Issuu on Google+

Jornal da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Março de 2013 | Ano 24 | N° 229 | abccc.com.br

Lições chegam a galope

Crianças e jovens aprendem a lidar com o cavalo aliando técnica e diversão no interior do Rio Grande do Sul Páginas 44 e 45 Classificatórias

Crioulaço

Congresso

Foto Marcel Ávila

Bem-estar

Argentina abre seleção ao Freio

Semifinais começam em março

Prática será destaque na programação

Em clima de comemoração, Buenos Aires sediará a prova que que irá garantir vaga aos primeiros finalistas

Entre os dias 22 e 24, o município gaúcho de Santiago será o primeiro a receber uma disputa da modalidade

Encontro crioulista em Gramado/RS oferecerá atividades demonstrativas e interativas sobre temas da área

Herbívoros, os equinos devem ser aproximados o máximo possível da sua natureza biológica

Página 14

Páginas 31 a 33

Páginas 48 e 49

Página 51

Saúde do animal requer boas pastagens

Opinião

Palavra do Presidente Índice

JÁ SE VIERAM!

O

02. Opinião

grito ouvido nas carreiras de campanha, que corria na cancha mais rápido que os parelheiros, começa a ecoar na América crioulista. Primeiro será Santiago do Boqueirão com seus laçadores. Em seguida Buenos Aires, con los hermanos buscando espacio en la final del Freno. Depois virão o Bocal de Ouro, destapando os inéditos que chegarão bem credenciados, e os pingos “passaporteados” na Outonal. E a seguir Uruguaiana e Bagé com as paleteadas e passaportes, Osório com o laço, e Santa Maria abrindo o ciclo das classificatórias

04. Por dentro da ABCCC 14. Freio de Ouro 26. Morfologia 28. Especial 31. Eventos 44. Geral 55. Gente

regionais ao Freio de Ouro. Daí pra frente, até a Classificatória Aberta de Brasília, um a um irão correndo os ternos das grandes finais que ocorrerão na Expointer. De agora em diante, criadores, ginetes, jurados, dirigentes, somos todos ciganos a viajar atrás de nossos cavalos ou vigilantes internautas atentos a todos os detalhes de cada prova. A caravana do Crioulo vai deixar seu rastro onde passar, um rastro de encontros e amizades, de confirmações e de surpresas e de abraços maiores do que as disputas. Quem classificou na última vaca, quem correu sobran-

do, quem está ouro e fio e quem está virando o fio, nada vai escapar dos olhos dos nossos jurados e de todos os jurados na arquibancada. E se ouvirão os gritos: dááá-lhe fulano, troca o booooi, não tem 10 nesta caixa? E da charla comum virão os favoritos, os que podem chegar e os desacreditados, neste jogo interminável que mexe com a nossa paixão e com a nossa esperança. Que venham então as Classificatórias, que a sorte que acompanha os buenos esteja com todos os concorrentes e que a Raça Crioula imponha, mais uma vez, a marca da sua qualidade.

Este espaço é dedicado para divulgar imagens de criadores em momentos representativos de sua trajetória dentro da raça crioula. As fotos, devidamente identificadas, devem ser enviadas para o e-mail: jornalcavalocrioulo@abcc. com.br

Maria Laura Streit com a potranca Atrevida do Impulso RP 01, filha de Monarca da Sia Dona na Intregante de São Pedro, presente de seu pai Márcio Isidoro Streit.

EXPEDIENTE O Jornal Cavalo Crioulo é uma publicação oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, produzido pelo Setor de Comunicação e Marketing da entidade. Tem periodicidade mensal e tiragem de quatro mil exemplares. Correspondências para o Jornal devem ser encaminhadas para o e-mail jcc@abccc.com.br ou remetidas à ABCCC, Av. Fernando Osório, 1754 A, CEP 96055-000, Pelotas/RS. O fechamento de cada edição ocorre no último dia do mês. ISSN - 2179-7250.

2

Cavalo Crioulo | Março, 2013

Diretoria da ABCCC 2012/2014 Presidente: Mauro Raimundi Ferreira Vice-presidentes: César Augusto Rabassa Hax, Mário Móglia Suñe, Leandro Amaral, José Luiz Lima Laitano e Álvaro Dumoncel Primeiro-secretário: Elisabeth Lemos Segundo-secretário: Jorge Demiate Júnior Primeiro-tesoureiro: Luis Azambuja Segundo-tesoureiro: Onécio Prado Júnior

Amaral

Conselho

Claudir

Fiscal:

Antônio

Rosas Mário Silveira

Weiand, Sandoval Caramori e Fernando Fabrício de Faria Correa. Suplentes: Hernani Taunay Angeli, Luís Augusto Weber e Milton Martins Moraes Filho Conselho Deliberativo Técnico: Mário Móglia Suñe (diretor), Ciro Manuel Canto de Freitas, Luiz Martins Bastos Neto, Rodrigo Fialho, José Ivelton Castagna e José Francisco Pereira de Moura Conselho de Planejamento: Manuel Luis Benevenga Sarmento (presidente), Roberto Sidney Davis Junior, Henrique José de Queiróz Marin Teixeira, Alfredo Lisboa Ribeiro Tellechea e Frederico Wolf

Comissão de Provas Funcionais: Leandro Amaral (diretor), Luis Rodolfo Machado, Eduardo Móglia Suñe Eduardo Azevedo, Jorge Rosas Demiate Júnior, Telmo Raimundi Ferreira, Rafael Geisf Terra, Luiz Augusto Weber, Guilherme Tellechea e João Francisco Silveira Silveira Jornalista responsável: Débora Borba (MTB/RS 11.619) Textos: créditos nas matérias Fotos: crédito nas imagens Projeto gráfico: Sibelle de Medeiros sibelle.cm@gmail.com

Diagramação: Sibelle de Medeiros, Henrique da Roza Peter, Ana Claudia Herrmann Revisão: Rosi Pedroni Weege Impressão: Gráfica Zero Hora Publicidade: anuncios@abccc.com.br ou através do telefone (53) 3284-1450. Envio da arte sempre até o dia 25 do mês que antecede a publicação. Atenção anunciante: a ABCCC não se responsabiliza pelas informações prestadas nas páginas de publicidade, bem como pelas fotos cedidas para a publicação. Elas são de inteira responsabilidade dos anunciantes.

Inscrições: R$ 150,00 até dia 31/01/2013 - R$ 200,00 até dia 15/03/2013

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 3

Mais

I n f o r m a ç õ e s : ( 5 3 ) 3 2 8 4 1 4 5 0 | w w w. a b c c c . c o m . b r | A b r a v e q : ( 1 1 ) 3 0 3 2 7 8 6 8

Por dentro da ABCCC Pelotas/RS

Reunião planeja fomentar a raça no Norte e no Nordeste Hélen Albernaz

Foto Divulgação

A dupla de Crioulos Pura Pinta do Infinito e LS Ouro e Fio foi destaque em duas provas no Piauí

A

4

distância de milhares de quilômetros que separa a região sul do Nordeste do país deixou de ser uma barreira de comunicação para a diretoria da ABCCC. No dia 18 de fevereiro, pela primeira vez, a entidade realizou uma reunião por videoconferência com o criador do Piauí, Marcelo Rodrigues Sérgio, que vem sendo destaque ao disputar provas de Vaquejada com cavalos Crioulos.

mercado e não como algo que compete com o que já existe”, afirma.

Maior criador da raça no estado do Piauí, Sérgio conquistou excelentes resultados com os cavalos Pura Pinta do Infinito e LS Ouro e Fio em duas disputas realizadas recentemente e, com seu relato, transmitiu para os gestores da Associação a sua experiência no cenário equino nordestino. “Não temos que fomentar a disputa de Vaquejada aqui e sim a criação do Crioulo. Temos que mostrar a raça para o criador como um bom novo

A iniciativa de inovar com o uso de videoconferência foi elogiada pelo coordenador da Subcomissão de Vaquejada, Fábio Bellotti Moura, pois, segundo ele, a distância física acaba dificultando a execução e o controle dos projetos da modalidade. “O Marcelo expôs muito bem como aconteceu o primeiro projeto da Vaquejada e nos passou resultados que até então eram desconhecidos”, conta.

Cavalo Crioulo | Março, 2013

Para o vice-presidente de eventos e coordenador da Comissão de Provas Funcionais da ABCCC, Leandro Amaral, a conversa foi um choque de realidade que revelou muitos aspectos ainda desconhecidos pela diretoria. “O contato permitiu que novas ideias fossem debatidas e nos deu subsídios para iniciar um novo projeto de fomento.”

De acordo com Moura, este primeiro contato foi o ponto de partida para dar continuidade ao projeto e planejar a segunda fase na qual serão avaliadas formas de aumentar o número de animais nos estados da região. As premiações específicas para cavalos Crioulos devem ser mantidas, mas o foco principal deve ser voltado para o incremento no volume de animais para tornar expressiva a participação da raça. Além de Amaral e Moura, também estiveram presentes na reunião - realizada na sede da ABCCC - o presidente Mauro Ferreira; o vice-presidente de Comunicação e Marketing, José Luís Laitano; o vice-presidente Técnico, Mário Móglia Suñe; o vice-presidente Administrativo Financeiro, César Hax; e a primeira-secretária da entidade, Elisabeth Lemos.

Serviços on-line aguardam homologação do Ministério

F

alta muito pouco para que o Serviço de Registro Genealógico (SRG) da ABCCC esteja mais próximo do criador. Após aprovação dos associados, a realização de transferências e comunicados de padreações pela internet aguarda apenas a homologação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). De acordo com o gerente geral da ABCCC, Vagner Studzinski, os sistemas estão prontos para entrar em funcionamento, mas como se trata de uma mudança no regulamento do SRG precisa ser aprovado pelo Mapa. “O órgão estava em período de férias, o que acabou atrasando um pouco o prazo”, explica. Assim que estiverem disponíveis, os serviços on-line poderão ser feitos diretamente no site da Associação (www.abccc.com.br) tornando o processo mais acessível e desburocratizado.

Comunicado O Serviço de Registro Genealógico da ABCCC informa que, em razão de atendermos à instrução normativa 17, de 9 agosto de 2012, a qual regulamenta o novo padrão para os exames de DNA, é solicitado aos criadores que, quando da ocasião de visita técnica em sua propriedade, possibilitem que os inspetores possam recoletar as amostras dos garanhões confirmados e das éguas doadoras de embrião. Para os animais que vieram a óbito, existe a possibilidade da reconstrução do DNA através de sua descendência. As despesas com a confecção do novo material, correrão por conta da ABCCC.

Por dentro da ABCCC

Núcleo criado em Porto Alegre promove agenda da raça na capital gaúcha Hélen Albernaz oi de uma conversa entre amigos que compartilham a paixão pelo cavalo Crioulo que nasceu, em outubro de 2012, a ideia de fundar um núcleo de criadores na capital gaúcha, Porto Alegre. O grupo reúne aproximadamente 25 pessoas das mais diversas áreas profissionais que sentiram a necessidade de participar ativamente das provas e dos eventos ligados à raça.

F

tar ainda mais a raça e aumentar o número de apreciadores”, afirma o diretor de exposições James Angeli.

Ao perceber que o projeto repercutiu bem e após trocar informações com pessoas envolvidas na área, os amigos deram início ao trâmite burocrático e, com a fundação aprovada pela diretoria em dezembro, já movimentam a programação crioulista. “Esta nova formação vem para agregar e confraternizar com os demais núcleos. O objetivo é fomen-

As primeiras provas da capital estão agendadas para o início de março, quando devem ocorrer uma Exposição Morfológica, Revisão Coletiva, Palestra Técnica e Concentração de Machos. Para abril está agendado o primeiro Crioulaço do núcleo e para maio estão previstas uma disputa de Freio Jovem e uma Prova de 21 dias.

Segundo ele, a maioria dos sócios do núcleo é residente da Zona Sul de Porto Alegre, região da cidade que - conforme pesquisa do grupo - teria cerca de oito mil animais. “Além disso, temos aqui pelo menos quatro locais com pistas e infraestrutura adequadas”, comenta Angeli.

Veja a nominata da diretoria

Diretoria é eleita em novo formato em Dom Pedrito

O

Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Cypriano Munhoz Filho, de Dom Pedrito/RS, realizou assembleia no dia 19 de fevereiro para eleição da diretoria que coordenará a entidade no biênio 2013/2014. No encontro o presidente, Antônio Carlos Torres Vicente Y Silva, apresentou um novo formato de diretoria no qual é mantida a figura central do presidente e são eleitos vice-presidentes para diversas áreas de atuação, a exemplo do atual organograma diretivo da ABCCC.

A ideia foi aprovada pelos presentes e a nova diretoria já trabalha para a realização da Credenciadora de Inéditos e Exposição Morfológica de Outono que acontecerá no período de 7 a 10 de março, no Parque de Exposições do município. Durante a credenciadora (8/3), acontecerá a segunda edição do leilão Redomão da Paz, que terá a transmissão do C2 Rural. Mais informações sobre este evento pelos telefones (53) 9975-5341 e (53) 8108-1544.

Confira a nova diretoria Presidente: Antônio Carlos Vicente Y Silva Vice-presidente Administrativo/ Financeiro: Alessandro Viera Vice-presidente de Provas Funcionais: Daniel Rossato Costa Vice-presidente de Comunicação e Marketing: Henrique Borges Vice-presidente de Eventos:

Rogério Kummer Vice-presidente Técnico: Filepe Fialho Gomes Secretário: Cícero Mota do Amaral Conselho Fiscal: Frederico Wolf, Cândido de Godoy Dias, José Roberto Pires Weber e Arthur Villamil de Castro

Diretoria do Núcleo de Porto Alegre Presidente: Marcelo Aspis

Diretor de Provas Funcionais Ildo Abreu Menezes Jr

Vice-presidentes 1º João Batista Link Figueira 2º Cláudio Flores de Fraga

Diretor de Provas de Resistência Jocelito Ferreira Lopes Renato Risso Gonçalves

Novos sócios

Secretários 1º Hugo de Vasconcellos Neto 2º Maikel Paiva

Diretor Técnico Antônio Augusto Marques Fernandes

Anastácio Vitória, Joinville/SC

Portão/RS

Elias de Amorim, Itajaí/SC

Paulo Ricardo Crispim, Itajaí/AC

Tesoureiros 1º Cássio Antônio Urrutia Jung 2º Carlos Risse

Diretor de Exposições James Anderson Dias Angeli

Fabiano Armelin Silva, Colombo/ PR

Reginaldo Oliveira Tavares, Esteio/RS

Conselho Fiscal Vanderlei Maurer Evandro Pedroso Paulo César Monteiro Pujol Filho Júlio César Mello Vieira Alexandre Lencina Martins Paulo Roberto Marques Prestes

Fabricio da Cunha Santos, São Sepé/RS

Rogério Ferreira da Costa, Sant’ana do Livramento/RS

Jair Francisco Barz, São Gabriel/RS

Victor Brasil Pacheco, Palmas/PR

Diretores sociais Télio Antinolfi Jr Paulo César Monteiro Pujol Diretor de Divulgação e Marketing Elton Benício Saldanha

Luis Henrique dos Santos,

Willian Guilherme das Chagas, Porto Alegre/RS

Conheça nossos funcionários Para Raquel Brião a vida pessoal e profissional tem andado paralelamente no mesmo ritmo. Colaboradora da ABCCC desde julho de 2009, ela noivou em seguida, depois veio o casamento e em fevereiro de 2012 a gravidez. Agora, cinco meses após o nascimento do menino, ela vive a experiência de ser mãe e voltar para a rotina de trabalho diário. Foi através de uma conhecida que Raquel soube da vaga de estágio na entidade, enviou currículo e foi chamada para trabalhar no setor de eventos. Com pouco mais de 30 dias na entidade ela já foi para Esteio durante

a final do Freio de Ouro na Expointer. Apesar de considerar a experiência interessante, ela lembra que a correria do evento a deixou receosa com o tempo que seria demandado para trabalhar na área. “Eu não tinha disponibilidade para ficar viajando”, conta. Neste meio tempo surgiu uma vaga no Serviço de Registro Genealógico (SRG) e Raquel viu uma oportunidade de permanecer na Associação. “Demonstrei interesse e fui efetivada”, recorda. Atuando no Protocolo de Entrada ela aprendeu muito sobre a raça e considera este conhecimento importante para o que veio em segui-

da. “Sabia como a ABCCC funcionava, mas ali eu tive contato com todos os serviços do registro o que me preparou para atender o público.” Em fevereiro de 2012, duas novidades e mais uma vez o crescimento profissional surgiu com mudanças na vida pessoal. Raquel passou para o Atendimento do SRG e descobriu que seria mãe. “Lidar com o público eu já sabia, pois trabalhei na Cosulati. A maternidade é um novo desafio e agora é preciso conciliar os papéis de mãe, esposa e profissional.”

