Issuu on Google+

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

----------PROVÍNCIA DE GAZA

Massangena

Chicualacula

Chigubo Mabalane Massingir Guijá

Chibuto

Chókwé

Manjacaze Xai-Xai

Bilene

Macuacua

Xhalala

Chibonzane

Mandlakaze Mazucane Chidenguele Nguzene

Dezembro 2008 com assistência técnica do PNUD e FAO

Distrito de Mandlakaze

I I

Indice

INDICE ..................................................................................................................................... I

II ABREVIATURA ........................................................................................................................ 1 III SUMÁRIO EXECUTIVO .......................................................................................................... 2 IV – METODOLOGIA ................................................................................................................... 4 1. – SITUAÇÃO ACTUAL DO DISTRITO ................................................................................. 5 1.1 1.2 1.3 1.4 1.4.1 1.4.2 1.4.3 1.4.4 1.4.5 1.5 1.5.1 1.5.2 1.5.3 1.5.4

– LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA ................................................................................................... 5 – RESENHA HISTÓRICA ............................................................................................................ 5 – DIVISÃO ADMINISTRATIVA .................................................................................................... 5 – CONDIÇÕES FÍSICO – NATURAIS DO DISTRITO ....................................................................... 6 – Topografia .....................................................................................................6 – Tipo de Solos e Vegetação ...............................................................................6 – Clima.............................................................................................................7 – Hidrografia .....................................................................................................7 – Geologia ........................................................................................................8 – POPULAÇÃO E ASSENTAMENTOS HUMANOS ............................................................................. 8 – Demografia ....................................................................................................8 – Caracterização Sócio-Cultural ...........................................................................9 – Caracterização Sócio-Económica ..................................................................... 11 - Pobreza, Vulnerabilidade e Insegurança Alimentar ............................................ 11

1.6 1.6.1 1.6.2 1.6.3 1.6.4 1.7 1.7.1 1.7.2 1.7.3 1.7.4 1.7.5 1.7.6 1.7.7 1.7.8 1.7.9

– GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS ........................................................................................ 13 – Florestas ...................................................................................................... 13 – Fauna .......................................................................................................... 13 – Terras ......................................................................................................... 14 - Gestão da Agua............................................................................................. 14 – SITUAÇÃO ECONÓMICA ....................................................................................................... 14 – Agricultura ................................................................................................... 14 – Pecuária....................................................................................................... 22 – Pescas ......................................................................................................... 24 – Minas .......................................................................................................... 25 – Comércio ..................................................................................................... 25 – Indústria ...................................................................................................... 26 – Turismo ....................................................................................................... 26 – Análise do Crescimento Espontâneo da Economia ............................................ 26 – Serviços de Utilidade Pública .......................................................................... 29

1.8 1.8.1 1.8.2 1.8.3 1.8.4 1.9 1.9.1

– INFRA-ESTRUTURAS ............................................................................................................ 31 – Rede Viária .................................................................................................. 31 – Rede Ferroviária ........................................................................................... 32 – Abastecimento de Água ................................................................................. 32 – Saneamento e Drenagem............................................................................... 32 – SERVIÇOS SOCIAIS BÁSICOS ............................................................................................... 33 – Educação ..................................................................................................... 33

1.5.4.1 - Pobreza ......................................................................................................................................... 11 1.5.4.2 - Nutrição ......................................................................................................................................... 11 1.5.4.3 - Vulnerabilidade ............................................................................................................................. 12

1.8.9.1 1.8.9.2 1.8.9.3 1.8.9.4 1.8.9.5

1.10.1.1 1.10.1.2 1.10.1.3 1.10.1.4

– – – – –

-

Transportes .................................................................................................................................. 29 Telecomunicações ........................................................................................................................ 29 Aviação ......................................................................................................................................... 30 Energia.......................................................................................................................................... 30 Outros Serviços ............................................................................................................................ 30

Rede Escolar ................................................................................................................................. 33 Efectivo de Docentes .................................................................................................................... 33 Alfabetização e Educação de Adultos .......................................................................................... 33 Recursos Humanos ....................................................................................................................... 34

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

i

Distrito de Mandlakaze

1.9.2

– Saúde .......................................................................................................... 35

1.9.3 1.9.4 1.10 1.10.1 1.10.2 1.10.3 1.10.4 1.10.5 1.10.6 1.11

– Acção Social e Género ................................................................................... 36 – Desporto ...................................................................................................... 37 – SITUAÇÃO INSTITUCIONAL E DE GOVERNAÇÃO ...................................................................... 37 – Administração Pública.................................................................................... 37 – Finanças Públicas .......................................................................................... 38 – Registo Civil e Notariado ................................................................................ 40 – Justiça ......................................................................................................... 41 – Segurança Pública ......................................................................................... 41 – Organizações Parceiras do Distrito .................................................................. 41 – PONTOS FORTES E FRACOS, OPORTUNIDADES E AMEAÇAS ..................................................... 43

1.10.2.1 - Nutrição ......................................................................................................................................... 35 1.10.2.2 - Quadro de Doenças Endémicas ................................................................................................... 35

2

– QUADRO ESTRATÉGICO DO DISTRITO ...................................................................... 53

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO LOCAL.................................................................................... 56 Agricultura ................................................................................................................. 56 Turismo ..................................................................................................................... 56 Pescas ..................................................................................................................... 57 Pecuária ..................................................................................................................... 57 Florestas .................................................................................................................... 57 Indústria .................................................................................................................... 58 Comércio.................................................................................................................... 58 Transporte ................................................................................................................. 59 Minas ..................................................................................................................... 59 Terras ..................................................................................................................... 59 INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS BÁSICOS................................................................................. 60 Água e Saneamento .................................................................................................... 60 Estradas ..................................................................................................................... 60 Energia Eléctrica ......................................................................................................... 60 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ................................................................................... 61 Comunicação .............................................................................................................. 61 Tecnologia.................................................................................................................. 61 Telecomunicações ....................................................................................................... 61 Aviação ..................................................................................................................... 61 Gestão de Recursos Hídricos ......................................................................................... 61 Educação ................................................................................................................... 62 SAÚDE ........................................................................................................................................... 63 Capacidade Institucional .............................................................................................. 63 Saúde Materno-infantil ................................................................................................. 63 Programa Alargado de Vacinações (PAV)........................................................................ 64 Doenças Endémicas e Hiv/Sida ..................................................................................... 64 Acção Social e Género ................................................................................................. 64 Cultura ..................................................................................................................... 64 Desporto .................................................................................................................... 65 Habitação ................................................................................................................... 65 BOA GOVERNAÇÃO, LEGALIDADE E JUSTIÇA .............................................................................. 65 Reforma do Sector Público, Descentralização e Desconcentração ...................................... 65 Planificação Distrital .................................................................................................... 66 Finanças Distrital ......................................................................................................... 66 Segurança e Ordem Pública .......................................................................................... 67 Tribunal ..................................................................................................................... 67 Procuradoria ............................................................................................................... 67 Registos e Notariado.................................................................................................... 67 3 3.1

PLANO DE ACÇÃO ................................................................................................................ 68 PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DO DISTRITO ..................................... 68

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

ii

Distrito de Mandlakaze

3.2 3.3

PLANO DE ACÇÃO: INFRAESTRUTURAS E SERVIÇOS BÁSICOS .................................... 72 PLANO DE ACÇÃO: BOA GOVERNAÇÃO, LEGALIDADE E JUSTIÇA................................. 77

Índice das Tabelas TABELA 1: ESTIMATIVAS DA POBREZA E DESIGUALDADE A NÍVEL DO DISTRITO ........................................ 11 TABELA 2: RESERVAS ALIMENTARES ..................................................................................................... 12 TABELA 3: TIPO E EVOLUÇÃO DO USO DE MECANISMOS EXTREMOS DE SOBREVIVÊNCIA............................. 13 TABELA 4: EVOLUÇÃO, POTENCIAL E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO DOS PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS .. 13 TABELA 5: EVOLUÇÃO DA REDE COMERCIAL .......................................................................................... 25 TABELA 6: CRESCIMENTO ESPONTÂNEO DA PRODUÇÃO ......................................................................... 259 TABELA 7: PRESTAÇÃO DE OUTROS SERVIÇOS ........................................................................................ 30 TABELA 8: ESTRUTURA DA REDE VIÁRIA ................................................................................................ 31 TABELA 9: VIAS DE ACESSO................................................................................................................. 31 TABELA 10: DISTRIBUIÇÃO DOS NÍVEIS DE ENSINO POR POSTO ADMINISTRATIVO .................................... 33 TABELA 11: QUADRO DOS RECURSOS HUMANOS DO DISTRITO ............................................................... 38 TABELA 12: RELAÇÃO DE MEIOS CIRCULANTES E EQUIPAMENTO .............................................................. 38 TABELA 13: ESTADO DE CONSERVAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS ............................................................ 38 TABELA 14: EVOLUÇÃO DAS RECEITAS E DESPESAS CORRENTES DO DISTRITO (CONTOS) .......................... 39 TABELA 15: NÍVEL DE ATENDIMENTO ANUAL PELO REGISTO CIVIL E NOTARIADO ...................................... 40 TABELA 16: UNIDADES POLICIAIS ........................................................................................................ 41 TABELA 17: PROJECÇÃO DA PRODUÇÃO COM BASE NAS TAXAS DE CRESCIMENTO INDUZIDAS ..................... 541

Índice dos Gráficos GRÁFICO 1: DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO POR P.ADM ......................................................................... 8 GRÁFICO 2: GRÁFICO DA EVOLUÇÃO DO ARROZ, MANDIOCA E CASTANHA DE CAJU ................................... 16 GRÁFICO 3: RENDIMENTOS MÉDIOS POR CULTURA ......................................................................... 22 GRÁFICO 4: EVOLUÇÃO, POTENCIAL E POTENCIAL DE CRIAÇÃO DE GADO BOVINO .......................... 22 GRÁFICO 5: EFECTIVO PECUÁRIO .................................................................................................... 23 GRÁFICO 6: INFRA-ESTRUTURAS PECUÁRIAS ..................................................................................... 8

GRAFICO 7: EVOLUÇÃO, POTENCIAL E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO DA PRODUÇÃO PESQUEIRA ........................................................................................................................................................................ 24 GRÁFICO 8: EVOLUÇÃO DA COMERCIALIZAÇÃO GLOBAL .................................................................. 25 GRÁFICO 9: EVOLUÇÃO, POTENCIAL E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO DE SERRAÇÃO DE MADEIRA ... 26 GRÁFICO 10: EVOLUÇÃO, POTENCIAL E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO DA ACTIVIDADE TURÍSTICA……………………………………………………………………………………………………………………………..27 GRÁFICO 11: FONTES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ...................................................................... 32 GRÁFICO 12: COBERTURA SANITÁRIA NO DISTRITO ....................................................................... 36 GRÁFICO 13: ASSISTÊNCIA A TERCEIRA IDADE ............................................................................... 36 GRÁFICO 14: EVOLUÇÃO DAS RECEITAS PROPRIAS ......................................................................... 39 GRÁFICO 15: EVOLUÇÃO DAS RECEITAS FISCAIS ............................................................................. 39 GRÁFICO 16: EVOLUÇÃO DAS DESPESAS PUBLICAS NO DISTRITO .................................................... 40 GRÁFICO 17: EVOLUÇÃO DOS INVESTIMENTOS PÚBLICOS............................................................... 40

