Issuu on Google+

Arquivo Virtual OUTUBRO 2013

A REVOLUÇÃO RUSSA Queda de uma superpotência 1

Arquivo Virtual


Antiguidade Outubro 2013

Antiguidade é a revista que trata de assuntos escolares referentes a momentos importantes da Historia. Nesta 1ª Edição irá relatar um dos fatos históricos que aconteceu na Rússia em 1917, antes, durante e após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Boa Leitura!

Arquivo Virtual

2


SUMARIO Formação territorial – pag. 4/5 O início da revolução – pag. 6/7 O último czar da Rússia – pag. 8/9 A Rússia na Primeira Guerra Mundial – pag. 10/11 A queda da Monarquia – pag. 12/13 O Partido Operário Social Democrata Rússo – pag. 14

A divisão do partido:Mencheviques e Bolcheviques - pag 15/16/17 A Revolta de 1905, o ensaio para a Revolução – pag. 18/19 Revolução Branca ou de Fevereiro – pag. 20/21 Revolução Vermelha ou de Outubro – pag. 22/23/24/25/26 Arquivo Virtual

3


Formação territorial O último grande Império multinacional forjado por uma

potência européia: a Rússia, cujas origens situam-se no século XV, quando o czar Ivan III expulsou os monóis e unificou o país em torno da capital, Moscou, criando o Império Russo. Porém, no processo expansionista russo, eles avançaram continente adentro. Com o passar do tempo, foi anexado territórios habitados por diferentes etnias no final do século XVIII já havia povoados russos na costa do Alasca. Um século depois, o império enfrentava dificuldades politícas internas. A concentração da riqueza nas mãos da nobreza não mudou com as indústrias nas cidades: os oper࣎rios sentiam-se tão explorados quanto os trabalhadores do campo, onde ainda vigorava um regime de servidão. Surgiram as manifestações de protesto perante o século XX, e após o movimento revolucionário conhecido como Revolução Bolchevique, Nicolau II, foi deposto e teve início transformações politícas, economicas e culturais. Arquivo Virtual

4


Mapa da RĂşssia

Arquivo Virtual

5


O início da revolução No inicio do século XX, havia uma ordem mundial multipolar, ou seja, existiam múltiplas grandes potencias mundiais que disputam a hegemonia mundial alguns países europeus possuíam muitas colônias na Ásia e na África, mas continuavam disputando terra nesses continentes, Rússia, Estados Unidos da América, e Alemanha, cresciam economicamente e avançavam a hegemonia mundial, ao contrario da Inglaterra que começou a enfraquecer. A Rússia foi o primeiro país do mundo a adotar o socialismo em 1917, levou ao poder o Partido Bolchevique, de Vladimir Lênin. Recém-industrializada e sofrendo com a Primeira Guerra Mundial, a Rússia tinha uma grande massa de operários e camponeses trabalhando muito e ganhando pouco com a economia atrasada e dependente da agricultura, pois aproximadamente 80% de sua economia estava concentrada no campo. Além disso, o governo absolutista do czar Nicolau II desagradava o povo, que queria uma liderança menos opressiva e mais democrática. A soma dos fatores levou a manifestações populares que fizeram o monarca renunciar e, no fim do processo, deram origem à União Soviética, o primeiro país socialista do mundo, que durou até 1991. Arquivo Virtual

6


Com isso, o mundo passou a ser dividido em dois blocos politico-militar: o bloco ocidental ou capitalista, liderado pelos Estados Unidos; e o bloco comunista ou socialista, liderado pela Rússia, que após virar socialista mudou seu nome para União das Repúblicas Soviéticas Socialistas. Cada qual com os seus aliados e suas periferias, passaram a exercer uma grande influência em todo o mundo, o que originou uma constante tensão entre elas, conhecida como Guerra Fria, guerra que constituiu, em primeiro lugar, numa rivalidade, entre as duas superpotências, numa disputa pela hegemonia mundial. Não houve um conflito militar direto, e sim uma disputa econômica, politica, e ate psicológica, na qual cada superpotência procurava mostrar a sua superioridade, na tentativa de conseguir mais aliados. Sua Revolução compreendeu duas fases distintas: • A Revolução de Fevereiro (março de 1917, pelo calendário ocidental), que derrubou a autocracia do Czar Nicolau II , o último Czar a governar, e procurou estabelecer em seu lugar uma república de cunho liberal. • A Revolução de Outubro (novembro de 1917, pelo calendário ocidental), na qual o Partido Bolchevique, derrubou o governo provisório e impôs o governo socialista soviético.

