Issuu on Google+

proibida Cassio A. Spina reprodução

proibida reprodução

proibida reprodução

proibida Cassio A. Spina reprodução

© nVersos, 2012

Capa: Bruno de Oliveira Romão Projeto Gráfico: Departamento Editorial da nVersos Editora Editoração Eletrônica: Departamento Editorial da nVersos Editora Revisão Ortográfica: Rhamyra Toledo Peixoto e Mila Fernandes Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Spina, Cassio A. Investidor-anjo - - guia prático para empreendedores e investidores / Cassio A. Spina. - São Paulo : nVersos, 2012. Bibliografia ISBN 978-85-64013-48-3

proibida reprodução

1. Administração de empresas 2. Administração de projetos 3. Administração por objetivos 4. Criatividade em negócios 5. Decisões 6. Empreendedorismo 7. Investimentos - Análise I. Título.

11-12139 CDD -650.1

Índices para catálogo sistemático: 1. Empreendedorismo : Administração de empresas : 650.1 1a edição – 2012 Esta obra contempla o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa nVersos Editora Av. Paulista, 949 – 9º andar 01311-917 – São Paulo-SP Tel.: 11 3382-3036 www.nversos.com.br nversos@nversos.com.br Impresso no Brasil Printed in Brazil

proibida reprodução

Dedico este livro aos meus pais João Spina (in memoriam) e Sonia Ribeiro Spina

proibida reprodução

Sumário

Agradecimentos Apresentação Prefácio

Parte I – Introdução

proibida reprodução

9 11 13

1

O investimento-anjo e o empreendedorismo no Brasil

19

2

Afinal, o que é investimento-anjo?

27

3

Empreendedores e sonhos

33

4

A escada do crescimento

37

5

Os desafios de novos negócios (startups)

47

6

Relações entre investidores e empreendedores

55

Parte II – A construção do relacionamento 7

A “paquera” – Prospecção de projetos

63

Tese de investimento

78 90 102

Plano de negócios e modelo de negócios Assessorias e aconselhamento para empreendedores

Investidor-anjo: guia prático – como obter recursos para o seu negócio 8

8 9

O “namoro” – Avaliação do negócio Avaliação do valor de um negócio (valuation) O “noivado” – Negociação A due-diligence

10 11 12

O “casamento” – Efetivação do investimento Contratos, direitos e proteções O “divórcio” – A saída O sucesso Pósfacio

proibida reprodução

Bibliografia comentada Glossário

109 108 115 120 127 133 151 161 163 165 169

Agradecimentos

proibida reprodução

Gostaria de, em primeiro lugar, agradecer aos amigos do SPtec, fundo que fez investimento na minha empresa e que expandiu meus conhecimentos sobre o mundo do investimento em empresas privadas, em especial a Clóvis Benoni Meurer, da CRP, pioneiro da indústria de Venture Capital brasileira, a quem tive a grande honra de ter como conselheiro; a José Augusto Albino, também da CRP, que sempre me deu todo o seu apoio nas minhas iniciativas e é um exemplo de gestor de investimentos; e a Marcelo Safadi, da Eccelera, companheiro tanto nos bons como nos maus momentos. Também agradeço a todos que apoiaram, desde o início, a criação da Anjos do Brasil. Por não ser possível citar cada um aqui, deixo esta mensagem de agradecimento especial pela realização de um ideal de incentivo aos jovens empreendedores deste país com apoio do investimento-anjo. Não posso deixar de agradecer a todos que apoiaram a criação deste livro, em especial ao meu primo Guilherme, pela

