Page 1

NEWSLETTER Newsletter da HABICUIDADOS Alverca

Junho - Mês da Criança Para celebrar o dia da criança, a Habicuidados Alverca vai proporcionar, durante o mês de Junho, um desconto de 20% na primeira consulta das especialidades de Psicologia, Terapia da Fala e Nutrição.

Edição Nº 4 | Junho 2014

Campanha Pediatria Produtos para necessidades especiais com desconto de 10%. Cadeiras de rodas e auxiliares de marcha júnior, posicionamento e cadeiras de interior, exterior e automóvel para paralisia.

Habicuidados ALVERCA A Habicuidados é um serviço privado de ajuda a pessoas e famílias com o objetivo de garantir a si ou aos seus familiares Qualidade de Vida e Bem-Estar no ambiente da sua própria casa. Profissionalismo, Transparência, Personalização e Preços Justos são os quatro pilares em que assentamos a nossa relação com quem nos solicita apoio. As Unidades Habicuidados dirigem as suas atividades para todas as pessoas com dificuldades em enfrentar as suas tarefas básicas diárias, temporária ou permanentemente.

Nesta Edição Campanha Conforto Junho: Mês da Criança Habicuidados Alverca Artigo: “ Como podemos ajudar os nossos filhos a serem alunos bem-sucedidos?” Programa saúde e bem-estar Alimentação e Nutrição Infantil Artigo: “Redes (pouco) sociais Parcerias e Protocolos Os nossos contatos

UM AFETO SEMPRE PRESENTE!


O interesse que os pais/educadores demonstram pela vida escolar dos seus filhos, transmite-lhes entusiamo e motivação e ajuda-os a compreender que aprender pode ser prazeroso e muito compensador e que vale bem todo o esforço exigido.

Para a criança ser bem-sucedida na escola, os pais e familiares mais chegados têm que se envolver ativamente em todo o processo educativo da criança.

“Como podemos ajudar os nossos filhos a serem alunos bem-sucedidos?” Mãe-me-quer Apesar do esforço das escolas e dos professores o tempo que o professor dispõe para cada aluno é limitado. Para a criança ser bem-sucedida na escola, os pais e familiares mais chegados têm que se envolver ativamente em todo o processo educativo da criança. Os pais/educadores devem envolver-se o mais cedo possível no percurso escolar da criança. Por um lado, perceber a Escola e o contributo de cada grau escolar para o desenvolvimento da criança e saber como potenciar a aprendizagem e o gosto por aprender, é fundamental para que os pais possam compreender a motivação e os problemas que a criança possa estar a sentir na escola. Por outro, envolver-se com Escola, professores e todos os profissionais de educação que convivem com a criança, conhecer o programa escolar, participar nas reuniões e nos encontros escolares, conhecer as famílias e os colegas de turma, contribuir com novas ideias de atividades ou ações que valorizem o espaço e a experiência de aprendizagem. Enfim, participar, contribuir positivamente, valorizar e mostrar à criança que se preocupam e se interessam por tudo aquilo que lhe diz respeito.

Os pais devem envolver-se desde cedo e manter-se envolvidos durante toda a vida escolar dos seus filhos. Sabemos que os pais são o modelo dos filhos. A criança tende a imitar e a reproduzir as atitudes e comportamentos que observa no adulto. Se os pais adotarem uma atitude positiva face à escola e ao saber, se valorizarem a curiosidade e estimularem a vontade de explorar e aprender coisas novas, a criança vai estar predisposta a viver intensamente a escola e adquire naturalmente o gosto pelo saber. Os pais devem sentar-se com os seus filhos todos os dias para os ajudar a ler melhor, resolver problemas de matemática, praticar ciência, valorizar o estudo de história, das ciências sociais, arte e música. Devem ajudar a criança a compreender que a aprendizagem é um processo contínuo e fator decisivo de valorização não só como aluno ou profissional, mas como pessoa e cidadão de um mundo cada vez mais “pequeno” e competitivo.

Só o envolvimento diário permite ajudar a criança a compreender e ultrapassar as suas dificuldades (não só de aprendizagem mas também sociais e emocionais), incentivando-a para crescer saudável, feliz e realizada. Está comprovado que o empenho consistente e responsável dos pais/ educadores no processo escolar da criança, ao longo de toda a vida escolar, tem frutos seguros. Vários estudos demostram que o trabalho contínuo e próximo que as famílias desenvolvem com a criança é um fator determinante para o seu sucesso escolar, mais do que o nível de rendimento familiar ou o grau de escolaridade dos pais.