Arquivo Virtual

7


O último czar da Rússia

Nicolau

II, foi o ultimo czar da Russia, ou seja o ultimo imperador; o qual tinha poder absoluto com auxilio dos privilegiados da sociedade. A revolução russa levaria á queda do czarismo ( forma de governo onde havia uma união entre a igreja e os nobres) da familia dos Romanov (familia da segunda e ultima dinastia imperial). A queda desse regime levou á um novo regime liderado por Lênin dos Bolcheviques, os quais usariam como principal conceito ser o primeiro ESTADO SOCIALISTA.

O último czar da Russia, Nicolau II

A familia Romanov, a familia da segunda e última dinastia imperial Arquivo Virtual

8


Nicolau II, o sucessor de Alexandre III, procurou facilitar a entrada de capitais estrangeiros para promover a industrialização do país, principalmente da França, da Alemanha, da Inglaterra e da Bélgica. Esse processo de industrialização ocorreu posteriormente à da maioria dos países da Europa Ocidental. O desenvolvimento capitalista russo foi ativado por medidas como o início da exportação do petróleo, a implantação de estradas de ferro e da indústria siderúrgica. Os investimentos industriais foram concentrados em centros urbanos populosos, como Moscovo, São Petersburgo, Odessa e Kiev. Nessas cidades, formou-se um operariado de aproximadamente 3 milhões de pessoas, que recebiam salários miseráveis e eram submetidas a jornadas de 12 a 16 horas diárias de trabalho, não recebiam alimentação e trabalhavam em locais imundos, sujeitos a doenças. Nessa dramática situação de exploração do operariado, as ideias socialistas encontraram um campo fértil para o seu florescimento.

Virtual Cidade deArquivo Moscovo, Rússia

9


A Rússia na Primeira Guerra Mundial A Primeira Guerra Mundial foi um conflito mundial ocorrido entre 28 de Julho de 1914 e 11 de Novembro de 1918. A guerra ocorreu entre a Tríplice Entente (liderada pelo Império Britânico, França, Império Russo (até 1917) e Estados Unidos (a partir de 1917) que derrotou a Tríplice Aliança (liderada pelo Império Alemão, Império Austro-Húngaro e Império Turco-Otomano), e causou o colapso de quatro impérios e mudou de forma radical o mapa geo-político da Europa e do Médio Oriente. Mesmo assim, Nicolau II jogou a Rússia numa guerra mundial. Os gastos com a guerra e os prejuízos fizeram aumentar ainda mais a insatisfação popular com o czar. Em 1917, a Rússia abandonou a guerra em razão do início da Revolução. As derrotas sofridas pelo exército russo e a situação de crise econômica vivida no país durante o conflito, Arquivo Virtual

10


aonde faltava alimentos, empregos para os trabalhadores, salários dignos e democracia acabaram acirrando as tensões sociais que já existiam no país desde antes do conflito clima de insatisfação e mudança, por isso precipitaram um desfecho revolucionário que estremeceu essa ordem dada pela burguesia capitalista. No mesmo ano em que a Rússia saiu da guerra, os EUA, que até então só participavam da guerra como fornecedores, ao ver os seus investimentos em perigo, entram militarmente no conflito, mudando totalmente o destino da guerra, garantindo a vitória da Tríplice Entente.

Primeira Guerra Mundial, 1914-1918

Arquivo Virtual

11


A queda da Monarquia Os trabalhadores rurais viviam em extrema miséria e pobreza, pagando altos impostos para manter a base do sistema czarista de Nicolau II. O czar governava a Rússia de forma absolutista, ou seja, concentrava poderes em suas mãos não abrindo espaço para a democracia. Mesmo os trabalhadores urbanos, que desfrutavam os poucos empregos da fraca indústria russa, viviam descontentes com os governo do czar. No ano de 1905, Nicolau II mostra a cara violenta e repressiva de seu governo. No conhecido Domingo Sangrento, manda seu exército fuzilar milhares de manifestantes. Começava então a formação dos sovietes (organização de trabalhadores russos) sob a liderança de Lênin. Os bolcheviques começavam a preparar a revolução socialista na Rússia e a queda da monarquia. Arquivo Virtual

12


As greves de trabalhadores urbanos e rurais espalham-se pelo território russo.