Índice das Figuras FIGURA 1: CARTA DA DIVISÃO ADM ....................................................................................................... 5 FIGURA 2: CARTA DE SOLOS ................................................................................................................ 6 FIGURA 3: CARTA DEMOGRAFICA ......................................................................................................... 9 FIGURA 4: CARTA DE VEGETAÇÃO ...................................................................................................... 13 FIGURA 5: CARTA DA REDE VIÁRIA ...................................................................................................... 31 FIGURA 6: CARTA DA REDE SANITÁRIA ................................................................................................. 35 FIGURA 7: ESTRUTURA TIPO DO GOVERNO DISTRITAL ........................................................................... 37 FIGURA 8: VISÃO DO DISTRITO ........................................................................................................... 53

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

iii

Distrito de Mandlakaze

II ABREVIATURAS AMETRAMO

Associação de Médicos Tradicionais de Moçambique

CC’s CdM

Conselhos Consultivos Correios de Moçambique

DEL

Desenvolvimento Económico Local

DRP’s

Diagnóstico Rural Participativo

EP

Escola Primária

EPC

Escola Primária Completa

ESG

Ensino Secundário Geral

IPCC’s

Instituições de Participação e Consulta Comunitária

LOLE

Lei dos Órgãos Locais do Estado

MCAF

Mulheres Chefes de Agregados Familiares

ONG’s

Organizações Não-Governamentais

ODM

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio

PEP

Plano Estratégico Provincial

PEDD

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PQG

Programa Quinquenal do Governo

PARPA

Plano de Acção para a Redução da Pobreza Absoluta

SDAE

Serviços Distritais de Actividade Económica

SDSMAS

Serviços Distritais de Saúde Mulher e Acção Social

SDPI

Serviços Distritais de Planeamento e Infra-Estruturas

SDEJCT

Serviços Distritais de Educação, Juventude, Ciência e Tecnologia

TDM

Telecomunicações de Moçambique

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

1

Distrito de Mandlakaze

III SUMÁRIO EXECUTIVO O Plano Estratégico do Distrito de Mandlakaze é um instrumento de orientação e gestão do desenvolvimento cuja elaboração enquadra-se no processo de descentralização e implementação da Lei dos Órgãos Locais do Estado (LOLE) e do seu Regulamento. Neste contexto, o Governo definiu o distrito como a base da planificação do desenvolvimento económico, social e cultural do país. O presente instrumento, de médio prazo, insere-se no esforço global do Governo para redução da pobreza absoluta, plasmado nos planos nacionais e provincial e respectivos objectivos (PQG, PARPA, PEP). A sua implementação será feita de harmonia com os principais instrumentos de planificação e orçamentação do Governo contando também com apoio de parceiros de cooperação do distrito. A revisão deste instrumento de orientação do Distrito, está prevista para o final do período da sua implementação que será de cinco anos a contar da altura da aprovação. O documento está estruturado em três partes fundamentais: o diagnóstico que descreve sumariamente a situação actual do distrito do ponto de vista económico, social, cultural, de governação bem como de infra-estruturas; o quadro estratégico do distrito que descreve a visão, os objectivos estratégicos e específicos bem como as estratégias; e o plano de acção que descreve de forma detalhada como as estratégias serão implementadas. A situação actual do Distrito, é caracterizada por elevado nível de pobreza relativa em alguns Postos Administrativos susceptíveis à desastres naturais, tais como a seca, que agravam a situação de insegurança alimentar da população. A taxa actual de insegurança alimentar no Distrito situa-se em 13% (DPA). Não obstante o cenário atrás descrito, o Distrito possui enormes recursos agropecuários, turísticos e pesqueiros por explorar que poderão contribuir para contrariar os níveis actuais de desenvolvimento. Neste contexto, foi identificada como Visão do Distrito, “Mandlakazi, produtor agro-pecuário e pesqueiro por excelência, destino turístico e cultural privilegiado, próspero e com bem estar das famílias” e os seguintes principais vectores estratégicos para o seu alcance: o Desenvolvimento Económico Local, o Acesso à Infra-estruturas e Serviços Básicos e a Boa Governação. As estratégias de desenvolvimento do Distrito assentam, fundamentalmente, na melhoria da renda, segurança alimentar e nutricional das famílias através da modernização da agro-pecuária, promoção do turismo e pescas bem como a gestão sustentável dos recursos naturais. O acesso da população à infra-estruturas e serviços sociais de qualidade, bem como a melhoria da eficiência e eficácia do funcionamento das instituições do Distrito, através de uma boa governação orientada para busca de oportunidades de investimento, constituem aspectos complementares para o alcance da Visão. Como forma de capitalizar as vantagens comparativas e reduzir as assimetrias no acesso aos serviços básicos e outros recursos no Distrito, as acções propostas no presente plano são apresentadas de forma territorializada.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

2

Distrito de Mandlakaze

A responsabilidade pela elaboração deste Plano de Desenvolvimento é do Governo do Distrito de Mandlakaze e contou com apoio da Equipa Técnica de Planificação Distrital e a assistência técnica da Equipa Provincial de Apoio à Planificação.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

3

Distrito de Mandlakaze

IV – METODOLOGIA O Plano de Desenvolvimento do Distrito de Mandlakazi foi elaborado de forma participativa num processo de diálogo entre o Governo do Distrito, Sociedade Civil, sector privado, ONGs e associações de produtores. Para o efeito, foram realizados diagnósticos comunitários e utilizados os mecanismos institucionais de diálogo entre o Governo e a Sociedade Civil já estabelecidos no distrito, que são os Conselhos Consultivos e Fóruns aos diferentes níveis. A elaboração do plano compreendeu várias fases, desde o Diagnóstico até a Aprovação, num processo interactivo que seguiu sempre um ciclo com o seu início a nível da base, as aldeias, até ao distrito no Conselho Consultivo do Distrito. Nas sessões de DRP’s (Diagnóstico Rural Participativo) participaram 6460 pessoas e resultaram na elaboração de Planos de Acção Comunitária, instrumentos de orientação do desenvolvimento do nível da comunidade. Os órgãos participativos e consultivos aos diferentes níveis são compostos de membros homens e mulheres eleitos, representando diferentes subgrupos: Governo, autoridades comunitárias, camponeses, religiosos, privados, organizações parceiras do distrito e outros subgrupos de interesse a nível das comunidades. Entretanto, posteriormente (em 2010), constatou-se a necessidade de melhorar, de forma mais metódica, a abordagem de Desenvolvimento Económico Local (DEL) no presente documento, tendo, para o efeito, sido constituído o Grupo de Trabalho Local de DEL (GTD-DEL), composto pelos actores acima referidos, que procedeu ao dimensionamento das potencialidades, identificação dos vectores de desenvolvimento do distrito e análise das respectivas cadeias de valor, identificação de acções de marketing territorial, bem como à recolha e inserção de informação sobre os pilares de DEL. As actividades e processos para elaboração do plano foram orientados de modo a permitir a participação dos diferentes grupos e subgrupos. Deste modo, constituíramse de acordo com os objectivos da sessão, grupos de discussões temáticas separados ou mistos de homens e mulheres e com base nos interesses que os membros representam. As sessões de grupos eram seguidas de discussões em plenária para busca de consensos. Uma variedade de instrumentos e métodos de diagnóstico participativo como matrizes, mapas, guiões, entrevistas, caminhadas transversais, etc. auxiliaram nas discussões, priorizações e tomadas de decisões durante as sessões. Com auxílio dos instrumentos e métodos de diagnósticos participativos, foram realizados exercícios com grupos específicos nas comunidades e visitas para observação directa no terreno como complemento do processo nos grupos ou fóruns. Neste sentido, os resultados aqui apresentados, na forma do PEDD de Mandlakaze, seguiram sempre a lógica de consulta participativa – harmonização técnica e política – consulta participativa, onde os principais actores foram os Conselhos Locais, população em geral, Governo/Direcções distritais e provinciais, técnicos distritais e provinciais, sector privado, ONGs e associações de produtores e também os parceiros.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

4

Distrito de Mandlakaze

1. – SITUAÇÃO ACTUAL DO DISTRITO 1.1 – Localização Geográfica O Distrito de Mandlakazi situa-se a Sul de Moçambique, entre as latitudes de 24º 04’ 19’’ e 25º 00’00’’ Sul e entre as longitudes de 33º 56’ 17’’. A Norte está limitado pelo Rio Uwaluezi, braço do Rio Changane que o limita com o Distrito de Chibuto; a Sul o Oceano Indico; na parte Oeste estão os Distritos de Chibuto e Xai-Xai e a Este os distritos de Inharrime, Panda e Zavala da Província de Inhambane. Figura 1: Carta da Divisão Administrativa

1.2 – Resenha Histórica Mandlakazi é um Distrito histórico da Província de Gaza, e foi a terceira e última capital do império de Gaza depois de Chaimite (Chibuto), primeira capital, e Mussorize (Manica), segunda capital. Existem comunidades dos Xopes ao longo da costa, fortemente divididas em linhagens de famílias alargadas como os casos dos Mungoi, Chemane, Munguambe, Bahule, Langa, Banze, Dengo, Matsinhe e dos Cambane já no interior. Sobre esta última comunidade, destacam-se às famílias Mondlane e Maússe. O nome “Mandlakazi” foi atribuído a este Distrito depois de uma disputa que o Rei Ngungunhane teve com o Rei Xope para dominar a região dos Cambane e Xope por Volta do século XIX. Depois de conseguir vencer à guerra, o Rei Ngungunhane deu o nome de “ Mandlayangazi” que significa “Mãos de Sangue”. 1.3 – Divisão Administrativa O Distrito ocupa uma superfície de 3.797 Km² correspondentes a 4.8% da superfície total da província de Gaza. O mesmo está dividido em sete (7) Postos Administrativos nomeadamente Chalala, Chibonzane, Chidenguele, Macuácua, Mazucane, Nguzene e Posto Sede, e possui um total de 19 Localidades distribuídas pelos diferentes Postos Administrativos. O Município da Vila de Mandlakaze localizase no Posto Sede.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

5

Distrito de Mandlakaze

1.4 – Condições Físico – Naturais do Distrito 1.4.1 – Topografia O Distrito de Mandlakazi tem uma altitude média inferior a 100 metros, exceptuando pequenas manchas de elevações com 100 a 200 metros de altura que se situam sobretudo no Posto Administrativo de Chidenguele. 1.4.2 – Tipo de Solos e Vegetação Figura 2: Carta de Solos

compostos por solos argilosos de aluviões turfosos e profundos.