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 5

Memorial da ABCCC A

ssim como o cavalo Crioulo passa por um novo momento marcado pela expansão da raça que vem ganhando cada vez mais espaço Brasil a fora e pelo mundo, o Jornal Cavalo Crioulo também cresce e vem com um novo formato, moderno e com conteúdo de qualidade. Porém, se hoje temos um presente sólido e uma perspectiva de futuro é porque um dia, no passado, alguém começou esta história e acreditou no cavalo dos pampas. Por isso, lançamos a coluna Mémoria ABCCC que, através da reprodução dos Anais da Associação resgatados no arquivo da entidade, irá valorizar os fatos que há 81 anos vem construindo este caminho de sucesso. Para inaugurar, reproduzimos o texto “A Dôma de Potros na 21ª Exposição-Pastoril de Pelotas”, publicado nas páginas 45, 46 e 47 da edição de julho de 1943. O artigo foi escrito pelo engenheiro Dirceu Pires Terres com dedicatória especial ao seu amigo José A. P. de Magalhães e narra a realização da festa, chamada por ele de “genuinamente crioula”. Os acontecimentos são contados por Terres de forma peculiar que ilustram a cultura do meio crioulista naquela época e marca mais um período importante da raça.

Março, 2013 | Cavalo Crioulo

7

Por dentro da ABCCC Um dos pontos mais importantes na mudança editorial é a criação dos catálogos de resultados. Desta forma as informações estarão organizadas em um único espaço específico e mais claro.

Novo projeto do jornal busca mais identificação com seus leitores Hélen Albernaz

L

ançado há 24 anos, o Jornal Cavalo Crioulo surgiu como um canal de notícias e aos poucos foi ganhando leitores e indo além do simples papel informativo. Hoje, quando passa por mais uma mudança visual e editorial, o veículo pode ser caracterizado como uma ferramenta consolidada de comunicação direta com o criador, proprietário e apreciador da raça.

Mais do que reproduzir os acontecimentos, o JCC tem buscado conversar com o leitor e realizar trocas. Enquanto fornece informações relevantes sobre a raça, também é uma janela de possibilidades para o público que quer contar a sua história, dar a sua opinião ou mesmo mostrar através de imagens a sua ligação com o cavalo Crioulo, ligação esta que é especial de 8

Cavalo Crioulo | Março, 2013

uma forma particular para cada um. E é para adaptar-se a essas particularidades que a publicação ganha uma nova forma, pensada com o objetivo de tornar a leitura cada vez mais agradável e aumentar a identificação com o público. E esta foi a base do trabalho da designer, mestranda em Design – Comunicação, Cultura e Arte, Sibelle de Medeiros, na produção do projeto gráfico. Segundo ela, o desafio de reformular um jornal com a circulação do JCC foi o maior vivido até o momento. “Tive que buscar nas edições antigas o conhecimento necessário sobre o assunto, antes de partir para as referências editoriais da área”, conta. Após três meses de trabalho, chega finalmente à casa do leitor um novo

JCC. Como define a profissional, “mais dinâmico e limpo, aliando a modernidade com o lado tradicional que a cultura crioulista exige”. A primeira grande mudança percebida é no perfil de cores que agora está alinhado com o site da ABCCC, canal que complementa a comunicação com o criador. As editorias já existentes foram mantidas e passaram a ser identificadas com diferentes tons. “Busquei escolher as cores fazendo associações com as provas e as áreas as quais elas se referem. A editoria Freio de Ouro, por exemplo, é amarela. Já na morfologia utilizei o verde fazendo uma referência à natureza do animal”, explica Sibelle. O conteúdo institucional ganhou

um destaque diferenciado ao receber um fundo cinza que chama a atenção no meio do restante das informações. As tabelas também passaram por uma releitura e são apresentadas de forma mais acessível, priorizando a não utilização de linhas que deixam a visualização pesada. Um dos pontos mais importantes na mudança editorial é a criação dos catálogos de resultados. A partir deste momento os vencedores de todas as provas oficiais realizadas no mês anterior estarão reunidos em um local específico para resultados. Ao final de cada uma das editorias Freio de Ouro, Morfologia e Eventos - terá o catálogo específico das modalidades. Desta forma as informações estarão organizadas em um único espaço específico e mais claro.

Por dentro da ABCCC Conheça algumas novidades Com a palavra, quem faz o JCC Equipe nova, projeto novo Em agosto de 2010 o Jornal Cavalo Crioulo entrou em um novo momento, em concordância com a renovação do trabalho de Comunicação e Marketing desenvolvido pela ABCCC. Tive a feliz satisfação de acompanhar esse processo e de integrar a equipe responsável por esta evolução positiva que encerra agora, após vigorar por 30 meses. O projeto gráfico criado por Thiago Rocha possibilitou uma melhor organização do conteúdo, com a determinação de editorias, além de modernizar as páginas, tornando a leitura mais clara e prazerosa. Este formato consolidou uma identidade própria do JCC, que hoje se atualiza e qualifica ainda mais o contato da entidade com os criadores.

As editorias estão identificadas por cores diferentes

Douglas Saraiva, jornalista

Desafio e motivação Após anos trabalhando em veículo de comunicação, entrar para a equipe de uma associação de raça significa mais que uma mudança profissional. Representa a absorção diária de novos conhecimentos e um aprendizado que não tem fim. E começa aí o meu primeiro desafio na ABCCC.

A participação do leitor é destacada com um selo

Cheguei logo no fechamento da edição pré-Expointer, por isso peguei o ritmo alucinado do trabalho que envolve este evento. Com alguns meses de casa, quando começava a dominar um pouco as peculiaridades do cavalo Crioulo, veio o desafio de fazer um novo projeto para o jornal. Como para mim desafio é sinônimo de motivação, baixei a cabeça e junto à equipe de Comunicação e Marketing tenho a satisfação de ver este projeto se concretizar. Nesta primeira edição há ainda novidades como o Memória ABCCC e uma seção de Cruzadinhas. Acompanhe no tutorial ao lado como circular pelo jornal, explore cada página e aproveite as novidades. E, principalmente, não deixe de colaborar na produção do conteúdo enviando críticas, elogios, sugestões e tudo o que for ligado à raça para o nosso e-mail: jcc@abccc. com.br. Se preferir, entre em contato conosco pelo telefone (53) 2384.1493.

O Calendário de Eventos pode ser melhor visualizado

Hélen Albernaz, jornalista

Os resultados estão reunidos em um católogo específico

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 9

Por dentro da ABCCC

Calendário de eventos Março | 2013 8 a10

Abril

Morfologia, Freio Jovem, Credenciadora Inéditos Dom Pedrito/RS

Credenciadora Inéditos

do Proprietário, Credenciadora Inéditos

Guaíba/RS

Revisão Coletiva, Morfologia Incentivo, Campereada

Freio do Proprietário, Credenciadora Inéditos

Credenciadora Inéditos, Movimiento a la Rienda, Freio Jovem, Paleteada Força A

Freio Jovem, Credenciadora Ponta Grossa/PR

15

Viamão/RS

Paleteada - Força A, Credenciadora, Freio Jovem, Morfologia

Palestra Técnica, Revisão Coletiva

Palestra Técnica, Revisão Coletiva, Morfologia, Crioulaço

Palestra Técnica, Crioulaço, Revisão Coletiva

Crioulaço Arroio do Tigre/RS

Pantano Grande/RS

5

6a7

9 e 10

Campereada, Crioulaço

16

Palestra Técnica, Revisão Coletiva

Bom Jesus/RS

Revisão Coletiva

Campereada, Palestra Técnica, Revisão Coletiva, Dia de Campo

Palestra Técnica, Dia de Campo

Rio Pardo/RS

Palestra Técnica, Dia de Campo

Revisão Coletiva

Nova Prata/RS

Vacaria/RS

Freio do Proprietário, Credenciadora Santana do Livramento/RS

Revisão Coletiva, Morfologia, Campereada Rio Grande/RS

10 Cavalo Crioulo | Março, 2013

24

Dia de Campo

Carazinho/RS

17 15 a17

Palestra Técnica, Revisão Coletiva

28

Itaqui/RS

Palestra Técnica, Revisão Coletiva

Morfologia, Palestra Técnica

21e 22

Prova de 21 Dias, Paleteada - Força A

Freio do Proprietário

Revisão Coletiva -

12 a 13

Paleteada - Força A

Morfologia Campo Grande/MS

28

Jaguarão/RS

Santo Angelo/RS

Campereada

7

30

Rosário do Sul/RS

Crioulaço Campo Verde/MT

13

Revisão Coletiva, Palestra Técnica Pinheiro Machado/ RS

Lapa/PR

Dia de Campo, Palestra Técnica -

Morfologia

Lajeado/RS

Bom Jardim da Serra/SC

Morfologia - Santo

Palestra Técnica, Revisão Coletiva

Cristo/RS

15 a 21

Santa Maria/RS

Classificatoria Bocal de Ouro Esteio

Crioulaço Guarapuava/PR

São Lourenço do

Revisão Coletiva

13 a 14

Revisão Coletiva, Palestra Técnica -

Concentração Para Marcha

Revisão Coletiva Pedro Osório/RS

Araranguá/SC

Esteio/RS

Crioulaço

12

Cangucu/RS

Palestra Técnica, Dia de Campo -

29 a 31 Ponta Grossa/PR

Credenciadora Inéditos

Esteio/RS

6

Revisão Coletiva

Uruguaiana/RS

Morfologia, Credenciadora

Londrina/PR

Nova Prata/RS

7a 8

Paleteada - Força A

Balsa Nova/PR

Morfologia, Credenciadora, Crioulaço

Ponta Grossa/PR

Dom Pedrito/RS

Sul/RS

21a 24

Vacaria/RS

Cachoeira Do Sul/RS

Revisão Coletiva, Crioulaço

Arroio Grande/RS

Santa Vitória do Palmar/RS

Santiago/RS

Santa Cruz do Sul/RS

11

Paleteada - Força A

Crioulaço

Tibagi/PR

10

Morfologia, Crioulaço

23 e 24

Vacaria/RS

9

Credenciadora

Lajeado/RS

Santa Vitória do Palmar/RS

Credenciadora, Morfologia, Prova de 21 Dias, Paleteada - Força A, Campereada

Dom Pedrito/RS

22 16 e17

Morfologia, Paleteada - Força A, Prova de 21 Dias Alegrete/RS

Montenegro/RS

Lagoa Vermelha/RS

Dia de Campo, Prova de 21 Dias, Palestra Técnica, Dia de Campo

12 a 14

Prova de 21 Dias, Crioulaço, Morfologia

Santiago/RS

Revisão Coletiva

Montenegro/RS

5a 7

Classificatória Crioulaço

Lajeado/RS

Freio Jovem, Freio do Proprietário, Palestra Técnica, Morfologia Passaporte, Credenciadora de Inéditos, Paleteada – Força A Pelotas/RS

Arroio Grande/RS

Caxias do Sul/RS

8

3a 7

São Gabriel/RS

Santa Rosa/RS

Araranguá/SC

Revisão Coletiva, Palestra Técnica, Movimiento a la Rienda, Campereada

Freio Jovem,

22 a 24 Morfologia, Freio

Paleteada - Força A, Crioulaço, Revisão Coletiva Quarai/RS

11a14 Morfologia,

Paleteada - Força A, Revisão Coletiva Santa Vitoria do Palmar/RS

17 a 18

Morfologia Passaporte Esteio

19 a 22

Morfologia, Campereada, Paleteada – Força A Santa Maria/RS

Por dentro da ABCCC Alegrete/ RS

Integração pioneira na campanha do RS

Douglas Saraiva

Foto Keke Barcelos

Primeiro núcleo da ABCCC passou por inúmeros desafios iniciais e atualmente é considerado importante referência para criadores da região

F

oi durante a primavera de 1981 que um grupo de pecuaristas da campanha gaúcha, reunido em uma pequena casinha de tábua nos fundos do parque do Sindicato Rural, tomou uma decisão pioneira que pouco tempo depois seria reconhecida como inovadora. Era outubro daquele ano quando os crioulistas de Alegrete, no sudoeste do Estado, fundaram no município o primeiro Núcleo de Criadores da raça no país e estabeleceram um marco na organização de eventos, difusão e promoção do animal, além da mobilização de criadores. No começo, segundo contam os próprios sócios-fundadores, a iniciativa gerou uma série de dúvidas e inclusive contestações. A própria ABCCC não entendeu a proposta dos alegretenses achando que a unidade confrontaria a já constituída Associação. Mas, pelo contrário, a intenção era fortalecer ainda mais a relação dos criadores com a entidade, integrá-los e, através da mobilização, ampliar o mercado da raça.

12 Cavalo Crioulo | Março, 2013

“Não queríamos só engordar cavalo para desfilar. Queríamos fazer negócios, realizar mais leilões e pensamos que com o estabelecimento do Núcleo teríamos melhores condições de nos organizar e promover eventos que dariam maior visibilidade ao nosso cavalo e ao mesmo tempo iriam integrar mais os criadores”, lembra Alberto Pinheiro Machado Prates, o Laco, primeiro presidente do Núcleo. Junto de Laco, Ciro Manoel, José Inácio (Aca), Sérgio Nogueira de Oliveira, Miguel Schmidt Neto, Abílio Nogueira de Oliveira, Manoel Falcão da Cunha, Antonino Souza Dornelles, Miguel Angelo Dariano, entre outros, foram os precursores dessa ideia que logo em seguida motivou grupos de crioulistas de outras localidades e incentivou a criação de outras unidades semelhantes. A partir daí, não demorou até a realização dos primeiros eventos. Na primeira exposição de outono, apesar da quantidade de convites enviados a vários criadores do Estado, ninguém de fora apareceu. A mostra foi salva

pelas cabanhas da cidade que, com suas extensas manadas, garantiram o sucesso do julgamento, que tinha categorias diferentes como o Melhor Potro Mamão. Outro destaque foi o “Freio de Lata”, a versão alegretense da famosa seletiva, organizada antes da realização de credenciadoras no município. A primeira edição, julgada pelo coronel Bayard Jacques e por Victor Esevich, ainda é lembrada com entusiasmo por todos que acompanharam a disputa. Mais tarde, no início dos anos 90, o Núcleo também foi pioneiro na realização da primeira Marcha de Resistência oficial, com percurso de 750 quilômetros. O evento reuniu os presidentes das associações do Brasil, do Uruguai e da Argentina, na ocasião em que se esboçou o primeiro regulamento da Marcha da FICCC. Nessa mesma época, junto com as provas, notabilizaram-se também os remates realizados na cidade, comercializando éguas de expressiva qualidade e arrecadando signifi-

cativas médias. Ao mesmo passo, os Núcleos ganhavam força e surgiam os primeiros coordenadores regionais indicados pela ABCCC. A pedido dos criadores, esses coordenadores passaram a ser os presidentes dos Núcleos o que garantia voz mais ativa dentro da Associação. Graças ao esforço inicial destes criadores, hoje a unidade possui uma belíssima sede e o parque do município dispõe de estrutura completa e qualificada para receber provas de alto nível. O município é reconhecido como importante polo de criadores, com cabanhas de sucesso e resultados comprovados e reconhecidas no universo Crioulo. De acordo com o atual presidente, Vinícius Freitas, o Núcleo de Alegrete conta com cerca de 70 colaboradores bastante ativos e promove um calendário anual de eventos. Neste ciclo, inclusive, já estão agendadas para os dias 12, 13 e 14 de abril uma Exposição Morfológica, Concentração de Machos, Prova de 21 Dias e Paleteada.

NA

QUINTA DO BOCAL

PERGAMINHO AA Melhor Exemplar da Raça da Expointer 2003. Bocal de Ouro e Freio de Bronze/2006. Reprodutor mais jovem a entrar no Registro de Mérito da ABCCC. 77 filhos premiados no Registro de Mérito. Pai do atual Freio de Prata, Abre Cancha da Onicron, maior média funcional do Freio de Ouro/2012. Pai de Confiança do Passo Fundo, Melhor Exemplar da Raça da Expointer/2009. Pai de Urtiga do Macanudo, Melhor Exemplar da Raça em Bagé/2006, Bi-campeã Égua com Cria em Bagé/2011 e 2012. Pai de Zambito do Macanudo, finalista do Freio de Ouro. Pai de Brahma Extra do Macanudo e avô de Cumparcita do Macanudo, multicampeãs.