Ocorriam muitas vezes dentro do próprio exército russo. As manifestações populares pediam democracia, mais Lênin fala aos revolucionários em 1917

empregos, melhores salários e o fim da monarquia czarista. Em 1917, o governo de Nicolau II foi retirado do poder e assumiria Kerenski (menchevique) como governo provisório.

Arquivo Virtual

13


O Partido Operário SocialDemocrata Russo (POSDR) Com o desenvolvimento da industrialização e o maior relacionamento com a Europa Ocidental, a Rússia recebeu do exterior novas correntes políticas que chocavam com o antiquado absolutismo do governo russo. Entre elas destacou-se a corrente inspirada no marxismo, que deu origem ao Partido Operário SocialDemocrata Russo. O POSDR foi violentamente combatido pela Okhrana (polícia secreta). Embora tenha sido desarticulado dentro da Rússia em 1898, voltou a organizar-se no exterior.

Stálin, Lênin e Mikhail Kalinin em 1919. Arquivo Virtual

14


A divisão do Partido: Mencheviques e Bolcheviques Em 1903, divergências quanto à forma de ação levaram os membros do partido POSDR a se dividir em dois grupos básicos: •Os mencheviques: liderados por Martov, defendiam que os trabalhadores podiam conquistar o poder participando normalmente das atividades políticas. Acreditavam, ainda, que era preciso esperar o pleno desenvolvimento capitalista da Rússia e o desabrochar das suas contradições, para se dar início efetivo à ação revolucionária. Como esses membros tiveram menos votos em relação ao outro grupo, ficaram conhecidos como mencheviques, que significa minoria. Martov, líder dos mencheviques

Arquivo Virtual

15


Os bolcheviques: liderados por Lenin, defendiam que os trabalhadores somente chegariam ao poder pela luta revolucionária. Pregavam a formação de uma ditadura do proletariado, na qual também estivesse representada a classe camponesa. Como esse grupo obteve mais adeptos, ficou conhecido como bolchevique, que significa maioria. Trotsky, que inicialmente não se filiou a nenhuma das facções, aderiu aos bolcheviques mais tarde, em 1917.

Lenin, líder dos bolcheviques

Arquivo Virtual

16


Fim do governo czarista Arquivo Virtual

17


A Revolta de 1905: O ensaio para a revolução Em 1904, a Rússia, que desejava expandir-se para o oriente, entrou em guerra contra o Japão devido à posse da Manchúria, mas foi derrotada. A situação socioeconômica do país agravouse[ e o regime político do czar Nicolau II foi abalado por uma série de revoltas, em 1905, envolvendo operários, camponeses, marinheiros e soldados do exército. Greves e protestos contra o regime absolutista do czar explodiram em diversas regiões da Rússia. Em São Petersburgo, foi criado um soviete (conselho operário) para auxiliar na coordenação das várias greves e servir de palco de debate político. Diante do crescente clima de revolta, o czar Nicolau II prometeu realizar, pelo Manifesto de Outubro, grandes reformas no país: estabeleceria um governo constitucional, dando fim ao absolutismo, e convocaria eleições gerais para o parlamento (a Duma), que elaboraria uma constituição para a Rússia. Os partidos de orientação liberal burguesa, deram-se por satisfeitos com as promessas do czar, deixando os operários isolados.

Arquivo Virtual

18


Terminada a guerra contra o Japão, o governo russo mobilizou as suas tropas especiais (cossacos) para reprimir os principais focos de revolta dos trabalhadores. Diversos líderes revolucionários foram presos, desmantelando-se o Soviete de São Petersburgo. Assumindo o comando da situação, Nicolau II deixou de lado as promessas liberais que tinha feito no Manifesto de Outubro. Apenas a Duma continuou funcionando, mas com poderes limitados e sob intimidação policial das forças do governo. A Revolução Russa de 1905, mais conhecida como "Domingo Sangrento, tinha sido derrotada por Nicolau II, mas serviu de lição para que os líderes revolucionários avaliassem seus erros e suas fraquezas e aprendessem a superá-los. Foi, segundo Lenin, um ensaio geral para a Revolução Russa de 1917.

