Issuu on Google+

Projeto de construção da Ferrovia Transnordestina | Ano 01 | Edição 03

JAN/ FEV/ MAR DE 2013

PROJETO FERROVIA NA COMUNIDADE PROMOVE INCLUSÃO SOCIAL NO ENTORNO DA OBRA

Os encontros temáticos, conduzidos por Integrantes da Aliança, reuniram quatro mil pessoas em municípios de PE e do PI

Conversar com as pessoas, que moram no entorno da obra, sobre temas como a importância dos cuidados com a saúde, combate as drogas e enfrentamento a violência é o principal objetivo do projeto Ferrovia na Comunidade. A iniciativa, que mobiliza Integrantes da Aliança Transnordestina e Odebrecht Infraestrutura para conduzir os debates reuniu quatro mil pessoas em 60 encontros realizados nos últimos

10 meses. Os temas do Ferrovia na Comunidade são trabalhados por meio de palestras e oficinas multidisciplinares em parceria com prefeituras, associação de moradores, escolas e organizações não governamentais. Em Pernambuco, a ação ocorre nas cidades de Araripina, Arcoverde, Custódia, Parnamirim e Salgueiro. No Piauí, a mobilização contempla Paulistana. “Quando somos convidadas para participar dos encontros

Saiba mais:

Desde março de 2012, quando começou o Ferrovia na Comunidade, foram trabalhados temas como: a importância do combate a violência de gênero, combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes,

metódos preventivos à saúde do idoso, alimentação saudável, blitz educativa no Dia do Motorista. A iniciativa, coordenada pelo Serviço Social da obra, baseiase no Espírito de Servir da Tecnologia Empresarial Odebrecht. Assim,

promovidos pela Aliança, como o Ferrovia na Comunidade sempre comparecemos com grande expectativa e admiração. Isso porque, está evidente a preocupação da obra com o bem estar do ser humano”, opina a aposentada Maria de Lourdes. Ela faz parte do grupo Fascinação, formado por pessoas da 3ª idade, com sede em Salgueiro (PE).

os colaboradores são estimulados a desenvolverem atividades voluntárias com vistas a melhoria na qualidade de vida de quem mora no entorno da obra.

2

NOS TRILHOS DA INFORMAÇÃO. Ano 01 | Edição 03 | JAN/FEV/ MAR 2013

COLABORADOR DO INTEGRANTES PARTICIPAM DE CAPACITAÇÃO EM EMPILHADEIRA PELO SENAI MÊS SE DESTACA COM CAPACETE DOURADO

A iniciativa contemplou 500 Integrantes

Manter o ambiente de trabalho cada vez mais agradável e produtivo tem sido uma das prioridades na Ferrovia Transnordestina. E nesse cenário, quem se destaca vai às frentes de serviço com um capacete dourado. A ação contemplou 500 Integrantes nos últimos 10 meses. “Levei o capacete pra casa para a família conhecer. A minha esposa colocou na sala o certificado que eu ganhei por ter sido destaque”, diz o motorista Antonio Carlos. Proatividade e respeito as regras de segurança estão entre os critérios para ser escolhido. A iniciativa mensal ocorre nos lotes de Arcoverde, Custódia, Parnamirim e Nascente. A escolha do Integrante Destaque é feita por engenheiros e encarregados. Os participantes ainda concorrem a brindes.

O curso contribui com o aumento nas chances de crescimento profissional na obra

A Aliança Transnordestina Logística e Odebrecht Infraestrutura capacitou em operação de empilhadeira 20 Integrantes, durante 40 horas de aulas. As atividades, concluídas em novembro, ocorreram no Centro de Atendimento ao Visitante (CAV), do Canteiro Industrial, em Salgueiro. O curso foi conduzido pelo Senai (Serviço Nacional da Indústria) de Araripina (PE). Os encontros destacaram tipos de empilhadeira, capacidade de carga, procedimentos operacionais, análise de riscos e direção defensiva. “Além dos conhecimentos técnicos é indispensável que o colaborador seja habilitado para exercer a função. Isso reduz riscos de acidentes e potencializa a produtivida-

de”, avalia o instrutor do Senai, Ricardo Gomes do Vale. Além dos Integrantes que já manuseiam empilhadeiras, a capacitação também contemplou quem atua em áreas como Fábrica de Dormentes, Estaleiro de Solda e Central de Britagem. “Ao abrirmos o curso para colaboradores de outros setores ampliamos internamente nossa mão de obra qualificada”, diz a engenheira Natelma Francisca, uma das responsáveis pela Fábrica de Dormentes. O responsável por Treinamentos em Equipamentos, Agnaldo Gomes acredita nas chances de crescimento de quem passou pela capacitação. “Quem está habilitado agora tem mais uma oportunidade de atuação na obra”, afirma.