No Sul, Posto Administrativo de Chidenguele, destaca-se o grés costeiro, depressões ocupadas por lagos junto à costa. Nos Postos Administrativo s de Nguzene e Chibonzane destacam-se depressões ocupadas por vales

O relevo do Distrito é muito ondulado junto à costa e suave no interior. Predominam formações dunares de sedimentos arenosos, depósitos aluviais (Sudeste) que são uma continuação da unidade geomorfológica do vale do Limpopo. Em termos morfológicos e pedológicos encontram-se principalmente as seguintes formações: -

Dunas compostas por solos arenosos que ocorrem junto à costa (Sul); Depressões ocupadas por lagoas que ocorrem junto à costa (P.A. de Chidenguele) e na zona central do distrito (Posto Administrativo de Chibonzane); Planície de acumulação marinha que são as formações predominantes no Distrito compostas por solos arenosos; e Planícies baixas de natureza sedimentar fluvio-marinha, com solos arenosos amarelados, brancos muito profundos (no P.A. de Macuácua).

As principais formações vegetais do Distrito, que ocupam cerca de 92.180 ha, são: -

Brenhas costeiras ao longo da costa e formações lenhosas das zonas aluvionares ao longo dos rios, nas margens das lagoas e depressões diversas. Este tipo de vegetção é sempre verde, sub – planáltica, de mato cerrado e esparso;

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

6

Distrito de Mandlakaze

-

Vegetação herbácea passando de arbustos à árvores de grande porte (Mecrusse e Chanfuta) que constituem a maior fonte de madeira valiosa no Distrito e Província. Estas últimas espécies, de 1ª classe, existem em abundância no norte do Distrito, em Macuácua;

-

Savana Decídua de Miombo, constituída maioritariamente pelo n’Tamba ou Tsonzo (árvores), largamente usadas como combustível lenhoso e é bastante apreciado pelo seu valor energético e facilidade de combustão.

1.4.3 – Clima O Clima do Distrito é tropical seco de estepe no interior e húmido no litoral. As temperaturas médias mensal e anual situam-se entre os 20 e 28º C e acima de 24º C, respectivamente. Os níveis de precipitação estão distribu��dos irregularmente entre os meses de Novembro a Março, sendo que o volume de precipitações anual varia entre 400 a 950 mm. A pluviosidade vai aumentando de Norte para o Sul do Distrito, facto que tem efeitos directos no período de crescimento anual das plantas, que sobe de 150 dias no Norte do Distrito para 270 dias no Sul. A evapo-transpiração é geralmente superior a 1500 mm e a precipitação média anual situa-se entre 400 a 950mm. As elevadas temperaturas, aliadas à fracos níveis de precipitação provocam insuficiências na disponibilidade de água. Os principais factores que influenciam o clima do distrito são: (i) a corrente quente do Canal de Moçambique, e (ii) a célula de altas pressões localizada no Sul da África do Sul. A acção destes dois factores resulta nas mudanças constantes de temperatura na região, principalmente na zona costeira. 1.4.4 – Hidrografia O Distrito de Mandlakazi possui cerca de 70 lagoas que são o seu principal potencial hídrico. Estas lagoas partem geralmente de nascentes e formam uma cadeia interligada de lagoas que nas encostas desenvolvem hidromórficos bastante ricos em matéria orgânica que cobrem uma área de cerca de 4500 has. As lagoas mais importantes são: Sulué no Posto Sede, Nhambavale em Chidenguele, Marrangoe em Chibonzane, Djongué em Macuácua e Chihanguane, Mbembezi, Nwatsetsela, Muturi, Nhaurongole em Chalala. De todas as lagoas existentes a maior é a de Nhambavale com cerca de 35 km de comprimento. Algumas lagoas são sedimentares pantanosas e apresentam uma salobridade moderada à baixa, o que torna os solos a volta ligeiramente ácidos (pH entre 6 e 7). Os lagos e lagoas são ricos em peixe e podemse encontrar várias espécies marinhas ao longo da Costa de Chidenguele. Os dois rios mais importantes do Distrito são o Rio Mangoenhane, afluente do rio Inharrime, e o rio Changane que faz fronteira à Norte com o distrito de Chibuto. O Distrito tem ainda aquíferos (águas subterrâneas) de alta produtividade, cuja profundidade varia entre 20 e 100 metros. Os aquíferos localizam-se em duas regiões: (i) Região de aquíferos predominantemente inter granulares com direcção a sudeste ao longo da área de geomorfologia de fundo dos vales baixos com depósitos aluviais. Acompanha, também, o limite a leste do Distrito Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

7

Distrito de Mandlakaze

até a região das lagoas do Posto Administrativo de Chibonzane, Localidade de Ponjuane, onde aparecem vários estratos destes aquíferos. Em termos hidrogeológicos, esta região é caracterizada por areias médias a finas de origem eólica e marinha; e (ii)

Região de aquíferos locais de produtividade limitada ou áreas em água subterrânea significativa. Esta subdivide-se em duas sub-áreas: a primeira, a mais vasta do Distrito, ocupa a área central até o centro do Posto Administrativo de Macuácua. É Caracterizada por dunas do Quaternário de areias médias a muito finas, argilosas, também de origem eólica e/ou marinha; a segunda localiza-se no extremo Norte, na área de planície baixa de natureza sedimentar fluvio – marinha, definida por aluviões e terraços do Quaternário.

1.4.5 – Geologia O extremo Norte do Distrito (P.A. Macuácua) possui depósitos indiferenciados. Na parte oriental (P.A. de Chibonzane) existem algumas manchas de aluviões, calcário lacustre e sedimentos arenosos. Em recursos minerais, de grande valor económico, ocorrem apenas o diamontite. Ao longo da costa predomina o grés costeiro, solos turfosos em Chibonzane e arenitos em todo o Distrito. 1.5 – População e Assentamentos Humanos 1.5.1 – Demografia De acordo com o CENSO 97, a população de Mandlakaze é de 161.147 habitantes e tem uma densidade populacional estimada de 53 habitantes por km 2. O Distrito apresenta uma população jovem, da qual 45% tem idade inferior a 15 anos, e a percentagem de mulheres é de 57%. A distribuição da população é irregular, e encontra-se mais concentrada na regiões do Centro e Sul do Distrito. Os maiores aglomerados estão localizados nos Postos Administrativos de Chidenguele (39.294 habitantes, 24,4%) e Nguzene (28.667 habitantes, 17,8%). Gráfico 1: Distribuição da População por P.Adm

Chalala

Chibonzane

Chidenguele

Mazucane

Nguzene

Mandlakaze

Macuácua

Fonte: Secretaria Distrital, 2007.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

8

Distrito de Mandlakaze

Figura 3: Carta Demografica

O total da população do Distrito tem sofrido variações devido ao movimento migratório da população economicame nte activa para a República da África do Sul, cidade de XaiXai e cidade de Maputo. No entanto, com a estabilidade política, parte da população deslocada retornou ao Distrito, repovoando as ”zonas” de origem, o que associado ao crescimento natural e às novas políticas do governo sobre promoção do desenvolvimento rural, faz com que a população do Distrito tenha crescido nos últimos anos. 1.5.2

– Caracterização Sócio-Cultural

A habitação típica do Distrito de Mandlakazi é a casa de “pau a pique” com as seguintes características: redondas com paredes de caniço e paus; maticada com solos; resinadas com pavimento em terra batida ou argila; e com tecto de capim ou caniço. As casas de madeira e zinco são construídas de bloco ou tijolo, e correspondem apenas à 14% do total das habitações do Distrito. A maior parte das habitações têm latrinas (55%). As danças tradicionais (Macuaela, Ngalanga, Timbila, Makuae, Macessa, Ndlama, Xingomane, Xingombela, Baiela, entre outras); o uso de instrumentos como Xitende, Xigovila, Xipendane, Xizambiza, Ximbveca, Mbalapala, entre outros; o canto e a poesia são manifestações de carácter cultural praticadas no Distrito. Mandlakaze é também rico em idiomas destacando o Chope, Changana e Chicambane. A cerimónia tradicional “ KUTCHINGA1” é uma das mais utilizadas para a purificação das (os) viúvas (os), prática esta que pode concorrer para o aumento dos índices de HIV/SIDA. Um outro aspecto que também concorre para a propagação dessa doença é a prática da poligamia. Existem locais de interesse cultural e histórico, de onde se destacam o Museu Aberto de Nwadjahane (Aldeia Natal de Eduardo Chivambo Mondlane); a Tambeira, centro do poder de Ngungunhane, local onde o imperador dava as suas ordens e distribuía tarefas aos seus subordinados; e o Monumento de Ngungunhane (busto do O Kutchinga consiste em: 1. No caso da mulher perder o seu marido, esta deve manter relações sexuais desprotegidas para a sua purificação com um homem da família do seu falecido marido (irmãos mais novos do falecido marido, sobrinhos nascidos pelas irmãs do falecido marido). 2. Em caso de morte da mulher o homem também segue o ritual de purificação (Kutchinga) mas neste caso ele procura a mulher com quém deve manter relações sexuais para a sua purificação. 1

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

9

Distrito de Mandlakaze

Imperador), na Vila de Mandlakaze, e Coolela onde se travou a batalha a 7 de Novembro de 1895 envolvendo guerreiros de Ngungunhane e a tropa Portuguesa. As decisões mais importantes da vida do agregado familiar são tomadas pelo homem (chefe do agregado familiar). Tais decisões incluem o casamento dos filhos, sendo que para tal se recorre à prática do lobolo pago pela família do noivo. Na actualidade o lobolo é feito tanto em espécie como em dinheiro. A forma mais comum é em gado (1 cabeça ou o equivalente em dinheiro). No que diz respeito aos padrões de consumo, as populações alimentam-se basicamente de arroz, milho, feijão nhemba, mandioca e verduras. Devido as características agro-ecológicas não favoráveis ao cultivo do milho no Distrito, o arroz é o mais consumido. Apesar de se dedicarem à criação de animais (suinos, aves, gado bovino e caprino), raras vezes os consomem. A maior parte da população tem tido duas refeições diárias, existindo, porém, os que tomam apenas uma. Os casamentos prematuros têm contribuido para o aumento dos divórcios, o que muitas vezes leva as mulheres a se prostituirem, principalmente, com os regressados da África do Sul. As condições de pobreza e o baixo nível de escolaridade em que se encontram coloca-as numa situação de vulnerabilidade. O Distrito depara-se com falta de infra-estruturas e ou facilidades para a pratica de actividades culturais. Existem, no entanto, 30 grupos culturais, dos quais se destacam 20. No que diz respeito à Cultura, o Distrito de Mandlakazi apresenta grandes potencialidades culturais Históricas facto que se consubstancia por ter sido a Capital do Império de Gaza e terra natal do arquitecto da Unidade Nacional o Dr. Eduardo Chivambo Mondlane. São alguns locais de Interesse Cultural e Histórico, o Museu Aberto de Nwadjahane que é a Aldeia Natal de Eduardo Chivambo Mondlane; Aldeia Real de Mandlakazi (Aldeia Ngungunhane); a Tambeira, centro do poder de Ngungunhane, local onde o imperador dava as suas ordens e distribuía tarefas aos seus subordinados e o Monumento de Ngungunhane (busto do Imperador), na Vila de Mandlakazi: Khokholo de Binguane e a Ilha de Mahoho (Chirunguine ka Bahule) em Chidenguele; Monumento de Coolela na Aldeia de Coolela (Chalala) em memória dos guerreiros de Ngungunhane tombados numa das batalhas de resistência à ocupação colonial ocorrida em 1895; Cemitério de Mandlakazi, construído em 1917, na vila de Mandlakazi; Vala Comum de Mandlakazi onde estão depositados os restos mortais dos cidadãos massacrados em 10 Agosto de 1987 durante o conflito armado dos 16 anos; Praça da Independência na Vila de Mandlakazi; Igreja Presbiteriana de Moçambique Paróquia de Khambane (Missão Suíça de Maússe) Igreja e Escola frequentada pelo Dr Eduardo Chivambo Mondlane; e Matas sagradas de Mahoho, Betula, Nhanzilo, Nguzene (Macupulane), Dambuza, Madiane e Chilombwe. As danças Tradicionais (Macuaela, Ngalanga, Timbila, Makuae, Macessa, Ndlama, Xingomane, Xingombela, Baiela, entre outras), os instrumentos (como Xitende, Xigovila, Xipendane, Xizambiza, Ximbveca, Mbalapala, entre outros), canto e a poesia são manifestações de caracter cultural praticadas no Distrito.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

