Issuu on Google+

Queridos animadores do Dízimo: a) O modo como usar este subsídio acho que dispensa orientações. Entretanto, sugiro que a equipe deva sentar-se para ler todo o roteiro e, consequentemente, preparar a celebração em questão. São doze celebrações; pensada uma para cada mês do ano. b) Não incluímos os textos bíblicos, apenas as citações, pois ficaria um livrinho muito volumoso; as leituras serão lidas diretamente da Bíblia. Não faça em público uma leitura da Palavra de Deus sem algum treino. c) Não é recomendado o uso deste roteiro nas celebrações dominicais, para não omitir a liturgia oficial; recomenda-se que se faça em outro dia da semana. d) Podem-se omitir e ou substituir algumas preces deste roteiro, caso a comunidade deseje apresentar algo próprio, da realidade local; isto também pode ser feito com qualquer outra parte do roteiro. e) Se não é possível que toda a assembléia tenha o livrinho, é indispensável, porém, que a equipe o tenha. f) Os salmos foram todos retirados da liturgia oficial, portanto indicados para serem cantados. g) Omitimos propositalmente a segunda leitura; sem ela as equipes podem fazer algo mais simples e, consequentemente, melhor. h) Em cada celebração há uma frase celebrativa, que pode ser destacada como idéia-chave da mensagem central da celebração; uma mensagem para motivar a procissão das oferendas, uma mensagem pós-comunhão e a sugestão de uma história ilustrativa para as homilias. i) Finalmente, os roteiros são incompletos, tanto para a celebração da Palavra (sem o Sacerdote) como para Missa. Faz-se necessário, portanto, que a equipe, juntamente com o presidente da celebração, veja os outros acessórios: cantos, oração eucarística, orações em geral, etc. “Maldito o homem que executa com negligência a obra do Senhor!” (Jr 48,10)

5

1ª CELEBRAÇÃO “O DÍZIMO É COISA CONSAGRADA AO SENHOR” Comentário Inicial Inspirados pelo Espírito do Senhor, nos reunimos ao redor das mesas da Palavra e da Eucaristia para louvar e bendizer nosso Deus. Queremos também celebrar o dom de ser dizimistas e ofertantes em nossa comunidade; tal condição nos faz portadores da gratidão entre nossa humanidade faminta e sedenta de Deus e o nosso Deus, fonte de vida e alimento que sacia e suscita em nossos corações o desejo de viver no amor e na generosidade. Que a nossa participação ativa, piedosa e consciente nestes sagrados mistérios nos faça acolher e compreender a misericórdia divina e retribuir com nossa medida à infinita bondade de nosso Deus. Oração do dia Ó Deus, ao dar-vos graças pelos frutos que a terra produziu para o nosso sustento, concedei que a vossa providência, que os fez brotar do solo, faça germinar em nossos corações a semente da justiça e o fruto da caridade.

Comentário à leitura bíblica Está na Lei de Senhor Deus: é direito sagrado a devolução do Dízimo. O decreto é mais profundo ao afirmar a consagração dos 10% dos bens ao Senhor, nosso Deus. Isso chama-nos à consciência de que tudo pertence a Deus e nos é dado gratuitamente, mas cabe a nós, em nossa liberdade, reconhecer a grandeza dessa gratuidade. Vamos ouvir. Leitura: Lv 27, 30-34 SALMO RESPONSORIAL (95/96) Ref: O Senhor vem julgar nossa terra 1. Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!” Ele firmou o universo inabalável, e os povos ele julga com justiça. 2. O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem.

6

3. E exultem as florestas e as matas na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, E aos povos julgará com lealdade. Comentário Jesus desmascara a hipocrisia e os exageros dos doutores da lei e fariseus que, devolvendo o Dízimo, até com relação à freqüência e aos produtos não listados pela a Lei, consideravamse isentos das outras obrigações indispensáveis e mais importantes, tais como a justiça e a misericórdia. Vamos ouvir: Evangelho: Mt 23, 23-24 Preces 1. Por todos os nossos agentes de pastoral que mesmo sendo anunciadores do Santo Evangelho, e contribuindo com o Reino de Deus, ainda não descobriram a alegria de ser dizimistas. Rezemos ao Senhor. Assembléia: Ouvi, Senhor, o nosso apelo 2. Por nossos pastores, para que administrem com o coração cheio de amor os bens comuns da nossa comunidade. Rezemos ao Senhor. 3. Para que nós, movidos pelo Espírito Santo, possamos viver nosso batismo na gratuidade e no amor a Deus e ao próximo. Rezemos ao Senhor. 4. Por toda nossa Igreja para que viva com maturidade sua missão evangelizadora na busca da construção de um mundo mais justo e solidário. Rezemos ao Senhor. 5. Por nossos irmãos que vivem com o pouco que têm, mas sabem repartir com os que têm menos ainda, e assim vivem a gratuidade e o amor. Rezemos ao Senhor. 6. Pelas vítimas da violência e da fome, para que nosso espírito evangélico possa alcançar a necessidade de paz e partilha no mundo inteiro. Rezemos ao Senhor. Procissão das oferendas Motivando É chegado o momento de prepararmos a mesa para o banquete eucarístico. A humanidade participa da atualização do sacrifício redentor de Cristo trazendo os dons do pão e do vinho que, pela força do Espírito Santo, tornar-se-ão o Corpo e o Sangue de Jesus