Pais envolvidos, filhos bem sucedidos


Programa Saúde e Bem Estar A Habicuidados tem à sua disposição serviços de saúde e bemestar em diversas especialidades clínicas e terapêuticas para adultos e crianças. Nutrição: Diagnóstico Nutricional ● Plano Nutricional ● Elaboração de Menus e respetivas Fichas Técnicas

Habicuidados Alverca | Intervenção Educacional

Massoterapia: Terapêutica ● Relaxamento ● Desportiva e de Recuperação Terapia da Fala: Fala ● Articulação ● Voz ● Linguagem ● Gaguez ● Deglutição ● Motricidade Oro facial Psicologia: Orientação Vocacional e Profissional ● Apoio à Deficiência ● Consultoria para Pais ● Treino de

Alimentação e Nutrição Infantil http://novarroz.pt/nutricao/ alimentacao-infantil-saudavel/

rendimento adequado, tanto a nível físico como intelectual, nas tarefas escolares e no trabalho diário. Também é importante consumir lacticínios e alternar uma grande variedade de alimentos, como a carne de

A alimentação é um dos aspetos mais importantes para o desenvolvimento e

Habilitação Neuropsicológica ● Des-

o crescimento. Embora o crescimento

piste de Dificuldades de Aprendiza-

seja um fenómeno contínuo, o ritmo

gem ● Estimulação Cognitiva ● Psico-

ou velocidade e as alterações qualita-

logia Clínica ● Psicoterapia ● Geron-

tivas e maturativas são diferentes nas

topsicologia

várias etapas da vida.

Fisioterapia e Terapia Ocupacional:

É na fase pré-escolar que se adqui-

Reabilitação e Rotina Quotidiana

rem os hábitos alimentares que, posteriormente, marcarão o estado da saúde. Deve-se tentar que as crianças tenham uma alimentação variada

diferentes espécies, o peixe, 4 ou 5 ovos semanais, massa e arroz, legumes, verduras e hortaliças. Deve-se insistir na ingestão de fruta natural e no consumo de pão, dado que os hidratos de carbono fornecidos contribuem para o equilíbrio da dieta. Necessitam de beber muitos líquidos, especialmente quando está muito calor ou se efetuarem uma grande atividade física, e de moderar o consumo de doces e refrescos.

e que na sua dieta se incluam alimen- Na adolescência, as necessidades tos de todos os tipos, para que elas nutricionais alteram-se devido ao pico se habituem aos diferentes sabores e de crescimento que se dá na pubertexturas. Na idade escolar, é fundamental comer com regularidade, fazer cinco refeições diárias e não esquecer o pequeno-almoço. A energia e as calorias proporcionadas pelo pequenoMime quem mais gosta e ofereça Saúde e Bem-Estar

almoço são de grande importância, visto que permitirão conseguir um

VOLTAR

dade, entre os 11 e os 15 anos, no caso das raparigas, e entre os 13 e os 16 anos, no dos rapazes. Por essa razão, deve-se prestar especial atenção às fontes de ferro (carnes magras, peixe, feijão, verduras de cor verde, frutos secos e cereais enriquecidos) e de cálcio (leite, iogurte e queijo).


Mais uma vez, ressalva-se que cada pessoa só é verdadeiramente livre se souber viver essa mesma liberdade. E se um jovem partilha de forma descontrolada e pública os seus pensamentos mais íntimos então não se apropriou ainda dessa liberdade. Isto porque é suposto e desejável haver um processo de inibição e controlo dessa partilha. Cada um de nós tem os seus segredos, e é saudável que assim seja, e ter a necessidade incessante de os partilhar com os outros pode ser um sinal de que alguma coisa não está A partilha excessiva e incessante de pensamentos íntimos e segredos pessoais pode ser um sinal de que alguma coisa não está bem.

bem do psicologicamente. Até porque esta partilha pública pode ser a oportunidade que faltava para alguém do outro lado do fio se apro-

“REDES (POUCO) SOCIAIS”, Dra Patrícia Câmara Pestana, SER DIFERENTE - Promoção da Saúde Mental e Intervenção Psicossocial

veitar da informação de forma menos positiva. Ao partilhar a informação supostamente privada de forma pública, os jovens ficam expostos. E esta expo-

Hoje em dia fala-se muito das redes sociais. Suportadas pelas tecnologias de

sição abre portas, por exemplo, para

informação, e alimentadas pela globalização das consciências, tornaram a inte-

o tão falado “ bullying virtual”. A ado-

ração virtual mas instantânea entre duas pessoas como algo incontornável, por

lescência é em si um processo de

vezes mesmo viciante. É fantástico poder comunicar facilmente com alguém

conhecimento da própria identidade,

em qualquer lugar do mundo, conhecer pessoas, partilhar informação, fazer

dos próprios limites sociais e dos

compras, …e tudo isto à distância de um teclado. Mas como em tudo na vida,

outros, da estruturação da persona-

há sempre um lado positivo e negativo e as redes sociais não são exceção.

lidade, e nesta altura os jovens ten-

Segundo dados da Marktest, em Portugal existem aproximadamente 2 milhões

dem a aproveitar os “ pontos fracos”

de que usam as redes sociais diariamente. Só o facebook tem mais de 400

uns dos outros. Salienta-se contudo,

milhões de utilizadores espalhados um pouco por todo o globo. Com uma tal

que nas situações de bullying, a

dimensão, os perigos são imensos, principalmente para as crianças e os ado-

vítima só o é porque não tem estru-

lescentes.

tura para lidar com a situação, per-

Atualmente, o tempo dedicado à família é cada vez mais reduzido, deixando muitas vezes a descoberto a atenção devida a estas temáticas. Se fizermos a

mitindo ao agressor “ganhar força” e continuar a agressão.

pergunta aos pais sobre se sabem o que é que os seus filhos fazem sozinhos nos seus quartos quando estão ligados às redes sociais com quem falam, o que falam, o que partilham, a maioria dos casos a resposta vai ser: “Não sabemos!”. Mas é fundamental controlar todas estas questões. É aconselhável que os jovens, quando ligados às redes sociais, estejam no mesmo espaço físico que os adultos responsáveis por eles. Há que ter muita atenção com o que se partilha e de que forma o fazem.

