Page 1

Exercício: Mitos e verdades: Como lidar com pessoas com deficiências?

1. Ao ajudar uma Pessoa com Deficiência visual a atravessar a rua, o correto é você pegar no braço dela e auxiliá-la até o outro lado da rua. FALSO: O correto é colocar a mão dela no seu cotovelo dobrado ou no seu ombro e deixe que ela acompanhe o seu corpo enquanto vai andando. Avise sempre com antecedência se há degraus, pisos escorregadios, buracos ou outro tipo de obstáculo que possa impedir a livre circulação de vocês durante o trajeto.

2. Ao conduzir uma pessoa cega para sentar, direcione as suas mãos para trás do encosto do assento da cadeira ou coloque-as sobre ele. VERDADE: Esse gesto permitirá que ela faça o reconhecimento espaço e se sente sem problemas. Aproveite também para avisá-la se o assento possui ou não braços, assim ela pode se orientar melhor em relação ao espaço.

3. O cão-guia em companhia de seu dono é dócil e por isso podemos brincar com ele, acariciá-lo e alimentá-lo sem problemas. FALSO: O cão-guia acompanha o deficiente visual servindo-lhe de olhos. Portanto, nunca acaricie ou dê alimentos a esse animal. Os cães-guia têm um trabalho de muita responsabilidade e, de acordo com o seu treinamento, qualquer recompensa, seja carinho ou comida, é uma forma de avisá-lo de que está em seu momento de folga. Essas interferências desmobilizam a guarda e atenção do cão e podem colocar em perigo a vida do deficiente visual.

4. A pessoa cega tem o direito de entrar e permanecer com o seu cão-guia em quaisquer ambientes de uso coletivo ou meios de transporte. VERDADE: A Lei nº 11.126/2005 assegura a essas pessoas o direito de ingressar e permanecer em quaisquer ambientes acompanhadas de seu cão-guia.

5. Todo surdo também é mudo FALSO: Algumas pessoas surdas não são mudas. Com o auxílio de fonoaudiólogo, muitas vezes eles conseguem desenvolver a linguagem oral. Existem os surdos mais oralizados, que muitas vezes preferem se comunicar por meio da fala e da leitura oro-facil (leitura dos lábios e dos músculos da face). Além disso, algumas pessoas ficaram surdas após desenvolver a linguagem oral.


6. Ao receber uma pessoa com deficiência visual, você deve perguntar a ela se a luz lhe incomoda. VERDADE: Muitas pessoas com deficiência visual sentem-se incomodadas com a luz, preferindo ambientes escuros. Outras preferem ambientes mais claros, onde uma fresta de luz serve de referência.

7. Surdos que realmente sabem fazer a leitura labial são capazes de fazê-la mesmo que a pessoa com a qual esteja conversando fique de perfil ou fale rápido. FALSO: Para a leitura labial é imprescindível que a pessoa fale devagar e fique de frente para o surdo. Muitas pessoas falando ao mesmo tempo também a dificultam, assim como barbas e bigodes longos.

8. Palavras subjetivas ou que evocam sensações são mais difíceis de serem compreendidas e usadas por surdos. VERDADE: O vocabulário dos surdos é mais limitado e exige uma comunicação mais objetiva.

9. Tanto para os cegos quanto para os surdos, é importante avisá-los de sua presença quando entra em um ambiente onde eles estão. VERDADE: Fale com cego que você chegou, identificando-se, pois ele pode não reconhecêlo apenas pela voz. Avise ao surdo que chegou, tocando levemente em seu braço, para não assustá-lo.

10. Alguns cadeirantes sentem-se incomodados se você se encostar ou se apoiar na cadeira de rodas deles enquanto conversam. VERDADE: A cadeira de rodas é como uma extensão do corpo da pessoa com deficiência e deve ser respeitada

11. Ao ver uma pessoa com deficiência parada na rua, na entrada de um prédio ou em algum outro ambiente você deve se aproximar e ajudá-la a atravessar a rua, subir escadas, entrar no elevador, etc, sem perguntar se ela precisa de ajuda, pois essa pergunta pode constrangê-la. FALSO: Jamais ajude uma pessoa com deficiência sem antes perguntar se pode e como deve fazê-lo e sem esperar que ela aceite sua oferta. Muitas vezes elas podem não estar precisando de ajuda e sim, esperando por alguém, descansando, apreciando o local onde estão, etc. Se ela recusar a ajuda não se ofenda, muitas vezes ela não é necessária.


12. Quando quiser alguma informação sobre uma pessoa deficiência e esta estiver com um acompanhante, é preferível que você dirija-se a ele e pergunte o que deseja saber, pois assim evitará que a pessoa com deficiência se desgaste tentando se comunicar com você. FALSO: Fale diretamente com a pessoa com deficiência, mesmo que vocês tenham um pouco de dificuldade de se entenderem e, nesse caso, o acompanhante poderá ajudar. Caso contrário, ela se sentirá invisível e incapaz.

13. Você pode usar livremente expressões como “Você viu aquilo?” e “Olhe, esta não é uma boa idéia.” com pessoas cegas e também convidá-las para assistir televisão. VERDADE: Embora elas não tenham visto nada, literalmente, elas são capazes de entender metáforas. Além disso, a maioria dos cegos “assiste” e gosta de televisão. Ao assistir um programa junto a um cego, uma boa dica é informar a ele detalhes que os sons não sejam capazes de transmitir.

14. Ao receber cegos que usam bengalas ou deficientes que usam muletas é recomendado que, na chegada você as recolha e guarde, devolvendo-as na saída. Assim você estará evitando acidentes tanto dos usuários dessas tecnologias assistivas, que podem se machucar ao usálas em um ambiente que não conhecem direito quanto de outras pessoas que podem ser atingidas por elas. FALSO: Tirar a tecnologia assistiva de seus convidados fará com que eles fiquem ilhados na cadeira, sem poder se mover pela casa.

15. Ao receber um tetraplégico para um jantar em sua casa ele provavelmente virá com seu acompanhante, que o ajudará a se alimentar. Lembre-se de colocá-los lado a lado à mesa, entretanto não sirva o acompanhante, pois isso poderá desviar sua atenção de seu trabalho. FALSO: O acompanhante sempre prioriza o deficiente, mas você deve se lembrar de servi-lo, mesmo que seja depois dele ajudar o deficiente, caso ele assim prefira.

Como lidar com pessoas com deficiencia  

Como lidar com pessoas com deficiencia: Quiz

Advertisement