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores 10

apresentação desta editora, e a todos que contribuíram de alguma forma; mesmo não citados aqui, tenham a certeza de que lembrarei sempre de cada um. Também não posso deixar de agradecer a toda minha família, em especial aos meus pais, João Spina (in memoriam) e Sonia Ribeiro Spina, aos quais dedico este livro, pois fizeram tudo que puderam por mim e por meus irmãos, dando seus exemplos, valores e princípios, fazendo-me tornar quem eu sou. Aos meus tios, primos e parentes, mesmo aqueles com quem tenho menos contato hoje em dia; com certeza, todos fizeram parte da história da minha vida. À minha irmã, Maria Rita, por ter sempre apoiado todas as minhas iniciativas e trabalhado comigo por tantos anos. Aos meus irmãos Patrícia e Eduardo pelo amor e carinho que sempre tiveram comigo. À minha esposa, Cristiane, pelo seu amor e dedicação comigo e com nossos filhos, e aos meus filhos por serem minha fonte de inspiração e os meus maiores “perguntadores”, exercitando diariamente minha capacidade de aprender e ensinar. Por fim, gostaria de deixar também uma mensagem de agradecimento aos meus amigos, parceiros, clientes, fornecedores, colegas, funcionários e colaboradores que sempre desejaram meu bem, pois acredito que somos a soma das pessoas que estão a nossa volta. Assim, podem ter a certeza de que todos, daqueles a quem tive a oportunidade de ter contato por apenas alguns momentos até quem me acompanhou por toda minha vida, contribuíram para o meu crescimento.

proibida reprodução

Apresentação

Quais são os principais passos para empreendedores que estão buscando investimentos para seu novo negócio? Você sabia que o investimento-anjo tem um papel fundamental na sociedade por fomentar e apoiar o empreendedorismo na criação de novas empresas, empregos e tecnologia? E que as maiores empresas inovadoras, como o Google, o Facebook e o Twitter, receberam investimentos-anjo? Como se tornar um investidor-anjo? Estas e outras perguntas são respondidas em Investidor-anjo: Guia prático para empreendedores e investidores. Neste livro, o leitor irá encontrar toda orientação de que precisará, passando pelos principais conceitos sobre investimentos-anjo até a efetivação do negócio; será guiado passo a passo em cada etapa, desde a busca de investidores por empreendedores e de negócios por investidores-anjo, até as fases da “paquera”, do “namoro”, do “noivado”, do “casamento” e do “divórcio” (que neste caso pode, e deve, ser feliz), sempre com exemplos práticos, do dia a dia, apontando os principais cuidados e soluções que devem ser tomados

proibida reprodução

contra os eventuais obstáculos que surgirem. A obra ainda esclarecerá os principais jargões da indústria de investimentos por meio de uma linguagem simples e acessível. Trata-se de um guia essencial destinado a todos que querem aventurar-se por esse mundo inovador e crescente para aproveitarem as grandes oportunidades que estão surgindo devido à revolução do mundo dos negócios pela qual estamos passando.

proibida reprodução

Prefácio

Minha inspiração para escrever este livro veio no chuveiro, literalmente; dizem que o banho é um momento perfeito para que as ideias floresçam e posso afirmar que para mim a assertiva é verdadeira, devido a este e a outros planos que já tive “embaixo d’água”. Na realidade, isto foi só a gota-d’água (sem ironias) de uma necessidade que já tinha vivenciado desde que resolvi envolver-me com investimentos-anjo; a partir das inúmeras reuniões que tive com vários empreendedores e com outros investidores, das bancas de avaliação de projetos das quais participei, dos painéis e das palestras que ministrei, percebi o quanto este assunto ainda era novo para a maioria dos envolvidos e, ao mesmo tempo, emergente; assim, mesmo atuando há não muito tempo como investidor-anjo, pela experiência que adquiri em negociar investimentos como empreendedor, dei-me conta de que já tinha algo para compartilhar a fim de contribuir para o desenvolvimento do empreendedorismo no Brasil. Mas, por mais que buscasse transmitir