10

Distrito de Mandlakaze

1.5.3

– Caracterização Sócio-Económica

1.5.4 - Pobreza, Vulnerabilidade e Insegurança Alimentar 1.5.4.1 - Pobreza Cerca de 57% da população em Mandlakazi vive com uma renda abaixo de 1 USD/dia, encontrando-se assim abaixo da linha da pobreza. Apesar de o Distrito estar entre os menos pobres da província, existem variações substanciais entre os Postos Administrativos devido, fundamentalmente, à factores económicos, sociais e culturais diferenciados entre eles. (vide Tabela 1). O Posto de Macuácua é o que apresenta a maior incidência da pobreza, mas em termos de número absoluto, Chidenguele seguido de Chibonzane e Nguzene são os postos com maior número de pobres. Quando analisada a profundidade da pobreza, Macuácua é também o posto com maior proporção de pobres mais distantes da linha da pobreza, seguido de Chibonzane e Mazucane e a severidade é também maior nesses mesmos postos. Enquanto isto, o Posto Sede é o que apresenta menor profundidade da pobreza. Por último há ainda a considerar a alocação proporcional, que indica a proporção do volume de recursos que poderá ser necessário para transitar os pobres para uma situação acima da linha da pobreza. Conforme, ilustrado na tabela 1 (coluna 6), os postos de Mandlakaze Sede, Chalala (0,06 %) e Mazucane (0,07) são os que necessitariam de menos recursos, enquanto que os de Chidenguele e Chibonzane os que mais recursos precisariam. Tabela 1: Estimativas da Pobreza e Desigualdade a Nível do Distrito Posto Administrativo

1 População

Mandlakazi Sede Chalala Chibonzane Chidenguele Macuácua Mazucane Nguzene

Total

2 Incidência da Pobreza 0.35 0.59 0.67 0.54 0.81 0.61 0.52

3 Profundidade da Pobreza 0.11 0.20 0.26 0.19 0.36 0.22 0.18

4 Severidade da Pobreza 0.05 0.09 0.13 0.09 0.20 Acuc 0.09

23.342 12.903 28.316 39.294 14.125 14.500 28.667 161.147 Adaptado da fonte: Mapeamento da Pobreza em Moçambique (MPF 2002)

5 Número de Pobres 7.769 7.269 18.148 20.576 11.200 8.669 14.095 87.726

6 Proporção Alocacional 0.06 0.06 0.16 0.17 0.11 0.07 0.11

1.5.4.2 - Nutrição O Distrito, no seu cômputo geral poderia ser considerado autosuficiente em termos da disponibilidade de alimentos, tendo em conta o potencial de produção e infraestruturas existentes, mas é deficitário devido a fraca capacidade de aproveitamento dos recursos existentes, tendência para baixas precipitações e migração dos jovens para cidades e países vizinhos. Há diferenças significativas da distribuição territorial da incidência, profundidade e severidade da pobreza no Distrito. Do ponto de vista nutricional, Mandlakazi ocupa o sexto lugar na província sendo um dos Distritos menos problemáticos tendo registado uma ligeira melhoria de 3.8% em 2006 para 3.3% em 2007 nas taxas de crescimento insuficiente (desnutrição Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

11

Distrito de Mandlakaze

aguda). Note-se que estes índices se situam abaixo do padrão nacional aceitável (16%). O baixo peso a nascença (desnutrição crónica) é, no entanto, preocupante situando-se em 7.9%, ligeiramente acima do padrão nacional aceitável (7%). A principal causa da desnutrição crónica e aguda é a fraca dieta alimentar nas crianças e mães grávidas sem pôr de lado algumas patologias que poderão estar por detrás desta situação. Aliado aos factores acima descritos, há ainda factores sócio-culturais que influenciam nos hábitos alimentares e distribuição de alimento dentro do agregado familiar e deficiente acesso à serviços básicos, nomeadamente água, saneamento, saúde e educação. 1.5.4.3 - Vulnerabilidade Por conseguinte, os níveis de vulnerabilidade diferem entre os Postos Administrativos, sendo mais críticos os menos povoados e com maiores taxas de incidência da pobreza. É assim que a situação da vulnerabilidade transitória é severa nos Postos Administrativos de Macuácua, Chibonzane, Chalala e Mazucane, mais particularmente nas localidades de Chilatanhane, Ponjuane, Chalala Sede e Chicavane, onde a combinação de factores associados à produção deficiente, fraca dieta alimentar faz com que anualmente em média 43.56% da população esteja na situação da vulnerabilidade e de insegurança alimentar (fonte: Governo Distrital). Para colmatar a situação, as famílias costumam recorrer a mecanismos de sobrevivência extrema que evoluem ao longo dos meses, chegando o seu pico durante o período de fome (entre Agosto e Outubro) segundo ilustra a tabela 3. As tabelas 2 e 3 ilustram respectivamente, a disponibilidadde de alimentos e os diferentes mecanismos extremos e a sua evoluação ao longo dos meses. Em termos de calamidades, a seca tem sido o principal desastre que enfraquece a capacidade produtiva das populações. Dentro dos grupos vulneráveis, as crianças e idosos são os mais assolados pelas calamidades. Os mecanismos institucionais e/ou comunitários existentes para se lidarem com estes riscos são os comités técnicos que em estreita colaboração com as autoridades locais fazem a gestão das calamidades. Mas estes carecem de treinamento e recursos de toda índole para intervir em tempo real. Note-se que a vulnerabilidade no Distrito é, em geral, ocasionada pela extrema pobreza em que a população vive. Tabela 2: Reservas Alimentares Posto Administrativo Mandlakaze Sede Chalala Chibonzane Chidenguele Macuácua Mazucane Nguzene

Total

População 23342 12903 28316 39294 14125 14500 28667 161147 Fonte: SDAE

Número de Meses com Acesso a Alimento < 3 meses 3 a 6 meses 6 a 9 meses >9 meses X X X X X X X

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

12

Distrito de Mandlakaze

Tabela 3: Tipo e Evolução do Uso de Mecanismos Extremos de sobrevivência Mecanismo Extremo De Sobrevivência Redução de nº de refeições Ganho ganho

Consumo de frutos e tuberculos

Jan

Feb

X

XX

Fonte: SDAE

Mar

Apr

Nov

Dec

X

X

X

X

XX

XXX

x= Pouco

May

Jun

xx= muito

Jul

Aug

Sep

Oct

xxx=intenso

1.6 – Gestão de Recursos Naturais 1.6.1 – Florestas Figura 4: Carta de Vegetação

A situação das florestas do Distrito de Mandlakaze caracteriza-se pela existência abundante do Mecrusse e Chanfuta no norte (em Macuácua). Estas duas espécies estão em eminência de extinção, particularment e a Chanfuta. A exploração intensiva e desregrada do n’Tamba ou Tsonzo (largamente usado como combustível lenhoso bastante apreciado, pelo seu valor energético e facilidade de combustão) e de outras espécies poderá reduzir significativamente a sua densidade nos próximos cinco anos. 1.6.2 – Fauna No que diz respeito à fauna, não existe um grande número de animais de grande porte devido à fraca cobertura vegetal (pequenas matas/florestas muito abertas), já modificada pelo Homem. Existem, no entanto, animais com habitat fixo no vale das dunas e nas pequenas matas do interior, com destaque para lebres, porco-espinho, antílopes, macacos, perdizes e outras aves. Regista-se ainda a passagem de elefantes no norte do Distrito, na floresta de simbirre, na região de Memo, Muchisso, Sindzisa entre outros. Há ocorrência de Hipopótamos na região de Chicomo, Javalins e macacos em Malene, ambos no Posto Administrativo de Chibonzane.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

13

Distrito de Mandlakaze

1.6.3 – Terras Os pedidos de aquisição de DUAT, registam-se com maior frenquência no Posto Administrativo de Chidenguele por localizar-se no litoral e ter condições propícias para a prática de turismo. Igualmente, são frequentes na zona Norte do Distrito, no Posto Administrativo de Macuácua, para fins agro-pecuário. 1.6.4 - Gestão da Agua O controlo dos recursos hidrícos que abundam no Distrito é garantido através de macanismos de gestão físicos e institucionais, como seja a construção de algumas infra-estruturas apropriadas. Assim, existem as barragens de Manguenhane, Chicome A e Chicome B, concebidas para irrigação. 1.7 – Situação Económica A actividade económica do distrito assenta, fundamentalmente, na agricultura, pecuária e turismo. Outras actividades que contribuiem para o aumento da produção e geração de rendimentos incluem a exploração de recursos florestais (plantas medicinais, lenha, caniço, estacas, corte de árvores para carvão) e pesca. O distrito possui algumas facilidades para atracção de investimento, como sejam as condições naturais (clima, praias, fauna marítima) favoráveis à prática do turismo e da agricultura (sobretudo as culturas de arroz, mandioca e castanha de caju), o património histórico-cultural (locais históricos, gastronomia, danças tradicionais) favorável à prática do turismo, recursos humanos qualificados (embora ainda insuficientes), a existência de algumas infra-estruturas sócio-económicas básicas (energia eléctrica, água, rede de telefonia móvel e fixa, rede sanitária e escolar), a ocorrência de recursos minerais (argila, calcário, diatomite e outros) e um povo simpático e acolhedor. Uma das características da economia de Mandlakazi é a falta de seguimento das cadeias de valor dos seus produtos, o que faz com que grande parte do potencial não seja aproveitado para a criação da renda e emprego e o distrito seja basicamente produtor de matérias-primas. De seguida apresenta-se uma breve descrição sobre as principais actividades económicas do Distrito. 1.7.1 – Agricultura O Distrito possui três zonas agro-ecológicas distintas, que acabam influenciando a prática da agricultura. A primeira é caracterizada por um clima relativamente húmido com influência de correntes marítimas; a segunda, que corresponde a zona intermédia; e a terceira, caracterizada por um clima seco no interior, com escassos recursos hídricos. De um total de 366.500 hectares existentes no Distrito, 211.100 hectares correspondem a áreas aráveis (175.450 ha) e de pastagem (35.650 ha). Estima-se que cerca de 80% da população do Distrito vive da actividade agro-pecuária, virada para o auto-sustento, e que é praticada por produtores, na sua maioria, do sector familiar. Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

