria da população. O direito à Saúde, por exemplo, só foi reconhecido na Constituição de 1988 e isso exige mudanças culturais profundas. O Sistema Único de Saúde (SUS) e suas bases doutrinárias foram gerados na 8ª Conferência Nacional de Saúde, que aconteceu em 1986, durante o processo de redemocratização do país e nas vésperas da realização da Constituinte de 1988. Portanto, as resoluções de 1986 embasaram na Constituição as formulações do SUS, que foi regulamentado pela Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Comparado a países que possuem Sistema Único de Saúde, como Inglaterra e Canadá, o Brasil segue no rumo certo ao defender a estruturação da atenção básica – uma rede com médicos e enfermeiros que fazem atendimentos clínicos e, principalmente, prevenção de doenças. Pesquisa do IPEA mostrou que o Programa Saúde da Família é o serviço mais bem avaliado do SUS, com 80,7% de aprovação (considerado muito bom ou bom). Para que isso ocorra é necessário resolver o principal entrave ao desenvolvimento do SUS: a falta crônica de recursos no setor.” A Revista Acontece Interior, julga importante essa discussão e continua de páginas abertas para receber a opinião dos leitores. adrianolizarelli@gmail.com

09


O LEITOR ACONTECE

Canal aberto para o leitor A Revista Acontece Interior abriu um espaço para divulgar opiniões, sugestões e perguntas dos nossos leitores. Mande a sua também: adrianolizarelli@gmail.com

Vanessa Correa

Zito

Resende ‘Adriano, gostaria de parabenizá-los pelo lançamento da Revista Acontece Interior. Fiquei surpresa ao recebê-la... e mais surpresa ainda com o conteúdo... Deixo aqui meu desejo de boa sorte e sucesso! Parabéns pela iniciativa. Abçs,’’ Vanessa Corrêa

Marcos Fialho Volta Redonda “Eu sou o marquinhos, da banca fialho na praça da prefeitura de vr. Acabei de ler a revista e me senti na obrigação de parabenizá-lo pela qualidade e pelo refinamento das matérias. .Sucesso Marquinhos

Jonas Santana Amaro Valença “Tive acesso a uma revista de vocês. Achei muito boa e queria pedir para fazerem reportagens na minha cidade também. Estamos com sérios problemas na saúde pública. Quase um caos. Aguardo a próxima revista, Santana

NOTA : - Obrigado pela participação dos leitores. Esse espaço é destinado para quem quer se manifestar com sugestões, elogios, críticas, mas acima de tudo com respeito e educação

Barra Mansa “Prezado Lizarelli, com muita satisfação, na condição de filho de jornalista, recebi a revista ACONTECE INTERIOR, sob sua direção, jovem pessoal, experimentado profissional. Sempre admirei-o, pelo profissionalismo e seriedade, desde os tempos em que ocupava cargo público e você primeiro numa rede, depois noutra, de televisão, mas mantendo sempre a imparcialidade. Que a emoção gravada no Editorial juntamente com as diretrizes desse novo veículo, tão importante para nossa região, sejam pétreas. Desejo sucesso, perseverança e, principalmente o olhar humano e diferenciado, que já se aflora no número inicial do veículo. Parabéns extensivo a sua equipe” ENGº JOSÉ MARCOS RODRIGUES FILHO

Alexandre Couto Lisboa Três Rios “Sou morador de Três Rios, mas viajo para a região de Piraí e Volta Redonda com certa freqüência. Lí a Revista Acontece Interior numa Banca em Piraí. Gostaria de sugerir uma reportagem sobre a cobrança indevida da taxa de esgoto em muitas cidades. Em Três Rios, por exemplo, o SAETRI, responsável pelo serviço, cobra esse valor na conta que é indevido. Seria bom a Justiça questionar a prefeitura e a empresa se isso está correto. Os vereadores também deveriam agir para ajudar a população. Parabéns pela revista. Alexandre Lisboa

Joaquim Oliveira Montoro Pinheiral “Pinheiral é uma pequena cidade, mas chegou a hora de crescermos com ajuda da imprensa. Se tiver coisa ruim podem falar, mas por favor divulguem os acontecimentos bons da nossa cidade..... Temos muita história bonita para ser contada...” Abraços , Joaquim Oliveira.

Redação AI

Olá Joaquim, temos uma boa notícia sobre Pinheiral nessa edição. Leia e continue escrevendo para gente.

11


Projeto Formare completa 15 anos na MAN Latin America

E

m uma década e meia, 200 jovens foram capacitados dentro das dependências do Sistema Modular que reúne a MAN/ Volkswagen e outros sete parceiros na fábrica de caminhões e ônibus em Resende. O projeto Formare foi “adotado” pela MAN depois do sucesso que fez em outras regiões do país, coordenado pelas fábricas do Grupo Iochpe. Graças as aulas teóricas e práticas, jovens, até então sem muitas perspectivas de capacitação, são preparados e 99% são aproveitados dentro do próprio sistema modular. É o que espera Everton Luiz Campos, um dos alunos de 2013.

“Acreditamos no potencial profissional desses jovens e esperamos colaborar para sua integração social. É um grande orgulho poder fazer a diferença para esses alunos, oferecendo uma nova perspectiva para suas vidas” . O projeto tem ainda a participação de 130 professores voluntários que se sentem gratificados quando entram na sala de aula. “Nos renova entrar na sala do Formare e ver o tanto que podemos ajudar. Somos exemplo de superação para eles e nossa contribuição extrapola o conteúdo de aula. Nos conselhos e incentivos, podemos fazer a diferença para a vida deles”, ressalta Tiago Heier, engenheiro de processos, que desde 2006 dedica parte de seu tempo para dividir o conhecimento que adquiriu ao longo da carreira.

O Formare tem transformado a minha vida e a dos colegas. Hoje tenho perspectiva de fazer uma faculdade e ter uma carreira. Nós nos d e s e n vo l ve m o s m u i t o. Estamos mais maduros e responsáveis”.

Os jovens convivem com o dia a dia de um montadora que emprega cerca de 6 mil pessoas. À Revista Acontece Interior, o Presidente da MAN Latin America, Roberto Cortes disse que a empresa vê no projeto Formare, um compromisso social .

Roberto Cortes Presidente da MAN Latin America.

“ 12

Acreditamos no potencial profissional desses jovens e esperamos colaborar para sua integração social. É um grande orgulho poder fazer a diferença para esses alunos, oferecendo uma nova perspectiva para suas vidas”


Tilápias de Piraí saem da represa, ganham mercado e geram renda

Q

uem foi no mês passado ao Piraí Fest em Piraí e teve o prazer de degustar um dos muitos pratos que tem a tilápia como ingrediente central, precisa saber que a espécie está mais forte do que nunca. O projeto de incentivo à piscicultura, que começou em 1999 quando o atual vice governador, “Pezão”, era prefeito da cidade, está trazendo bons resultados. A Cooperativa dos Aquicultores e Pescadores do Sul Fluminense, está beneficiando, por semana, cerca de duas toneladas de tilápia. O peixe está sendo criado no Ribeirão da Lajes na Represa da Light. De acordo com o técnico responsável pela produção, Venilto, “o peixe criado em gaiolas, leva em média 08 meses para estar no ponto de abate e pronta para que a carne seja extraída. O Próximo passo é aproveitar também o couro da espécie para atingir outros mercados ”. A parceira, que une os governos estadual e municipal e a empresa de energia elétrica, proporciona renda á pescadores e a outras pessoas que trabalham no entreposto “Peixe Sul” em Piraí. O Presidente da cooperativa, Kleber Poltronieri, explica ”que para cada 3 quilos de tilápia viva, é produzido 1 quilo de filé”. Os principais compradores são hotéis e restaurantes do interior do estado. Um comercio que pode movimentar entre R$ 700 mil e R$ 1 milhão de reais por ano. De acordo com a Secretária de Agricultura de Piraí, Carla de Carli, “a cidade investe no setor, subsidiando a Cooperativa, com a finalidade de incentivar cada vez mais, a geração de renda para muitas famílias. Fica a dica, para quem gosta, degustar o filé de tilápia de Piraí.

O peixe criado em gaiolas, leva em média 08 meses para estar no ponto de abate e pronta para que a carne seja extraída. O Próximo passo é aproveitar também o couro da espécie para atingir outros mercados ”

13


ACONTECE NOS BASTIDORES DA POLÍTICA

Julinho Esteves fialhoesteves@yahoo.com.br

VOLTA REDONDA - FEDERAL

VOLTA REDONDA - ESTADUAL

Em conversas preliminares especula-se que a Cidade do Aço tenha os seguintes candidatos a uma vaga no Congresso Nacional: América Tereza (PMDB) (para compor chapa com Albertassi), Baltazar (PRB), Deley (PTB), Edson Quinto (PR) (caso Zoinho seja empossado como prefeito), José Augusto (PDT) e Zoinho (PR) (caso o TSE não lhe emposse como prefeito).