Domingo Sangrento,1905 Arquivo Virtual

19


Revolução Branca ou de fevereiro

A primeira fase, conhecida como Revolução de Fevereiro, ocorreu de março a novembro de 1917. Em 23 de Fevereiro,8 de Março para nos, uma série de reuniões e passeatas aconteceram em Petrogrado, por ocasião do Dia Internacional das Mulheres. Nos dias que se seguiram, a agitação continuou a aumentar, recebendo a adesão das tropas encarregadas de manter a ordem pública, que se recusavam a atacar os manifestantes. No dia 27 de Fevereiro, um mar de soldados e trabalhadores com trapos vermelhos em suas roupas invadiu o Palácio Tauride, onde a Duma se reunia. Durante a tarde, formaram-se dois comités provisórios em salões diferentes do palácio. Um, formado por deputados moderados da Duma, se tornaria o Governo Provisório. O outro era o Soviete de Petrogrado, formado por trabalhadores, soldados e militantes socialistas de várias correntes. Temendo uma repetição do Domingo Sangrento, o Grão-Duque Mikhail ordenou que as tropas leais baseadas no Palácio de Inverno não se opusessem à insurreição e se retirassem. Em 2 de Março, cercado por amotinados, Nicolau II assinou sua abdicação. Arquivo Virtual

20


Após a derrubada do czar, instalou-se o Governo Provisório, comandado pelo príncipe Georgy Lvov, um latifundiário, e tendo Aleksandr Kerenski como ministro da guerra. Era um governo de caráter liberal burguês, comprometido com a manutenção da propriedade privada, e interessado em manter a participação russa na Primeira Guerra Mundial. Enquanto isso, o Soviete de Petrogrado reivindicava para si a legitimidade para governar. Já em 1 de Março, o Soviete ordenava ao exército que lhe obedecesse, em vez de obedecer ao Governo Provisório. O Soviete queria dar terra aos camponeses, um exército com disciplina voluntária e oficiais eleitos democraticamente, e o fim da guerra, objetivos muito mais populares do que os almejados pelo Governo Provisório. Com ajuda alemã, Lenin regressa à Rússia em abril, pregando a formação de uma república dos sovietes, bem como a nacionalização dos bancos e da propriedade privada. O seu principal lema era: Todo o poder aos sovietes. Entretanto, o processo de desintegração do Estado russo continuava. A comida era escassa, a inflação bateu a casa dos 1.000%, as tropas desertavam da fronte matando seus oficiais, propriedades da nobreza latifundiária eram saqueadas e queimadas. Nas cidades, conselhos operários foram criados na maioria das empresas e fábricas. A Rússia ainda continuava na guerra.

Arquivo Virtual

21


Revolução de Outubro ou Revolução Vermelha A segunda fase, conhecida como revolução de Outubro, teve início em novembro de 1917. Na madrugada do dia 25 de outubro os bolcheviques, liderados por Lênin, Zinoviev e Radek, com a ajuda de elementos anarquistas e Socialistas Revolucionários, cercaram a capital, onde estavam sediados o Governo Provisório e o Soviete de Petrogrado. Muitos foram presos, mas Kerenski (último primeiro-ministro do governo provisório) conseguiu fugir. À tarde, numa sessão extraordinária, o Soviete de Petrogrado delegou o poder governamental ao Conselho dos Comissários do Povo, dominado pelos bolcheviques. O Comitê Executivo do mesmo Soviete de Petrogrado rejeitou a decisão dessa assembleia e convocou os sovietes e o exército a defender a Revolução contra o golpe bolchevique. Entretanto, os bolcheviques predominaram na maior parte das províncias de etnia russa. Em 3 de novembro, um esboço do Decreto sobre o Controle Operário foi publicado. Esse documento instituía a autogestão em todas as empresas com cinco ou mais empregados.