PERFIL

EM BUSCA DE NOVOS APRENDIZADOS Em mais uma aula prática de operação em empilhadeira pode-se observar o equipamento, que tem capacidade de carga de 14 toneladas, sendo conduzido com a leveza das mãos de uma mulher. Trata-se da Integrante Luciane Lopes, recentemente habilitada para conduzir esse tipo de veículo. “Operar empilhadeira é algo que me faz bem por ser uma função desafiadora. Além disso, a atividade é exercida predominantemente por homens. Ao participar do curso, outras colaboradoras perceberam que o trabalho também combina com nossa feminili-

dade”, diz a Integrante. Ela, que é auxiliar do laboratório da Qualidade, tirou fotos no equipamento e fez questão de mostrar aos parentes e amigos. “Em casa as pessoas nunca tinham visto uma empilhadeira e, assim, mesmo sem conhecer o equipamento, a minha mãe cheia de orgulho fez questão de espalhar a notícia”, lembra Luciane. Questionada sobre qual o próximo curso deseja fazer, ela responde de imediato: “Vou aprender a conduzir escavadeira hidráulica”. Para Luciane, um avanço no aprendizado.

NOS TRILHOS DA INFORMAÇÃO. Ano 01 | Edição 03 | JAN/FEV/ MAR 2013

3

SOLIDARIEDADE DOS INTEGRANTES É RECONHECIDA PELO HEMOPE A mobilização para que os Integrantes doem sangue tornouse uma constante na obra, com adesão dos canteiros situados em Pernambuco, no Piauí e Ceará. Como reconhecimento a esse cuidado, a Aliança Transnordestina Logística e Odebrecht Infraestrutura recebeu o título de Empresa Solidária, pelo Núcleo de Hemoterapia da Fundação Hemope. “A iniciativa tem contríbuído com o reforço no estoque de sangue dos Hemocentros da região”, comenta o gerente de SSTMA, Paulo Cintra. O enfermeiro do Trabalho, Hugo Leonardo, também comenta sobre a importância da ação: “O doador pode salvar a vida de quem espera por sangue”. De acordo com Hugo, o

A ação, que ocorre nos canteiros de PE, do PI e CE, resultou no título Empresa Solidária

incentivo para que o colaborador grante se torna doador, ele passa se envolva nas doações contribui a influenciar parentes e amigos com a mudança de cultura em a seguirem seu exemplo”, avalia. torno da causa. “Quando o Inte-

PARA REFLETIR ...

Adeus ano Velho, Feliz ano novo, que tudo se realize no ano que vai nascer... Há poucos dias, essa música foi muito cantada, tocada e pensada, e é justamente dela que focarei na primeira reflexão de 2013. A mudança de ano gera uma grande expectativa em quase todos e acho que 2013 foi um ano muito esperado, afinal, para muitos (sem pretensão de ser desrespeitoso com opiniões alheias) o mundo acabaria em 21 de dezembro de 2012. Ufa, logicamente que nada aconteceu então o que nos resta é ir em frente. Não podemos simplesmente dar um adeus ao ano anterior, seria uma ação bem insensata, o ano foi difícil? As coisas não aconteceram como queríamos? Então faço a pergunta: é só isso que podemos dizer do ano? Aproveito e respondo também, é claro que não, eu aproveito cada final de ano para criar algumas metas particulares como dieta, que não consigo cumprir, aprender Kitesurf, ir em todos os jogos do Timão na Libertadores, mas não é somente isso que o ano que acaba pode representar, devemos sugar dele uma imensa reflexão e tirar inúmeros aprendizados, estes, serão uma análise SWAP, como: O que errei, por quê? O que acertei, como poderia ter feito melhor? O que deixei de fazer, por quê? Ampliei meus horizontes? Soube