Já para a ALERJ, os pré-candidatos perceptíveis são: Edson Albertassi (PMDB), Gotardo Netto (PSL), Granato (PTB), Jair Nogueira (PR), Nelson Gonçalves (PSD), Paiva (PT) (caso não seja impedido e não perca o domínio do diretório municipal do seu partido) e Rogério Loureiro (PPS). Cida Diogo (PT) não deve ser candidata à reeleição.

VOLTA REDONDA - PT NOVO NOME

VOLTA REDONDA - 2016

Com a possível desistência de Cida Diogo, o PT dará início a sua constante briga interna de correntes adversas. Com o suposto enfraquecimento de Paiva, Dejair Martins e Walmir Vítor postulam aumento de poder interno no partido, porém a candidatura para a Assembléia Legislativa, em nome de um consenso, pode cair no colo de Alexandre Habib.

No momento, já existem declarados postulantes à sucessão do prefeito Neto: Albertassi (PMDB), Baltazar (PRB), Paiva (PT), Rogério Loureiro (PPS) e Zoinho (PR) (sempre) não escondem as aspirações, porém, caso Paiva seja impossibilitado de defender a corrente da situação, o prefeito atual deve jogar as suas fichas na candidatura de Deley (PTB).

ITATIAIA - EM NOME DO PROJETO

QUATIS - MÁGOA

Confiante no sucesso de sua gestão e apostando no enriquecimento econômico do município, o prefeito Luiz Carlos Ypê, que pretende aposentar seu nome das urnas eleitorais, está seguro que fará o sucessor entre os nomes de seu grupo político que mais se identificar com o seu estilo de governo. Na manga, Ypê tem dez quadros que poderão ser trabalhados para a missão.

Jamais convidem para a mesma mesa o ex-governador Anthony Garotinho e o prefeito Bruno da Padaria. A recente opção do prefeito em se filiar ao PMDB de Cabral e Pezão e abandonar o PR, na visão de seu ex-líder, é uma punhalada por trás imperdoável por milênios.

PORTO REAL - 2014 Alexandre Serfiotis (PSD) e Elias Vargas (PV) virão como candidatos do município à deputado federal e estadual, respectivamente, no ano vindouro. Não necessariamente unidos. Ressentimentos de eventos do último pleito podem inviabilizar a dobradinha.

A prefeita Cida (PDT) não abrirá mão e será candidata a reeleição. Seu criador, Jorge Serfiotis (PMDB), provavelmente desafiará a “criatura”. Por fora, a filha do ex-prefeito Bernardelli, Silvia (PP), também deve concorrer. A quarta via provável é uma candidatura oriunda do poder legislativo municipal. É aguardar pra ver.

BARRA MANSA - MELHOR DE TRÊS

BARRA MANSA - GANGORRA Com o desgaste da deputada Inês Pandeló (PT) na ALERJ, a executiva estadual do partido pode vir a autorizar mais uma candidatura de Barra Mansa para o legislativo. O nome escolhido poderá ter berço na Câmara Municipal.

BARRA MANSA - DEBANDADA Com a saída dos três vereadores do PRTB na cidade (Uéslei Brito, Ricardo Arbex e Denílson Câmara), todos recentemente filiados ao novo PROS, Edson Albertassi (PMDB) perde inestimável espaço político no município. Quem ganha com isso é o deputado Hugo Leal, que cooptou os três para a sua legenda.

14

PORTO REAL- 2016

Da cabeça do grupo político de respaldo do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) na cidade, composta pelo vereador Rodrigo Drable (PMDB), Sérgio Gomes (PEN) e Lula (PEN), deverá sair um candidato à deputado estadual em dobradinha com Cunha. O nome menos provável é o do ex-vereador Lula, que do alto de sua vasta experiência, não vê muito futuro no projeto. Assim sendo, caso se confirme a tendência do PEN eleger um deputado com baixa votação quantitativa, Sérgio Gomes deve ser o escolhido. No último caso, Rodrigo Drable “iria para o sacrifício”.

VIDA LONGA Espero que esta jornada seja longa e produtiva. Grato pelo convite. Já estou em casa.


HISTÓRIA

ONDE NASCEM OS BEBÊS RESENDENSES...

ERA UMA VEZ...

A Revista Acontece Interior aceitou o convite para contar, em quatro capítulos um pouco da história de mais de 90% dos bebês que nasceram em Resende

A FACHADA ANTIGA-1949

ENFERMEIRAS E BERÇARIO ANTIGOS

PRIMEIRO PARTO NA APMIR EM 25 10 DE 1941

16

APMIR ABRIL DE 1991

Fotos e informações: Arquivo da APMIR.

APMIR- Associação de Proteção a Maternidade e Infância – com 72 anos de vida, foi e ainda é, literalmente, o berço de milhares de partos. O primeiro registrado oficialmente foi o de Maria Luiza Nunes Amorim, que na foto está nos braços da mãe, Maria Rita Nunes. Isso em 25 de outubro de 1941. Época de poucos recursos, principalmente no interior. As fotos revelam como eram os “ambulatórios”. Diante dos desafios , começava a APMIR ; O“movimento” que impulsionou a associação, surgiu um pouco antes, em 1935, graças ao Sr. Arcilio Guimarães. Alguns anos e partos depois, nascia o Centro de Saúde Dr. José Máximo Balieiro que deu origem à primeira maternidade de Resende. Sobrenomes ainda presentes na cidade. Na época, a APMIR funcionava num pavilhão no segundo andar da Santa Casa de Misericórdia. Eram dez berços, sala de gestantes com dez leitos e duas camas de isolamento. Um grupo de médicos – Drs. Nicolau Moisés, Balieiro, Manuel Taurino do Carmo, Haroldo Vianna Rodrigues, Sebastião Reis , Nilo Gomes Jardim Jr. e outros, – abraçou a causa e escreveu o nome na história. Causa, aliás, que foi sendo assumida por muitos seguidores. Em 1947, sob a presidência de Dona Maria Storino Pustilnik, a Prefeitura passou em definitivo a escritura do terreno. O prédio foi construído com recursos do Governo do Estado, da Legião Brasileira de Assistência e de outros voluntários. Na foto da fachada em 1949 é possível perceber detalhes como o telefone de emergência, usado para agendar uma consulta de prénatal. Enfermeiras padronizadas com uniformes....É ... O tempo passa e na próxima edição você vai conhecer um pouco mais da história e dos prêmios conquistados pela única maternidade pública de Resende e região.


NeGÓCIOS

Móveis Copacabana Uma história de mais de meia década. >>> Por: Adriano Lizarelli

N

ão é todo dia que se pode narrar histórias de empresas que já passaram de meia década de existência. A Móveis Copacabana, no calçadão de Campos Elíseos em Resende, teve origem há 54 anos. A administração está na terceira geração da família Halpern. O polonês, Sr. Adolfo, chegou ao Brasil ainda adolescente. Foi em Cachoeira Paulista, interior de São Paulo, em 1929. Tinha apenas 14 anos. Era o início do que hoje , é exemplo de empreendedorismo. Já em Resende, em 1931, ele inaugurou a loja que oferecia aos Resendenses e moradores da região, móveis num padrão de alta qualidade e beleza. Sr. Adolfo casou-se em 1935 com dona Berta, também Polonesa. Veio a segunda geração. O Sr. Marcos Halpern, casado com Dona Rachel, inaugurou em 1959 a Móveis Copacabana com o mesmo “DNA” da origem dos negócios da família. O tempo passou... Foram mais 36 anos e em 1995, Alberto Glen Halpern, o Beto, assumiu a direção passada a ele pelo pai. A administração continua se mostrando inovadora.

18

Recentemente a Móveis Copacabana, passou por uma grande reformulação física e conceitual, “mas mantendo os princípios básicos de nossa origem: Valores como ética, honestidade e respeito estão presentes em cada venda. A equipe tem a Visão de que é preciso conhecer cada cliente, fornecedor, parceiro e a comunidade que forma o conjunto de nossos consumidores. Temos a Missão de aperfeiçoar o relacionamento com nossos clientes e ,além dessa relação comercial, cumprir com nossa responsabilidade social. Os Negócios da família Halpern sempre vão priorizar a realização de sonhos, vendendo móveis de qualidade, com tecnologia, durabilidade, funcionalidade e design“, conclui Beto. A obra realizada nos últimos meses trouxe uma nova fachada com linhas modernas. O projeto de iluminação deixou o interior mais claro. A reformulação com mais espaço priorizou as cores vivas da moda. Com dois pavimentos, a estratégia foi deixar prontas várias opções de decoração. Salas inteiras podem ser visualizadas a fim de mostrar aos

clientes como elas ficariam dentro de casa. “O investimento valeu a pena. As nossas vendas cresceram 20% nos últimos dois meses e a expectativa até o natal é que tenhamos um recorde nos negócios fechados. Às vezes me perguntam qual é o segredo? Se é que existe, vou revelar agora: nós oferecemos aos clientes a possibilidade de olharem os detalhes de cada móvel com calma, cuidado, tatear, alisar, sentar, medir... enfim, deixar o consumidor tranqüilo para que ele se convença que está comprando um produto de alta qualidade por um preço justo. A entrega rápida e montagem no mesmo dia é mais uma das nossas estratégias. Quem compra quer aproveitar o novo móvel o mais rápido possível. E nós levamos esse desejo a sério, conclui o dono da Móveis Copacabana, Alberto Halpern. E nós terminamos essa história com a certeza de que, mesmo diante dos crescentes concorrentes, a empresa vai continuar dando o exemplo de administração que teve início em janeiro de 1959. Parabéns!