14

Distrito de Mandlakaze

O Distrito possui o maior pomar cajuícola da província com um potencial de produção estimado em 68.000 tons anuais. Contudo, a produção da castanha nos últimos anos tem sido muito baixa devido à infestação pelo oídio, envelhecimento das árvores e fraco cuidado fitossanitário dos pomares. Embora o rendimento médio por hectare seja ainda baixo, principalmente nas culturas de milho, arroz, feijões e amendoim, devido à predominância da agricultura de sequeiro e aos sistemas de produção usados pelos camponeses, nas campanhas agrícolas de 2005 a 2009, registou-se uma tendência crescente em praticamente todos os produtos agrícolas, sendo de assinalar as elevadas taxas médias de crescimento anuais do tomate (103%), feijão nhemba (85%), amendoim (85%) e feijão manteiga (50%), cujo crescimento anual deveu-se à combinação de factores como o aumento das áreas de cultivo e as condições climáticas geralmente favoráveis, conforme ilustra a tabela abaixo: Tabela 4: Evolução, Potencial e Oportunidade de Negócio dos Principais Produtos Agrícolas

Unidade de medida

2005

2006

2007

2008

2009

Milho

Toneladas

9.552

12.580

14.502

18.351

20.569

95.000

74.431

Arroz

Toneladas

3.165

3.400

3.914

4.084

6.750

32.000

25.250

Mandioca

Toneladas

64.473

151.800 159.350 165.110 174.919

1.500.000

1.325.081

Batata Doce

Toneladas

39.803

65.306

90.740

870.000

754.494

Feijão Manteiga

Toneladas

110

150

183

355

521

20.000

19.479

Feijão Nhemba

Toneladas

1.118

2.105

6.230

9.017

10.110

450.000

439.890

Amendoim

Toneladas

744

1.275

3.014

6.111

7.988

24.000

16.012

Tomate

Toneladas

650

750

3.027

5.623

6.000

15.000

9.000

Cebola

Toneladas

183

272

328

378

450

5.000

4.550

Horticolas

Toneladas

10.035

10.525

12.533

20.168

22.000

475.000

453.000

Castanha de Caju Toneladas

1.812

2.014

3.535

3.820

4.068

68.000

63.932

Produtos

113.479 115.506

Produção potencial

Oportunidade de negócio

Fonte: SDAE, 2010

Os produtos agrícolas que possuem um grande potencial, ainda não aproveitado, e uma elevada oportunidade de negócio2 são a mandioca, a batata-doce, as hortícolas, o feijão nhemba, o milho, a castanha de caju e o arroz. Destas culturas, a castanha de caju, a mandioca e o arroz são considerados os vectores de desenvolvimento do distrito. Os respectivos gráficos e cadeias de valor são apresentados a seguir:

2

Oportunidade de negócio entre a produção de um certo ano e a produção potencial.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

15

Distrito de Mandlakaze

Gráfico 2: Evolução do arroz, mandioca e castanha de caju

Cadeias de valor dos vectores de desenvolvimento Cadeia de valor da castanha de caju

Castanha de caju na fase de maturação

Situação actual

Castanha de caju na fase de processamento

Potencialidade e sua cadeia de valor

Oportunidades de negócio

Produção A produção de 2009 foi de apenas 5.860 toneladas de castanha de caju

Existe um potencial 68.000 toneladas castanha de caju

Actualmente são aproveitados apenas 6.500 hectares

Existe um potencial de 13.250 hectares com aptidão para a produção de cajueiros

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

de de

Produzir mais 62.140 toneladas de castanha de caju Aproveitar os remanescentes 6.750 hectares com aptidão para a produção de cajueiros

16

Distrito de Mandlakaze

Actualmente há apenas milhões de cajueiros

3

Actualmente há apenas 5.962 produtores agrícolas assistidos pelos serviços de extensão rural Apenas o governo fornece insumos (2.365.5 litros de fungicida para o controlo de Oídio, 480kg de fungicida para o controlo da Antracnose e 908,5 litros de insecticida para o controlo de Helopelts para o tratamento de cerca de 100 mil cajueiros, 105 atomizadores), que não respondem à demanda dos produtores. Actualmente há 2 viveiros que produzem apenas 22.000 mudas por campanha. Actualmente há apenas 105 provedores de serviços Os 31.951 produtores não adquirem insumos em quantidades suficientes por falta de poder de compra. Actualmente há 262 fontes de água com capacidade de 2.620 m3, 63 lagoas e uma barragem - de Mangwenhane – com capacidade de 100.000 m3, que apenas são suficientes para irrigar 22.000 mudas.

Existe um potencial 6.800.000 cajueiros

de

Existe um potencial de 31.951 produtores agrícolas dos quais 18.750 deverão ser assistidos pela rede de extensão rural. Necessários insumos para 13.250 hectares (pesticidas: 20.800 litros de fungicida para o controlo de Oídio, 4992 kg de fungicida para o controlo da Antracnose e 4.992 litros de insecticida para o controlo de Helopelts para o tratamento de pelo menos 50% do parque cajuícola - 520 mil cajueiros – e 311 atomizadores). São necessárias 300.000 mudas São necessários 311 provedores de serviços. 31.951 produtores agrícolas com poder de compra de insumos

300.000 mudas devidamente irrigadas

As duas fábricas com capacidade instalada de processamento de 2.500ton., estão actualmente encerradas

Processamento Fábricas operacionais, com capacidade de processamento de 30.600 ton.

Actualmente há apenas uma fabriqueta de processamento da pêra (falso fruto) do caju com capacidade de processamento de 3 tons por ano. Actualmente 31.951 produtores agrícolas desconhecem o valor comercial da pêra de cajú

Deverão existir fábricas operacionais, com capacidade de processamento de 54.400 tons da pêra de cajú por ano 31.951 produtores agrícolas deverão ter conhecimento sobre o valor comercial da pêra de cajú

Actualmente não há fábrica de embalagens de castanha de caju

Deve existir uma fábrica operacional, com capacidade de embalagem

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Pulverizar 3 milhões de cajueiros e plantar outros 3.800.000 Prestar assistência técnica a mais 12.688 de produtores agrícolas Instalar 7 casas agrárias com capacidade de fornecimento de 18.434,5 litros de fungicida para o controlo de Oídio, 4.512Kg de fungicida para o controlo da Antracnose e 4.083,5 litros de insecticida, 206 unidades de atomizadores

Produzir mais 278.000 mudas de cajueiros. Identificar/recrutar mais 206 provedores de serviços. Conceder micro-crédito para 31.951 produtores agrícolas (FDD, FDA e outros fundos). Abrir mais fontes de água, para garantir a irrigação de 278.000 mudas adicionais.

Operacionalizar as duas fábricas existentes e instalar capacidade adicional de processamento de 28.100 ton. Instalar fábricas com capacidade adicional de processamento de 54.397 ton. de pêra de cajú por ano. Demonstrar aos 31.951 produtores as várias possibilidades de aproveitamento da pêra de cajú Instalar uma fábrica com capacidade de produzir embalagens para 30.600 ton. 17

Distrito de Mandlakaze

A castanha comercializada chega às unidades fabris já com baixa qualidade devido a falta de conhecimento das técnicas de conservação da castanha de caju por parte dos 31.951 produtores, ocasionando a perda de 20% da mesma. Actualmente, os compradores é que determinam os preços da castanha (considerados baixos pelos produtores), devido ao fraco poder negocial dos produtores

de 30.600 ton. de castanha de cajú. 31.951 produtores com domínio de técnicas de conservação da castanha de caju

Comercialização Os preços da castanha praticados deverão ser considerados «justos», quer pelos produtores, quer pelos compradores

Actualmente, existe um fraco conhecimento da qualidade, do potencial e da oportunidade de negócio da castanha do distrito, devido ao fraco marketing

A qualidade, o potencial e a oportunidade de negócio da castanha deverão ser amplamente conhecidos, dentro e fora do distrito

Actualmente há apenas 14 transportadores de mercadorias. Actualmente, há dificuldades de escoamento da produção da castanha porque 148 Km de vias de acesso, que ligam os locais de produção aos de consumo, estão degradados.

Deverão existir 20 transportadores de mercadorias 148 km de vias de acesso, que ligam os locais de produção aos de consumo da castanha, deverão estar transitáveis

de castanha de cajú. Capacitar e prestar assistência técnica a 31.951 produtores em matéria de conservação da castanha de caju

Demonstrar aos produtores as vantagens de se organizarem em associações, por forma a aumentarem o seu poder de negociação e melhor defenderem os seus interesses Realizar acções de marketing da qualidade, do potencial e da oportunidade de negócio da castanha, através de feiras, rádio comunitária local, televisão, etiquetas dos produtos e portal do governo da província Instalar mais 6 transportadores de mercadorias. Melhorar as condições de transitabilidade de 148 km de vias de acesso que ligam os locais de produção aos de consumo.

Cadeia de valor da mandioca

Mandioca bruta

Situação actual

Mandioca descascada

Potencialidade e sua cadeia de valor

Oportunidades de negócio

Produção A produção de 2009 foi de apenas 179.919 tons

Existe um potencial de 1.500.000 tons de

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Produzir mais 1.320.081 tons mandioca

18

Distrito de Mandlakaze

Actualmente há apenas 14.913 produtores de mandioca Actualmente são aproveitados apenas 11.316 hectares Actualmente, os insumos fornecidos pelo governo não suficientes para dar vazão à demanda dos produtores.

Actualmente há apenas 4 extensionistas Actualmente, os 15.925 produtores de mandioca não conseguem adquirir insumos suficientes devido ao seu baixo poder de comprar Actualmente existem apenas 60 produtores de contacto Actualmente não há fábricas de processamento de mandioca Actualmente não há fábricas de embalagens de mandioca processada Actualmente, existe um fraco conhecimento da qualidade, do potencial e da oportunidade de negócio da mandioca do distrito, devido ao fraco marketing Actualmente há apenas 14 transportadores de mercadorias 148 Km de vias de acesso estão degradadas

mandioca Deverão existir 21.125 produtores de mandioca

Incentivar a entrada de mais 6.212 produtores de mandioca.