aproveitar meu tempo? E estas perguntas podem e devem servir para utilização profissional, relacionamentos profissionais, dedicar maior tempo a família e estudos. Mas infelizmente, o “potencial” aprendizado é relegado, as culpas são sempre dos outros e começa-se um novo ano fazendo o famoso “mais do mesmo”. Para o ano seguinte, busca-se Saúde, mas pera aí, você esta fazendo sua parte? Ginástica, boa alimentação, dar muitas risadas. Busca-se também dinheiro, crescimento profissional e muitos outros. Crescimento? A este, muitos imputam a outros a responsabilidade, ao invés de utilizaram do aprendizado do dia a dia (melhor escola) para mudar, melhorar ou até se adequar e assim poder almejar o melhor. Outro dia, uma pessoa me comentou que seu filho havia passado com louvor, claro que imaginei que o cara havia tirado excelentes notas, que nada, depois fui saber que o louvor era em agradecimento a Deus por ter ajudado, aos pais que pagaram reforços escolares. Tenho certeza de que tudo que consigo deve-se porque fiz a minha parte primeiro. Após isso, não a problema da sorte, de ter a simpatia de alguém, de estar no lugar certo, pois o que era primordial, demonstrei.

Todos devem ter claro quanto ao dever de fazer o certo, buscar incansavelmente o aprender, a superação, tendo como recompensa, galgar maiores desafios. Não sou referência para o réveillon, não gosto, acho um dia arriscado para sair de carro, visto que muitos bebem, muita imprudência, contudo, nos meus votos pessoais, a responsabilidade, tenho total convicção que é minha, pois farei o meu melhor para obter os resultados desejados. Desejo que todos saibam aproveitar cada momento, saibam ser diferenciados, lutem com conhecimento de causa, com estratégia, na busca de melhores resultados. Lembrando sempre, que eu, você, ele, fazemos a nossa própria história, não esquecendo é claro de que somados a isso temos que ter fé e praticar o bem. Um excelente 2013 e que possamos ver colegas crescendo, a empresa crescendo lastreada por pessoas com conhecimento, buscando a produtividade a cada instante, utilizando de ferramentas fundamentais e que ao mesmo tempo são tão simples, como: Comunicação, Planejamento, alinhamento.

Fabiano Munhoz, diretor de Contrato da Odebrecht Infraestrutura é o autor deste texto opinativo.

4

NOS TRILHOS DA INFORMAÇÃO. Ano 01 | Edição 03 | JAN/FEV/ MAR 2013

PAULISTANA: PONTE DO CANINDÉ RECEBE VIGAS METÁLICAS As obras na Ponte do Canindé, em Paulistana (PI), avançam com o início da colocação das vigas metálicas. Os trabalhos, iniciados em dezembro, envolvem uma equipe formada por 97 profissionais, em sua maioria, Integrantes da Aliança Transnordestina e Odebrecht Infraestrutura. Sobre o rio Canindé estará a maior ponte construída no Projeto, com 750 metros de extensão e 46 metros de altura. “Ao todo, serão colocadas 30 vigas metálicas. Elas são mais leves (com 60 toneladas/vão), se comparadas com as vigas de concreto que pesam 140 toneladas/vão.O uso das estruturas metálicas também possibilita mais agilidade e segurança durante a montagem”,

As vigas metálicas proporcionam mais agilidade e segurança no içamento

explica o engenheiro, Jorge Raffide. superior para consolidação com a A próxima etapa dos traba- viga metálica, execução de canalelhos consiste no içamento da pré tas e montagem do guarda corpo. laje, armação e concretagem da laje

ALMOÇO EM COMEMORAÇÃO ÀS FESTIVIDADES NATALINAS Os Integrantes festejaram a conclusão dos trabalhos de 2012 durante almoço comemorativo ocorrido nos sete lotes da obra,

nos estados de Pernambuco, do Piauí e Ceará. Os colaboradores receberam cesta natalina e um DVD com três filmes sobre a

construção da Ferrovia Transnordestina. A confraternização ocorreu ao som de músicas regionais e com cardápio especial.

“O desenvolvimento do Ser Humano é o ponto de partida e o ponto de chegada de nosso dever de servir”. Tecnologia Empresarial Odebrecht

EXPEDIENTE

Gerência do Projeto: Edison Coelho José Eduardo Quintella Gerência de Engenharia: Lucas Suassuna Gerência de Produção: João Mário Thales

Gerência Administrativa Financeira: Júlio Reis Gerência de Suprimentos e Administração: Bianor Gomes Gerência de SSTMA: Paulo Cintra

Gerência de Comercial: Jorge Batista Gerência de Equipamentos: João Mendonça Comunicação Empresarial: Carlos Pedro – carlospedro@odebrecht.com


Nos Trilhos da Informação ED 03