Família de Sucesso

Sr. Adolfo Halpern Fundador Móveis Copacabana

Srª. Berta Halpern Esposa do Sr. Adolfo

Sr. Marcos Halpern Segunda geração Móveis Copacabana

REFORMULAÇÃO DA FACHADA

‘’Os Negócios da família Halpern sempre vão priorizar a realização de sonhos, vendendo móveis de qualidade, com tecnologia, durabilidade, funcionalidade e design“


Adílio Clementino Uma história surpreendente de superação e paixão pelo esporte

Willian Ferreira Jornalista reporter_wil@yahoo.com.br

Você vai conhecer a história de um homem que experimentou o céu e o inferno, por diversas vezes na vida e ainda assim, manteve a fé para seguir em frente querendo realizar sonhos. Como já dizia o lendário personagem “Rocky Balboa”, interpretado pelo ator Sylvester Stallone : ‘‘Não importa a força que a vida bata em você. O que vale é o quanto você aguenta apanhar e consegue se manter de pé’’. E essa metáfora consegue simplificar na essência a arte da superação através do esporte, vivida por Adílio Clementino Basílio. Natural de Conservatória, distrito de Valença, desde pequeno compartilhava dos sonhos de milhões de jovens pelo mundo: ser jogador de futebol. Mesmo ainda fora dos gramados, ele aprendeu como é difícil vencer os obstáculos, principalmente quando lhe é retirado o principal ponto de apoio, a família. Aos sete anos, vivendo com a mãe e mais seis irmãos, a situação financeira era grave e não havia comida para todos. Em um mistério ainda a ser desvendado, a pequena casa que ele morava pegou fogo, levando toda família a viver por meses, em um banheiro público da cidade. “Às vezes minha mãe tinha que trancar o banheiro para que ninguém entrasse. Meus irmãos choravam muito. Certa vez um cara tentou abusar dela à noite, e ela teve que usar um pedaço de pau para impedir. Como ela já sofria com problema de nervos, acabaram internando-a em um hospital psiquiátrico. Assim, fui separado dos meus irmãos, cada um foi levado para um canto. Acabava ali minha família ”, conta Adílio. Levado para uma instituição acolhedora de menores abandonados em Valença, o rapaz, mesmo diante da nova realidade, não parava de

20

sonhar em se tornar um grande jogador de futebol. “Na instituição que fiquei tinha uma quadra de futsal e quando um grupo de fora alugava, eu ficava próximo, olhando, para ver se me chamavam para completar um time e quem sabe gostarem de mim, do meu futebol”, relata. A essa altura, o esporte era mesmo a única forma que Adílio vislumbrava para mudar os rumos da vida. O consumo de drogas e a violência por parte de internos mais antigos era recorrente e sentida na pele durante alguns anos. “Apanhava dos caras mais velhos. Uma vez até me queimaram. Era complicado me manter neutro e ao mesmo tempo brigar pelos meus direitos. Até fiz alguns amigos lá dentro, que infelizmente acabaram se perdendo no meio das drogas. Hoje já não estão mais conosco”, lamenta. E através da força de vontade e dedicação a vida resolveu sorrir para ele . Já adolescente, começou a trabalhar em um projeto social, conhecido como “Patinho Feio”, e foi nesse momento que surgiu Cláudia, uma senhora gentil e carinhosa. A partir daquele momento ela viraria sua segunda mãe. Pouco tempo depois, Cláudia o convidou para morar com ela. Finalmente ele deixou a instituição para menores.


A vida estava mostrando que era possível ser feliz. “Sou muito grato a Cláudia, por tudo que ela fez por mim. Me ensinou (sic) a ter confiança de novo, a voltar a acreditar nos meus sonhos. Era a chance que eu precisava para reconstruir minha vida e também fugir um pouco do preconceito das pessoas, por ter vindo de abrigo de menores”, explica Adílio. Pouco tempo depois, já como empacotador de um supermercado, chegou a vez de realizar um sonho antigo. Um tio de consideração havia lhe conseguido um teste, popularmente conhecido como peneira, no Fluminense. “Eu estava muito feliz, havia esperado muito tempo por uma chance em um time grande... era fantástico”, contou com emoção , ao relembrar o convite. Entretanto, o destino estava mais uma vez, querendo ver o quanto ele tinha fé e capacidade de superar limites. Faltando apenas dois dias para o grande teste no tricolor das laranjeiras , ao voltar de uma festa, de bicicleta pela ciclovia, um motorista alcoolizado o atropelou e sem prestar socorro, deixou Adílio pelo caminho, correndo sério risco de morte. “Quem estava na rua me falou depois que o motorista chegou a dar ré, porém, viu que a situação estava difícil, pensou que eu não iria sobreviver e acabou fugindo do local”, conta. No hospital, foi possível salvar a vida de Adílio, contudo, ele acabou perdendo o baço, teve os dedos do pé direito amputados e ainda foi contaminado por uma infecção hospitalar. Sofreu também a amputação total da perna direita. Era o fim do sonho que não se realizo.

interrupção de um sonho. Esses momentos podem transformar o sonhador em realizador, a vítima de uma injustiça em arquiteto do próprio destino, uma vida de lamentações em um homem que supera limites. E esse foi o caminho trilhado por Adílio. Diante da impossibilidade de jogar o futebol convencional, ele conseguiu a doação de uma prótese. Ainda que pesada e obsoleta seguiu praticando esportes. Em pouco tempo, disputou o Campeonato Brasileiro de Levantamento de Peso e de Vôlei Sentado. “Ficar parado e reclamando da vida é fácil, muito cômodo, mas não serve pra mim. Superei muitas adversidades desde a minha infância e não seria naquele momento que entregaria os pontos. Claro que é muito difícil, tem o preconceito de ser deficiente também, mas nada que me fizesse desistir. Ainda terei muitas alegrias no esporte”, garantiu. Hoje, aos 28 anos, além de treinar modalidades paraolímpicas, Adílio atua como treinador da equipe de Futebol de 7 de Barra do Piraí (Modalidade disputada por pessoas com deficiência mental) e é o vice-presidente da ABADE (Associação Barrense de Deficientes). Sua próxima meta é conseguir uma prótese mais leve, ideal para a disputa de modalidades esportivas, o que já o habilitaria a competir de igual para igual para disputar uma das vagas para os Jogos Paraolímpicos do Rio, em 2016. “Tanto participando como atleta ou como treinador, já ficaria muito feliz. Imagina então revelar um atleta que irá representar seu país? Seria muito gratificante, já estaria bom para mim, ficaria muito feliz. Eu sempre fui e serei um cara simples, que perdeu alguns de seus sonhos, mas não desistiu de lutar um minuto sequer”, finaliza. E você, depois de ler essa surpreendente história, tem alguma dúvida que ele irá conseguir? Adílio, nos veremos em 2016! Haverá um “anjo” que irá lhe ajudar.