7

que nos servirão de alimento nesta nossa caminhada de fé. Participamos também da vida e do dinamismo da Igreja, trazendo em seguida as nossas ofertas generosas, fruto do nosso trabalho, que servirão para o sustento material de nossa Igreja em vista de uma evangelização maior, melhor e com renovado ardor missionário. Oração sobre as oferendas Recebei, ó Pai, esta oferenda, como recebeste a oferta de Abel, o sacrifício de Abraão e os dons de Melquisedec. Nós vos suplicamos que ela seja levada à vossa presença, para que, ao participarmos deste altar, recebendo o corpo e o sangue de vosso filho, sejamos repletos de todas as graças e bênçãos do Céu. Mensagem pós-comunhão Esta celebração, com certeza, não foi apenas um rito ou um encontro amigável e caloroso de muitas pessoas. Foi isto e muito mais do que isto, foi principalmente um encontro renovado com Deus em sua linguagem de amor e doação. Foi também uma oportunidade de refletir sobre a generosidade e a partilha expressa pela comunidade através do dízimo e das ofertas. Doamos muito de nós e ganhamos muito de Deus que nunca se deixa vencer em generosidade. Vamos para nossos lares levando Deus no coração, levando também um pouco de cada irmão, e deixando um pouco de nós mesmos partilhado na suprema festa do amor, a Eucaristia. Oração pós-comunhão Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos.

História ilustrativa: DAMOS O QUE TEMOS DE MELHOR Um rico resolve presentear um pobre por seu aniversário e, ironicamente, manda preparar uma bandeja cheia de lixo e sujeiras. Na presença de todos, manda entregar o presente, que é recebido com alegria pelo aniversariante, que gentilmente agradece e pede que aguardem um instante, pois gostaria de retribuir a gentileza. Joga fora o lixo, lava e desinfeta a bandeja, enche-a de flores, devolve-a com um cartão, onde está escrito: “A gente dá o que tem de melhor...”.

8

2ª CELEBRAÇÃO “DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA” Comentário Inicial Amados irmãos e irmãs em Cristo, muito bem-vindos e bem-vindas. Neste nosso encontro festivo, juntos nos alegramos, porque nesta assembléia celebramos a alegria da partilha e a generosidade expressas no Dízimo. Que esta prova de amor e gratidão a Deus e aos irmãos nos anime e sustente na obediência a Deus e a seu projeto, bem como na edificação de sua Igreja. Enfim, celebremos o nosso culto com a certeza e a consciência de que, entregar o Dízimo na Casa do Senhor, significa reconhecermos a generosidade e a soberania de Deus em nossa vida. Cantando com alegria, acolhamos a presidência desta celebração. Oração do dia Ó Deus, ao dar-vos graças pelos frutos que a terra produziu para o nosso sustento, concedei que a vossa providência, que os fez brotar do solo, faça germinar em nossos corações a semente da justiça e o fruto da caridade. Comentário à leitura bíblica São Paulo, com muita habilidade cristã, incentiva os cristãos de Corinto sobre a coleta em favor da comunidade de Jerusalém, e exorta-os a usarem o impulso do coração, sem tristeza, nem constrangimento, pois se queremos colher com abundância, importa semear com generosidade. Escutemos. Leitura: 2Cor 9, 7-15 SALMO RESPONSORIAL (111/112) Ref: Feliz aquele que respeita o Senhor! 1. Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos! 2. Haverá glória e riqueza em sua casa, e permanece para sempre o bem que fez. Ele é correto, generoso e compassivo, como luz brilha nas trevas para os justos.