Existe um potencial de 94.342 hectares aptos para a produção de mandioca Necessários 4 viveiros e 7 casas agrárias com capacidade de fornecimento de 1 ton de pesticidas, 100 pulverizadores, 3.000 juntas, 3 capinadeiras, 10 tons de material de propagação vegetativo, 5 tractores. Necessários 15 extensionistas

Aproveitar os remanescentes 83.026 hectares aptos para a produção de mandioca

15.925 produtores de mandioca com poder de compra de insumos

Conceder micro-crédito para cerca de 15.925 produtores de mandioca (FDD, FFA, etc)

Deverão existir 225 produtores de contacto Processamento Deverão existir fábricas, com capacidade de processamento de 60 tons por ano Deverão existir fábricas de embalagens para 60 tons de mandioca

Identificar/recrutar mais 165 produtores de contacto

Comercialização A qualidade, o potencial e a oportunidade de negócio da mandioca deverão ser amplamente conhecidos, dentro e fora do distrito

Deverão existir 20 transportadores de mercadorias 148 km de vias de acesso em boas condições de transitabilidade

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Instalar 4 viveiros e 7 casas agrárias com capacidade de fornecimento de 1 ton de pesticidas, 100 pulverizadores, 3.000 juntas, 3 capinadeiras, 10 ton material de propagação vegetativo, 5 tractores.

Recrutar mais 11 extensionistas.

Instalar fábricas com capacidade de processamento de 60 tons de mandioca Instalar fábricas com capacidade de produzir embalagens para 60 tons de mandioca. Realizar acções de marketing da qualidade, do potencial e da oportunidade de negócio da mandioca, através de feiras, rádio comunitária local, televisão, etiquetas dos produtos e portal do Governo da província Incentivar a entrada de 6 transportadores de mercadorias Melhorar as condições de transitabilidade dos 148 km vias de acesso.

19

Distrito de Mandlakaze

Cadeia de valor do arroz

Vistas parciais de alguns campos de cultivo de arroz Situação Actual

A produção actual é de apenas 6.750 tons de arroz Actualmente são cultivados apenas 4.500 hectares Apenas cerca de 10% da area cultivada usa equipamentos e insumos de boa qualidade (sementes melhoradas, pesticidas, pulverizadores, capinadeiras, tractores, juntas de bois Actualmente existem apenas 4.050 produtores de arroz Actualmente há apenas 4 extensionistas que assistem 950 produtores

Os produtores agrícolas não conseguem comprar insumos devido ao seu baixo poder aquisitivo Uma grande parte da produção de arroz é feita em regime de sequeiro, devido à falta de sistemas de retenção de água para irrigação

Potencialidade e sua cadeia de valor Produção O potencial existente é de 32.000 tons de arroz/ano Existe disponibilidade de 21.333 hectares com aptidão para a produção de arroz Deverão estar disponíveis os seguintes insumos e equipamentos: Sementes: 2.200 tons; pesticidas: 360.900 litros; pulverizadores: 1.920; capinadeiras: 5; tractores: 5; juntas de bois: 1.580. Existe um potencial de 19.200 produtores de arroz Serão necessários 15 extensionistas dotados de meios para assistir 9.600 produtores produtores em técnicas de produção de arroz 15.150 produtores agrícolas beneficiam de financiamento do FDD, FFA e outros fundos São necessárias 16 represas para a irrigação de 21.333 ha em zonas aptas à produção de arroz

Oportunidades de negócio

Aumentar a produção de arroz em 25.250 tons/ano Aumentar a área cultivada 16.833 hectares Instalar 7 casas agrárias com capacidade de fornecimento 2.200 tons de sementes, 360.900 litros de pesticidas, 100 pulverizadores, 3 capinadeiras, 3.000 juntas de bois e 5 tractores Introduzir incentivos para que 15.150 produtores adicionais se dediquem de arroz Contratar mais 11 extensionistas para prestarem assistência a 8.650 produtores adicionais

Conceder micro-crédito para cerca de 15.150 produtores agrícolas (FDD, FFA e outros fundos) Construir de 16 represas para permitir a irrigação de 21.333 ha de arroz

Processamento A quantidade de arroz entregue às 3 unidades de

Deverão estar disponíveis 25.000 ton de arroz para

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Estabelecer contratos entre os produtores e as unidades de 20

Distrito de Mandlakaze

processamento actualmente existentes é de 2.700 ton

as fábricas de processamento.

Actualmente, os produtores compram embalagens não apropriadas, devido à falta de uma fábrica e de fornecedores de embalagens no mercado local

Deverá existir uma fábrica de embalagens para o acondicionamento dos produtos agrícolas, incluindo o arroz

processamento para fornecimento de uma quantidade adicional de 22.300 ton de arroz Instalar uma fábrica com capacidade para produção de embalagens para 32.000 ton

Comercialização Actualmente há apenas 14 operadores que asseguram o transporte de mercadorias, incluindo 6.750 ton de arroz O acesso as zonas de produção é dificultado pelo mau estado dos 148 Km de vias rodoviárias O arroz do Distrito de Mandlakazi não é suficientemente conhecido, devido à falta de marketing

São necessarios transportadores de mercadorias, com capacidade para transportar 32.000 ton de arroz É necessário ter 148 km de vias de acesso transitáveis

Instalar capacidade adicional de transporte de 25.250 ton de arroz

O Arroz de Mandlakazi deverá ser conhecido como imagem de marca, dentro e fora do distrito

Fazer marketing do arroz e identifica-lo como produto de Mandlacaze, usando meios publicitários, como feiras, rádio, etiquetas, bolsas de turismo, portal do Governo da província

Reabilitar 148 km de vias de acesso às zonas de produção agrícola.

Existem outras fruteiras de importância económica e alimentar para as populações locais tais como os citrinos, a manga e a mafurra. A produção média anual das culturas de rendimento é de cerca de 100.000 tons. Nas zonas baixas, de onde se destacam a baixa de Banze e Malene em Chibondzane, predomina o cultivo de arroz, batata-doce, banana, cana de açúcar e algumas hortícolas. Nas zonas altas onde se praticam as culturas de milho, mandioca, feijão nhemba e amendoim, os solos apresentam uma baixa fertilidade o que desencoraja a produção do milho. O arroz, a mandioca e a castanha de caju são comercializados a nível do distrito. A mandioca tem como mercado externo as cidades de Xai Xai e Maputo e o distrito de Chibuto. Para além de ser comercializada para Maputo, Xai Xai, Inhambane e Nampula, a castanha de caju é exportada para a África do Sul e Índia. Os mercados potenciais do arroz são Xai Xai, Chibuto e Zavala, os da mandioca são Chókwè, Guijá, África do Sul, Suazilandia e Zimbabwe e os da castanha de caju são a SADC e a Suiça. Os rendimentos médios registados nas principais culturas são muito baixos em relação ao potencial que os machongos oferecem. Segundo ilustra a tabela abaixo, o rendimento médio de arroz, por exemplo, é de 2000kg/ha, o que está muito abaixo de 5000 kg/ha que caracteriza o potencial das variedades usadas no Distrito. Por outro lado, a diversificação de culturas é fraca, principalmente na área de frutas, onde para além do cajú, as outras fruteiras são pouco desenvolvidas.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

21

Distrito de Mandlakaze

Gráfico 3: Rendimentos Médios por Cultura

12 10 8 6 4 2 0

2004/05

s

a Ho rtí c

ol a

s

Di

ve

rs a

bo l Ce

at e To m

m do i

Am en

m ba Nh e o

Fe ijã

o

M

an te

ig a

ado ce ta t

Ba

Fe ijã

oc a an di

M

M

Ar ro z

2005/06

ilh o

Tons

RENDIMENTO MÉDIO POR HA (Pr incipais Cultur as)

Fonte: SDAE, 2007

Embora a maioria da população se dedique a agricultura, o potencial que o Distrito oferece está longe de ser explorado devido, fundamentalmente, aos seguintes aspectos: baixo nível de conhecimentos técnicos (não só de produção agrícola mas também de agro-processamento), ausência de uma rede para fornecimento de insumos e serviço de qualidade, uso de tecnologias de produção rudimentares, crescente incidência de pragas e doenças nas culturas, baixa fertilidade dos solos arenosos da zona alta, irregularidade das chuvas, queimadas descontroladas e emigração de mão-de-obra para as minas da África do Sul, baixo nível de conhecimento sobre empreendedorismo, planificação e gestão de negócios. 1.7.2 – Pecuária Esta actividade tem sido exercida, predominantemente, pelo sector familiar que cria gado bovino, caprino e suíno. O gado bovino e pequenos ruminantes são geralmente geridos pelos homens enquanto que as mulheres cuidam das aves. O sector privado dedica-se a criação do gado bovino e suíno. De 2005 a 2009, houve um aumento de cabeças de gado bovino, mas ainda está-se longe de atingir o potencial existente, estimado em 30.000 cabeças, o que significa que há uma oportunidade de negócio de 10.928 cabeças de gado bovino. Gráfico 4: Evolução, Potencial e Oportunidade de Negócio para Criação de Gado Bovino

De um efectivo de 19.072 cabeças de gado bovino existente no Distrito, cerca de 13.350 (70%) estão distribuídas por 10.890 has de áreas de pastagem disponíveis na zona costeira. Considerando que cada cabeça de gado bovino deve ter cerca de 5 ha de pasto, pode-se dizer que na zona costeira, há uma tendência de sobrecarga da capacidade de pastagem existente. O efectivo do gado caprino no Distrito é de 1.696 animais. Houve tentativas de repovoamento desta espécie com animais provenientes de Tete, mas sem grandes êxitos por falta de adaptação ao local.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

22

Distrito de Mandlakaze

Gráfico 5: Efectivo Pecuário Efectivo Pecuário por Espécies 200000 150000 100000 50000 0

S.Familiar

S.Priv ado

Total

S.Familiar

S.Priv ado

2005

Total

2006

Bov inos

12860

4434

17294

13659

5341

19000

C aprinos

1274

155

1429

1461

235

1696

94

94

784

881

1092

168644

185508

Ov inos 97

Suínos Galinhas

168644 Bovinos

Caprinos

Ovinos

Suínos

87

87

39

1131 185508

Galinhas

Fonte: SDAE, 2007

Para assistência a espécie bovina, o Distrito possui um universo de 11 tanques carracicidas, 5 bebedouros, 36 mangas de tratamento, 2 matadouros, e 1 farmácia distribuidos um pouco por toda sua extensão. Estas infra-estruturas não estão sendo devidamente exploradas devido a falta de capacidade de operação e manutenção por parte dos criadores. Gráfico 6: Infra-estruturas Pecuárias IN F RAE S TRU TU RAS P E C U ÁRIAS P OR P OS TO AD M IN IS TRATIV O 14 12