“Minha vida que era estudar, trabalhar e jogar futebol foi radicalmente modificada por um motorista bêbado, que me atropelou na contramão e me negou socorro. Acordei em um hospital, por onde permaneci durante cinco meses, realizei (sic) 16 cirurgias, mas conseguiram salvar minha vida”, recordou-se. E são nesses momentos, em que tudo parece estar perdido. Que a vida perde o sentido, diante da brusca Modelo da prótese atual


A Copa e aqui! Centro de Treinamento em Pinheiral deverá receber uma seleção para a Copa de 2014

Willian Ferreira Jornalista reporter_wil@yahoo.com.br

I

magine você tomando um cafezinho em uma padaria em Pinheiral, e bem perto dali, nada mais ninguém menos que Lionel Messi, o melhor jogador do mundo, estar treinando para a competição de maior audiência do planeta: a Copa do Mundo. E olha, essa possibilidade existe. Em Pinheiral, está localizado o Centro de Treinamento de Excelência Dr. João Havelange. Um dos CT's mais modernos do país e que poderá servir de base de treinamentos para uma seleção na Copa do Mundo. No Brasil, 403 Centros de Treinamentos se cadastraram para ser sede de uma das seleções classificadas. Setenta receberam a aprovação da entidade desportiva. Na região, além de Pinheiral, Barra do Piraí com o Aldeia das Águas Park Resort (em parceria com Volta Redonda e o estádio Raulino de Oliveira) e Mangaratiba, representada pelo Portobello Resort, estão no páreo para receber os craques que irão participar do Mundial. Após ser contemplado com a chancela da FIFA, para se candidatar a hospedar uma das 32 seleções , o Centro de Treinamento João Havelange já recebeu a visita de diversas comitivas internacionais, entre elas, a Suécia do craque Ibrahimovic, além de Japão, Grécia, México, Irã, Colômbia e por último, a Argentina. Aliás, o CT arrancou elogios do diretor de Seleções da AFA (Associação de Futebol Argentino), Carlos Bilardo. Para quem não se lembra, Bilardo é ex-técnico da Argentina, campeão da Copa de 86. “O local é perfeito. Tem uma estrutura profissional que proporciona a equipe totais condições de trabalho.

A nossa Seleção estaria bem à vontade em meio a este verde e com uma imensa privacidade”, avaliou Carlos Bilardo. O complexo, sediado na Fazenda Sobradinho, é formado por dois campos oficias padrão FIFA, academia, sala de musculação, refeitório, área de lazer, além de uma estrutura invejável aos grandes clubes do Rio. Flamengo, Vasco e Botafogo, e até mesmo a seleção brasileira feminina de futebol já utilizaram as dependências do CT ao longo dessa

temporada. Os investimentos agora são no setor de hotelaria. Hoje, o CT de Pinheiral possui um alojamento com 30 apartamentos. Com um novo projeto, já iniciado, mais 40 apartamentos serão construídos, aumentando a capacidade para receber até 200 hóspedes. Então você já sabe. Em 2014, quando visitar Pinheiral, não deixe de levar a máquina fotográfica, papel e caneta, pois o ídolo dos gramados pode estar lá.


EDUcação

FOA e UniFOA comemoram mais um aniversário

U

m dos mais tradicionais sistemas de educação do estado do Rio está em festa. No dia 18 de outubro foi aniversário da Fundação Oswaldo Aranha (FOA) e do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA). Completaram 46 e 14 anos respectivamente. As comemorações se estenderam até o dia 19 e motivos não faltaram. Houve homenagens, inaugurações e o lançamento do livro "Direito e Desenvolvimento: Perspectivas Sociopolíticas". As atividades tiveram o descerramento da nova placa do campus Vila, com o nome de “Campus Universitário José Vinciprova”. A homenagem póstuma ao ex-integrante do conselho curador da FOA teve as participações do presidente da FOA, Dauro Aragão, da reitora do UniFOA, Claudia Utagawa, familiares de Vinciprova e funcionários da instituição. Em Três Poços, aconteceu a inauguração do novo prédio do campus que recebeu o nome de Wilson Lemos Machado - homenagem póstuma ao médico que ajudou a construir a história do curso. “Essa obra retrata o vigor da FOA/UniFOA. Um marco em nossa história merecia um nome à altura. Wilson se dedicou de forma incondicional à medicina e à Fundação Oswaldo Aranha”, lembrou o presidente da instituição, Dauro Aragão. O novo prédio tem 8 mil m² e equivale, segundo o superintendente executivo da FOA, Eduardo Prado, a “um conjunto habitacional de 140 casas de 60 metros quadrados cada. Os cinco andares estão divididos em 48 salas de aula, quatro secretarias, salas de coordenação de curso, laboratórios de informática e elevador. A partir de fevereiro de 2014, as instalações começam a funcionar para três cursos de Engenharia. Depois da inauguração, foi lançado o livro "Direito e Desenvolvimento: Perspectivas Sociopolíticas", organizado pelos professores Carlos José Pacheco, Dario Aragão Neto, Rodolfo Liberato Noronha e pelo coordenador do curso, Matheus Vidal, que falou sobre os pontos altos da obra: “O livro é o primeiro volume de uma série continuada. Eu posso dizer, com muita satisfação, que metade do conteúdo foi produzida por nossos alunos e a outra metade por professores. A obra estará disponível para pesquisa na Biblioteca Central do UniFOA”.

23


O Estado Brasileiro:

De protetor a violador dos Direitos Humanos.

Alex Martins Presidente da Comissão da Verdade de Volta Redonda e da OAB/VR

alex.martins@oabrj.org.br

N

as Faculdades de Direito aprendemos que o Estado é soberana e couraçado pelo princípio da supremacia do interesse público, gozando rigorosamente dos poderes a ele inerentes e das atribuições públicas introduzidas em uma estrutura organizacional cuja significância é de natureza política-administrativa e, concomitantemente, sócio-econômica. Completando esse entendimento, observamos que o Estado é uma instituição com competências administrativas sobre intensas medidas gerenciais na chamada “Coisa Pública” em benefício do seu povo – que, de fato, é o interesse público – dentro de uma área territorial delimitada, onde administra o espaço público, criam-se as leis e aplica as normas legais em vigor. A materialização dos deveres deste Estado Dominador se concretiza através do desempenho de seus agentes públicos em suas jornadas, cumprindo suas funções administrativas (típicas ou atípicas) em prol da coletividade. Neste ponto é que avaliamos por diversos ângulos os resultados destas ações estatais, concluindo pela satisfação ou não da população. Quaisquer atos administrativos praticados por servidores públicos que estejam distantes das margens da legalidade e da moralidade pública serão considerados desviados de sua finalidade e, até mesmo, classificados como abusivos e excedidos, evidentemente, carecendo do indispensável repúdio e anulação dos seus efeitos jurídicos. Dito isto, desta forma jurídica, pergunto aos leitores:

No nosso dia a dia, será que este conceito é integralmente fidedigno e acatado por nossas autoridades?

24

Nessa esteira, faço outra indagação: Verdadeiramente qual é o papel do estado brasileiro por seus agentes públicos na proteção dos Direitos e das Garantias Fundamentais do Cidadão? Penso que a melhor resposta, teoricamente, é proporcionar a defesa e o cumprimento destas questões dentro das relações sociais promovendo a segurança jurídica, a ordem pública e a paz social. Noutro lado, surgem mais questionamentos sobre o tema, a exemplo da mobilização da classe dos professores no uso do direito ao movimento grevista (como direitos sociais consignados na CF/88) realizado nos últimos dias na cidade do Rio de Janeiro é, ainda, um instrumento legal e respeitado pelo Estado? Há nele previsões constitucionais convictas ou já foram abolidos do nosso ordenamento jurídico? Todos nós sabemos da resposta, pois há neles bases sólidas, contudo o Estado persevera em violar a tal regra, daí surgindo indignações das classes menos favorecidas, promoção dos protestos nas ruas e, finalmente, a vinda da repressão policial. Os protestos e as manifestações populares ordeiras e pacíficas nas vias públicas em marcha contra a corrupção dos nossos políticos, da falta de representatividade das entidades de classe, contra a ineficiente dos diversos serviços públicos somados as elevadas taxas e outras mais razões são reivindicações legais e permissíveis. É o espírito democrático como pano de fundo desta pauta devendo, a rigor, ser estimado por nossas autoridades públicas, em especial, aos que ocupam os cargos nas seguranças públicas nos estados. A democracia deve ser celebrada nos quatro cantos do país todos os dias pelos brasileiros, pois sabemos que este modelo teve um custo muito elevado para os nossos antepassados e para a história política do Brasil. Lamentavelmente, quando lemos ou vemos as notícias das cenas de agressões contra


manifestantes em atitudes truculentas e abusivas cometidas por policiais militares forrados pela cultura autoritária em desfavor daqueles trabalhadores que buscam legitimamente melhores condições de trabalho, a meu ver, entendo que estamos diante de um Estado que deixa a posição de protetor passando para violador dos Direitos Humanos, idêntico aos períodos da ditadura militar. Deste contexto, é preciso partir para renovação das posturas institucionais dos agentes das policias militares do nosso país, em destaque, rompendo a arrogância e enfrentando insistentemente a repressão

militar às adversidades políticas nas ruas, visando pela conversão de uma Polícia Militar por uma Polícia Cidadã. Inadiável o convite ao debate pela sua desmilitarização e, disso, me associo a corrente que advoga na ladeira pela consolidação da democracia e pela paz social como alicerces ao crescimento do nosso Brasil, antes que outros “Amarildos ” sofram as mesmas dores e violações, a despeito, pugnamos por um Estado protetor e jamais violador dos nossos consagrados Direitos Humanos reconhecidos internacionalmente, pois é dele a Soberania Nacional!

................................................................................................................

Boa notícia para quem usa com freqüência a Justiça do Trabalho em Volta Redonda.