VENDA DE DUAS COTAS DE 5%! LEILOEIRA

PROJETO GRÁFICO

TRANSMISSÃO

Pista J - Esteio 18 de abril 21h Março, 2013 | Cavalo Crioulo 13

Freio de Ouro Calendário de Seletivas - Ciclo 2013

Classificatórias 2013 começam com festa em Buenos Aires

Bocal de Ouro Esteio/ RS

Hélen Albernaz Foto Felipe Ulbrich

15 a 21/4/2013

Todos os inéditos credenciados REGIÃO 01 - Rio Grande/ RS

17 a 19/5/2013

Arroio Grande 19 a 21/10/2012 Piratini (inéditos) 1º a 2/12/2012 Herval do Sul (inéditos) 2 a 3/2/2013 Santa Vitória do Palmar (inéditos) 22 a 23/2/2013 São Lourenço do Sul (inéditos e aberta) 28/2 a 3/3/2013 Arroio Grande (inéditos) 22 a 24/3/2013 Pelotas (inéditos) 5 a 7/4/2013 Canguçu 26 a 28/4/2013

REGIÃO 02 - Santa Maria/ RS

10 a 12/5/2013

São Sepé Santa Maria (inéditos) Lavras do Sul Dom Pedrito (inéditos) Cachoeira do Sul

19 a 21/10/2012 30/11 a 1/12/2012 1° a 3/2/2013 9 a 10/3/2013 5 a 07/4/2013

REGIÃO 03 - São Borja/ RS

06 a 9/6/2013

São Borja 11 a 13/10/2012 Alegrete (inéditos) 16 a 18/11/2012 Uruguaiana (inéditos) 1° a 3/3/2013 Santana do Livramento 15 a 17/3/2013 Santa Rosa 15 a 17/3/2013 Itaqui 12 a 14/4/2013

REGIÃO 04 - Em análise

20 a 23/6/2013

Júlio de Castilhos 13 a 14/10/2012 Ijuí 13 a 14/10/2012 Vacaria (inéditos) 19 a 21/10/2012 Cruz Alta (inéditos) 27 a 28/10/2012 Lagoa Vermelha 8 a 11/11/2012 Carazinho (inéditos) 8 a 9/12/2012 Nonoai 22 a 23/2/2013 Vacaria 14 a 14/4/2013 Passo Fundo 16 a 18/5/2013

Evento é tradicionalmente realizado no Parque de Exposições La Rural, em Buenos Aires

A

primeira classificatória ao Freio de Ouro 2013 marcará também o início das comemorações dos 90 anos da Asociación de Criadores de Caballos Criolos (ACCC) da Argentina, país sede da prova que acontecerá de 20 a 23 de março, no Parque de Exposições La Rural, no bairro de Palermo, em Buenos Aires. O evento, tradicionalmente realizado no mês de abril, este ano foi adiantado para o penúltimo final de semana de março para coincidir com a festa de aniversário da instituição que acontecerá na noite de sábado (23), no Predio Ferial do Parque. De acordo com a Asociación, a exposição de Outono foi escolhida para abrir a programação comemorativa por ser uma ocasião em que a família crioulista estará reunida compartilhando as disputas da raça.

14 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Freio de Ouro A classificatória argentina abre o calendário de disputas pelas vagas do Freio de Ouro e segue as mesmas regras das demais etapas. Na prova, os participantes poderão garantir oito vagas, sendo quatro fêmeas e quatro machos, na grande final de Esteio. Para isso é necessário obter pelo menos 18 de nota final. No total serão dez seletivas para o Freio, sendo que a segunda é o Bocal de Ouro, que ocorrerá no Parque Assis Brasil, em Esteio, entre os dias 15 e 21 de abril. Em maio as cidades gaúchas de Rio Grande e Santa Maria sediarão as disputas das regiões 1 e 2. Junho será a vez das regiões 3, 4, 5, 6 e 7 e para julho está programada a Repescagem, última chance dos competidores garantirem espaço na maior prova da raça. Veja ao lado o calendário completo das etapas credenciadoras e classificatórias.

REGIÃO 05 - Chapecó/ SC

27 a 30/6/2013

Lages Chapecó Araranguá (inéditos) Campo Alegre Joinville São José

19 a 20/10/2012 27 a 28/10/2012 8 a 10/3/2013 25 a 28/4/2013 24 a 26/5/2013 5 a 6/6/2013

REGIÃO 06 - Camaquã/ RS

13 a 16/6/2013

Esteio (inéditos) 16 a 18/11/2012 Arambaré (inéditos) 22 a 24/11/2012 Camaquã 18 a 20/1/2013 Caxias do Sul 15 a 17/3/2013 Guaíba (inéditos) 15 a 17/3/2013 Esteio 21 a 22/3/2013 Santa Cruz do Sul 27 a 28/4/2013 Soledade 2 a 5/5/2013

REGIÃO 07 - Em Análise

31/5 a 2/6/2013

Ponta Grossa (inéditos) Pato Branco Ponta Grossa Balsa Nova

11 a 14/10/2012 17 a 18/11/2012 15 a 17/3/2013 21 a 24/3/2013

11 a 14/7/2013 Respecagem- Esteio/ RS Credenciados com mais de 18 pontos Repescagem Aberta- Brasília/DF

25 a 28/7/2013

Brasìlia/DF* Cordeiro/RJ* Papucaia/RJ*

11 a 12/10/2012 7 a 9/12/2012 2 a 5/5/2013

Todos os credenciados

Região 08- Montevidéo/ROU

23 a 26/5/2013

Pando/ROU

14 a 16/9/2012

Região 08- Buenos Aires

19 a 24/3/2013

Lujan/ARG Pellegrini/ARG

21 a 23/9/2012 25 a 28/10/2012

* Além de estarem aptos a participar na sua região, os animais credenciados têm o direito de participar de outra classificatória, em região escolhida pelos proprietários.

Marรงo, 2013 | Cavalo Crioulo 15

16 Cavalo Crioulo | Marรงo, 2013

Freio de Ouro

Catálogo de Resultados Lavras do Sul/ RS

1º a 3 de fevereiro Sindicato Rural de Lavras do Sul Técnico: Luiz Francisco de Quadros Leite Jurados: Ciro Manoel Freitas, Lauro Martins e Martin de la Peña

Fêmeas Fotos Mauro Ferreira

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Astra JB de Palermo, filha de CRT Guapo e Peleia JB de Palermo;criador Otto Jayme Beckert e expositor Tiago Henrique Wandscheer, Cabanha FTW, Campo Largo/PR

BT Vergamota II, filha de BT Jade e BT Lentilha; criador Flavio Bastos Tellechea e expositor Sucessão Flávio Bastos Tellechea, Cabanha Paineiras, Uruguaiana/RS

Quilero Que Suerte, filha de Pozo Azul Deslinde e Quilero Katiuska; criador e expositor Eduardo Móglia Suñe, Cabanha Quilero, Bagé/RS

TJ Valsa, filha de Santa Elba Cogollo e TJ Olho D’Agua; criador Telmo Motta Júnior e expositor Icaro Missau de Castro, Agropecuária Quatro Ventos, Tupanciretã/RS

Ginete: Cézar Augusto Schell Freire Nota: 18,447

Ginete: Márcio Maciel Nota: 18,281

Ginete: José Fonseca Macedo Nota: 17,883

Ginete: Joacir da Silva Nota: 17,629

Machos

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Campana Reboliço, filho de Campana Guasquero e Campana Maestra; criador Mário Móglia Suñe e expositor Dennis Sfair Silveira, Cabanha Sabiendas e CT Raul Lima, Porto Alegre/RS

Netuno da São Salvador, filho de BT Faceiro do Junco e Xuxa da Talera; criador Roberta Nogueira Teixeira e expositor Condominio Netuno, CT Zeca Macedo, Rio Grande/RS

JI Dom Quixote, filho de Santa Elba Señuelo e BT Danesa; criador e expositor Inês Nicoloso de Castro, Estância Santa Inês, Bagé/RS

Quebrado Chico, filho de Cotizado Chico e Malpica Chico; criador Manuel Rossel Sarmento e expositor Cabanha Dona Albertina, Cabanha Dona Albertina, Rio de Janeiro/RJ

Ginete: Raul Lima Nota: 19,777

Ginete: José Fonseca Macedo Nota: 19,531

Ginete: Felipe Silveira Nota: 18,552

Ginete: Cézar Augusto S. Freire Nota: 18,206

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 17

Freio de Ouro

Catálogo de Resultados Herval do Sul/RS

1º a 3 de fevereiro Sindicato Rural de Herval Técnico: Cláudio Neto de Azevedo Jurados: Glauco Xavier, João Manoel Cordeiro Costa e Vitélio Rigão

Fêmeas Fotos Nivea Oliveira

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Comparça do Rebuliço, filha de BT Lucero e Paineira do Juncal; criador e expositor César Augusto Rabassa Hax, Cabanha Rebuliço, Pelotas/RS

Fortuna do Recanto Crioulo, filha de Tordilho do Junco e Carqueja da Fascinação; criador Darlei Hess e expositor Adelmo Hess, Estância Três Coxilhas, Barra Velha/SC

Três Pontas Mercedita, filha de Chicão de Santa Odessa e Dotada do Itapororó; criador e expositor Luiz Mierczynski Neto, Cabanha Três Pontas, São Jerônimo/RS

Vincha Colorada da Granja, filha de Destaque de Santa Adriana e Guapa da Granja; criador Ricardo Rocha e Anna Theresa Rodrigues, Estância Santo Antônio, Jaguarão/RS

Ginete: Lindor Collares Luiz Nota: 18,173

Ginete: Pedro Móglia Nota: 17,381

Ginete: Júlio Cesar Hax Nota: 19,095

Ginete: Darlei Hess Nota: 18,924

Machos

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Gardelon de Los Alamos, filho de SBT Custódio e Canción de Los Álamos; criador Isabella Tagliari Gerhardt e expositor Condominio Gardelon, Cabanhas Turra, Santa Luzia e Los Alamos, Marau, Nonoai e Passo Fundo/RS

PF General Ganadero, filho de Ganadero da Harmonia e Araguana Itaimbé; criador e expositor Manuel Francisco Ferro, Cabanha São Francisco, Pelotas/RS

Sendero Estribo, filho de San Manuel de La Punta Fiestero e On Sata Tate Quieta; criador Jader Luís Piccin e expositor Antonio Silva e Machado, Criadero Picumã, Passo Fundo/RS

BT Ungido II, filho de BT Delantero e BT Trigueira; criador Flávio Bastos Tellechea e expositor Dari Hartwig s Suc. Flavio Bastos Tellechea, Cabanha Aliança, Pelotas e Uruguaiana/RS

