Issuu on Google+

Prof° Clifer Rodrigues

DOMINANDO AS LINHAS DE COMANDO DOMUNANDO OS SEGREDOS DOS COMANDOS

Ao trabalhar com a configuração manual dos serviços, o editor de textos acaba sendo sua principal ferramenta de trabalho. Existem inúmeros editores de texto no Linux, boa parte deles são voltados para programação, com suporte a reconhecimento de sintaxe e diversas outras funções úteis para programação, mas também existem editores mais simples, destinados a quem quer simplesmente editar e salvar arquivos de texto, sem muita firula. Alguns exemplos de editores gráficos comumente usados são o kedit e kwrite no KDE, e o gedit no Gnome. O grande problema com eles é que eles são ferramentas gráficas, que não estarão disponíveis quando você estiver configurando um servidor sem o ambiente grpafio instalado via SSH. Chegamos então aos editores de texto puro, como o joe, nano, mcedit e o vi. Em qualquer um deles, a sintaxe básica é o comando do editor seguido pelo arquivo que deseja editar, como em: # joe /etc/fstab O mais simples é o mcedit. Ele faz parte do pacote "mc", que é encontrado em todas as distribuições. Ele normalmente não vem instalado por padrão, mas você resolve isso rapidamente instalando o pacote manualmente, como em: # apt-get install mc No mcedit as funções são acessadas usando as teclas F1 a F10, com uma legenda mostrada na parte inferior da tela. Para salvar você pressiona F2 e para sair, F10. Ele é provavelmente o editor mais fácil de usar, a grande limitação é que ele não permite que você cole texto de outras janelas usando o botão do meio do mouse, um recurso extremamente útil ao copiar exemplos e modelos de configuração. O joe é um meio termo. Ele é um editor simples e leve, muito parecido com o antigo Wordstar do DOS e usa as mesmas teclas de atalho que ele. Para salvar o arquivo e sair, você pressiona "Ctrl+K" e depois "X", para salvar sem sair o atalho é "Ctrl+K" seguido de "D". Para sair descartando as alterações, pressione "Ctrl+C", para abrir a janela de ajuda, com os atalhos para as demais funções pressione "Ctrl+K", "H" e, novamente "Ctrl+K", "H" para fechá-la. O nano é outro editor de texto simples e leve, daí o nome. Para salvar e sair, pressione "Ctrl+X", depois "S" e Enter, para sair sem salvar pressione "Ctrl+X" e "N" e, para


COMANDOS LINUX PT2