E

m recente reunião intermediada pela OAB-VR, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho Carlos Drumond, anunciou que Volta Redonda terá, em breve , uma nova estrutura física para abrigar também a 3ª Vara que hoje funciona num espaço alugado no bairro Aterrado, distante do Prédio onde fica a sede. As obras devem começar rapidamente, dependendo apenas da formalização do “acordo” que está sendo feito com a Associação Comercial. A proposta é transferir temporariamente a 2ª Vara do trabalho para o prédio da ACIAP-VR, para que as obras de ampliação tenham início. Segundo Alex Martins, presidente da OAB local, a reestruturação trará grande benefício para todos que utilizam os serviços da Justiça do Trabalho, principalmente em função do dia a dia corrido dos advogados.

25


ESPAÇO UNIVERSITÁRIO

Uma clínica de fisioterapia ao alcance de todos

A

Clínica de Fisioterapia do UniFOA atua desde 2002 na promoção de atividades estéticas e de reabilitação. No espaço estão disponíveis equipamentos de última geração, tratamentos modernos e atendimento individualizado realizado por especialistas. O serviço é oferecido para a população em geral, alunos e funcionários da instituição. “Nossa intenção é melhorar a qualidade de vida das pessoas e restabelecer o indivíduo na sociedade, aliviar a dor, facilitar o processo de melhora ou até mesmo a cura. A garantia de tudo isso é o trabalho dos profissionais, somado à assistência personalizada ao paciente”, destacou a coordenadora da clínica, Fisioterapeuta Cleize Cunha. Na clínica, o público encontra assistência nas seguintes áreas de neurologia adulta e pediátrica, cardiopulmonar, pré e pós-operatório cardíaco e torácico, traumato-ortopedia, uroginecologia, dermatofuncional, hidroterapia em piscina aquecida e pilates. De acordo com a coordenadora, para todos os serviços são cobradas taxas de baixíssimo custo. Na hidroterapia, os pacientes com doenças de coluna e ortopédicas recebem tratamento específico, individual ou em grupo, que além de trabalhar o alívio da dor ainda relaxa a musculatura. Na piscina também são realizadas aulas de hidropilates, uma nova modalidade que proporciona inúmeros benefícios. Os tratamentos dermatofuncionais também têm feito sucesso por lá. “ temos diversas opções de peeling com estimulação de colágeno e função despigmentadora. ‘‘Dispomos de excelentes soluções para quem quer se ver livre das estrias, celulites e gorduras localizadas. Aparelhos e produtos testados e aprovados, por um valor menor do que o mercado de estética normalmente cobra”, disse Cleize. Quem quiser utilizar os serviços deve ligar para 3340-8400 e pedir o ramal 8524. O atendimento é de segunda a sexta, das 8 às 17 horas.

............................................................................................... Curso de Direito do UniFoa é o primeiro da região O curso de Direito do UniFOA é, segundo as últimas informações do Exame de Ordem dos Advogados do Brasil, o primeiro colocado na região sul fluminense com um alto índice de aprovação dos seus egressos no exame da OAB. Hoje o curso é, também segundo dados do jornal Folha de São Paulo, o terceiro colocado entre as instituições privadas do Rio, atrás apenas da PUC e Fundação Getúlio Vargas.


Alunos desenvolvem carro elétrico Um dos destaques do Colóquio Técnico-Científico promovido recentemente pelo UniFOA foi a apresentação do primeiro carro elétrico ecológico que foi idealizado pelo engenheiro Fabiano Lombardi, em parceria com o curso de Design e a EASE Engenharia, com fomento da Faperj. O design do veículo foi desenvolvido por alunos e professores após pesquisas de campo - inclusive na Europa - e workshops em São Paulo e Rio de Janeiro. O veículo elétrico tem base sustentável e já funciona. Um item que chama a atenção é que toda a carroceria foi feita com fibra de sisal o que ajuda a reduzir a emissão de poluentes.

...............................................................................................

Ótimos resultados O aluno do 8º período do curso de Sistemas de Informação do UniFOA, Yuri de Freitas Waki, conseguiu a Certificação Java com uma denominação curiosa: Oracle Certified Associate Java SE 7 Programmer 1 (OCAJP). A prova, com duração de 150 minutos, realizada no Rio de Janeiro, foi composta por 90 questões. O percentual mínimo de acertos para ser aprovado é de 77% e o aluno conseguiu 91% de acertos. Orgulho para região. Parabéns!

...............................................................................................

Secretário prestigia colóquio O secretário de Ciência e Tecnologia do estado do Rio de Janeiro, Gustavo Tutuca, esteve no dia 22 de outubro participando da abertura oficial do VII Colóquio Técnico-Científico, promovido pela PróReitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do UniFOA. O evento contou com a presença da reitora, Claudia Utagawa, do superintendente executivo da FOA, Eduardo Prado, alunos e professores. Gustavo Tutuca ministrou uma palestra sobre o “Panorama da Ciência e Tecnologia” e reforçou as formas de atuação da secretaria. “Estamos muito atentos e cada vez mais envolvidos no que diz respeito à Ciência. Temos diversos braços que são fundamentais na disseminação desses conhecimentos. A intenção é fortalecê-los e assim atrair cada vez mais a população”, disse o secretário que citou como exemplo a UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e a Faetec (Fundação de Apoio à Escola Técnica).

...............................................................................................

~ abertas Inscriçoes

Vão até o dia 2 de dezembro as inscrições para mais um vestibular do UniFOA. Lembrando que, a partir de agora, as inscrições para o curso de Medicina terão como base apenas o Enem. A nota mínima é de 550 pontos. Para os demais cursos - Administração, Ciências Biológicas com ênfase em Biotecnologia (bacharelado) e Ciências Biológicas (licenciatura), Ciências Contábeis, Design, Direito (manhã e noite), Educação Física (bacharelado e licenciatura), Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Gestão de Recursos Humanos, Jornalismo, Nutrição, Odontologia, Publicidade e Propaganda, Serviço Social e Sistemas de Informação, haverá prova no dia 8 de dezembro no campus Três Poços. Para fazer a inscrição basta acessar www.unifoa.edu.br/vestibular. Fonte : Assessoria de Imprensa FOA – UniFOA

27


GREVE DE 88 Resgatando a história da maior Companhia Siderúrgica da América Latina, a CSN.

Aline Franco Jornalista contato.alinefranco@gmail.com

@alinefv

A

missão deste exemplar não foi nada fácil. Falar da CSN é sempre um desafio, afinal, tenho a nítida impressão de que “tudo” já foi dito sobre a Companhia Siderúrgica Nacional, a maior da América Latina, localizada em Volta Redonda, sul do estado do Rio de Janeiro. E o que parece importuno pra tantos moradores, pode ser motivo de orgulho pra outros. Tantas curiosidades, tantos detalhes. Apesar disto, de alguma forma, sinto que meu olhar pode ser diferente. Não nasci na região. Sou natural de Curitiba, mas passei a minha primeira infância em Volta Redonda. Não é nada incomum a piadinha: “saiu de Curitiba pra Volta Redonda? Cansou de ar puro?” Aos que um dia me perguntaram isso, eu tranquilizo: meu pulmão resiste bravamente! E falando em pulmão, fumaça e poluição, lembro de, ainda muito criança, no carro com meu pai, ver de longe toda aquela fumaça, chaminés gigantes e ouvir o comentário: “Filha, ali é a CSN!” Um olhar rápido, não muito atento e mais inocente do que nunca. Foi só. Só o que eu me lembro da CSN daquela época. Mal sabia que pouco tempo antes dessa sutil explicação do meu pai, por causa da

08 Foto: Internet

CSN o país havia vivido um momento histórico. Retornei a Volta Redonda depois de 10 anos. Já com 18 anos, na faculdade, era mais que obrigação conhecer aquele “lugar gigante e cinza”. Felizmente isso aconteceu de forma natural. E o ambiente que um dia eu vi apenas “soltando fumaça” ganhava um novo significado. Os anos passam e o dia 9 de novembro de 1988 sempre será lembrado. Eu tinha apenas um ano de idade quando tudo aconteceu. Meu irmão acabava de nascer. O que sei me foi contado, pesquisado e absorvido. Final dos anos 80. Mais precisamente ano de 1988. Operários decidem pela greve. Uma luta por um turno de seis horas, reposição salarial e dignidade. Invasões. Soldados. Tiros. Violência e mortes; Três. Três operários mortos. Mataram William Fernandes Leite, 22 anos, com tiro de metralhadora no pescoço. Mataram Valmir Freitas Monteiro, 27 anos com tiro de metralhadora nas costas. Mataram Carlos Augusto Barroso, 19 anos, com esmagamento de crânio. A comoção é geral. A greve prossegue. Ainda mais tensa, até o dia 23, quando os trabalhadores finalmente conquistam as reivindicações. Mas os operários que tiveram suas vidas ceifadas jamais serão esquecidos. Uma memória dura de ser assimilada até hoje. A morte cria seus próprios mártires.