Ginete: Maurício Idiart Nota: 19,584

Ginete: André Lopes Nota: 18,255

Ginete: Felipe Lemos Martins Nota: 18,031

Ginete: Charles Fagundes Nota: 19,750

18 Cavalo Crioulo | Março, 2013

HAS

ÃO CABAN

IVULGAÇ

FOTOS: D

• A L V O ROCO DO INFINITO•BALADA DO INFINITO•BELADONA DO INFINITO•BOLERO DO INFINITO•BUENACHO DO INFINITO•BUENASUERTE DO INFINITO•BUTIÁ DO INFINITO•CHINOCA DO INFINITO•CÔNSUELO DO INFINITO•CORINGA DO INFINITO•DALI DO INFINITO•DESPUES DO INFINITO•DOM SILVERIO DO INFINITO•DOMINÓ DO INFINITO•VDON QUIXOTE DO INFINITO•DONA BENTA DO INFINITO•EL GRECO DO INFINITO•ENLUARADA DO INFINITO•FANTASIA DO INFINITO•FAVORITA DO INFINITO•FEITICEIRA DO INFINITO•FEITOR DO INFINITO•FIEL DO INFINITO•FILOMENA DO INFINITO•FOFURA DO INFINITO•FUMAÇA DO INFINITO•FURTA COR DO INFINITO•GERÔNIMO DO INFINITO•GUADALUPE DO INFINITO•GUAJIRO DO INFINITO•GUAPO DO INFINITO•GUERREIRO DO INFINITO•GUITARRA DO INFINITO•GUSTOSA DO INFINITO•HIERRO DO INFINITO•HUILLA DO INFINITO•IAGO DO INFINITO•ÍCARO DO INFINITO•IDIOMA DO INFINITO•IEMANJÁ DO INFINITO•ILUSTRE DO INFINITO•IMEDIATO DO INFINITO•IMIGRANTE DO INFINITO•ÍNDIO VEIO DO INFINITO•INESITA DO INFINITO•INFINITO DO INFINITO•INSTINTO DO INFINITO•INVERNO DO INFINITO•IRONIA DO INFINITO•ITALIANA DO INFINITO•JABOTI DO INFINITO•JACOMO DO INFINITO•JADE DO INFINITO•JAGUAR DO INFINITO•JAGUNÇO DO INFINITO•JALAPEÑO DO INFINITO•JANGO DO INFINITO•JASPE DO INFINITO•JEREZ DO INFINITO•JOÃO DE BARRO DO INFINITO•JOCASTA DO INFINITO•JUEGO DO INFINITO•JUNCO DO INFINITO•JUNO DO INFINITO•JUPUA DO INFINITO•JUPUÁ DO INFINITO•JUQUIRI DO INFINITO•JURADO DO INFINITO•JUSTICEIRO DO INFINITO•JUVENAL DO INFINITO•JUVÊNCIO DO INFINITO•LA BAMBA DO INFINITO•LAGUNERO DO INFINITO•LANCELOT DO INFINITO•LEVANTE DO INFINITO•LIBERTAD DO INFINITO•LIBERTINO DO INFINITO•LINDAZO DO INFINITO•LUGANO •DO INFINITO•LUNAREJO DO INFINITO•LUZ DEL FUEGO DO INFINITO•MALACUECO DO INFINITO•MALAPARTE DO INFINITO•MANDACHUVA DO INFINITO•MANO JUCA DO INFINITO•MANOTAÇO DO INFINITO•MANOTÇO DO INFINITO•MARTIN FIERRO DO INFINITO•MATE AMARGO DO INFINITO•MISTURA FINA DO INFINITO•MOICANO DO INFINITO•MULATO DO INFINITO•ÑACHI DO INFINITO•NAIPE DO INFINITO•NAMORADA DO INFINITO•NANO MALDITO DO INFINITO•NEBLINA DO INFINITO•NEGRA ESA DO INFINITO•NEM TE CONTO DO INFINITO•NIÁGUA DO INFINITO•NICASIA DO INFINITO•NICOLITA DO INFINITO•NICOTINA DO INFINITO•NIPAS DO INFINITO•NO ME DIGAS DO INFINITO•NO ME TOQUES DO INFINITO•NUVENCITA DO INFINITO•OAIANA DO INFINITO•OCALERA DO INFINITO•OCASION DO INFINITO•OFERENDA DO INFINITO•OLHO GRANDE DO INFINITO•OLIMPO DO INFINITO•ON RICA DO INFINITO•ONCE ONCE DO INFINITO•ONTONTE DO INFINITO•OPA TCHE DO INFINITO•OPA TCHÊ DO INFINITO•OPERÁRIO DO INFINITO•ORIENTAL DO INFINITO•ORO Y RIENDA DO INFINITO•ORTEGA DO INFINITO•OTELO DO INFINITO•PACO DO INFINITO•PALLAICO DO INFINITO•PANTALLITA DO INFINITO•PEOR ES NA DO INFINITO•PERDIGUEIRO DO INFINITO•PIAZITA DO INFINITO•PICAFLOR DO INFINITO•PICARESCA DO INFINITO•PICUMà DO INFINITO•PISCO DO INFINITO•POLPAICO DO INFINITO•PRESUMIDA DO INFINITO•PUEBLO DO INFINITO•PURA PINTA DO INFINITO•PURÍSSIMA DO INFINITO•QUATRILLO DO INFINITO•QUELLAYCITO DO INFINITO•QÜERA DO INFINITO•QUILLERO DO INFINITO•QUINCHA DO INFINITO•QUINCHAMALO DO INFINITO•QÜINCHAO DO INFINITO•RAPTOR DO INFINITO•RASCUCHO DO INFINITO•RICO TIPO DO INFINITO•RÓTULO DO INFINITO•RUMBEADOR DO INFINITO•SOLERA DO INFINITO•BUENACHO DO INFINITO•CÔNSUELO DO INFINITO•DALI DO INFINITO•DOM SILVERIO DO INFINITO•DON QUIXOTE DO INFINITO•ERVA-MATE DO INFINITO•FANTASIA DO INFINITO•FAVORITA DO INFINITO•FEITOR DO INFINITO•FINA FLOR DO INFINITO•FLORIDA DO INFINITO•FLORISBELA DO INFINITO•FURTA COR DO INFINITO•GANAME ITAPORORÓ DO INFINITO•GRACIAS VIEJO DO INFINITO•GUADALUPE DO INFINITO•GUERREIRO DO INFINITO•GUSTOSA DO INFINITO•HEAVEN DO INFINITO•HERÓICA DO INFINITO•HIGUERA DO INFINITO•IDIOMA DO INFINITO•IEMANJÁ DO INFINITO•ÍNDIA DO INFINITO•INESITA DO INFINITO•INFINITO DO INFINITO•INSTINTO DO INFINITO•IRMà DO INFINITO•IRONIA DO INFINITO•JABOTI DO INFINITO•JADE DO INFINITO•JAGUNÇO DO INFINITO•JANDAIA DO INFINITO•JANGO DO INFINITO•JAVA DO INFINITO•JEREZ DO INFINITO•JOÃO DE BARRO DO INFINITO•JOCASTA DO INFINITO•JUBILADO DO INFINITO•JUNCO DO INFINITO•JURADO DO INFINITO•JUVÊNCIO DO INFINITO•LA CUMPARSITA DO INFINITO•LA INVERNADA DO INFINITO•LAGUNERO DO INFINITO•LATIFA DO INFINITO•LEVANTE DO INFINITO•LINDAZO DO INFINITO•LOTUS DO INFINITO•LUA DO INFINITO•LUGANO DO INFINITO•LUNAREJO DO INFINITO•MÃE DA LUA DO INFINITO•MALAGUEÑA DO INFINITO•MANOTAÇO DO INFINITO•MARIA FACEIRA DO INFINITO•MATA-SETE DO INFINITO•MESSALINA DO INFINITO•MORGANA DO INFINITO•NAIPE DO INFINITO•NAJITA DO INFINITO•NAMORADA DO INFINITO•NANO MALDITO DO INFINITO•NICOLITA DO INFINITO•NICOTINA DO INFINITO•NINFETA DO INFINITO•NISPERO DO INFINITO•NUVENCITA DO INFINITO•OBSTINADO DO INFINITO•OCALA DO INFINITO•OLEO SANTO DO INFINITO•OLHO DE GATA DO INFINITO•OQUASSA DO INFINITO•ORA VEJA DO INFINITO•ORDENANÇA DO INFINITO•ORINQUE DO INFINITO•ORO Y RIENDA DO INFINITO•ORTEGA DO INFINITO•OXALÁ •DO INFINITO•PALLAICO DO INFINITO•PALMIRA DO INFINITO•PANGUEPULLE DO INFINITO•PANTALLITA DO INFINITO•PAQUELLORES DO INFINITO•PAYSANITA DO INFINITO•PEOR ES NA DO INFINITO•PERDIDA DO INFINITO•PICAFLOR DO INFINITO•PICUMà DO INFINITO•PIRRINCHA DO INFINITO•PISCO DO INFINITO•PRADERA DO INFINITO•PRESUMIDA DO INFINITO•PUCHAURA DO INFINITO•PUEBLO DO INFINITO•PURÍSSIMA DO INFINITO•QUE AMOR DO INFINITO•QUE NEGRO DO INFINITO•QUE PINTA DO INFINITO•QUEBRANTO DO INFINITO•QUEMAYCITA DO INFINITO•QUICIO DO INFINITO•QÜINCHAMALO DO INFINITO•RAINHA DO INFINITO•RASCUCHO DO INFINITO•REGUERA DO INFINITO•RESERVA DO INFINITO•RESPEITOSA DO INFINITO•RETOCADA DO INFINITO•RETOQUE DO INFINITO•RIVAL DO INFINITO •ROSQUERA DO INFINITO•SALTIMBOCA DO INFINITO•SANCION DO INFINITO•SARACURA DO INFINITO•SARAMAGO DO INFINITO•SAUDADE DO INFINITO•SEDICIOSA DO INFINITO•SERENATA DO INFINITO•SEVERISSIMA DO INFINITO•SOLERA DO INFINITO•SOLITA DO INFINITO•SORTILÉGIO DO INFINITO•TCHÊ LOCO DO INFINITO•ULEMÁ DO INFINITO•BUTIÁ ALASCA•BUTIÁ AMANDITA•BUTIÁ ARUNCO•BUTIA ENIGMA•BUTIA ESQUILO•BUTIÁ FALCÃO•BUTIÁ FICÇÃO•BUTIA GUARANI•BUTIÁ GUARANI•BUTIA HABADE•BUTIÁ HAPOLLO•BUTIA HARAGANO•BUTIÁ HARAGANO•BUTIÁ HEBREU•BUTIA HEMUS•BUTIA HIPER•BUTIÁ HIPER•BUTIA IBIARA•BUTIÁ IGUAÇÚ•BUTIA ITA•BUTIÁ ITAIPU•BUTIÁ ITAJARA•BUTIA ITAPEVA•BUTIA ITAU•BUTIA JAGUAR•BUTIÁ JAGUAR•BUTIA JALISCO•BUTIA JAQUELINE•BUTIA JATOBA•BUTIÁ JATOBA•BUTIA JUCA•BUTIA JURERE•BUTIA KADET•BUTIA KAIENE•BUTIÁ KAIENE•BUTIÁ KALIL•BUTIA KAMIL•BUTIA KAROL•BUTIA KAROLA•BUTIA KAROMA•BUTIA KENTUCKY•BUTIÁ KENTUCKY•BUTIA KID•BUTIÁ KITA•BUTIÁ LAÇADOR•BUTIA LAGOSTA•BUTIA LAITANO•BUTIA LAMPARINA•BUTIÁ LATINO•BUTIÁ LEISER•BUTIÁ LENDA•BUTIA LEOPARDO•BUTIA LIANA•BUTIA LIBERDADE•BUTIÁ LILA•BUTIÁ LUA DE MEL•BUTIA LUIZA•BUTIÁ LUIZA•BUTIA LUMA•BUTIÁ LUMA•BUTIA MARILIA•BUTIÁ MARISTELA•BUTIÁ MEIA-CANHA•BUTIA NAGAN•BUTIÁ NANBU•BUTIA NEGRO•BUTIÁ NEGRO•BUTIÁ NEVADA•BUTIÁ NHAMPURÊ•BUTIÁ NHANDÚ•BUTIÁ ODALISCA•BUTIÁ OGUM•BUTIÁ OLIMPICA•BUTIÁ OLODUM•BUTIÁ OMEGA•BUTIÁ ONASSIS•BUTIÁ ÔÔÔ DE CASA•BUTIA OPIUM•BUTIÁ ORCA•BUTIÁ ORELHANO•BUTIA ORIXA•BUTIÁ ORIXÁ•BUTIÁ PABLO•BUTIÁ PAJERO•BUTIÁ PANTANEIRO•BUTIÁ PAPA-LÉGUAS•BUTIÁ PEÃO•BUTIÁ PÉGASO•BUTIÁ PIÃO•BUTIÁ PICÃO•BUTIÁ PRESIDENTE•BUTIÁ PROFETA•BUTIÁ PUMA•BUTIÁ QUANTUM•BUTIÁ QUARTZO•BUTIÁ QUEBEC•BUTIA QUEBRACHO•BUTIÁ QUENTÃO•BUTIÁ QUERÊNCIA•BUTIÁ QUERMECE•BUTIÁ QUERO-QUERO•BUTIÁ QUEROSENE•BUTIÁ QUILATE•BUTIA QUINCAS•BUTIÁ QUINCAS•BUTIÁ QUITANDA•BUTIÁ RAMBO•BUTIÁ RAPSÓDIA•BUTIÁ RESTINGA•BUTIÁ RIGOR•BUTIÁ RIO VERDE•BUTIÁ RODEO•BUTIÁ SEGREDO•BUTIÁ SERRANO•BUTIÁ SINFONIA•BUTIÁ SONATA•BUTIÁ SONHADOR•BUTIÁ TALISMÕBUTIÁ TAPIR•BUTIÁ TEIMOSIA•BUTIÁ TIMBAÚVA•BUTIÁ TRAPÉZIO•BUTIÁ TROPEIRO•BUTIA TUCANO•BUTIÁ TUCANO•BUTIÁ UAÇAÍ•BUTIÁ UBATÕBUTIA UDINESE•BUTIÁ UDINESE•BUTIÁ UFANO•BUTIA UIRAPURU•BUTIÁ UNIÃO•BUTIÁ ÚNICA•BUTIÁ ÚNICO•BUTIÁ UNIVERSAL•BUTIÁ UNIVERSO•BUTIÁ URAÇU•BUTIÁ URUGUAIANA•BUTIÁ URUGUIANA•BUTIÁ URUPÉ•BUTIÁ VENENO•BUTIÁ VENENOSA•BUTIÁ VENTANIA•BUTIÁ VENTO NORTE•BUTIÁ VEREDITO•BUTIÁ VINHO TINTO•BUTIÁ VIOLENTO•BUTIÁ VIRAMUNDO•BUTIÁ VOADOR���BUTIÁ WAGNER•BUTIA WAIKIKI•BUTIÁ WALTER•BUTIÁ WHITE HORSE•BUTIÁ XAPOLIM•BUTIA XERIFE•BUTIÁ XERIFE•BUTIÁ XIMANGO•BUTIÁ XINGÚ•BUTIÁ XUXA•BUTIÁ ZEPPELIN•BUTIÁ ZIPPO•BUTIÁ ZEBRA•BUTIÁ ALASCA•BUTIÁ AMANDITA•BUTIÁ ARUNCO•BUTIÁ BATUTA•BUTIÁ BERTAX•BUTIÁ CEREJA•BUTIA CHACAL•BUTIÁ DONGA•BUTIA EMIGRANTE•BUTIA ENIGMA•BUTIÁ ENTONADO•BUTIA ESPORA•BUTIA ESQUILO•BUTIÁ FACEIRA•BUTIÁ FALCÃO•BUTIA FARAÓ•BUTIÁ FICÇÃO•BUTIÁ GARÇA•BUTIA HAIFA•BUTIA HARPA•BUTIÁ HEBREU•BUTIÁ HETÁRIA•BUTIA IBIARA•BUTIA IEMANJA•BUTIÁ IGUAÇÚ•BUTIÁ ITAJARA•BUTIA JAGUAR•BUTIA JAMBO•BUTIA JANAINA•BUTIA JAQUELINE•BUTIA JATOBA•BUTIA JURERE•BUTIA KAIENE•BUTIA KAMIL•BUTIÁ KAMIL•BUTIA KAMILE•BUTIA KAROL•BUTIÁ KENTUCKY•BUTIA KID•BUTIÁ KITA•BUTIA LAGARTIXA•BUTIÁ LARISSA•BUTIÁ LATINO•BUTIA LEISER•BUTIÁ LILA•BUTIÁ LUA DE MEL•BUTIÁ LUA NOVA•BUTIA LUIZA•BUTIA MARILIA•BUTIÁ MATREIRA•BUTIÁ NAJA•BUTIÁ NEVADA•BUTIÁ NHANDÚ•BUTIÁ NIAGARA•BUTIÁ OARIANA•BUTIÁ OGUM•BUTIÁ OLIMPICA•BUTIÁ OLODUM•BUTIÁ ONASSIS•BUTIÁ ÓPERA•BUTIA ORELHANO•BUTIÁ ORELHANO•BUTIÁ ORIXÁ•BUTIÁ PANTANEIRO•BUTIÁ PANTERA•BUTIÁ PAPILLON•BUTIÁ PEÃO•BUTIÁ PÉGASO•BUTIÁ PIONEIRO•BUTIÁ PRESIDENTE•BUTIÁ QUAIPÕBUTIÁ QUEBEC•BUTIÁ QUEEN•BUTIÁ QUERIDA•BUTIÁ QUERMECE•BUTIÁ QUERO-QUERO•BUTIÁ QUIRELA•BUTIÁ RIO VERDE•BUTIÁ RIVERA•BUTIÁ SATURNO•BUTIÁ SEGREDO•BUTIÁ SERENATA•BUTIÁ SINFONIA•BUTIÁ SONATA•BUTIÁ TANGARÁ•BUTIÁ TANGO•BUTIÁ TAPERA•BUTIÁ TEIMOSIA•BUTIÁ TENTAÇÃO•BUTIÁ TIGRE•BUTIÁ TIMBAÚVA•BUTIÁ TORPEDO•BUTIÁ TRAPÉZIO•BUTIÁ TRAPICHE•BUTIÁ TROPEIRO•BUTIÁ UBATÕBUTIÁ UDINESE•BUTIÁ (43) 3373 7077 UFANO•BUTIÁ UIRAPURU•BUTIÁ UMAUÁ•BUTIÁ UMBAMBA•BUTIÁ UMBUIA•BUTIÁ UNIÃO•BUTIÁ ÚNICA•BUTIÁ ÚNICO•BUTIÁ UNIVERSAL•BUTIÁ UNIVERSO•BUTIÁ URAÇU•BUTIÁ URUÇU•BUTIÁ URUGUAIANA•BUTIÁ www.programaleiloes.com URUPÉ•BUTIÁ UTRILLO•BUTIÁ VAGA-LUME•BUTIÁ VALE VERMELHO•BUTIÁ VALQUÍRIA•BUTIÁ VAMPIRO•BUTIÁ VEM E VOLTA•BUTIÁ VENENO•BUTIÁ VENENOSA•BUTIÁ VENTANIA•BUTIÁ VESPA•BUTIÁ VINHO TINTO•BUTIÁ VIRAMUNDO•BUTIÁ VOADOR•BUTIÁ WAIKIKI•BUTIÁ WALTER•BUTIÁ WANDA•BUTIÁ WASHINGTON•BUTIÁ WIND•BUTIÁ WM•BUTIÁ WRANGLER•BUTIÁ XAXIM•BUTIÁ XELINDRO•BUTIÁ XEQUEMATE•BUTIÁ XERIFE•BUTIÁ XEROX•BUTIÁ XIMANGO•BUTIÁ ZABUMBA•BUTIÁ ZAGAIA•BUTIÁ ZARAGATA•BUTIÁ ZARCO•BUTIÁ ZARPA•BUTIÁ ZEBRÃO•BUTIÁ ZIPPO•BUTIÁ ZIZA•BUTIÁ ZOCA•BUTIÁ ZUMBIDO

REMATE DE

MATRIZES E REPRODUTORES 22 DE MARÇO | SEXTA-FEIRA | 21H | ESTEIO | RS

FILHAS DE COMEDIANTE, CONSUELO, OLODUM E MARTÍRIO

592 ANIMAIS PONTUADOS NO REGISTRO DE MÉRITO

TODOS OS TÍTULOS NACIONAIS DE RÉDEAS NA CATEGORIA ABERTA

104 FINAIS DO FREIO DE OURO

22 FREIOS DE OURO, PRATA E BRONZE

www.cabanhabutia.com.br (54) 3311.1191 - 9176.0341

www.infinito.com.br

(51) 9972.2443 - 9968.9377

Freio de Ouro

Catálogo de Resultados Santa Vitória do Palmar/ RS

22 e 23 de fevereiro Técnico: Carlos Marques Gonçalves Neto Jurados: Francisco Fleck, Gilberto Gonçalves e Renato Morrone

Fêmeas Fotos Conrado Lima Amaral

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Formosa Charrua, filha de Las Callanas Chilquero e Querida Charra; criador e expositor João Rouget Perez Wrege, Cabanha Os Charruas, Jaguarão/RS.

Escolta do Capão Grande, filha de Guasso do Itapororó e Taipa do Capão Grande; criador Mário Burck Santos e expositor Ricardo Barbosa e Vinícius Russo, Cabanha R8, Pelotas/RS

Gazua da Hulha Negra, filha de TJ Hijo del Señuelo e Gazua de São Pedro; criador Antônio José Alves de Macedo e expositor Dean Jaison Eccher, Cabanha Furna Crioula, Rio do Sul/SC

Ginete: José Fonseca Macedo Nota final: 18,839

Alaúza 458 Maufer, filha de BT Apache e Primeira da Marca 2; criador Maurício e Fernando Lampert Weiand e expositor Amauri G. Tasso e Rosangela D. Rodrigues, Cabanha Santa Jhulha, Rio Grande/RS

Ginete: Hercules Almeida Nota final: 17, 796

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Sanga Funda Trago Largo, filho de SR Nevoeiro e Jandaia da Sanga Funda; criador e expositor Demeval José Klafke, Cabanha Sanga Funda, Capivari do Sul/RS

La Passion Brilhante, filho de Pozo Azul Deslinde e Milionária 181 do Barulho; criador Francisco M. Bastos e Jayme Matarazzo e expositor Dean Jaison Eccher, Cabanha Furna Crioula, Rio do Sul/SC

JZ Vento Negro da Santa Mathilde, filho de Santa Elba Señuelo e Dina das Três Estâncias; criador e expositor João Elano Azambuja, Estância Santa Mathilde, Herval do Sul/RS

Vareio da 3J, filho de Mano a Mano do Itapororó e Lucia Flor 1870 de Santa Angelo; criador Agropecuária Andrade Lima Ltda e expositor Carlos Amorin e Antonio Carlos de Souza, Cabanha Monte Sinai, São José do Norte/RS

Ginete: Ricardo Wrege Nota final: 18,952

Ginete: Robler Sena Nota final: 17,643

Machos

Ginete: Everton de Deus Valim Nota final: 18,311

20 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Ginete: Hercules Almeida Nota final: 17, 473

Ginete: Eduardo Silva Ribeiro Nota final: 17, 394

Ginete: Heber Pereira Nota final: 16, 809

O Núcleo Alto Uruguai de Criadores de Cavalos Crioulos e a Cabanha Santa Luzia parabenizam os vencedores

a Credenciadora

3

Cabanha Santa Luzia

Realizada nos dias 21 a 24 de fevereiro de 2013

|

Nonoai - RS

Machos

Fêmeas

Freio Jovem

Convidamos para a 4ª Credenciadora que acontecerá de 14 a 16 de março de 2014, desta vez de INÉDITOS

GRAFFOLUZ (54) 3522-1436

FOTOS: ALEXANDRE FREITAS

Freio do Proprietário

Obrigado a todos os amigos, crioulistas, amantes do cavalo e apoiadores que engrandeceram nosso evento. cabanhasantaluzia@terra.com.br

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 21

22 Cavalo Crioulo | Marรงo, 2013

Fotos Alexandre Freitas

Marรงo, 2013 | Cavalo Crioulo 23

24 Cavalo Crioulo | Marรงo, 2013

Marรงo, 2013 | Cavalo Crioulo 25

Morfologia

Momento de recuperação

Douglas Saraiva

Foto Felipe Ulbrich

Proximidade do circuito de Exposições Passaporte altera rotina de preparo morfológico de reprodutores

P

assado o debilitante período de coberturas, os criadores da raça voltam o foco do trabalho à recuperação dos animais que sofreram um decréscimo natural no seu estado corpóreo causado pelo desgaste dos cruzamentos e pela alteração da rotina. Neste momento, de restabelecimento do trato de campanha, é importante estar atento a alguns detalhes para chegar em forma na hora do julgamento.

animal. “Não existe milagre. Tem que dar esse tempo para que ele se restabeleça ao natural”, diz, lembrando que uma mudança súbita poderia prejudicá-lo. “Precisa ser gradativo, não dá para simplesmente tirar do campo e colocar direto na cocheira.” Freitas destaca que a atenção à alimentação do reprodutor, neste período, é essencial. A dieta pode ser reforçada com o acréscimo de algum suplemento que forneça uma quantidade complementar de nutrientes e colabore na recuperação do animal. Obviamente, a administração deste suplemento precisa ser feita aos poucos e orientada por um especialista.