Número

10 8 6 4 2 0 T.Carracicidas Macuacua

Bebedouros

Chidenguele

M.Tratamento

Chibonzane

Sede

Farmácias Chalala

Nguzene

Matadouros Mazucane

Fonte: SDAE, 2007

A criação de animais continua sendo um símbolo de prestígio para as famílias mas com pouco significado comercial. Os animais são destinados, principalmente, para tracção animal, uso em momentos festivos e outras cerimónias tais como o lobolo e missas. Na verdade, a exploração pecuária é feita em regime extensivo com incipiente conhecimento tecnológico, baixa produtividade, baixa taxa de extracção e não aproveitamento dos subprodutos como o leite, pele e outros. Por outro lado, a falta de uma estratégia de gestão de pastos e suplementação alimentar no período seco, resulta numa redução drástica dos efectivos devido a vendas por emergências e a preços muito baixos. O Distrito vem desenvolvendo campanhas de vacinação contra o Carbúnculo Hemático, Carbúnculo Sintomático, Raiva e Newcastle. As duas primeiras ocorrem mais nos animais ungulados e constituem doenças de declaração obrigatória devido ao seu impacto na economia. As outras duas são direccionadas aos caninos e às aves.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

23

Distrito de Mandlakaze

1.7.3 – Pescas A prática da pesca no alto mar é feita com embarcações a motor e com barcos a remo e canoas nas lagoas. As principais zonas de pesca são Denguine, MarambuéBetula, Chihanguane, Nhazingué, Nharrongolo, Jongoé, Sulé, Nhamande, Malembué, Muholove e Nhambavale. De referir que em alguns destes lugares pratica-se a pesca à linha e também de arrasto para captura de moluscos e crustáceos que servem de alimentos de subsistência das comunidades, sobretudo no período em que as culturas agrícolas estão em desenvolvimento. A prática desta actividade é predominantemente feita pelos homens, sendo que as características da costa limitam em grande medida a prática da pesca no mar. O Distrito tem no entanto, feito tentativas esporádicas de introdução de espécies exóticas e aquacultura, na lagoa de Chilatiua em Chidenguele. O Banco de Boa Paz, de que Mandlakazi faz parte, é a área mais rica da costa da província em termos de recursos pesqueiros tais como espécies de carapau e cavalas que existem em profundidade entre 40 e 90 metros. Existem também outros pelágicos como o biqueirão redondo, sardinha do Índico e o óscar de cristal, estas duas últimas em profundidades entre 4 a 20 m, patanas e barracudas em profundidades que variam até 40 m e ocasionalmente até 120m, peixe serra, em profundidades inferiores a 50 m, e ainda o robalo em profundidades de 90 m. Conforme ilustra o gráfico abaixo, de 2004 a 2009, o volume de pescado no Distrito tem registado um crescimento satisfatório, sendo de destacar as 884 toneladas de peixe alcançadas em 2009 contra apenas 124 toneladass em 2005, o que representa uma taxa de crescimento médio anual de 97%. Este cenário positivo deve-se a um maior interesse que o sector privado vem demonstrando em relação à pesca de alto mar. Entretanto, o distrito ainda está longe de atingir o seu potencial de captura do peixe e da lagosta, estimado em 5.000 tons e 250 tons, respectivamente. Isso significa que há ainda uma oportunidade de negócio de 4.116 tons para o peixe e 190 tons para a lagosta. Gráfico 7: Evolução, Potencial e Oportunidade de Negócio da Produção Pesqueira Peixe (toneladas)

Lagosta (toneladas)

5.000 5.000

250

4.116

250

4.000

200

3.000

150

2.000

1.000

124

520

533

538

884

0

190

100

50

31

37

44

53

60

0

Fonte: SDAE, 2010

Não obstante a riqueza do Distrito em recursos pesqueiros, não se desenvolve a pesca industrial e semi-industrial devido a falta de investimentos para o efeito. Outras fraquezas identificadas estão relacionadas com o fraco controlo desta actividade.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

24

Distrito de Mandlakaze

1.7.4 – Minas Os minérios mais predominates do Distrito são o calcário e a argila. O primeiro pode ser encontrado nos Postos Administrativos de Nguzene e Chibonzane, cujo potencial se desconhece. A argila, pode ser encontrada na zona de Chibonzane, e o seu potencial é também desconhecido existindo micro-unidades de produção, tais como olarias, que não estão registadas e por conseguinte de difícil controlo. Há ainda a ocorrência de diamantite nas regiões de Chibonzane e Chidenguele. 1.7.5 – Comércio A actividade comercial do Distrito tende a concentrar-se ao longo da EN-1 e na vila de Mandlakaze. Quanto a rede comercial é constituída por 604 estabelecimentos sendo 11 de venda a grosso, 217 de venda a retalho, 366 do comércio rural e 10 de prestação de serviços. Do total de estabelecimentos, 357 estão em funcionamento e 144 paralisados. Este sector emprega cerca de 380 trabalhares. Tabela 5: Evolução da Rede Comercial TOTAL

Estabelecimentos

OPERAC.

Venda à Grosso Venda à Retalho Comércio Rural Prestação de Serviços

PARALIZ.

6 80 366 9 461

TOTAL

5 137 0 1 143

Fonte: SDAE, 2007

O controlo da comercialização agrícola é incipiente e ocorre principalmente nos mercados locais. Por outro lado, como resultado da prática intensiva da extração da lenha e produção de carvão de n’tsondzo, a comercialização destes produtos é significativa, cujo mercado preferencial é a cidade de Xai-Xai. De acordo com o gráfico abaixo, o volume total de comercialização do Distrito nos últimos três (3) anos tende a melhorar devido ao aumento do volume de produção, em particular da extracção da lenha, produção de carvão e processamento da castanha de cajú. Por outro lado, o mau estado de algumas vias de acesso tem constituido um dos principais constrangimentos para o escoamento de mercadoria a tempo e em condições desejaveis. Gráfico 8: Evolução da Comercialização Global Evolução da Comercialização Global 3500 3000 2004

2500 Tons

2005

2006

2000 1500 1000 500 0

Comercialização de Produtos Agrícolas

Comercialização de Outros Produtos

Comercialização Global

Fonte: SDAE, 2007

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

25

Distrito de Mandlakaze

1.7.6 – Indústria O Distrito tem 33 unidades industriais, sendo 3 de grande e média dimensão e 30 de pequena e micro dimensão, empregando um total de 268 indivíduos. As principais indústrias do Distrito são as de processamento da castanha de caju e de madeira. Enquanto em 2005 foram serrados 36 m3, em 2009 a quantidade de madeira serrada subiu para 63 m3, o que corresponde a uma taxa média de crescimento anual de 15%. Contudo, ainda não se atingiu o potencial de madeira serrada, estimado em 200 m3, o que significa que há ainda uma oportunidade de negócio para serração de 137 m3 de madeira, conforme ilustra o gráfico seguinte: Gráfico 9: Evolução, potencial e oportunidade de negócio de serração de madeira (m3)

A serração de Macuácua, vocacionada fundamentalmente à produção de Parquet, constitui a única do ramo, empregando cerca de 100 trabalhadores. Além desta actividade, a empresa dedica-se à serração de madeira para venda as carpintarias sediadas na sede do Distrito. A PROCAJÚ MADECAJU, na Sede – Distrital, possui uma capacidade de produção de cerca de 6.000 1500 – 2000 tons/ano, estando a produzir estando a produzir actualmente cerca de 700 ton/ano, empregando mais de 168 trabalhadores. Em Macuácua (Aldeia de Jongue), existe uma unidade de produção com capacidade de 500 tons /ano. Dificuldades de índole financeira não permitem que os produtores possam adquirir os insumos necessários para garantir o aumento do rendimento dos cajueiros. O actual rendimento das plantações tem sido afectado por doenças tais como o oídio e helopeltes. No âmbito da pequena indústria, há duas inovações tecnológicas (garlopa e tupia) na área da carpintaria, cujo expediente de aquisição de patente e registo encontra-se em tramitação. As receitas colectadas da produção industrial foram de 4.895,3 mil contos e de 5.000 mil contos em 2005 e 2006, respectivamente. 1.7.7 – Turismo O Distrito de Mandlakazi tem um potencial turístico atractivo, com destaque para o Posto Administrativo de Chidenguele. As praias de Chizavane, Chidenguele, Muholove e Dengoine possuem um grande atractivo em termos de beleza natural. As lagoas apresentam um grande potencial paisagístico bem como para prática de desporto náutico. Todos estes ingredientes têm transformado Mandlakaze numa referência turística do Sul do País. O parque turístico do Distrito é composto por 15 unidades, sendo 10 de alojamento e 5 de restauração e bebidas. As unidades de alojamento têm uma capacidade de 239 quartos, 509 camas, 143 mesas e 1004 cadeiras. Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

26

Distrito de Mandlakaze

O número de turistas aumentou nos últimos 5 anos (de 5.275 em 2005 para 7.311 em 2009) e o número de camas disponíveis cresceu de 255 em 2005 para 481 em 2009, o que representa taxas médias de crescimento anuais na ordem 23% e 18%, respectivamente, passando assim esta actividade a ser um importante meio de promoção de emprego e geração de renda a nível local. Contudo, o distrito ainda está longe de atingir o seu potencial turístico, estimado em 4.000 camas e 26.000 hóspedes (turistas), o que significa que há ainda uma oportunidade de negócio de 18.689 turistas e 3.519 camas, conforme ilustra o gráfico seguinte: Gráfico 10: Evolução, potencial e oportunidade de negócio da actividade turística

Fonte: SDAE, 2010

Os turistas provêm essencialmente de Maputo, dos outros distritos da província de Gaza, da África do Sul e de Portugal. O turismo tem como mercados potenciais os turistas dos países da SADC e da União Europeia. Estão em implantação 3 projectos turísticos, sendo 1 na Lagoa de Nhambavale e 2 na Praia de Chidenguele. A conclusão destes empreendimentos irá aumentar a capacidade de alojamento em mais 424 quartos, 848 camas, 10 mesas e 133 cadeiras, empregando cerca de 47 trabalhadores. Os principais constrangimentos para o desenvolvimento desta actividade são a falta de energia e comunicação em algumas localidades, o deficiente acesso às zonas onde estão localizadas as principais instâncias turísticas do Distrito e a inexistência de guias turísticos. Outrossim, a cadeia de valor da actividade turística ainda possui falhas e oportunidades de negócios, conforme se ilustra a seguir: Cadeia de valor do turismo

Vista parcial da Praia de Chizavane, no PA de Chidenguele.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Vista parcial da Lagoa Nhambavale, no PA de Chidenguele

27

Distrito de Mandlakaze

Situação actual

Potencialidade e sua cadeia de valor

Soluções e oportunidades de negócio

Actualmente existem 481 camas, que são insuficientes para acomodação de turistas especialmente no período de pico No distrito há, actualmente, apenas 2 guias turísticos credenciados As actividades de animação turística não são realizadas de forma sistematizada, devido à inexistência de uma entidade vocacionada

O potencial disponivel permite até um total de 4.000 camas

Aumentar a capacidade de acomodação em 3.519 camas

São necessários 5 guias turísticos capacitados e credenciados

Capacitar e licenciar de 3 guias turísticos adicionais, para atender à demanda

Deverão existir pelo menos 3 estâncias de animação turística (desporto náutico, actividades culturais, gastronomia, etc.) Deverão existir pelo menos 5 promotores do turismo cultural

Instalar 3 estâncias de animação turística (desporto náutico, actividades culturais, feiras gastronómicas, etc.)