Mortes que ocorreram de forma brutal. Não, os militares assassinos não foram punidos. Pra piorar, o general que ordenou a invasão da Usina Presidente Vargas ainda viria a ser promovido, no governo FHC, a ministro do Superior Tribunal Militar. Diferentemente de anos atrás, hoje a greve de 88 também faz parte de mim. O dia 9 de novembro agora tem um significado todo especial. Sou só mais alguém que relembra a história. História triste que começou dois dias antes, 7 de novembro. Vinte e cinco anos se passaram e o que você sabe sobre esses fatos? Não fuja à história, afinal, são bodas de prata! Prata da casa. Sem muito brilho é verdade,

devido os anos. Um pouco esquecida, fosca e mais cinza do que nunca. Apagada da memória de tantos. Basta perguntar pra alguns. A história da greve ainda é obscura. O nome dos operários mortos? “Foram quantos mesmo?”, uma senhora me perguntou. Foram três, minha senhora. Três mortes. Estúpidas. Mas não em vão. O monumento na praça Juarez Antunes, erguido um ano após a greve, e atacado por bombas antes mesmo de ser inaugurado, permanece no mesmo lugar. Um memorial bombardeado de história. Ainda confuso pra tantos, e hoje cheio de significado pra mim. O olhar inocente de anos atrás, agora sabe das coisas.


cultura

Do lado esquerdo do peito A experiência com o câncer de mama, com humor e sem perder a alegria de viver

A

jornalista Giovana Damaceno, de Volta Redonda, lançou em outubro seu terceiro livro: “Do lado esquerdo do peito”. Um depoimento sobre a luta que ela travou contra o câncer de mama em 2009. Ela tinha acabado de completar 40 anos. O grande diferencial do livro é o bom humor com que a autora trata sua experiência sobre um tema que para muitos representa, equivocadamente, o fim. Os leitores das crônicas da autora, acostumados aos textos em tom de bate-papo, não precisam esperar algo diferente. Para ela, é a melhor forma de contar o que viveu. Giovana fala de sentimentos, da relação com a família, de marido, filho, amigos, sexo e rotina. “Em nenhum momento me preocupei com questões técnicas sobre a doença. Detalhei cada etapa, desde os primeiros exames até minha reintegração à vida cotidiana, após o furacão”, adiantou. Perguntada sobre a mensagem que deseja deixar com essa obra, ela é direta: “É possível e necessário, antes de vencer a doença, vencer a si próprio. A máquina pifa, mas pode ter conserto com aceitação irrestrita, com os pés no chão. Se for a hora de morrer, vai morrer, mas é plenamente possível lutar. E muito digno”, finalizou. Muitos anos de vida Giovana.

...............................................................................................

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa Orgulho da região. Motivo de reflexão.

O

que o mundo viu durante a visita do Papa ao Brasil, o interior do estado já conhecia muito bem. A Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, nasceu há anos numa proposta de reformulação da Banda Marcial. Construiu alicerce e conquistou a fama de ser um excelente projeto sócio/cultural. Em 2007, uma “onda” de incentivo financeiro, atraiu grandes empresas como Light, Votorantin Siderurgia, SaintGobain e White Martins. O conceito básico é levar a música para as escolas públicas de Barra Mansa e usá-la como instrumento de socialização e transformação da realidade de muitos jovens (a rede pública de ensino de Barra Mansa tem cerca de 22 mil alunos). Mas a orquestra cresceu, ganhou corpo e reconhecimento mundial.“De todos os momentos, os mais emocionantes foram a atuação junto aos balés Kirov e do Alla Scala de Milão e o concerto de encerramento da temporada 2012, onde a orquestra apresentou a

30

9ª sinfonia de Beethoven, com a participação do coro de crianças do projeto. Além disso, concertos com g randes maestros e solistas, como Isaac Karabtchevsky, Apo Hsu e Alastair Willis, emocionaram a todos.” Relata o diretor artístico e


maestro, Vantoil de Souza. Mas, nos corredores culturais da região, há quem diga que não se pode segurar o sucesso de talentosos músicos. Como fica a cruel dúvida entre o dever social e a linguagem da arte que requer liberdade e incentivo para voar?. De certo, está o sonho do Maestro Vantoil quando a pergunta é sobre o próximo grande objetivo da orquestra? “Nosso grande objetivo é a construção de uma sala de concertos. Barra Mansa não tem teatro e, por isso, precisamos tocar na igreja ou em salas improvisadas.Nosso grande sonho é a construção de uma boa sala de concertos para garantir a qualidade da música apresentada.” Recado dado. Fica a torcida para que a OSBM continue encantando a todos que tiveram, têm ou terão a oportunidade de apreciar um belo concerto.

...............................................................................................

Pinheiral vai ganhar centro cultural

A

Prefeitura de Pinheiral está criando um Centro Cultural no município. O custo do projeto de R$400.000,00, vem de uma emenda parlamentar solicitada pela deputada federal Benedita da Silva (PT). Para a construção do centro, a prefeitura comprou um terreno na Praça Teixeira Campos, no centro da cidade, que ainda conserva uma das últimas fachadas históricas de Pinheiral, construída em 1924.

De acordo com o prefeito José Arimathéa, a idéia é criar um espaço de apresentações.“Queremos construir um espaço multiuso de apresentações culturais e artísticas em dois ambientes, para receber apresentações públicas de diversas manifestações artísticas, em especial, do jongo, capoeira e maculelê O segundo andar do prédio será destinado à sede administrativa da Secretaria de Cultura e à diversas salas para aulas de formação artística e musical. O investimento faz parte da estratégia iniciada pelo atual prefeito, que quer revitalizar e resgatar a praça central do município como um espaço livre para manifestação popular. Pinheiral traz em sua história forte legado cultural dos escravos que foram alguns dos principais

personagens durante a construção da cidade. Tudo começou em uma das muitas fazendas cafeeiras do Vale do Paraíba. O que mais está presente nessa história é o jongo, representado por um grupo de jongueiros, conhecido em todo o país. O grupo, formado por moradores, mantém viva a dança de origem africana deixada pelos negros da Fazenda São José dos Pinheiros, berço histórico de Pinheiral. A tradicional dança dos escravos está presente na região Sudeste, mais especificamente nas regiões cafeeiras. Após o dia de trabalho nos cafezais, os escravos dançavam o jongo à noite embalados pelo som dos tambores. Eles cantavam músicas chamadas de ponto, que costumavam destacar assuntos como natureza , sobre o trabalho nas fazendas de café e a revolta diante da escravidão. Em 1996, os jongueiros de Pinheiral criaram o Centro de Referência e Estudo Afro do Sul Fluminense (CREASF). A intenção é preservar a dança, manter uma biblioteca especializada em cultura afro-brasileira e difundir a culinária afro. Desde 2005, o CREASF é tombado pelo Patrimônio Histórico Cultural e Imaterial e é apoiado pelo Programa Cultura Viva, do Governo Federal.

31


“Dormir bem é fundamental para a boa saúde, mas os distúrbios... Fernanda Costa Pereira Neurologista CRM 5275216-9 Neuroclinica VR Rua 40, nº 14 (Shopping 33 torre 2) Sl. 1410/1411 Vila Santa Cecília, (24) 3342-0158

O-

sono é essencial para um bom funcionamento do cérebro e do organismo. É importante para a secreção hormonal , consolidação de memória e descanso muscular. É dividido em estágios : 1 , 2 , 3 e sono REM que apresentam funções e durações diferentes . O sono REM (rapid eye moviment) por exemplo, deve ter duração entre 20 a 25% do total do sono e é responsável pelo descanso muscular e pela organização da memória diariamente. Uma pergunta feita constantemente nos consultórios médicos é:

Quantas horas devo dormir?