Com o início do período de exposições Passaporte cada vez mais próximo, retomar a condição física dos animais o mais breve possível é o desafio de quem pretende testar as aptidões dos seus cavalos em pista. No caso dos garanhões, especificamente, é importante fazer um planejamento prévio e evitar ao máximo o desgaste nas coberturas.

Para minimizar efeitos negativos

Para o criador e jurado do Freio de Ouro Ciro Manoel Canto de Freitas, da cabanha São Marcos de Alegrete/ RS, é indispensável reservar de três a quatro meses para a recuperação do

A ideia principal, garante ele, é tentar evitar ao máximo o desgaste. “Existem métodos como a monta dirigida ou então com o cavalo solto apenas durante o dia, que exigem

26 Cavalo Crioulo | Março, 2013

menos esforço”, avalia. Entretanto, diz ele, o mais indicado, quando possível e de acordo com o regulamento do Registro Genealógico da ABCCC, é o uso da Inseminação Artificial para os animais de campanha. “Acho complicado soltar a campo para cobrir. Nestes casos, com animais que depois vão para as pistas, precisamos ter muito cuidado. Tive uma experiência com um cavalo, cujo sêmen foi inseminado, que teve pouquíssimo desgaste e vai fazer campanha morfológica esse ano. Ele sentiu muito pouco a coleta”, diz. O criador reforça também que é preciso planejar a saída para saber, considerando-se o tempo de recuperação do cavalo, até quando ele poderá ser usado. No entanto, salienta que, com o atual nível qualitativo das pistas morfológicas, corre-se o risco de não conseguir chegar à data do evento com o animal bem preparado e colocar em descrédito as suas virtudes. “Tem que saber dosar. Por outro lado, é importante também que o

cavalo seja solto na manada pela questão do temperamento. Mas isso deve ser feito de uma forma que não atrapalhe o planejamento e com o mínimo de desgaste.”

Exposição em Guarapuava Um dos municípios com a maior concentração de crioulistas no Paraná recebeu, entre os dias 22 e 23 de fevereiro, mais de 70 exemplares em concorrida Exposição Morfológica. A cidade de Guarapuava, na região centro-sul do estado, foi sede do julgamento feito pelo criador de Taquara/ RS, Luís Rodolfo Machado. Com os principais prêmios da mostra, foram destaque a Grande Campeã Guaiaca do Ribeirão Bonito e o Grande Campeão e Melhor Exemplar da Raça, Senhor da Rio Bonito. A supervisão da prova ficou a cargo do técnico da ABCCC, Henrique Litchina Gonzalez.

Morfologia

Catálogo de Resultados Guarapuava/ PR

22 e 23 de fevereiro Técnico: Henrique Litchina Gonzalez Jurado: Luiz Rodolfo Machado Fotos Divulgação

Reservada Grande Campeã

Grande Campeão

Reservado Grande Campeão

Época do Riberião Bonito, filha de Herdeirao do Itapororó e SJ Tirama; criador e expositor Arison Jung, Cabanha Ribeirão Bonito, Guarapuava/PR

Senhor da Rio Bonito, filho de Mapaxe da Rio Bonito e Prefeirda da Rio Bonito; criador e expositor Empreendimentos Agropecuários Rio Bonito Ltda, Fazenda Santa Cruz, Ponta Grossa/PR

Que Momento Cordobez, filho de Viragro Rio Tinto e La Baguala Cordobez; criador e expositor Rodrigo e Thiago Cordova Silva, Cabanha Cordova, Guarapuava/PR

3ª Melhor Fêmea

4ª Melhor Fêmea

3° Melhor Macho

4° Mellhor Macho

Grauna do Ribeirão Bonito, filha de Viragro Rio Tinto e Baioneta do Tamboré; criador e expositor Arison Jung, Cabanha Ribeirão Bonito, Guarapuava/PR

Dalia Negra do Barrozo, filha de Macanudo do Itapororó e Zambia do Barrozo; criador e expositor Marcos Gomes Antunes, Fazenda Carrozo, Castro/PR

Lageado Andejo, filho de Mañanero Macinero e Pora Serena; criador e expositor Vinicius Virmond Kruger, Cabanha do Lageado, Guarapuava/PR

Aguape do Purunã, filho de Hércules do Purunã e Opalina do Purunã; criador Mariano Lemanski e expositor Luiz Flávio Lacerda

Grande Campeã e Melhor Exemplar da Raça Guaiaca do Riberão Bonito, filha de Viragro Rio Tinto e Lenda do Novo Horizonte; criador e expositor Arison Jung, Cabanha Ribeirão Bonito, Guarapuava/PR.

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 27

Especial Fotos Douglas Saraiva

Vista alegre da fazenda inspira o nome da cabanha e compõe o cenário onde a paixão pelo cavalo Crioulo motiva um prazeroso trabalho de seleção

Dedicação à simplicidade Douglas Saraiva

H

á séculos, desde que o homem dominou o cavalo e passou a utilizá-lo como instrumento potencializador de suas capacidades, que este animal alimenta sonhos e nutre a imaginação de pessoas que enxergam nele mais do que uma simples ferramenta ou companhia. Para estes, o cavalo e toda a atmosfera agregada a ele, se transformaram em um estilo de vida e em um meio de ligação e resgate de uma raiz mitológica, folclórica e cultural.

E a busca pela satisfação desse arquétipo tem motivado estas mesmas pessoas a, muitas vezes, abdicarem do comodismo pelo simples desejo de saciar essa paixão. Esse é o caso, assim como de tantos outros, do advogado Mílton Sérgio de Melo Oyarzabal, que optou pelo sossego bucólico do campo e preferiu o lombo do cavalo Crioulo e a mangueira à cadeira esto28 Cavalo Crioulo | Março, 2013

fada e ao escritório. Aos 53 anos, o criador recorda da infância em Cruz Alta, no noroeste do Rio Grande do Sul, onde foi criado sem o contato com o meio rural. Ainda assim, desde muito pequeno sempre que via um cavalo sentia vontade de montar e sonhava um dia ter o próprio animal. Esse objetivo era tão claro que, pelo próprio esforço, comprou o primeiro cavalo logo aos 14 anos. O animal foi o estímulo que faltava para Mílton estabelecer um vínculo que o acompanharia durante toda a vida. Depois disso, nunca mais ficou por muito tempo longe das selas. Um pouco mais tarde, lembra, a égua LS Justa foi o primeiro exemplar da raça Crioula comprada por ele em 1988, com o potro lobuno F Damião do Seival ao pé.

Nesta época, Oyarzabal mantinha os cavalos no campo de um tio em Pinhal Grande/RS e trabalhava para dar continuidade à seleção. Um tempo depois montou uma pequena empresa em Cruz Alta e ingressou no curso de Direto. Ainda assim, procurava não se desvincular do cavalo. “Todos os dias eu acordava às 5h e ia ao parque montar a minha égua até as 7h. Só depois ia trabalhar e à noite ainda ia para a faculdade”, conta. Em 1998 obteve a graduação, entretanto, nunca chegou efetivamente a atuar como advogado. Um ano depois foi trabalhar como administrador de uma fazenda, função a qual exerceu até 2004. Neste período viveu momentos importantes no meio, como integrante do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Cruz Alta, trabalhando ao lado dos filhos na campeira em provas realizadas no município e

competindo em provas de laço. Em 2004 a filha Carolina Oyarzabal correu o Brinco de Ouro em Esteio e protagonizou um dos momentos mais emocionantes da vida de Mílton, segundo ele mesmo conta. “O Chico Bastos e a Mariana Tellechea eram jurados e vieram me cumprimentar pela Carol, dizendo que ela montava muito bem”, lembra, orgulhoso. “Naquele mesmo ano ela tinha feito três notas dez na mangueira, na classificatória de Cruz Alta.” Carolina e o irmão Mateus aprenderam desde cedo a montar e herdaram do pai o gosto pelo cavalo. Ambos competiram durante muitos anos em provas de Laço e de Rédeas, até que suas atividades profissionais acabaram os afastando das pistas. Lucas, o mais jovem, já não teve tanto contato com o campo. “Meus filhos sempre

Especial

Milton Oyarzabal encilha a égua Vaza do Xiniquá, companheira na lida diária

me acompanharam, por várias vezes fiz dupla com eles em Crioulaços.” Na modalidade, por várias vezes se classificou - com as próprias éguas, faz questão de frisar - para a semifinal e até hoje compete.

leceu junto com a esposa Kátia Burtet Lopes a fazenda Vista Alegre, de afixo Jaguaretã, em Cacequi/RS. Trouxe as éguas que adquiriu, mais os animais que ganhou de presente dos muitos amigos que fez na raça.

Outra oportunidade que também ficou na memória aconteceu há cerca de dez anos, quando era o coringa de uma prova e correu com a égua Fantasia dos Cinamomos ao lado de Fabinho Silveira que competia com Ouro 18 do Aceguá. “Ele não deve lembrar disso, mas eu lembro. Depois daquela corrida ele subiu de sétimo para o quarto lugar”, diz.

A fazenda fica a 25 quilômetros do centro da cidade e a 60 de Rosário do Sul, em uma região bastante próspera e forte na agricultura. Ali produz pequenas culturas em uma horta e reserva um espaço do campo de 360 hectares para investir na soja. Além dos Crioulos, também cria ovelhas, gado Braford e cães Border Collie.

Um tempo depois o criador mudou-se para Araranguá/SC e lá trabalhou como representante comercial de um produto veterinário. Nesta função conheceu muitos criadores catarinenses de cavalos Crioulos, continuou frequentando os eventos da raça e participando de rodeios, laçando e domando animais em todo o estado. “Nunca me desliguei do Crioulo. Trabalhei com muita coisa diferente, mas sempre mantinha alguma ligação com o campo. Assistia às exposições, aos remates, às provas, acompanhava tudo. Faz 20 anos que participo de Crioulaços. Assisti a todas as finais do Freio em Esteio nos últimos 15 anos.” Ainda assim o sonho de montar a cabanha persistia, até que voltou ao Rio Grande do Sul em 2008 e estabe-

A criação pequena é proposital. Oyarzabal tem na fazenda seis éguas na cria e procura não acumular a produção. Muitos amigos do Estado e de Santa Catarina encomendam cavalos, o que garante a fluidez das crias. Possui ainda uma égua e cinco castrados no serviço e um reprodutor padreando. Todo o serviço é feito no local, desde a doma até o treinamento, pelo próprio Mílton e pelo cabanheiro Edemar Flores, o Mano. “Quero que os meus netos Pedro e Laura mantenham esse amor pelo cavalo assim como os meus filhos já mostraram que têm. Hoje me sinto feliz e orgulhoso de ter o que tenho. Não é muito, sou um criador pequeno, humilde, mas é o que me dá prazer. Sou apaixonado pelo cavalo Crioulo e por tudo o que faço”, conclui.

Animais gerados no criatório são domados e treinados no próprio local

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 29

21 de abril

às 21 horas (domingo do Bocal de Ouro)

Esteio/RS

Destaques: Três finalistas do Freio de Ouro da mesma família, para escolha de uma. Égua credenciada para este ciclo. Genética da campeã do ranking funcional.

30 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Filhas de:

BT Delantero BT Faceiro do Junco BT Mano a Mano do Junco Mananero Jalisco Muchacho de Santa Angélica Santa Elba Senuelo

Laçadores começam a disputar vagas na final Hélen Albernaz

E

ntre os dias 22 e 24 de março, enquanto em Buenos Aires/ Argentina tem início a fase de classificatórias ao Freio de Ouro 2013, no município de Santiago/RS todas as atenções estarão voltadas para a maior prova funcional do cavalo Crioulo em número de participantes. A cidade do centro-oeste gaúcho será a primeira a receber uma classificatória de Crioulaço. Este ano a modalidade terá quatro etapas em diferentes regiões nas quais serão disputadas as vagas da final que acontecerá durante a Expointer, no mês de agosto em Esteio/RS. Além de Santiago, no Rio Grande do Sul, também haverá classificatória na cidade de Osório, dos

Foto Divulgação

dias 10 a 12 de maio. As outras duas acontecerão em Lapa, no Paraná, entre 23 e 26 de maio, e na capital do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, de 19 a 21 de julho. Conforme o coordenador da Subcomissão de Crioulaço da ABCCC, Lúcio Rigon Stacowski, os promotores e participantes devem ficar atentos quanto ao final do ciclo 2013 que se encerra na data da última classificatória. Sendo assim, serão válidas para o ciclo as disputas realizadas até 21 de julho. Os eventos habilitantes para as semifinais podem ser agendados com o Setor de Eventos da ABCCC com até 30 dias de antecedência.

Urupema/SC sediou uma das disputas da modalidade em fevereiro

Outra novidade deste ano é o subsídio do frete até o local de prova pela ABCCC para os primeiros inscritos na classificatória do Mato Grosso do

Sul. Mais informações sobre o benefício podem ser obtidas pelos telefones (53)3284-1482 e 3284-1483 ou pelo e-mail eduardo@abccc.com.br.

Prêmios Os valores de premiação para as duas primeiras disputas, de Santiago e Osório, já estão definidos e no laço de duplas a categoria 10 armadas pagará R$ 8,5 mil além de garantir

quatro vagas na Expointer. Já no Laço Criador a maior cifra, 5 armadas, será de R$ 3,5 mil e também dará quatro oportunidades na final. Veja abaixo a tabela completa da premiação.

Premiação Laço Duplas Categoria 10 Armadas – 4 Vagas para Expointer e R$ 8.500,00 Categoria 9 Armadas – 3 Vagas para Expointer e R$ 6.500,00 Categoria 8 Armadas – 2 Vagas para Expointer e R$ 4.500,00 Categoria 7 Armadas – 1 Vagas Para Expointer e R$ 2.500,00 Troféu Campeão Laço Dupla e R$ 3.000,00

Premiação Laço Criador Categoria 5 Armadas – 4 Vagas para Expointer e R$ 3.500,00 Categoria 4 Armadas – 3 Vagas para Expointer e R$ 2.500,00 Categoria 3 Armadas – 2 Vagas para Expointer e R$ 1.500,00 Troféu Campeão Laço Criador e R$ 1.000,00 Laço Veterano: Troféu e R$ 300,00 / Vice-Campeão – R$ 200,00 Laço Guri: Troféu e R$ 300,00 / Vice-Campeão – R$ 200,00 Laço Feminino: 1º Lugar - Troféu Catarina Bonotto, R$ 300,00, 1 Laço, 1 Pelego Preto e 1 Kit De Beleza. 2º Lugar – R$ 200,00, 1 Pelego Preto e 1 Kit de Beleza.

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 31

Foto Dilhermano Messa

No dia 3 de fevereiro, mais de cem competidores entraram em pista na cidade de São Borja/RS

Cabanha Laço de Ouro Um a d a s p e c u l i a r id a d e s do Cr iou l a ç o é o r a n k i ng p a r a a s c a b a n h a s qu e p a r t ic ip a m d a s prov a s d a mo d a l id a d e , c r i a do em 2 012 . D e a c ordo c om o si s t em a d e p ont u aç ão, c a d a a n i m a l c re d enc i a do p o d er á m a rc a r u m p onto p or c ic lo e a c a b a n h a

qu e c re d enc i a r o m a ior nú mero d e a n i m a i s s er á a c a mp e ã . At u a l ment e a l i s t a é c omp o s to p or 75 0 c a b a n h a s qu e p ont u a r a m e o pr i me iro lu ga r é d i v id ido p e l a R io B on ito, do Pa r a n á , e Tup a mb a é , d e D om Pe d r ito/ R S , a mb a s c om 12 p onto s .

Inscrições Os laçadores habilitados às próximas etapas do Crioulaço já podem acessar a área de inscrições <http://

w w w.r acacrioul a.com.br/site/ content/provas/inscricoes.php> do site da ABCCC (www.abccc.com. br) e escolher uma ou mais, entre as

quatro cidades sede.

Além das disputas em dupla, os eventos contarão com as semifinais

do Laço Criador e com provas de Laço Guri, Veterano e Feminino. As inscrições podem ser feitas diretamente no site da entidade, conforme as imagens abaixo. Os valores das inscrições em cada etapas são de R$ 270,00 para a dupla de laço e R$ 135,00 para o Laço Criador. Nas categorias Feminino, Guri e Veterano o valor é de R$ 55,00.