proibida reprodução

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores 14

o meu conhecimento, me sentia frustrado por perceber que tinha um alcance limitado; então, nessa chuveirada, tive o insight de escrever um livro sobre os conhecimentos que tinha adquirido. Quero alertar aos leitores que não me considero um expert no assunto, pois acredito, e também espero, que ainda tenho muito a aprender; afinal, uma das coisas que mais me empolgam é poder desbravar novos horizontes, e este momento que vivencio está repleto de oportunidades e desafios. Esse livro destina-se tanto a novos empreendedores que vão construir um negócio inovador e necessitam de investimento como a pessoas que desejam exercer a atividade de investidor-anjo, pois acredito que, para o sucesso da relação investidor-empreendedor, é fundamental que estes se entendam e conheçam um ao outro profundamente. Assim, da mesma forma que não devem existir segredos nem interesses escusos (a chamada “secret agenda”) por parte de cada um, não existe nada que precise ser escondido sobre como cada uma das partes pensa e age; pelo contrário, se ambos souberem quais são as expectativas de sua contraparte, as chances de sucesso do empreendimento serão em muito ampliadas. Tendo em vista que o investimento-anjo é uma ideia originária dos EUA, sua terminologia original obviamente é inglesa. Nesse livro, irei utilizar, conjuntamente, tanto os termos em português como suas versões em inglês, pois, mesmo que seja uma obra destinada a leitores brasileiros, acredito que é muito importante se acostumar também com a versão

proibida reprodução

Prefácio

original das terminologias, tendo em vista futuras oportunidades de negociação com investidores estrangeiros. Esse livro está longe de ser um estudo completo sobre o assunto, pois meu objetivo ao escrevê-lo foi unicamente compartilhar do meu conhecimento, das minhas experiências e da minha visão sobre o que é investimento-anjo e como se pode aplicá-lo no Brasil, a fim de buscar difundir esse tipo de atividade e também outras ações que considero “melhores práticas”, isto é, que têm maior índice de sucesso. Não acredito em verdades absolutas; afinal, a experiência mostra que toda verdade é limitada às suas “condições de contorno” (desculpem-me pela expressão técnica), deixando de ser verdade quando alguma das suas pré-condições é alterada. Da mesma forma que, na Física, as leis de Newton deixam de ser válidas quando se estudam os átomos, nos negócios, quando mudam os atores, aquilo que funcionava antes pode não se aplicar mais depois. Como sugestão de leitura, para aqueles que desejarem já colocar em prática, indico que leiam os capítulos conforme cada etapa que forem aplicando, pois não há nada como a própria experiência, tanto para melhor compreensão das situações que relato como do conhecimento de que compartilho. Conforme descrito no parágrafo anterior, minha proposta na elaboração deste livro foi de efetivar um guia que orientasse tanto a investidores-anjo como a empreendedores os principais passos para estes efetivarem um negócio conjuntamente; assim, esse livro não substitui nenhuma literatura especiali-

proibida reprodução

15

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores 16

zada em cada assunto que exponho, nem dispensa a utilização de prestadores de serviços profissionais especializados, tais como advogados societários, auditores contábeis, consultores técnicos etc. Recomendo que, em paralelo à leitura deste livro, o leitor verifique a bibliografia comentada para complementar seus conhecimentos. Como empreendedor durante 25 anos, entendo ser capaz de compreender um pouco de cada lado da moeda, pois vivenciei praticamente todas as etapas do ciclo empresarial, desde a criação, o crescimento, a passagem por aquisições e fusões e a captação de investimentos até, finalmente, a venda de uma empresa. Agora, como investidor, estou aprendendo muitas lições, as quais também compartilho neste livro com o objetivo de dar equilíbrio entre as partes, de forma que ambas atinjam seu objetivo comum: o sucesso do negócio!

proibida reprodução

Parte I proibida reprodução

Introdução

proibida reprodução

Capítulo 1

O investimento-anjo e o empreendedorismo no Brasil

O investidor-anjo, tradução do termo “angel investor” e também conhecido como “business angel”, é a designação para as pessoas físicas que investem seus próprios recursos financeiros em negócios emergentes, isto é, que estejam em fase inicial de desenvolvimento, agregando o seu conhecimento, a sua experiência e o seu relacionamento, adquiridos em sua carreira executiva ou empresarial, para o empreendedor. Assim, diferentemente do investidor tradicional, que possui uma relação somente financeira com o investido, o investidor-anjo estabelece uma relação mais próxima com o empreendedor, buscando orientá-lo e apoiá-lo com todas as suas competências; daí ter-se cunhado o adjetivo “anjo” para esse tipo de investidor. Originária dos EUA, esta é uma prática recente no Brasil no sentido formal do conceito, mas já é aplicada informalmente de forma restrita, devido a ainda não se ter não só a cultura de se investir em empresas nascentes, mas também de não se ter a disponibilidade de investidores que tenham recursos financeiros e humanos, mais especificamente experiência e tempo, para