A resposta é: o suficiente para acordar bem. Estudos mostram que a média de tempo que se dorme é de seis a nove horas por dia. Mas isto não se aplica a todas as pessoas. Aqueles que denominamos “dormidores curtos”, dormem pouco e ficam muito bem. Esta necessidade é individual. Cada pessoa nasce com uma programação. O que mais importa é a qualidade do sono . Dormir mal causa o que chamamos de estresse oxidativo. Esta situação deixa a pessoa mais sujeita a alterações como hipertensão arterial, hiperviscosidade sanguínea, ganho de peso, aumento da

32

resistência a insulina, dores musculares e alterações cognitivas (memória). Tudo isto ocorre pelo fato de que temos um relógio biológico, que regula nosso sono e que vai de encontro com a curva de secreção de hormônio. Por isso, quando falamos que uma criança precisa dormir pra crescer, é a mais pura verdade. O hormônio do crescimento é um dos que varia sua secreção, respeitando o ciclo do sono. As alterações do sono mais frequentes são a apnéia do sono e a insônia. As menos frequentes, mas bastante curiosas, ficam por conta da síndrome das pernas inquietas e do distúrbio comportamental do sono REM. Apnéia do sono é o nome que se dá a uma pausa respiratória que ocorre em tempo superior a 10 segundos durante o sono. Homens e pessoas obesas são candidatas a apresentar este distúrbio. Pode parecer pouco importante, mas se estas pausas forem freqüentes, colocam o paciente em maior chance de ter infarto agudo do miocárdio , de desenvolver arritmia cardíaca além de modificar toda a arquitetura do sono. Desconfiamos deste distúrbio quando a pessoas relata que acorda com falta de ar no meio da noite ou quando mesmo com noites de sono com duração satisfatória, apresenta cansaço, sonolência excessiva diurna e perda de memória. Quem nunca perdeu uma noite de sono ? Dificuldade para iniciar, manter ou ainda ter aquele sono que vai embora antes da hora. Perder noite de sono é perder saúde. As insônias apresentam causas variadas. São alterações emocionais (ansiedade), medicamentos estimulantes, alimentos , herança familiar... Buscar a causa e avaliação especializada é recomendado nestes casos. Os tratamentos hoje são eficazes e variam de antidepressivos a hipnóticos para controle dos sintomas


Histórias curiosas, relatando que o marido agrediu a mulher durante o sono por achar que era um ladrão ou ainda casos dramáticos, como se jogar pela janela achando que a casa esta pegando fogo, são na verdade distúrbios do sono. Geralmente estas alterações são avaliadas por exames (polissonografias ) para que seja feito o diagnóstico diferencial entre parassonias (pesadelos) e distúrbio comportamental do sono REM. Neste último a pessoa apresenta o tônus muscular preservado na fase REM. Sendo assim ele sonha e reage ao sonho. Este distúrbio pode aparecer isoladamente ou ser secundário a doenças. Na síndrome das pernas inquietas a dificuldade de dormir se deve a uma sensação de queimação , formigamento ou mal estar nas pernas. Não é específica do sono. Ocorre também durante o dia. Pode ser uma síndrome secundaria a anemia, alteração da função renal ou ainda genética. O mais importante é saber que existe tratamento para esses distúrbios. Qualidade de vida depende de boa alimentação, hábitos saudáveis , atividade física regular e, sem dúvida, uma boa noite de sono . Preserve o seu sono.

33


SER HUMANO: REFLEXÃO NECESSÁRIA

AQUI E AGORA OU FELIZES PARA SEMPRE? Gilberto Caldas Sociólogo caldasgilberto2@gmail.com

O

s números não mentem jamais. São indicativos exatos, concretos, absolutos. E os números apresentados no Mapa da Violência 2013 no Brasil, quando focam o Estado do Rio de Janeiro, realmente assustam. É lamentável, mas ocupamos o oitavo lugar no ranking dos estados mais violentos do Brasil. E nossa região, devidamente amarrada nesse contexto, divide com todas as outras o amargo e indesejável gosto forte da violência, adversário ferrenho do suave sabor da paz inebriante. A bem da verdade, as coisas não andam mal só no Estado do Rio de Janeiro. Um levantamento recente feito pelo Conselho Nacional de Justiça, revela que existem hoje em tramitação nos Tribunais, nada mais nada menos do que o alarmante número de 92,2 milhões de ações. E mais, diz ainda que de cada 100 ações, apenas 30 delas são concluídas em tempo razoável. No Rio de Janeiro, a chamada taxa de congestionamento, também assusta. Em cada 100 processos, apenas 22 são contemplados e finalizados. Caramba! Se os números não mentem, as relações sociais na família brasileira não vão nada bem. Por quê? Porque se somos 201 milhões de confrades vivendo na mesma casa e 92,2 milhões brigam, e brigam oficialmente com pompa e

34

circunstância nos Tribunais de Justiça, ofertando plena visibilidade às suas contendas, tem alguma coisa de errado aí. Errado inclusive no verdadeiro e real volume dos desentendimentos. De certo que o CNJ só registra casos oficialmente declarados. E então? E aqueles em que a discórdia se instala, desequilibra as relações sociais, nada se resolve, mas também os contendores não vão as barras dos Tribunais? Serão o d o b r o, t r i p l o, q u á d r u p l o ? Infelizmente não existem dados oficiais que nos satisfaçam tal curiosidade. Tudo bem. Tudo bem. Das ações, os juízes são cuidadores e responsáveis pelo restabelecimento do equilíbrio entre as partes. Mas e das causas motivadoras das ações? Quem são os responsáveis? Existem responsáveis? Sim ou não? A resposta é um sonoro SIM. Existem responsáveis sim. Difícil de entender? Fácil de explicar. As Ciências Sociais, por exemplo, com seus instrumentos de pesquisa macro focados, detectam perfeitamente todos os movimentos, tendências, associações, dissociações do tecido social observado. Portanto, podem em tempo hábil, ofertar a sociedade informações que devem gerar ações preventivas, evitando o recrudescimento e o agigantamento de áreas de atrito, pessoais ou institucionais.

E o ser humano? O indivíduo, ser uno e indivisível? Pérola mais valiosa da criação para uns, ou da evolução para outros. Cidadão capaz de fazer acontecer. De transformar as possibilidades em realidades. Será ele responsável pela harmonia social? Pela não violência? Pela sintonia pacífica entre o EU egoísta e o NÓS altruísta? A resposta é novamente um sonoro SIM. Sim para todas as alternativas. Um SIM amplo, geral e irrestrito. É verdade. Verdade mesmo. O meu EU, o seu EU, o nosso NÓS, tem poder. Poder de construir ou destruir. Harmonizar ou desarmonizar. Guerrear ou amar. Viver intensamente o milagre da vida plena, ou arrastar indefinidamente por onde anda os pesados grilhões da estupidez, do ódio, da vingança, da morte em vida. E tem mais. A opção é minha, é sua, é nossa, tá legal? E é bom que esteja legal mesmo, porque precisamos urgentemente entender que somos mais frágeis do que perversos. Que somos seres em pleno processo de evolução. Que a evolução não dá saltos, caminha lenta, um passo após o outro. Que todos os sentimentos humanos são válidos. Que raiva, ódio, egoísmo, rancor, mágoa, vingança, não são encontrados em postes ou pedras, mas no reino hominal. Que o sentir, o pensar e o agir devem obedecer às leis naturais e morais das sociedades humanas. Que o radicalismo do certo e do errado, deve dar lugar ao resultado. Que nada é certo. Que nada é errado. Que todas as ações humanas devem ser avaliadas pelo resultado. Se positivo, ações positivas. Se negativo, ações negativas.


Bem, na teoria tudo é muito fácil. E na prática? Funciona? Claro que sim, dentre miríades e miríades de exemplos práticos, vamos até a Índia, ano de 1947. Mahatma Gandhi, a Grande Alma, comemora com seus compatriotas o fim do domínio do Reino Unido sobre seu país. Sem disparar um só tiro. O Príncipe da Paz comandou seu exército tendo como principal armamento o amor e a compreensão pelos adversários, segundo ele, derrotados pelas atitudes pacíficas e ativas do povo Indiano. Na América do Norte, Luther King, Nobel da Paz em 1964, gritou a plenos pulmões para que o mundo todo ouvisse: - “Ou vivemos todos juntos como irmãos, ou morreremos todos juntos como idiotas”.

E agora José? Vamos iniciar mais 92,2 milhões de ações judiciais contra alguém ou contra alguma coisa, ou vamos optar por um final harmônico, como em um conto de fadas, onde todos viveremos felizes para sempre? Que o radicalismo do certo e do errado, deve dar lugar ao resultado. Que nada é certo. Que nada é errado. Que todas as ações humanas devem ser avaliadas pelo resultado. Se positivo, ações positivas. Se negativo, ações negativas. Bem, na teoria tudo é muito fácil. E na prática? Funciona? Claro que sim, dentre miríades e miríades de exemplos práticos, vamos até a Índia, ano de 1947. Mahatma Gandhi, a Grande Alma, comemora com seus compatriotas o fim do domínio do Reino Unido sobre seu

País. Sem disparar um só tiro. O Príncipe da Paz comandou seu exercito tendo como principal armamento o amor e a compreensão pelos adversários, segundo ele, derrotados pelas atitudes pacíficas e ativas do povo Indiano. Na América do Norte, Luther King, Nobel da Paz em 1964, gritou a plenos pulmões para que o mundo todo ouvisse: - “Ou vivemos todos juntos como irmãos, ou morreremos todos juntos como idiotas”. E agora José? Vamos iniciar mais 92,2 milhões de ações judiciais contra alguém ou contra alguma coisa, ou vamos optar por um final harmônico, como em um conto de fadas, onde todos viveremos felizes para sempre?