Confira os primeiros colocados no ranking Cabanha Laço de Ouro CLASS 1º 3º 5º 8º 10º

32 Cavalo Crioulo | Março, 2013

CRIADOR

ESTABELECIMENTO

EMPREENDIMENTOS AGROPEC.RIO BONITO LTDA OSWALDO DORNELLES PONS FRANCISCO CROSSETTI NETO ROMEO DE ALMEIDA RAMOS ANTONIO JOSÉ ALVES DE MACEDO EVALDO FRANCISCO DA ROSA MAURO E TELMO FERREIRA JADER, MICHEL E IVONEI ALBERTI OTÁVIO LUIZ PRETTO ARMIN JOSÉ SCHVARCZ DIEGO BORGES PEIXOTO HEBER DA ROSA FARIAS HERNANI TAUNAY ANGELI NEMO VALÉRIO TEIXEIRA DE SOUZA RICARDO BARCELLOS BARIZON TELMO MOTTA JÚNIOR

CABANHA RIO BONITO CABANHA TUPAMBAÉ FAZENDA BARRA DO GUASSUPI CABANHA SÃO BORJA CABANHA HULHA NEGRA ESTÂNCIA LIBERDADE CABANHA MACANUDO CABANHA SANTA CARMELITA CABANHA PRETTO CABANHA LA PAMPA CABANHA SAN DIEGO FAZENDA PERAU DA ÁGUIA CABANHA GARRUCHO ESTÂNCIA DA GUAJUVIRA FAZENDA DO MORRO GRANDE FAZENDA DON TEJÚ

PONTOS 12 12 10 10 9 9 9 8 8 7 7 7 7 7 7 7

Programação Santiago 2013

Veja como se inscrever Passo 1- Clique em Inscrições

Segunda-feira (18/3)

- Disputa do campeão da

Último dia de inscrições para a classificatória do Crioulaço de Santiago

categoria 8 armadas e das

Sexta-feira (22/3) 8h às 19h Acampamento.

duas vagas na Final Nacional. - Disputa do campeão da categoria 9 armadas e das três vagas na Final nacional. - Disputa do campeão da categoria 10 armadas e das quatro vagas na a Final Nacional.

14h às 19h Identificação, entrega de coletes, credenciais e medição de laços.

- Disputa do campeão laço criador categoria 3 armadas e das duas vagas na Final Nacional.

Sábado (23/3)

Passo 2- Escolha um dos locais de provas e clique em saiba mais

- Disputa do campeão laço criador categoria 4

7h30min

armadas e das três vagas

- Laço Guri (menores de 12 anos), três rodadas.

na Final Nacional. - Disputa do campeão

- Laço Veterano (maiores de 65 anos),três rodadas.

laço criador categoria

- Laço Feminino três rodadas. Obs: Nas 3 categorias passarão para a final de domingo os concorrentes que obtiverem no mínimo duas armadas de aproveitamento.

5 armadas e das quatro vagas na Final Nacional. - Disputa de 1º e 2º lugares nas categorias: Guri,

- Três rodadas laço duplas.

Veterano e Feminino.

- Três rodadas para o laço criador.

- Retornam à pista os

- Duas rodadas laço duplas.

armadas para a disputa do

- Duas rodadas laço criador.

Campeão do Laço Criador.

Raspadinha de quartetos(se houver tempo).

- Retornam à pista as duplas

20h30min 1º Remate Crioulos do Boqueirão.

Domingo (24/3)

campeões das 3, 4 e 5

Passo 3- Selecione uma das opções e prossiga com o cadastro

campeãs das categorias 7, 8, 9 e 10 armadas para a disputa da dupla Campeã da Classificatória. - Divulgação oficial dos classificados para a Final Nacional e entrega de prêmios.

7h30min - Disputa do campeão da categoria 7 armadas e da vaga (uma vaga) na Final Nacional.

OBS: a programação poderá ser alterada em função do número de participantes inscritos.

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 33

Fotos: Felipe Ulbrich e Alexandre Freitas

Fronteira gaúcha sediará grande final da Força B Embora seja uma das novidades da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), a Paleteada Força B já detém grande número de adeptos em toda a região Sul do país. Por isso, a expectativa para a final da categoria é grande. O evento está agendado para o dia 5 de maio e acontecerá na cidade de Bagé, na fronteira do Rio Grande do Sul. Além da premiação, ainda a ser definida, o que mais chama a atenção dos participantes é a chance de competir na Expointer em agosto. As duas duplas campeãs da Força B estarão habilitadas a concorrer à Final Nacional de Paleteada Força A do ciclo 2013 que será realizada em Esteio. Outra modalidade que terá a sua final em meio às classificatórias das demais é a Paleteada Internacional. A etapa decisiva acontecerá no dia 21 de abril, no Parque Assis Brasil, paralelamente ao Bocal de Ouro.

Mais eventos Não foram só os paleteadores que entraram em pista no segundo mês do ano. No município de Nonoai, no norte do Rio Grande do Sul, entre os dias 22 e 23, jovens e proprietários movimentaram a Cabanha Santa Luzia que sediou o evento. No mesmo final de semana, Santa Vitória do Palmar também realizou provas das duas modalidades sob a supervisão do técnico Carlos Gonçalves Neto. Entre os dias 21 e 24, a cidade paranaense de Guarapuava recebeu a segunda disputa de Movimiento a la Rienda do ciclo, a primeira aconteceu em Bagé no mês de janeiro. A prova integrou a programação da terceira Expo Crioulo de Verão, que teve ainda uma Exposição Morfológica.

Paleteada Força A

Foto Nivea Oliveira

A partir do dia 25 de abril paleteadores das diversas regiões começam a disputar as vagas da final de Esteio. A primeira das cinco regionais será realizada no município gaúcho de Uruguaiana e segue até o dia 28 de abril. A segunda classificatória acontecerá nos dias 4 e 5 de maio em Bagé e no mesmo mês, dia 19, Rio Grande sediará mais uma disputa. Em junho, Camaquã receberá a quarta etapa no dia 16 e a cidade catarinense de Chapecó terá a última prova e a repescagem no dia 30. As duplas habilitadas já podem se inscrever para a classificatória da sua região através do site da ABCCC (www.abccc.com.br).

Final do ciclo

Herval/RS recebeu uma das disputas de paleteadas de fevereiro Foto Alexandre Freitas

Este ano organizadores e participantes devem ficar atentos pois as provas da modalidade válidas para o ciclo 2013 deverão ocorrer até a data da última classificatória da região a qual pertence a cidade que irá sediar o evento. As disputas que habilitam para as semifinais devem ser agendadas com até 30 dias de antecedência diretamente com o Setor de Eventos da ABCCC. O calendário completo com os eventos já agendados pode ser conferido no site da Associação.

Provas de fevereiro As cidades gaúchas de São Borja e Herval do Sul sediaram as duas disputas de Paleteada do mês de fevereiro. Ambas aconteceram no final de semana dos dias 2 e 3 e tiveram como técnicos supervisores Henrique Litchina Gonzalez e Cláudio Neto de Azevedo, respectivamente. Em São Borja quatro conjuntos foram habilitados sob julgamento de Manoel Pons e Tiago Persici. Já em Herval, RZ Salvino da Estância da Carapuça, de Cristal/RS, recebeu o Selo de Raça. No local, 13 equipes foram avaliadas por Fernando Silveira da Silveira e Glauco Xavier. Confira os habilitados no Catálogo de Resultados.

Proprietários entraram em pista no município de Nonoai/RS Foto Raulino Cordova

Segunda disputa de La Rienda do ciclo aconteceu em Guarapuava/PR

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 35

DIVUGAÇÃO: NÚCLEO SUDESTE

3 A 7 D E A B R I L | W W W. N S C C C . C O M . B R | ( 5 3 ) 3 2 7 3 . 3 4 1 4 DIA 3/04

DIA 5/4

DIA 6/4

14 H | CONCENTRAÇÃO DE MACHOS

08 H | CONTINUAÇÃO DO JULGAMENTO

08 H | JULGAMENTO FUNCIONAL DA

20 H | PALESTRA DA SOCIL

12 H | TERMINO DA ENTRADA DOS ANIMAIS

CREDENCIADORA, FREIO JOVEM E

24 H | TERMINO DA ENTRADA DOS ANIMAIS PARA A MORFOLOGIA

PARA A CREDENCIADORA 13 H | ADMISSÃO DA CREDENCIADORA

FREIO PROPRIETÁRIO 14 H | CONTINUAÇÃO

DIA 4/4

14 H | GRANDES CAMPEONATOS

08 H | ADMISSÃO DA MORFOLOGIA

DA CREDENCIADORA

08 H | FINAL DA CREDENCIADORA

10 H | JULGAMENTO INCENTIVO

20 H | ENTREGA DE PRÊMIOS DA EXP. COM

E FREIO JOVEM E FREIO PROPRIETÁRIO

14 H | INICIO DO JULGAMENTO

REMATE DE COBERTURAS EM PROL DO NUCLEO

16 H | JULGAMENTO MORFOLÓGICO

JURADOS: MORFOLOGIA: ANDRÉ NARCISO ROSA PALETEADA: FELIPE RIBEIRO MORAES | RENATO MORRONE GADO - ESTÂNCIA SANTA EULÁLIA: JOAQUIM FRANCISCO B. DE ASSUMPÇÃO MELLO CREDENCIADORA, FREIO JOVEM E PROPRIETÁRIO: ANDRÉ NARCISO ROSA | DANIEL DE SOUZA MELLO | FELIPE RIBEIRO MORAES

DIA 7/4

14 H | PROVA PALETEADA

INSCRIÇÕES: DE 08 A 28 DE MARÇO

Catálogo de Resultados | Paleteada Herval do Sul/ RS

3 de fevereiro Sindicato Rural de Herval do Sul Técnico: Cláudio Neto de Azevedo Jurados: Fernando Silveira da Silveira e Glauco Xavier 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Vinicius Rosa montando Malagueta da Santa Anita e Gustavo Rodrigues montando Tarimba da Granja

Juliano Cach Apuz montando Xo Égua do Arroyto e Gustavo Rodrigues montando Uma Fera da Granja

Flávio Campelo montando Garoto do Velho Pretto e Valmorio Machado montando Timbre de Galo do Sur

Anderson Cardoso montando Nhandu Juma e Claudecir Machado montando Espada do Puruã

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Arthur Linhares Obino montando Sansão de São Pedro e Manoel Francisco Rodrigues montando Chimango da Camila

Eduardo Ferreira montando Querubim de Pai Passo e Evandro Ferreira montando Solita da Querência Xucra

Silvio Ribeiro montando Zé Ninguém de Pai Passo e Leonardo Maidana montando Zangado de Pai Passo

Pedro Bastos montando Sorro II de Pai Passo e Silvio Ribeiro montando Pivete de Pai Passo

São Borja/ RS

2 e 3 de fevereiro Técnico: Henrique Gonzalez Jurados:Manoel Pons e Tiago Persici

| Crioulaço Júlio de Castilhos/ RS

1º de fevereiro Técnico: Jorge Aginelo do Nascimento Jurados: Leandro Fagundes e Cesar Somavilla 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Almiro Fernandes montando Lanca da Vasdef e Tarso Padilha montando JD Durango

Leonardo Mello montando Perpeta Caso Raro e Gilnei Padilha montando Jornalero da Reconquista

João Almiro montando Galpão da São Januário e Marcos Vinicius montando Oriental de Las Flechas

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Leonardo Borges montando KB Canastra

Luis Carlos Rossato Silva montando LRS Aliança

Telmo Peixoto montando Cataluna Tarumã

Laço Criador

São Borja/ RS

3 de fevereiro Técnico: Henrique Gonzales Jurados: Fabiano Waihrich Matter e Robinson Menegon 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Aquiles Pereira montando Caeté 156 do Arão e Alfredo do Carmo montando LT Dose Dupla

Rafael Pinto montando Cuíca do Aferidor e Jacir Jovasque montando Guapo do Iguariaçá

Itamar Soares montando Jotape Rodeio e Rui Telmo Balbé montando Jotape Regalo

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Fabiano Lopes montando Buenacho do Fabiano

Evandro Bonetti montando ST Imperatriz

Floriano Faria montando FF Carapuça

Laço Criador

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 37

Ibiruba/RS

2 de fevereiro Técnico: Jorge Aginelo do Nascimento Jurados: Rafael Nascimento e Valdecir de Assis

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Lucas Silva montando Famoso do Vô Heitor e Carlos Rodrigues montando Desgarrado das Oito Palmas

João Pedro da Silva montando NV Labia e Adinam Rubin montando Escarapela da 35

Samuel Zanotto montando MZ Honesto e Sandro Zanotto montando MZ Jornalero

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Garibaldi Ferraz montando Relíquia do Morro Grande e Alan Ferraz montando Regalo do Morro Grande

Paulo Branco montando Mascate do Morro Grande e Marcelo Varaschin montando Tormenta do Morro Grande

Alberi Bento montando Querência do Morro Grande e Sebastiao Pascoal montando Querosene do Morro Grande

Vacaria - Muitos Capões/RS 10 de fevereiro Técnico: Ricardo Guazzelli Martins Jurados: Romeu Luis Verza

Guaraniaçú/PR

10 de fevereiro Técnico: Romeu Koch Jurados: Carlos Cristiano Colete e Djon Lenon Bonfim 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Felipe Piovesan montando Favorito da Fascinação e Wilson dos Santos Junior montando Herói do Quartel Mestre

Fernando Jacobi montando Sahara Cigana e Rodrigo Odoni montando Muchacho JB de Palermo

Alex do Vale montando Hechicera de Santa Leocádia e Valdenir do Vale montando Lutador do Itaó

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Fabio Gonçalves montando Santo Onofre Tupã e Luciano Arruda montando Graduado da Maior

Alex Werner montando EP Jambo e Diogo Costa montando Canastra do Barreiro

Nazareno Sutil montando Guarda-mor Vigia e Andronei Vieira montando Ep Missioneiro

Laço Criador 1º Lugar Sérgio Alves Teixeira montando Jiriquá Lagoa

Urupema/SC

16 de fevereiro Técnico: Romeu Koch Jurado: Paulo Roberto Pereira

38 Cavalo Crioulo | Março, 2013

| Freio do Proprietário Nonoai/RS

22 e 23 de fevereiro Técnico: Jorge Aginelo do Nascimento Jurado: Eduardo Neto Azevedo, José Luiz Gomes e Telmo Ferreira

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

HF Invernia, filho de Campana Mataojo e Tabuleiro Bandalheira; criador AC Agropecuária Ltda. e expositor Marcelo da Costa Gamborgi, Fazenda Capão da Lagoa, Porto Alegre/RS

HF Lapidado, filho de Ganadero da Harmonia e Helênica do Itapororó; criador AC Agropecuária Ltda. e expositor Marcelo da Costa Gamborgi, Fazenda Capão da Lagoa, Porto Alegre/RS

Desgarrado do Portal Gaúcho, filho de Santa Elba Señuelo e Irmã do Infinito; criador José Luiz Teixeira Marcantonio e expositor Tiago Henrique Wandscheer, Cabanha FTW, Campo Largo/PR

Ginete: Gabriel Gamborgi. Nota final: 9,830

Ginete: Gabriel Gamborgi. Nota final: 8,279

Ginete: Tiago Henrique Wandscheer. Nota final: 6,505

Santa Vitória do Palmar/RS

23 de fevereiro Técnico: Carlos Gonçalves Neto Jurados: Francisco Fleck, Gilberto Gonçalves e Renato Morrone

Amador 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Farrapo Jotabe, filho de Homero do Itapororó e Bruxa Jotabe; criador José Alberto e João Antonio Blanco e expositor Timóteo Campos Fonseca.