A partilha de informação pode expor demasiado e dar acesso a vida familiar.


Daí a importância do acompanha-

Para além da partilha do mesmo espaço físico que os adultos, deve garantir-se

mento psicológico nestas situações.

que o ecrã do computador está virado para estes, para que desta forma possam

Ao contrário do que se pensa, o perigo da existência dos predadores sexuais através das redes sociais

estar atentos com quem os jovens falam e o que falam, e identificar e antecipar potenciais problemas. E mesmo que os jovens o possam fazer através do telemóvel, em casa devem fazê-lo no computador.

não é muito elevado. Até porque é

Registando-se também os pais como “amigos virtuais” dos filhos nas redes soci-

relevante não esquecer que a maio-

ais, é possível controlar o que é colocado no seu perfil e nas páginas das redes

ria destes casos ocorrem no seio da

sociais. Devem conversar ocasionalmente com os jovens, sobre quem são os “

família das crianças ou dos adoles-

amigos virtuais”, rever as fotos colocadas e identificar os locais onde as mesmas

centes. Contudo, as redes sociais

foram tiradas. Não deve haver receio de o fazer, porque os benefícios superam

podem ser potenciais portas de en-

largamente os riscos

trada para redes pedófilas, e por

Por último, mas não menos importante, devem estar sempre atentos a sinais de

isso os cuidados são sempre pou-

isolamento da criança ou do adolescente. Naturalmente que na idade da adoles-

cos.

cência há uma maior tendência para que estes passem mais tempo distantes,

Mas todas estas ameaças levam-

por exemplo nos seus quartos. Contudo, será relativamente fácil para qualquer

nos a uma das questões mais im-

adulto atento entender o que é normativo e o que não é. Quaisquer alterações de

portantes: porque as crianças e ado-

comportamentos que surjam, e que possam ser percecionadas como preocupan-

lescentes mantém relações virtuais

tes ou de risco, podem e devem ser esclarecidas entre a família, e se necessário

e no entanto manifestam dificulda-

recorrer ao aconselhamento de um profissional.

des em estabelecer relações pesso-

Mas mais que tudo, aproveitem o tempo que têm com os vossos filhos, netos,

ais no seu dia-a-dia?! Se a interação

sobrinhos, afilhados para conversarem, fazerem as refeições em família, ativida-

externa dos humanos com outros

des desportivas em conjunto, e quaisquer outras atividades de grupo que fomen-

humanos for modificada, em conse-

tem o contacto pessoal e afetivo. Façam-nos sentir que há espaço para irem ter

quência alterar-se-á a consciência,

convosco sempre que precisarem.

assim como a atitude do humano com o meio, consigo próprio e com os outros. A questão fulcral centrase então na “Obschenie” palavra em russo para relação construtiva, e estruturante do indivíduo, que o confronta com a realidade porque é pela interação social que apreendemos e nos desenvolvemos, criamos novas formas de pensar e de agir, enriquecemos as nossas ferramentas de atuação no contexto cultural complexo que nos acolheu, durante todo o ciclo vital. Mas é possível contudo minimizar os riscos através de alguns cuidados.

Habicuidados Alverca | Intervenção Educacional


Temos protocolos e parcerias várias com instituições, associações, empresas e subsistemas de saúde.

Contacte-nos Telefone-nos para obter mais informações sobre os nossos serviços e produtos Habicuidados Alverca Estrada Nacional 10, nº 34 2615-140 Alverca Ribatejo

(00351) 211 955 668 alverca@habicuidados.pt

Visite-nos na Web em www.habicuidados.pt Goste da nossa página no facebook

A Habicuidados sempre perto de si!

Remover: de acordo com a legislação internacional que regulamenta o correio eletrónico, secção 301, parágrafo (a)(2) (c), Decreto S 1618, título terceiro aprovado pelo "105º Congresso Base Das Normativas Internacionais Sobre Spam" diz o seguinte: "O e-mail não poderá ser considerado SPAM quando incluir uma forma do recetor ser removido da lista”. Se por algum acaso o seu nome está incluído nesta lista por erro ou gostaria de ser removida desta lista, envie-nos um email com a palavra “REMOVER” para alverca@habicuidados.pt ou clique em Pretendo REMOVER o meu endereço!

VOLTAR

Newsletter Habicuidados Alverca  

Edição nº 4 de 2014 | Junho

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you