9

3. Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, Crescerão a sua glória e seu poder. Comentário A Oferta realizada pela viúva pobre dando “tudo o que possuía para viver”, constitui-se num estímulo irrecusável para que todos nós façamos nossa oferta sem reclamações. Ouçamos: Evangelho: Mc 12, 41-44 Preces 1. Rezemos por todos os nossos irmãos e irmãs que ainda não compreenderam o valor evangélico e solidário do Dízimo. Rezemos ao Senhor. Assembléia: Dai-nos, Senhor, vossos bens com fartura 2. Pai Santo, rico em gratuidade e amor, ajudai-nos a amar uns aos outros e a partilhar aquilo que temos com todos os que precisam. Rezemos ao Senhor. 3. Pela equipe do Dízimo de nossa paróquia para que, com amor indiviso, continue seu trabalho evangelizador na doação e na caridade. Rezemos ao Senhor. 4. Por nossos dizimistas da terceira idade, que em meio aos desafios hodiernos continuam com fidelidade seu compromisso cristão. Rezemos ao Senhor. 5. Por toda a ação evangelizadora, missionária e pastoral de nossa paróquia que, para sua eficácia, dependem da fidelidade de nossos dizimistas. Rezemos ao Senhor. 6. Pelos doentes de nossa comunidade, para que o Senhor nosso Deus, em sua infinita misericórdia, os acolha e alivie em seus sofrimentos. Rezemos ao Senhor. Procissão das oferendas Motivando O Ofertório é um momento precioso de preparação do memorial que atualiza o sacrifício pascal de Cristo. Na Eucaristia Deus nos oferece seu Filho em sacrifício reparatório por nossos pecados, e nós próprios oferecemos o sacrifício de Jesus ao Pai, e a esta oferta nos associamos levando até o altar, primeiramente, as

10

espécies que serão consagradas e, em seguida, os bens materiais que dinamizam a Igreja em sua tarefa de Evangelizar, que é partilhada por todos nós que somos os seus membros. Oração sobre as oferendas Recebei, ó Pai, esta oferenda, como recebeste a oferta de Abel, o sacrifício de Abraão e os dons de Melquisedec. Nós vos suplicamos que ela seja levada à vossa presença, para que, ao participarmos deste altar, recebendo o corpo e o sangue de vosso filho, sejamos repletos de todas as graças e bênçãos do Céu. Mensagem pós-comunhão Embora possamos e devamos nos reunir todos os domingos para celebrar a Eucaristia, não podemos deixar que isto seja um ato de rotina. Sempre convém lembrar que Deus mesmo se manifesta e se faz pão para nosso alimento de fé, esperança e amor. Ele é a força que nos sustenta em nossa jornada rumo ao reino definitivo, do qual todos nós já fazemos parte. Que a nossa semana possa ser plena do amor de Deus que foi derramado em nossos corações e que nós possamos ser sinais da presença de Deus no mundo, onde e como quer que estejamos. Oração pós-comunhão Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos. História ilustrativa: OS DOIS IRMÃOS Dois rapazes moravam na mesma fazenda quando o pai morreu. O solteiro ficou na casa em que o pai morava. O casado na casa ao lado. Tinham uma grande plantação de arroz e um celeiro em comum, e combinaram trabalhar juntos e dividir tudo. Colheram dezenas de sacos de arroz, metade para um e metade para o outro, e assim fizeram dois celeiros. No final da tarde, o irmão solteiro começou a pensar que aquela divisão não estava certa. Pensava: “Eu sou solteiro e meu irmão é casado, tem mulher e filhos. Ele precisa de mais arroz do que eu, pois sou sozinho”. À noite, levantouse, foi a seu celeiro, pegou um saco de arroz, escondido, e colocou no celeiro do irmão. O irmão, ao acordar na manhã seguinte, começou a pensar: “Essa divisão não é justa, pois sou casado, tenho minha mulher e meus filhos. E eles vão crescer e poderão me ajudar. Mas meu irmão é sozinho. Se não casar, não terá ninguém por ele. O certo é ele ganhar mais que eu”. Levantou, foi a seu celeiro, pegou um saco de arroz e colocou no celeiro do irmão. E assim foram vivendo: a cada colheita, um levava uma parte para o outro. Uma bela noite, o relógio biológico se confundiu. Horário de verão... e os dois se levantaram na mesma hora e se encontraram no meio do caminho. Um olhou para o outro. Colocaram o arroz no chão, se abra-çaram, e choraram.

11


12 Celebrações da Partilha e da Gratidão