GL Baronesa, filha de São Martim Trovador e Gaivota das Dunas; criador Gilnei Luz e expositor Carlos Amorin e Antonio Carlos de Souza, Cabanha Monte Sinai, São José do Norte/RS

FP Imponência, filho de Redoblado da Carovy e Jóia das Dunas; criador Alexandre Ferreira Pinto e expositor Leandro Pereira Cardozo

Ginete: Timóteo Campos Fonseca. Nota final: 7,809

Ginete: Carlos Amorin. Nota final: 7,798

Ginete: Leandro Pereira Cardozo. Nota final: 7,392

| Freio Jovem Nonoai/RS

22 e 23 de fevereiro Técnico: Jorge Aginelo do Nascimento Jurado: Eduardo Neto Azevedo, José Luiz Gomes e Telmo Ferreira

Juvenil Masculino

Aspirante Feminino

1º Lugar

2º Lugar

1º Lugar

Imponente do Ouriço, filho de Santa Isabel Calamar e Encrenca do Monjolo; criador e expositor Luis Augusto Weber, Cabanha do Ouriço, Carazinho/RS

TL Campana, filho de Impulso do Itapororó e Fuzarca Tambaé; criador Bruno Berwig Tombini e expositor Arthur Polidorio de Oliveira

Piazito da Escondida, filho de Jarau da Escondida e Harmonia dos Almeida; criador José Inácio e Vinícius Freitas e expositor Laleska Leticia Fortes

Ginete: Felipe Weber. Nota final: 8,778

Ginete: Arthur Polidorio de Oliveira. Nota final: 7,295

Ginete: Laleska Leticia Fortes. Nota final: 5,632

Aspirante Masculino

Aspirante Feminino

1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

1º Lugar

I Grito Forte Gravatá, filho de San Baldomero Puestero e Despachada da Chaba; criador e expositor Francisco Kessler Fleck, Cabanha Gravatá, Gravataí/RS

Iguana da Charqueada, filha de Cudaco Espectando e Hilary do Infinito; criador Jacó Edmundo Weiand e expositor Vilmar Luís Schneider, Cabanha CSS, Estrela/RS

Piazito da Escondida, filho de Jarau da Escondida e Harmonia dos Almeida; criador José Inácio e Vinícius Freitas e expositor Laleska Leticia Fortes

Ginete: Fermino Jaques Boeiro. Nota final: 7,949

Ginete: Ricardo Silva. Nota final: 7,271

Santo Onofre Paisana, filho de Vesúvio da Escondida e Fulana de Santa Angélica; criador Nestor Augusto e Jorge Rosas Demiate Jr. e expositor Tiago Henrique Wandscheer, Cabanha FTW, Campo Largo/PR Ginete Juliano Chagas. Nota final: 6,725

Ginete: Laleska Leticia Fortes. Nota final: 5,632

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 41

dia 17/04 às 21h | Pista J - Esteio/RS Durante o Bocal de Ouro 2013

Pela primeira vez, na história da raça. Venda de um Freio de Prata, já credenciado e, na disputa pelo Freio de Ouro 2013. (Venda de 45%)

Fotos: JG Martini

Abre Cancha da Onicron Freio de Prata 2012

44 animais

Mães comprovadas, Filhos e Filhas de Osorno do itaó e Santa Elvira de Rio Claro Matador. Ao vivo

Leiloeira reservada@reservada.com.br www.reservada.com.br Fone: (51) 9981.0406

42 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Santa Vitória do Palmar/RS

23 de fevereiro Técnico: Carlos Gonçalves Neto Jurados: Francisco Fleck, Gilberto Gonçalves e Renato Morrone

Juvenil Masculino

Aspirante Feminino

Aspirante Masculino

1º Lugar

2º Lugar

1º Lugar

1º Lugar

Dádiva do Riacho, filha de Vino Viejo da Magnólia e Condessa do Palmar; criador e expositor Cláudio Caetano Cardozo, Cabanha do Riacho, Santa Vitória do Palmar/RS

Ermano do Riacho, filho de Vino Viejo da Magnólia e Condessa do Palmar; criador e expositor Cláudio Caetano Cardozo, Cabanha do Riacho, Santa Vitória do Palmar/RS

Tentação da Madrugada, filha de Rebuliço da Tradição e Filipina 908 de Santo Ângelo; criador Paulo Martins Bastos e expositor Carolina Sassi da Costa Garcia

Ginete: Lucas Lima. Nota final: 2,413

Ginete: Carolina Garcia. Nota final: 10,081

Butiá Xazan, filho de Butiá Olodum e Butiá Orquidea; criador Sementes e Cabanha Butiá Ltda e expositor Renato Solé e filhos, Cabanha Mainá, Rio Grande/ RS

Ginete: Bernardo Terra Quadros. Nota final: 3,733

Ginete: João Luis Macedo Solé. Nota final: 9,454

| Movimiento a la Rienda Guarapuava/PR

23 de fevereiro Técnico: Henrique Litchina Gonzalez Jurados: Luiz Rodolfo Machado

Profissional 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Lageado Andejo, criador e expositor Vinicius Virmond Kruger - Cabanha do Lageado, Guarapuava/PR

Mapuche el Jugueton, filho de San Pedro Cauquen e Mapuche Butifarra; criador e expositor Osvaldo e Renato Vacinaletti Cabanha Mapuche, Pomerode/SC.

Ok Aba Larga, filho de Imperador do Purunã e Queixosa do Usupá; criador Cezar Roberto Oliveira Krüger e expositor Manoel Francisco de Ramos Neto.

Ginete: Vinicius Otto Nota: 42

Ginete: Vinicius Otto Nota: 38

Capanegra Ochenta, filho de Capanegra Pinochet e Bugatti do Barro Azul; criador Fernando Dornelles Pons e expositor Beatriz Consoli - Cabanha Boêmio, Guarapuava/PR.

Ginete: Vinicius Virmond Kruger Nota:52

5º Lugar

6º Lugar

Denúncia do Forte Atalaia, filho de Lindo Amor Simpatia e Bom Retiro Jambalaia; criador Paulo Roberto Martins Pacheco e expositor Luiz Carlos Calixto - Cabanha São Sebastião, Guarapuava/PR

Estouro JB de Palermo, filho de Trovador JB de Palermo e Roleta JB de Palermo; criador e expositor Otto Jayme Beckert - Rancho JB, Palmeira/PR

Ginete: Valdinei Souza Nota: 30

Ginete: Francisco Alan De Lon Nota:33

Ginete: Marison Ferreira Nota: 29

Amador 1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

Ok Escorpião, filho de Mañanero Manicero e Harmonia da Fascinação; criador Cezar Roberto Oliveira Krüger e expositor Alain Delon Ribas Barbosa.

Aragano do Chico Ribas, filho de Landau da Praia e Zambeta do Novo Horizonte; criador e expositor João Francisco de Abreu Ribas - Cabanha Chico Ribas, Guarapuava/PR

Noriso Tupambaé, filho de Nobre Tupambaé e Risonha do Rincão do Barreto; criador e expositor Oswaldo Dornelles Pons - Cabanha Tupambaé, Dom Pedrito/RS

Capanegra Ochenta, filho de Capanegra Pinochet e Bugatti Do Barro Azul; criador Fernando Dornelles Pons e expositor Beatriz Consoli - Cabanha Boêmio, Guarapuava/PR

Ginete Alain Delon Ribas Barbosa Nota: 32

Ginete: Julie Anne Wolbert Nota: 28

Ginete: Ryan R. Barbosa Nota: 27

Ginete: Alain Delon Ribas Barbosa Nota: 47

5º Lugar Noturno II Tupambaé, filho de Bellaco Tupambaé e Artista de Santa Angélica; criador Oswaldo Dornelles Pons e expositor Julie Anne Wolbert. Ginete: Marie Luize Wolbert Nota: 25

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 43

Geral Fotos Marcel Ávila - Especial ABCCC

OIto alunos de Marcos e Mariane ranquearam na disputa de Freio Jovem realizada em Pedras Altas no final de 2012

Jaguarão/ RS

Aposta no ensino lúdico leva jovens para o campo Hélen Albernaz

D

iversão é o lema da Escolinha Gaúcha, do casal Marcos Silveira e Mariane dos Santos Py. “Aprendi com meu pai que fazer um bom trabalho é importante, mas que o resultado só aparece se a gente se diverte com o que faz. É isso que tira a pressão na hora de uma prova, por exemplo”, afirma o engenheiro agrônomo que foi criado no meio do cavalo Crioulo e escolheu a raça para trabalhar ao lado da esposa e dos filhos. Localizada no Cento de Treinamento que leva o nome de Marcos, no interior do município gaúcho de Jaguarão/RS, a Escolinha ensina crianças e adolescentes de todas as idades a lidar com o cavalo. As lições

44 Cavalo Crioulo | Março, 2013

começam pelo contato inicial com os animais e passam por todas as etapas até chegar aos treinos - inclusive para disputas de Freio Jovem promovidas pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Com pouco mais de um ano de funcionamento, a iniciativa recebe hoje cerca de 50 crianças que têm entre três e 15 anos e estão divididas em cinco turmas. As aulas acontecem uma vez por semana e misturam os ensinamentos com momentos de brincadeira e descontração. “Aprender a montar requer segurança no contato com o cavalo e o lazer tem um papel importante no processo”, considera Mariane.

O começo de tudo Depois de morar em São Paulo e assumir temporariamente a estância do pai em Pedras Altas, Silveira decidiu ter o próprio espaço em Jaguarão e foi morar com a família no interior onde montou o Centro de Treinamento. Mariane aproveitou a oportunidade para pensar em uma forma de explorar o local. “Inicialmente pensamos em turismo rural, mas a experiência com nossos filhos e inspirações da infância nos levaram para o lado do ensino”, conta. Embora o contato com a raça Crioula seja mais recente, os cavalos fazem parte da vida de Mariane desde

bem pequena. “O pai me levava para a hípica da cidade e lá tinha um casal que nos ensinava equitação. O contato com esses animais é muito saudável e queremos passar isso para os meninos de hoje”. Um pouco preocupado com a responsabilidade de ensinar a lida para crianças, Marcos inicialmente ficou inseguro, mas também foi motivado pelas suas lembranças. “Eu e meus quatro irmãos fomos muito incentivados pelo nosso pai a conviver com os cavalos Crioulos. Foi a maneira que ele encontrou de nos afastar das drogas e da violência e a juventude precisa disto mais do que nunca”, avalia. E ressalta que a raça, por sua docilidade e força, tem atributos suficientes para esta

Geral função. A decisão final de ensinar foi motivada pelos filhos Helena, de 12 anos, e João Manoel, de dois. “Me dei conta que se passo as lições para eles, posso passar a outras crianças”. Com o apoio do cunhado, Felipe Silveira, que havia tido escolinha há alguns anos, Mariane começou a montar as aulas com atividades específicas para cada semana e a nova empreitada teve início com os amigos de Helena. “No início eram sete ou oito alunos, às vezes a gente preparava tudo e não vinha ninguém. Mas as coisas foram começando a funcionar e cresceu de forma muito rápida”.

Bons resultados A superação do medo é um dos retornos mais gratificantes para Marcos. Segundo ele, é normal que as crianças cheguem com receio e respeitar o tempo de cada uma é importante para não causar trauma. Com a ajuda de uma psicóloga, o casal entendeu que era preciso iniciar aos poucos o contato e passou a priorizar este comportamento. Ao falar de obstáculos vencidos, Marcos lembra imediatamente da sobrinha, Camila Grassi Silveira. A menina, hoje com 11 anos, tinha nove quando caiu do cavalo na estância do avô e acabou quebrando o braço. A

fratura foi curada em pouco tempo, mas o receio de voltar a chegar perto dos animais permaneceu. “Íamos para o vô, todos os primos montavam e ela ficava apenas olhando e fazia questão de dizer que não gostava de cavalos”, lembra a prima, Helena. Algum tempo depois de ter início o trabalho na escolinha, Camila começou a ajudar nas aulas puxando os alunos menores e foi retomando a cumplicidade com os animais. Em um dos dias sobrou um cavalo encilhado e Marcos perguntou se ela não queria montar. “Acabamos indo juntos. Ela tremia de medo, mas foi se soltando e nunca mais parou”, comenta. A superação e coragem da sobrinha orgulharam o tio, mas a felicidade maior veio no final de novembro durante a disputa de Freio Jovem em Pedras Altas. Camila ficou entre os oito alunos de Marcos ranqueados na modalidade. “A ideia de começar a treinar partiu dela ao ver os colegas se preparando. Foi uma grande vitória”. O resultado obtido na prova motivou o grupo a continuar treinando e mostrou que o casal está no caminho certo. “Foi tudo muito rápido. Começamos há pouco mais de um ano e já conseguimos uma conquista dessas”, finaliza Mariane sem conseguir imaginar onde o projeto irá parar.

As crianças costumam chegar com receio, mas acabam ganhando segurança

Eu e meus quatro irmãos fomos muito incentivados pelo nosso pai a conviver com os cavalos Crioulos. Foi a maneira que ele encontrou de nos afastar das drogas e da violência e a juventude precisa disto mais do que nunca Marcos Silveira

Os encontros acontecem uma vez por semana e misturam técnica, lazer e treinamentos para as provas da raça

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 45

Geral

Inimigo invisível, bactéria representa alto risco

Luísa Roig Martins

Fotos Felipe Ulbrich

Síndrome chamada Erliquiose Monocítica Equina (EME) ameaça, principalmente, animais que habitam áreas alagadiças

O

s cavalos que habitam as áreas alagadiças são os mais suscetíveis à ação de um inimigo invisível, porém, perigoso: a bactéria Neorickettsia (Ehrlichia) risticii, causadora de uma síndrome diarreica chamada Erliquiose Monocítica Equina (EME). “Segundo levantamento epidemiológico feito em 2000, na beira da lagoa Mirim, os produtores relataram duas causas pra morte de cavalos: ou velhice ou churrio”, aponta Luiz Filipe Damé Schuch, docente de Doenças Infecciosas na Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas. O Jornal do Cavalo Crioulo conversou com o professor sobre o assunto. Confira, a seguir.

JCC - Como acontece a infecção? LFS - É um ciclo oral com vetores de ambiente aquático. A bactéria causadora da doença habita um parasita que se desenvolve dentro das espécies de

JCC - Há alguma estação do ano que favoreça a infecção?

LFS - Os cavalos podem apresentar laminite (inflamação das lâminas do casco) e, nas fêmeas é comum ocorrer aborto com pouca diarreia não clínica.

LFS - No verão, além de os animais terem mais acesso ao pasto perto da água, o ciclo da bactéria é favorecido, pois há mais caramujos e mais trematódeos (parasitas) circulando na água amena. O caramujo é bem pequeno e pode se confundir com a areia: o adulto tem, no máximo, seis milímetros e está relacionado aos aguapés. Isso facilita as pesquisas, pois há cerca de quatro mil indivíduos por raiz.

caramujos. Quando o cavalo apreende o pasto úmido e ingere o caramujo e o parasita, a bactéria se instala, ocasionando a infecção. É importante ressaltar que existe outro tipo de erliquiose, de distribuição mundial, transmitida pela bactéria Erlichia equi através de carrapatos, causando babesiose e outras enfermidades. Mas a EME é mais grave e mais significativa na região sul.

JCC - Quais as principais caracterísJCC - Em que regiões podemos encontrar ocorrências da EME?

ticas da doença?

Luiz Filipe Schuch - A distribuição da doença é muito clara nas áreas alagadiças do sul do Brasil, na margem das lagoas, até o Uruguai. Há um caso isolado na Argentina e relatos em pântanos dos Estados Unidos e na Venezuela.

doença de alta letalidade caracteriza-

46 Cavalo Crioulo | Março, 2013

JCC - Nos animais que não morrem, quais as consequências?

LFS - Conhecida como churrio, é uma da por diarreia forte e rápida, escura e geralmente sem sangue, capaz de matar por desidratação em um período entre 12 e 24 horas. Em geral, nota-se um quadro de febre no início da infecção.

JCC - Como é feito o tratamento para a EME? LFS - O tratamento é feito com tetraciclina, um antibiótico que deve ser administrado na veia, devido à maior velocidade de ação. Mas o que se deve enfatizar no tratamento é a hidratação, que também diminui a laminite. Em casos extremos, podem ser utilizados até sete litros de soro por dia. É preciso uma observação cuidadosa. Se não há acompanhamento, quando o criador nota, o animal já está muito debilitado. JCC - Quais são os animais mais sensíveis à bactéria? LFS - A doença atinge mais, mas não exclusivamente, animais soltos. O cavalo introduzido é muito mais sensível. Há uma ocorrência significativa de gente que parou de criar equinos por esse motivo.

JCC - Qual é, em média, a taxa de mortalidade por EME? LFS - Por rebanho, em média, 5% a 20% por ano. O grau de infecção é bem grande e depende das condições climáticas do lugar e do nível da lagoa. JCC - Existem outras formas de infecção? LFS - A bactéria se aloja também em larvas de libélula. Se o cavalo acidentalmente ingeri-las, pode se infectar. Mas isto é raro, assim como é rara a infecção por transfusão sanguínea.

Geral

Atividades práticas são novidade no III Congresso do Cavalo Crioulo Luísa Roig Martins

Foto Felipe Ulbrich

Edição acontece novamente no centro de convenções do Hotel Serrano, em Gramado/RS, e contará com a presença de palestrantes internacionais

N

a terceira edição do Congresso do Cavalo Crioulo, que ocorre entre os dias 15 e 17 de março na cidade gaúcha de Gramado, não serão somente as já tradicionais mesas-redondas, os painéis e as palestras a ganharem espaço na programação. A grande novidade deste ano é um dia exclusivo a uma série de atividades práticas, que abordarão temas como ultrassom, inseminação artificial e morfologia. O evento, organizado em parceria pela Associação Brasileira dos Médicos Veterinários de Equídeos (Abraveq) e pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), terá sede no Serrano Convenções, Resort e Spa. O Congresso de foco técnico-científico, paralelo ao III Simpósio Abraveq

48 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Sul, aceita inscrições até o dia de seu início, através do site www.abraveqsul.com.br - onde também constam informações sobre transporte, hospedagem e turismo em Gramado. O investimento é de R$ 200,00; não é preciso cadastro prévio nas oficinas programadas para a manhã do dia 17. De acordo com Carlos Eduardo Nogueira, professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e integrante da Comissão Científica da Abraveq, as atividades práticas serão demonstrativas e interativas. O que alavancou a proposta foi o fato de o Congresso receber muita gente - principalmente de outros estados - que, mesmo envolvida com o cavalo Crioulo, tem pouco contato com a raça. “Sem dúvida as discussões de cunho teórico são

importantes, mas a ideia é fazer com que as pessoas presenciem e observem de perto os procedimentos”, destacou. Ao todo, são quatro oficinas: duas vinculadas à ABCCC (Morfologia para Julgamento e Morfologia Standard da Raça) e duas à Abraveq (Rx digital, Ultrassom e Endoscopiae Biotecnia, Inseminação Artificial e Transferência de Embriões). Os participantes serão divididos em quatro grupos, que farão rodízio a cada 40 minutos - tempo de duração de cada demonstração. “São explicações simples e rápidas sobre os pontos que entendemos como fundamentais na área de tecnologia”, aponta o professor. A inclusão das atividades práticas na programação do III Congres-

so do Cavalo Crioulo tem como uma das principais metas eliminar falsos conceitos. Nogueira exemplifica: quem compra um ultrassom nem sempre resolve os problemas de reprodução na cabanha, quem usa sêmen congelado nem sempre consegue diminuir a quantidade de éguas vazias. “Os meios de imagem, por exemplo, são auxiliares do veterinário, mas não andam sozinhos. É preciso embasamento. Nossa ideia é desmistificar alguns pontos e salientar a importância de se ter um técnico habilitado.” Com isso, conforme o professor, o leigo se aproxima dos conceitos e vai ao encontro da lógica de aprofundamento técnico-científico que já vem sendo delineada pela Abraveq.