Outubro Rosa

(para elas)

Julio Monteiro juliogless@gmail.com

1

3

2

A

moda em outubro se vestiu de rosa em combate ao câncer de mama. Cada ano vem aumentando a adesão ao movimento mundial Outubro Rosa, que chama atenção para a importância do diagnóstico precoce. O câncer de mama é o segundo tipo mais comum no mundo. Faça sua parte, consultando um médico regularmente por que agora vou fazer a minha. Vou mostrar o que há de mais incrível nessa temporada em tons de rosa! Como no nosso verão existe uma explosão de cores na cartela… Separei para vocês o que mais amo!

Vamos lá, venham comigo! #ThinkPink #EuJulioGless A estilista Patricia Bonaldi que sempre utiliza o rosa em suas coleções. Marina Ruy Barbosa que sempre adere ao maravilhoso rosa!

4

5 1 - Nail glow Dior 2 - Esmaltes rosas 3 - Clutch Isla 4 - Conjunto Farm 5 - Vestido estampa floral

36


Novembro Azul (para eles) 1

3

2

4

A

moda em novembro se veste de azul em combate ao câncer de próstata… Após o Outubro Rosa contra o câncer de mama, mais um passo pela prevenção, agora, contra o câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens. Seguindo exemplo, o Novembro Azul integra a programação mundial para conscientizar o sexo masculino sobre a prevenção da doença. Façam exames e venham comigo ver o que há de mais bacana no universo azul.

#ThinkAblue #EuJulioGless

6 5

1 - Necessaire Blue Gillette 2 - Havaianas Blue - Paixão Mundial!

3 - Perfume DIESEL - Only the BRAVE

4 - Bolsa Fred Perry 5 - A volta dele, o velho e bom Jeans Denim Blue!

6 - T-Shirts ELLUS total Blue

37


entretenimento

Andrei Lara: Colunista Social Firme em suas colocações faz um ataque preciso a suas presas e consegue fazer isso sem dar nome aos bois. Elogia descaradamente quando tem vontade!!! Fez de sua coluna renascer a nossa vontade de abrir o jornal em busca de ótimas tiradas, assim vejo o amigo colunista. Beijos mil, Lara!!! Ernesto Duarte Magalhães Arquiteto e Design Fez carreira rápida e consolidada no mercado de arquitetura, deixando claro que o projeto é dele, mas com a cara do cliente. Poucos conseguem isso, alguns gostam de imprimir somente a marca “tal”, não fazendo o cliente viajar no que o faz feliz. Amo muito isso. Beijos rapaz!!! Sandro Henrique Assessor, colunista, promotor e cerimonialista de eventos Versátil em suas colunas, realmente uma vitrine para os nossos olhos. Faz a delicadeza de nos informar o que acontece na MODA, no COMPORTAMENTO, nos GESTOS e ATITUDES PROFISSIONAIS, do seu jeito tímido, mas muito eficaz no que faz. Por isso, anos a fio no mercado. Sandro, você é 10!!!

DJ CRUEL e Camila (Cacau Produções) O casal recentemente trocou alianças e juras em uma elegante festa para amigos, imprensa e familiares, com um só propósito: Fazer todos presentes se divertirem – assim foi o casório. Adorei pelo convite e lavei minha alma na pista de dança. 1000 beijos para vocês!!!

Junior e Dyego Sertanejo Universitário Dupla sertaneja que vem com força total para mostrar o trabalho. Uma das poucas já com CD de músicas próprias, ficando difícil escolher a preferida. Estou apostando todas as fichas nesses garotos. Sei o que faço. E tenho olhos de lince quando vejo um bom talento. Até breve, garotos!

Felipe Amarante e Silvia Leijoto "Tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos" - Felipe Amarante e Silvia Leijoto. O casamento foi dia 26 de outubro em Barra Mansa . Parabéns, muita luz, saúde e amor na vida de vocês. Equipe Acontece Interior.

Taí Para Todos 38

Crédito da Foto - Bravo


perfil turismo

Zequinha Miguel e Mauro Nask angraemperfil@ig.com.br

ILHA GRANDE A 2ªa MARAVILHA DO RIO É A DICA DO PERFIL PARA CURTIR O VERÃO

O

maior balneário turístico-ecológico da região, a Ilha Grande, se prepara para alta temporada, o verão, tão exuberante e intenso que atrai um mar de turistas de toda parte do mundo. São milhares de pessoas a procura de mar, cachoeira, aventura, sombra e água fresca. Mas esses são só aperitivos diante das diversidades de lazer e descobertas que este paraíso ecológico tem a oferecer. Seus 193 km de extensão reservam, para quem a visita, 106 praias, 26 cachoeiras, montanhas e picos de natureza intacta que proporcionam diversas formas de se conhecer e curtir este arquipélago que é um dos locais mais fascinantes do oceano Atlântico. As praias mais conhecidas do local são: Praia do Abraão, onde se situa a vila que concentra o maior número de turistas e moradores; Praia de Lopes Mendes, o point dos surfistas, que tem mais de 3 quilômetros de extensão e é considerada uma das praias mais bonitas do país e; Praia de Dois Rios, lugar onde se situava a antiga colônia penal. Entre os Picos, destacamos o Pico do Papagaio, o segundo pico mais alto da ilha com 980 metros, é também um dos mais visitados, pois o local é um mirante natural com vista para a paisagem de toda Ilha Grande e também da belíssima restinga da Marambaia. Recomenda-se fazer a caminhada, que dura em média três horas e meia, acompanhado de um guia local. Outro aspecto que não pode ser esquecido na ilha é o histórico, desde sua descoberta em 1502, o conflito com os índios, a pirataria, as visitas imperiais e principalmente o período carcerário, momentos linkados, perpendicularmente, com a história do Brasil. O translado até a Ilha Grande é feito diariamente, mas não exclusivo pelas Barcas S.A. Saída às 15h30, de segunda a sexta-feira e às 13h30 nos finais de semana e feriado. Embarque localizado no Cais da Lapa, Centro, Angra dos Reis. Nesta edição, procuramos abordar os aspectos gerais da Ilha Grande, em breve traremos matérias especificas de cada pedacinho desse paraíso, curiosidades e histórias que envolvem a nossa maravilha do Rio.

40


PERFIL EM CENA NA ILHA GRANDE O Espetáculo Teatral “Viagem à Baía dos Reis” do Grupo Cia. da Lua será atração turístico-cultural nesta temporada na Villa do Abrão. A temporada que começa em dezembro ainda está em fase de produção, mas ao que tudo indica as sessões serão aos sábados na Casa de Cultura local. O apresentador do PERFIL, Zequinha Miguel, que assina a criação e a direção, também atua ao lado de Mauro Nask e grande elenco.

APLAUSOS E EMOÇÃO NO ENCERRAMENTO DA FITA A Festa Internacional do Teatro de Angra teve seu encerramento dia 20 de outubro com toda emoção que o teatro é capaz de proporcionar. Na noite que marcou o encerramento da 10ª edição da maior festa de Teatro do Brasil, dois espetáculos subiram ao palco para fechar com chave de ouro o evento: “Os Três Tremores” tremeu o palco SESC com as vozes de Alexandre Nero, André Abujamra e Carlos Careqa, que apresentaram ao público de forma bem humorada e com uma boa pitada da arte do improviso, canções autorais que brincavam com plateia e faziam piadas com os próprios artistas; no Palco TRANSPETRO quem fez a alegria da plateia foi a queridinha das novelas brasileiras Fernanda Souza com a peça “Meu Passado Não me Condena”, onde a atriz teatraliza todas as lembranças de sua carreira e vida pessoal. Num total, 59 espetáculos subiram aos palcos da FITA, de 2 a 20 de outubro. Espetáculos dos mais variados gêneros que fizeram o público rir, chorar, refletir e se emocionar com uma das mais antigas artes da humanidade. A FITA 2013 foi sucesso. Mais de 95 mil ingressos foram vendidos, atingindo a expectativa dos organizadores e fazendo com que essa edição fosse a de maior público dos dez anos de evento.

MUDANÇA NO TURISMO DE ANGRA A Fundação de Turismo de Angra, a TURISANGRA, está sobre nova direção. Após a saída (a pedidos) do empreendedor Kaká Gibrail, que estava à frente da pasta desde janeiro, a servidora pública Maria Sílvia Rubio assumiu a presidência da autarquia já com ritmo de trabalho acelerado, pois tem que dar continuidade aos preparativos das festas de fim de ano e de verão para recepcionar milhares de turistas, muitos deles provenientes dos mais de 50 navios de cruzeiros que passarão por Angra e Ilha Grande na alta temporada. O PERFIL deseja sucesso à amiga Sílvia nessa sua nova empreitada.

41



Revista Acontece Interior - 2ª Edição