proibida reprodução

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores 20

apoiar o desenvolvimento destes novos negócios. Observe que a diferença entre o investimento-anjo e os investimentos pontuais feitos por pessoas físicas é que o investidor-anjo tem uma postura ativa de busca por negócios para investir e não faz apenas conforme surge alguma oportunidade ou como um hobby. Isto é importante, pois, conforme veremos mais à frente, para que se tenha maiores chances de sucesso é fundamental que haja diversificação. Assim, o investimento-anjo é uma atividade profissional que demanda dedicação, mesmo que apenas em tempo parcial, tendo como objetivos tanto o ganho financeiro como a realização pessoal. Cabe observar que nos EUA o investidor-anjo é muito respeitado e reconhecido pelo seu trabalho por todos os profissionais da indústria de venture capital (VC), pelo governo e pela sociedade em geral, posto que ele é um dos primeiros elos de apoio à cadeia de empreendedorismo, propiciando a geração de novos negócios inovadores e consequentemente alimentando os próximos elos da indústria de investimentos, além de ser o responsável por gerar oportunidades de empregos e renda para o país. Apenas para que o leitor tenha ideia do tamanho da rede de investidores-anjos nos EUA, em 2010, 265.400 investidores-anjo investiram US$ 20,1 bilhões em 61.900 empreendimentos, enquanto que os VCs investiram US$ 21,8 bilhões em apenas 3.277 empresas1.

proibida reprodução

1 University of New Hampshire’s Center for Venture Research. Disponível em: <http://www.unh.edu/news/docs/2010angelanalysis.pdf>. Acesso em: 12 abr. 2011.

proibida reprodução

Capítulo 1. O investimento-anjo e o empreendedorismo no Brasil

A atividade de investimento-anjo transcende o aspecto financeiro do negócio, pois o investidor-anjo deve, de alguma forma, ter um interesse pelo negócio próximo ao interesse do empreendedor, para que se dedique ao negócio. Assim, o investidor-anjo tem muitas semelhanças com os antigos mecenas das artes, pois, da mesma forma que estes foram muito importantes para o seu florescimento, o investidor-anjo tem um papel fundamental para o desenvolvimento do empreendedorismo de inovação. Vários estudos indicam que os principais fatores geradores para a formação de novos investidores-anjo são os próprios negócios inovadores das gerações passadas, que criaram uma gama de empreendedores qualificados e com recursos obtidos pelos ganhos de seus empreendimentos anteriores, em especial pelo lançamento de ações no mercado aberto (os chamados IPOs ou Initial Public Offerings). Esse fenômeno é chamado de “a reciclagem do dinheiro”. Assim, são formados novos grupos de investidores-anjo que utilizam parte dos seus recursos para incentivar e apoiar novos empreendedores e seus projetos. Apesar de o Brasil ser líder mundial na geração de novos empreendedores2, somente nos últimos anos, com a evolução do mercado de ações e a adoção de práticas como a de participação nos lucros e resultados e com a das stock-options, em que executivos passaram a ser remunerados de acordo com a performance da

21 2

Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 2010.

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores

empresa na qual trabalham, possibilitando aos mesmos ganhos muito superiores do que apenas com sua remuneração salarial, é que se iniciou o surgimento de uma geração de potenciais investidores-anjo. Com isso, começaram a criação de grupos e de redes de investidores-anjos no Brasil, além de associações privadas. Da mesma forma, surgiram iniciativas de fomento à formação de novos investidores-anjo, como eventos promovidos pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), empresa pública ligada ao Ministério de Ciência e Tecnologia, e pela Endeavor Brasil, organização não governamental que tem como objetivo o desenvolvimento do empreendedorismo. Ainda faltam muitas ações de incentivo não só ao investimento-anjo, mas ao empreendedorismo em geral, que busquem facilitar ainda mais a formação de novos empreendedores e de seus negócios, bem como reduzir os custos e riscos legais de investidores para que estes se sintam cada vez mais motivados a apoiar novas empresas a surgirem, crescerem e gerarem mais empregos e renda para o Brasil. Isto pode ser comprovado pelas avaliações comparativas de organismos internacionais, como o estudo do Banco Mundial3, que classifica o Brasil na 127ª posição entre 183 nações pesquisadas sobre a facilidade de efetuar negócios. Na minha visão, esse é um problema que transcende questões puramente regulatórias, pois, se fosse apenas isso, o proble-