Painéis e mesas-redondas Após realizar dois simpósios (em outubro de 2011, na Associação Rural de Pelotas/RS, e em maio deste ano, no Parque Feio Ribeiro, em Maringá/PR), a ABCCC prepara-se para contribuir ainda mais com o fomento da atividade crioulista. O III Congresso do Cavalo Crioulo visa À troca de experiências sobre a raça, através de um espaço de diálogo e interação direta entre especialistas, profissionais de renome internacional e diretoria da ABCCC com proprietá-

rios de cavalos Crioulos, acadêmicos e demais interessados no tema.

mação segue com palestras sobre reprodução, pelagem, patologias, cuidados com potros, morfologia, medicina preventiva, Freio de Ouro, mercado e perspectivas para o futuro. A programação completa pode ser acessada em www.abraveqsul.com.br

Sexta-feira (15/3)

17h - 18h

14h - 14h30min

Mecanismos Genéticos de transmissão de pelagens Heden Luiz Marques Moreira/ UFPel e João Vicente Sá

Mauro Ferreira

14h30min - 15h30min Utilização de sêmen a fresco e congelado Eduardo Malchitzky/Ulbra

15h30min - 16h30min Biotécnicas: Inseminação Artificial e Transferência de Embriões Lorena de Carli - Estância Vendramin-Ponta Grossa/PR

9h - 9h30min

Cuidados com os potros A abertura ocorre na sexta-feira, dia na primeira semana 15, às 14h, com a fala do presidente da vida - Siobhan B. ABCCC, Mauro Ferreira. A progra- McAuliffe/ Argentina.

Confira a programação

Abertura Presidente da ABCCC

Mediador: Flávio de la Corte

Mediador: Mauro Ferreira

18h - 19h

Mediador: Marco Coutinho

9h30min - 10h Principais alterações no neonato em potros crioulos -

Sábado (16/3) 8h - 9h Cólica, diagnóstico, tratamento e profilaxia - Jarbas Castro Jr/ RS e doutor Rodgerson - EUA

Ferreira Martins/UFPel

16h30min - 17h30min Treinamento Freio de Ouro, Marcha, Rédeas e Morfologia - Zeca Macedo, Roberto Jou,

Alberto Patron e Lauro Varela - Mediador: Álvaro Dumoncel

Fernando Velo e Cládis Martins

17h30min - 18h30min

10h30min - 11h30min

Mesa-redonda: Cavalo Atleta - Zeca Macedo, Roberto Jou,

Zeca Macedo e Álvaro Dumoncel

Alberto Patron, Lauro Varela, Álvaro Dumoncel, Flávio de la Corte, Carlos Eduardo Nogueira, Charles Ferreira Martins e Wilson Fernandes

11h30min - 12h30min

Domingo (17/3)

Mitos e verdades do julgamento.

Perspectivas para o Futuro Mauro Ferreira e José Laitano/ABCCC

8h - 12h30min

14h - 15h

- Rx digital, ultrassom e endoscopia

Mercado do Cavalo Crioulo André Galvão Cintra FAJ/SP, Marcelo Silva e Fábio Crespo

associadas ao desempenho funcional no Freio de Ouro 2011/2012 - Charles

Medicina Preventiva Cavalo Atleta Flávio de la Corte/UFSM, Carlos Eduardo Nogueira/UFPel e Wilson Fernandes/USP

15h - 16h Características biométricas

Atividades práticas

- Biotecnia, inseminação artificial e transferência de embriões - Morfologia para julgamento (Luiz Martins Bastos Neto) - Morfologia standard da raça (Rodrigo Teixeira/ABCCC)

LEILÃO VIRTUAL A E VO L U Ç ÃO D A Q UA L I D A D E 31 de março de 2013 - 21h - (domingo)

animais Fotos: La Rural Foto e Vídeo

36

TODOS OS ANIMAIS DA OFERTA DESTE LEILÃO VIRTUAL DA ITAPORORÓ & SANTA MARTA, ESTÃO AUTOMATICAMENTE PARTICIPANDO DA PROMOÇÃO SHOW DE PRÊMIOS. PRÊMIO DE ATÉ

U$ 12.000,00 ( doze mil dólares) cada animal comercializado neste leilão.

VOCÊ INVESTE NA GENÉTICA MULTI-CAMPEÃ DA ITAPORORÓ & SANTA MARTA E PODE GANHAR UM BOLÃO! CONFIRA O REGULAMENTO NO SITE: WWW.ITAPORORO.COM.BR | WWW.TRAJANOSILVA.COM.BR Projeto Gráfico

Transmissão:

Leiloeira: (51) 3028.2828 www.trajanosilva.com.br

50 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Geral

Boas pastagens para o bem-estar animal Luísa Roig Martins Foto Ceni Adriano

Estudos apontam mudanças Durante centenas de anos, os cavalos mantiveram sua sobrevivência tendo como fonte alimentar as pastagens naturais, que tinham como característica principal a mistura de diferentes espécies vegetais. Isso deu aos animais uma grande capacidade seletiva: eles ingeriam dietas completas que satisfaziam suas necessidades nutricionais sem a interferência humana. Com o inevitável processo de domesticação, houve uma diminuição da variedade de forrageiras, gerando uma mudança nutricional e comportamental nos equinos e, por vezes, alterando até mesmo sua capacidade de digestão e conversão, dando margem ao aparecimento de doenças como a síndrome cólica, as diarreias e a anemia. As informações são de estudo orientado pelo engenheiro agrônomo e professor da Universidade Paranaense (Unipar), Paulo Cecon.

Faz parte da natureza dos cavalos passar cerca de 15 horas diárias em pastejo comendo pequenas porções

I

magine que, na hora do almoço, seu prato seja deslocado de cima da mesa e posto no chão. Não será impossível comer, mas com certeza mais penoso e menos confortável porque se alimentar à mesa é o natural do ser humano. Em se tratando de cavalos, ocorre o contrário. Fisiologicamente condicionados a comerem do chão, devido ao seu hábito herbívoro, qualquer alteração de altura na oferta da pastagem pode alterar seu bem-estar. “Para uma maior qualidade de vida, os animais estabulados devem ser aproximados, o máximo possível, da sua natureza biológica”, afirmou Isabella Barbosa Silveira, zootecnista e docente da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Esta é apenas uma analogia que a professora utiliza para exemplificar que a pastagem oferecida nas cabanhas tem relação direta com a

saúde dos equinos. Não só no que diz respeito a sua qualidade, como também à forma com que é distribuída. Segundo ela, faz parte da natureza dos cavalos passar cerca de 15 horas diárias em pastejo, comendo pequenas porções, várias vezes ao dia. “Nos estábulos é preciso cuidado, por exemplo, ao oferecer apenas duas dietas por dia. O trato digestivo desses animais é pequeno e não comporta grandes refeições, comprometendo a questão fisiológica.” Ela cita a cólica como um dos grandes problemas oriundos desta situação. Para além da biologia da espécie, uma atenção especial às mudanças que ocorrem ao chegar uma nova estação. Para a região sul, o período crítico em termos alimentares é o inverno, devido à escassez de pastagem nativa. “Alguns criadores já começam a preparar a pastagem de

inverno a partir deste mês. Normalmente, o azevém e a aveia são utilizados para suprir a falta de campo nativo”, aponta a professora. De acordo com ela, após dois anos de rígida seca, este verão contou com chuvas regulares que beneficiaram o aporte forrageiro. A região Sul do Brasil é beneficiada pelo bioma pampa, que oferece uma grande extensão de campo nativo e natural. “Temos uma vantagem econômica em relação às outras regiões do país, que precisam implantar essa pastagem”, diz Isabella. A principal diferença das pastagens naturais para os concentrados e as rações, destaca ela, é a quantidade de fibras. “Para um animal sensível e delicado em relação à alimentação, este é um ponto ao qual os criadores precisam atentar”, sugere.

Para amenizar o problema, basta oferecer alimentos de alta qualidade, tanto de forragens quanto de suplementação concentrada. Isso garante o crescimento saudável e uma excelente condição física dos animais. Tudo isso, é claro, respeitando a fisiologia equina. Por causa de seu hábito de pastoreio, a escolha mais apropriada é por forrageiras de crescimento rasteiro.

Características importantes nas forragens - Crescimento agressivo - Resistência ao pisoteio - Alto valor nutritivo - Baixa exigência em fertilidade do solo - Boa palatabilidade - Adaptação às condições climáticas da região

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 51

OK Geral

Alma de Gato Cala Bassa é o cavalo Crioulo nos EUA Maysa Maciel

Canibalismo Apresentação do autor

Foto Waltenberry

Fernando de Oliveira Souza Médico, produtor rural e professor universitário

A

Montado por Roberto Jou, animal foi destaque no Futurity em 2012

O

cavalo Crioulo Alma de Gato Cala Bassa participará no próximo mês do National Reining Breeders Classic (NRBC). O evento é a mais importante disputa de criadores de cavalos de rédeas dos Estados Unidos e se realizará em Houston, no Texas entre os dias 16 e 21 de abril.

Alma de Gato está sendo treinado pelo cavaleiro americano Duane Latimer, considerado um dos cinco melhores do mundo na modalidade desde dezembro, quando conquistou a quinta colocação na final no NRHA Futurity - uma das maiores provas de rédea do mundo. A vitória, conquistada pelas mãos do cavaleiro Roberto Jou, abriu as portas do circuito mundial de disputas. O evento, que está em sua 15ª edição, nunca contou com a participação de outra raça. O sangue Crioulo é o primeiro diferente a chegar às arenas da disputa, que desde seu lançamento em 1997 é de domínio dos Quartos de Milha. De propriedade da Cabanha Dom João, de Porto Alegre, Alma de Gato Cala Bassa tem genética de Piraí 1569 do Brazão e Beta Cala Bassa e é de criação do gaúcho Marcelo 52 Cavalo Crioulo | Março, 2013

Rezende Móglia. Além das competições citadas, o conjunto também participará do NRHA Derby, em Oklahoma City, ainda neste ano.

Destaque mundial Após ficar entre os cinco melhores potros do mundo no NRHA Futurity & Adequan - uma das maiores provas de rédea do mundo que aconteceu no final de 2012 na cidade de Oklahoma, nos Estados Unidos -, o cavalo Crioulo Alma de Gato Cala Bassa e seu cavaleiro Roberto Jou foram destaque na edição de fevereiro da revista americana Reiner da National Reining Horse Association (NRHA). Com direito a três páginas exclusivas, a matéria que recebe o título A Win for Crioulos in the Futurity Finals (em tradução livre: Uma vitória para os Crioulos na final do Futurity) enaltece a participação da dupla brasileira na competição e afirma que o seu desempenho “apimentou” a disputa. A reportagem pode ser conferida on-line nas páginas 130, 131 e 132 no site da revista <http://digitaleditions.sheridan.com/publication/?i=144388>

ssistindo no último Planeta Atlântida ao sertanejo Luan Santana cantar com o músico gaúcho Joca Martins e todo o público assistente a música Querência amada, verdadeiro hino deste Estado, me recordei de uma crônica de Arnaldo Jabor sobre o Rio Grande do Sul, quando ele dizia que este é um estado diferente dos demais do Brasil: entre outras coisas comentava que aqui se canta o hino do Estado com maior empolgação que o Hino Nacional e que não conhece outro lugar em que uma bebida integre as pessoas quando passada de mão em mão como o nosso chimarrão. Faço esta introdução para comentar o recente escândalo alimentar na Europa quando se descobriu que na venda de hambúrgueres, lasanhas e espaguetes à bolonhesa, pretensamente de carne bovina, na realidade estava sendo oferecida para a população carne de cavalo, o verdadeiro “gato por lebre”. Não que a carne de cavalo faça mal à saúde das pessoas, excetuando-se aí a detecção de fenilbutazona, analgésico e anti-inflamatório, que deveria estar sendo usado por se tratarem de animais velhos, certamente com problemas articulares.

Não que a carne de cavalo faça mal à saúde das pessoas, mas ela faz muito mal ao coração dos gaúchos. “Quem sou eu sem meu cavalo, o que será dele sem mim, porque quando morre um cavalo, morre um pedaço de mim”, diz o verso da música O gaúcho e o cavalo cantada pelos Monarcas. A relação do gaúcho com o cavalo é tão antiga quanto a história deste Estado e é certamente responsável por muitas de suas conquistas, de tal forma que o gaúcho, principalmente do interior, tem por este animal uma afeição que supera qualquer limite. O nosso cavalo crioulo, me desculpem os criadores de manga-larga marchador que até enredo de escola de samba foi na Sapucaí, é insuperável e representa, entre outras coisas, o que este Estado tem de melhor. Por isto, partindo do princípio que no mundo nada se cria, tudo se copia, no caso de alguém ter tido a mesma ideia dos europeus aqui neste Estado, sugiro que isto seja repelido com a maior veemência, porque para nós comer carne de cavalo é quase um canibalismo.

* Confira os remates agendados para os meses de março e abril Março Dia 14

21h – 4º Leilão Viragro Seleção e Amigos – Guaíba/RS

Dia 16

20h – 4º Leilão Vem que Tem – Rio Grande/RS

Dia 20

21h – V Leilão Marcas e Rumos – Esteio/RS

Dia 22

21h – Remate de Matrizes – Butiá e Infinito – Esteio/RS

Dia 23

Abril Dia 13 21h – Leilão Cabanha da Charqueada – Esteio/RS

Dia 17 21h – Leilão Reservada – Esteio/RS

Dia 18 21h – Cabanha Itaó e Macanudo – Esteio/RS

Dia 19

21h – 18º Remate Anual São Rafael – Balsa Nova/PR

21h – Leilão 3J, La Castellana e Don Marcelino – Esteio/RS

Dia 24

Dia 20

21h- Leilão Estirpe Crioula – São Lourenço do Sul/RS

Dia 31

21h- Leilão Potros Itapororó e Santa Marta – Remate Virtual

21h – Leilão Agropecuária Scwanke

Dia 21 21h – Leilão Cabanha Maufer

Marรงo, 2013 | Cavalo Crioulo 53

OK

1 Local de onde, no século XVI, vieram os animais dos quais o cavalo Crioulo descende 2 Mês em que foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos 3 Primeiro campeão do Freio de Ouro 4 Surgiram na década de 70 para provar a qualidade da raça e impulsionar a ABCCC 5 Cidade gaúcha em que ocorreu o primeiro esboço da competição que virou o Freio de Ouro 6Ginete mais premiado na história do Freio de Ouro 7 Um dos objetivos da criação da ABCCC em 1932 8 Sinal que identifica a propriedade na qual o animal foi criado 9 São oito as que dividem o território nacional e norteiam a criação e a realização de provas da raça 10 Em 1993, pela primeira vez, o Freio de Ouro teve distinção de gênero. A primeira fêmea vencedora foi 11 Classificatória ao Freio de Ouro que seleciona exclusivamente animais inéditos 12 Prova tradicional no Rio Grande do Sul oficializada pela ABCCC em 1992 13 País em que foi popularizada a modalidade Movimiento a la Rienda 14 Exame implementado em 2012 nas etapas classificatórias ao Freio de Ouro para controlar o uso de substâncias proibidas em cavalos de esporte 15 Pode acontecer em qualquer época do ano e, a critério do criador, ser dirigida ou a campo

54 Cavalo Crioulo | Março, 2013

2 4 5 9 13

1

6 7

10

3

14 15

12 8

11

1. Península Ibérica; 2. Fevereiro; 3. Itaí Tupambaé; 4. Provas Funcionais; 5. Jaguarão; 6. Milton Castro; 7. Padrão Racial; 8. Marca; 9. Regiões; 10. Gaita do MataOlho; 11. Bocal de Ouro; 12. Crioulaço; 13. Argentina; 14. Antidoping; 15. Padreação

Geral

OK

Fábio Vaccaro e Cristiane Skzypek Vaccaro

Romaldo e Sônia Skzipek

Francisco Vaccaro

Luiz Weber, Fábio Vaccaro, Sérgio Turra e Luiz Antônio Raupp

Rogério Bronzato, Jardel Bronzatto, Fábio Vendruscolo, Vilson Bilibio e Jaime Ghislen

Tiago Persici e Manoel Pons

Renato Marrone, Gilberto Gonçalves e Franscisco Fleck

Luiz Rodolfo Machado julgou a morfologia de Guarapuava

Petter Christians e Antônio Correa

Jurados foram homenageados em Nonoai/RS

Palestra técnica em São Francisco de Assis/RS

Romeu Koch em Urupema/SC

Fotos: Alexandre Freitas, Ceni Adriano, Conrado Lima Amaral, Raulino Cordova, Dilhermano Messa, Divulgação.

Março, 2013 | Cavalo Crioulo 55

NA

QUINTA DO BOCAL

Jura e Infância

Escolha uma prenhez das campeãs da Itaó e outra das campeãs da Macanudo, com o garanhão de sua preferência! Coberturas de pais consagrados, potrancas e potros para fazer campanha, éguas premiadas na Expointer, mães de campeões e de finalistas do Freio de Ouro!

Cumparcita

LEILOEIRA

Brahma Extra

PROJETO GRÁFICO

TRANSMISSÃO

Pista J - Esteio 18 de abril 21hs


Jornal Cavalo Crioulo - Março 2013