Arquivo Virtual

22


Isto acelerou a tomada do controle de todas as esferas da economia por parte dos conselhos operários, e provocou um caos generalizado, ao mesmo tempo que acelerou ainda mais a fuga dos proprietários para o exterior. Durante os meses que se seguiram, o governo bolchevique procurou então submeter os vários conselhos operários ao controle estatal, por meio da criação de um Conselho Pan-Russo de Gestão Operária. Os anarquistas se opuseram a isto, mas foi voto vencido. Era consenso entre todos os partidos políticos russos de que seria necessária a criação de uma assembleia constituinte, e que apenas esta teria autoridade para decidir sobre a forma de governo que surgiria após o fim do absolutismo. As eleições para essa assembleia ocorreram em 12 de novembro de 1917, como planejado pelo Governo Provisório, e à exceção do Partido Constitucional Democrata, que foi perseguido pelos bolcheviques, todos os outros puderam participar livremente. Os socialistas revolucionários receberam duas vezes mais votos do que os bolcheviques, e os partidos restantes receberam muito poucos votos.

Lenin na revolução

Arquivo Virtual

23


Em 26 de dezembro, Lênin publicou suas Teses sobre a assembleia constituinte, onde ele defendia os sovietes como uma forma de democracia superior à assembleia constituinte. Até mesmo os membros do partido bolchevique compreenderam que preparava-se o fechamento da assembleia constituinte, e a maioria deles foram contra isto, mas o Comitê Central do partido ordenoulhes que acatassem a decisão de Lênin. Na manhã de 5 de janeiro de 1918, uma imensa manifestação pacífica a favor da assembleia constituinte foi dissolvida à bala por tropas leais ao governo bolchevique. A assembleia constituinte, que se reuniu pela primeira vez naquela tarde, foi dissolvida na madrugada do dia seguinte. Pouco a pouco, se tornou claro que os bolcheviques pretendiam criar uma ditadura para si, inclusive contra os partidos socialistas revolucionários. Isto levou os outros partidos a atuarem na ilegalidade, sendo que alguns deles passariam à resistência armada ao governo. Durante este período, o governo bolchevique tomou uma série de medidas de impacto, como: • Pedido de paz imediata: em março de 1918 foi assinado, com a Alemanha, o Tratado de Brest-Litovski, no qual a Rússia abriu mão do controle sobre a Finlândia, Países bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia), Polônia, Bielorrússia e Ucrânia, bem como de alguns distritos turcos e georgianos antes sob seu domínio.

5 de Janeiro 1918, mnifestação a favor da assembléia constituinte Arquivo Virtual

24


• Confisco de propriedades privadas: grandes propriedades foram tomadas dos aristocratas e da Igreja Ortodoxa, para serem distribuídas entre o povo. • Declaração do direito nacional dos povos: o novo governo comprometeu-se a acabar com a dominação exercida pelo governo russo sobre regiões tais como a Finlândia, a Geórgia ou a Armênia. • Estatização da economia: o novo governo passou a intervir diretamente na vida econômica, nacionalizando diversas empresas. Durante o curto período em que os territórios cedidos no Tratado de Brest-Litovski estiveram em poder do exército alemão, as várias forças antibolcheviques puderam organizar-se e armar-se. Estas forças dividiam-se em três grupos que também lutavam entre si: 1) czaristas , 2) liberais, eseritas e metade dos socialistas e 3) anarquistas. Com a derrota da Alemanha em 1919, esses territórios tornaram-se novamente alvo de disputa, bem como bases das quais partiriam forças que pretendiam derrubar o governo bolchevique.

Forças Antibolcheviques Arquivo Virtual

25


Ao mesmo tempo, Trotsky se ocupou em organizar o novo Exército Vermelho. Com a ajuda deste, os bolcheviques mostraramse preparados para resistir aos ataques do também recém formado Exército polonês, dos Exércitos Brancos de Denikin, Kolchak, Yudenich e Wrangel (que se dividiam entre as duas primeiras facções citadas no parágrafo anterior), e também para suprimir o Exército Insurgente de Makhno e a Revolta de Kronstadt, ambos de forte inspiração anarquista. No início de 1921, encerrava-se a guerra civil, com a vitória do Exército Vermelho. O Partido Bolchevique, que desde 1918 havia alterado sua denominação para Partido Comunista, consolidava a sua posição no governo.

Novo exército vermelho

Arquivo Virtual

26


E é com esta imagem de Lênin, que a revista Antiguidade se despede, agradecendo seus leitores e aguardando a próxima Edição! Revista Virtual - história Trabalho realizado por: Giorgia Feltrin, n°18 - 8ª série B Feito sob orientação do professor: Junker

Arquivo Virtual

27


Arquivo Virtual

28


Revolução russa2013