proibida reprodução

22 3

Disponível em: <http://www.doingbusiness.org/rankings>. Acesso em jun, 2010.

proibida reprodução

Capítulo 1. O investimento-anjo e o empreendedorismo no Brasil

ma já teria sido resolvido pela boa vontade demonstrada por vários dirigentes. Quem nasceu antes de 1970 deve lembrar-se de que foi até criado um Ministério destinado à desburocratização. Acredito que esse problema tem uma origem cultural, pois, no Brasil, o sucesso empresarial ainda é visto por muitos como algo que beira o “pecado”. Além disso, existe muita burocracia para resolver questões simples e que poderiam ser tratadas de formas mais fáceis, como, por exemplo, a necessidade de se reconhecer uma assinatura em cartório, mesmo quando ambas as partes estejam frente a frente são fruto do que parece ser a cultura do “culpado até que se prove sua inocência”. Enfim, não é meu propósito e nem teria a presunção de com este livro debater ou obter soluções para problemas que transcendem nossa capacidade individual, mas desejo demonstrar que, apesar de todas essas questões, é possível fazer a diferença em meio a tantos desafios, que isto já está acontecendo, e que quem não “pegar essa onda” certamente estará perdendo não só uma grande oportunidade de dar uma contribuição para as mudanças de que tanto precisamos em nosso país, mas também uma chance de se beneficiar dos resultados de negócios crescentes. Abro um parênteses aqui para destacar uma observação sobre as diferenças entre a cultura ocidental e a oriental; uma das mais marcantes para mim é a prioridade orientalista do bem coletivo versus o individual, enquanto que para os ocidentais, este último é mais relevante; assim, devemos ressaltar a importância do bem coletivo em nossa sociedade.

23

Investidor-anjo: guia prático para empreendedores e investidores

Pelo lado dos empreendedores, observamos nos últimos anos que, além de seu crescimento significativo, também estão ocorrendo mudanças em relação ao seu perfil: historicamente, o número de empreendedores “por necessidade”, isto é, aqueles que por falta de oportunidade profissional acabavam empreendendo para sua subsistência, era praticamente igual ao dos empreendedores por oportunidade, aqueles que empreendem por desejo próprio com o objetivo de realizar um projeto. Entretanto, conforme demonstrado no Gráfico 1.1, isso está mudando significativamente.

proibida reprodução

(% sobre a população entre 18 e 64 anos de idade) 10%

8,3 7,2

7,0 5,5

9,4

6,0 6,2 5,3

6,0 5,6

5,5

5,4 3,9

0

oportunidade necessidade

2003 2004 2005 FONTE: PESQUISA GEM

2006

2007

Gráfico 1.1 - Porcentagem sobre a população entre 18 e 54 anos.

24

2008

2009

proibida reprodução

Capítulo 1. O investimento-anjo e o empreendedorismo no Brasil

Podemos observar neste gráfico não só um “descolamento” entre o grupo dos empreendedores por oportunidade versus o grupo dos empreendedores por necessidade, mas também um crescimento acentuado do primeiro grupo. Pode-se explicar esse movimento pelo crescimento econômico do Brasil nos últimos anos, que criou novas oportunidades de emprego e, assim, que levou o grupo dos empreendedores por necessidade a se recolocarem no mercado de trabalho, enquanto que os empreendedores de oportunidade enxergaram o crescimento econômico como o momento para realizarem seu sonho de empreender.

25


Investidor-Anjo