Deverão existir 3 associações de artesãos, com vista a facilitar o estabelecimento de alianças estratégicas com os operadores turísticos

Criar e licenciar pelo menos 3 associações de artesãos nos Postos Administrativos de Nguzene, Macuacua e Chidenguele, com vista a facilitar o estabelecimento de ligações com os operadores turísticos Identificar espaços e criar condições para a sua utilização pelos vendedores de produtos de artesanato

Locais históricos com valor turístico existentes no distrito não são devidamente aproveitados pelos turistas Os artesãos e os produtores agrícolas não tiram suficiente vantagem da actividade turística, devido à falta de organização em associações Os artigos de artesanato são vendidos em locais dispersos, tornando difícil a sua localização pelos turistas O acesso às zonas turísticas é dificultado pelo mau estado dos 148 Km de vias rodoviárias, nomeadamente nos troços Chimanganine-Vila  Chidenguele, Estrada Nacional Nº 1  Praia de Chizavane (10km), Denguine  Estrada Nacional Nº 1 (10 km), Vila de Mandlakazi  Nwadjahane (18km) As potencialidades turísticas do distrito são pouco conhecidas, por falta de marketing

Deverão ser criados espaços específicos, em locais estratégicos, para venda de produtos de artesanato

Capacitar 5 promotores do turismo cultural

É necessário ter 148 km de vias de acesso transitáveis

Reabilitar 148 km de vias de acesso às zonas turísticas, nos troços Chimanganine-Vila  Chidenguele, Estrada Nacional Nº 1  Praia de Chizavane (10km), Denguine  Estrada Nacional Nº 1 (10 km), Vila de Mandlakazi  Nwadjahane (18km)

As potencialidades turísticas do distrito deverão ser conhecidas a nível nacional e internacional

Fazer marketing das potencialidades turísticas do distrito (feiras, bolsas de turismo, portal do Governo da província, folhetos, meios de comunicação social)

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

28

Distrito de Mandlakaze

1.7.8

Análise do Crescimento Espontâneo da Economia

A análise da dinâmica económica de Mandlakazi mostra que, se a tendência do crescimento da produção do distrito continuar a ser de forma espontânea, isto é, sem a intervenção dos actores locais no sentido de induzir um crescimento mais acelerado, levar-se-á muito mais tempo para o alcance do potencial de produção do distrito. A tabela seguinte ilustra como seria o crescimento espontâneo do distrito, ao longo do próximo quinquénio: Tabela 6: Crescimento espontâneo da economia

Produtos

Taxa de crescimento Unidade de Espontânea

Prod Real (Ano n-1)

Medida

Ano n Ano n+1 Ano n+2 Ano n+3 Ano n+4 ´(2009)

1

4

(2011)

(2012)

(2013)

5

6

7

8

(Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Ton) (Cabeças) (Ton) (Ton) (m3) (Nº Camas)

13,7% 9,0% 4,8% 1,8% 22,0% 12,1% 2,5% 11,1% 15,2% 11,0% 8,6% 5,0% 1,7% 7,0% 14,7% 17,6%

20.569 6.750 174.919 115.506 521 10.110 7.988 6.000 450 22.000 4.068 19.072 884 60 63 481

23.383 7.355 183.390 117.569 636 11.335 8.188 6.665 519 24.424 4.417 20.029 899 64 72 566

26.583 8.014 192.272 119.669 775 12.710 8.392 7.404 598 27.114 4.795 21.034 915 69 83 665

30.220 8.732 201.584 121.807 946 14.250 8.602 8.226 689 30.101 5.206 22.090 930 74 95 782

34.355 9.515 211.347 123.983 1.154 15.977 8.817 9.138 794 33.417 5.652 23.198 946 79 109 920

Turismo

(Nº hóspedes)

23,3%

7.311

9.016

11.120 13.714

16.913

1.7.9.1

3

(2010)

Milho Arroz Mandioca Batata Doce Feijão Manteiga Feijão Nhemba Amendoim Tomate Cebola Horticolas Diversas Castanha de Caju Gado Bovino Peixe Lagosta Madeira Serrada Turismo

1.7.9

2

Planificação (quantidades)

Oportunidade Produção de negócio % 2014/ (2014) potencial (em 2014) Potencial 9

10

39.055 95.000 10.368 32.000 221.583 1.500.000 126.197 870.000 1.408 20.000 17.914 450.000 9.038 24.000 10.151 15.000 915 5.000 37.099 47.500 6.136 68.000 24.362 30.000 963 5.000 84 250 125 200 1.082 4.000 20.858

26.000

11 55.945 21.632 1.278.417 743.803 18.592 432.086 14.962 4.849 4.085 10.401 61.864 5.638 4.037 166 75 2.918

41% 32% 15% 15% 7% 4% 38% 68% 18% 78% 9% 81% 19% 34% 62% 27%

5.142

80%

– Serviços de Utilidade Pública – Transportes

A actividade de transportes no Distrito é garantida pelos transportadores “semicolectivos de passageiros” e outros operadores privados para o transporte de carga. Os operadores em exercício não têm conseguido satisfazer a procura de transporte de passageiros do Distrito, tendo-se constatado que os mesmos priorizam as ligações entre os Postos Administrativos. Por razões históricas (guerra e reformas estruturais e estratégicas dos CFM), a actividade de transporte de passageiros e carga por via férrea está paralizada. 1.7.9.2

– Telecomunicações

O fornecimento de serviços de telecomunicações no Distrito é assegurado pelas delegações das empresas públicas TDM e CdM e ainda por operadores da rede móvel. Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

29

Distrito de Mandlakaze

A rede fixa de telecomunicações é garantida por uma central com apenas 100 números cobrindo a Vila Sede, a Sede do Posto Administrativo de Chidenguele e Chizavane. A rede de telefonia móvel cobre 60% dos Postos Administrativos do Distrito. 1.7.9.3

– Aviação

O Distrito possui uma pista de aterragem de tipo aerodromo com aproximadamente 1000m, localizado na sede da Vila. De referir que a mesma não está em condições de uso devido ao seu estado de degradação e por se encontrar rodeada de habitações, o que constitui perigo para o seu funcionamento. 1.7.9.4

– Energia

O Distrito está ligado a rede nacional de abastecimento de energia, muito embora a fraca expansão da mesma por todo território constitua um dos constrangimentos que entravam o desenvolvimento deste Distrito. Existe no Distrito uma delegação da Electricidade de Moçambique que garante serviços apenas à Vila de Mandlakazi, às povoações de Chanwane e Chizavane e a sede do Posto de Chidenguele beneficiando 1.063 familias (3,3%) de um total de 32.229 famílias existentes no Distrito. Existe no Distrito um plano de extensão da rede para os Bairros da Vila, para Macuácua, Chalala, Nwadjahane e Fábrica de Djongue, localizada no Posto Administrativo de Macuácua. 1.7.9.5

– Outros Serviços

A prestação de outros serviços, designadamente farmácia, papelaria, bancos e bombas de combustível, encontra maior expressão na Sede do Distrito, segundo ilustra a tabela 5. Tabela 7: Prestação de outros serviços Posto Administrativo Sede Chalala Chibonzane Chidenguele Macuácua Mazucane Nguzene

TOTAL

Farmácia Privadas 2 0 0 0 0 0 0 2

Banco 1 0 0 0 0 0 0 1

SERVIÇO Bombas de combustível 2 0 0 0 0 0 0 2

Papelaria

Repografia

4 0 0 1 0 0 0 5

2 0 0 1 0 0 0 3

Fonte: Governo do Distrito  Deste total, 01 farmácia é veterinária.

Para além do banco, que presta serviços financeiros (depósito, crédito, leasing e outros), a Save the Children financia feiras agrícolas e o Fundo Distrital de Desenvolvimento concede financiamento a todo o tipo de iniciativas económicas de pessoas pobres mas economicamente activas.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

30

Distrito de Mandlakaze

1.8 – Infra-estruturas 1.8.1 – Rede Viária O Distrito de Mandlakazi é atravessado pela estrada nacional n.º 1, ligando as Províncias de Gaza e Inhambane.

Figura 5: Carta da Rede Viária

As vias rodoviárias de Mandlakazi são de terra batida ou picadas, maioritariamente não classificadas e de difícil transitabilidade no período chuvoso. Este facto resulta da intromissão da cadeia de lagoas e baixas entre as dunas onde se localizam as áreas habitadas. Deste modo as principais vias do Distrito estão distribuídas de forma radial tendo como centro do eixo a vila Sede de Mandlakazi. A rede de estradas é de 316 km, entre estradas principais, secundárias e terciárias. Tabela 8: Estrutura da rede viária Rede de Estradas

Extensão (km) 79 81 105 375 640

Principais Secundárias Terciárias Vicinais

TOTAL

Estrutura (%) 12,34 12,66 16,41 58,59 100

Fonte: SDPIE

Tabela 9: Vias de Acesso Estrada Via Sul, Mandlakazi à Chanwane (com Ligação à Malehice, Distrito de Chibuto) Via Noroeste Mandlakaze a Banguene Mandlakaze a Macuácua, da qual se derivam as vias abaixo Chalala – Machulane, com ligação a Chico Macuácua – Mamitelane – Muchisso Macuácua – Mathumatawalo – Memo Macuácua – Mawaiela Via Nordeste Encontra-se a via Mandlakaze – Chibondzane – Vamangue – Manhique Via Leste Mandlakaze a Marrangoe Mandlakaze – Nguzene – Chidenguele Via Sudoeste

Ligação de Mandlakaze com o distrito de Xai-Xai passando de Mangunze

Distâncias 12 Km 15 km 35 km 30km 32Km 80km 40km 64 km 35 km 34 km 25km

Fonte: SDPIE

A manutenção das vias é feita por provedores de serviços envolvendo as comunidades locais. Porém, as manutenções não são feitas atempadamente devido a exiguidade de fundos. A actividade de transporte de mercadorias e passageiros com recurso à via férrea está paralizada há mais de 15 ou 20 anos devido ao encerramento da via por parte Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

31

Distrito de Mandlakaze

da empresa dos Caminhos de Ferro. Julga-se que a referida paralização se deveu a inviabilidade económica na exploração da linha Xai-Xai – Mandlakazi. 1.8.2 – Rede Ferroviária As linhas Férreas Xai-Xai – Mandlakazi - Chicomo e Mandlakazi - Mawaiela estão inoperacionais, com 58 e 50 Km, respectivamente. Estas, eram usadas para o escoamento da castanha de caju e madeira. 1.8.3 – Abastecimento de Água O abastecimento de água no distrito de Mandlakazi tem sido assegurado por 215 fontes operacionais entre furos, poços e pequenos sistemas. Existem ainda 32 fontes de abastecimento de água avariadas. A actual taxa de cobertura de abastecimento de água ainda é baixa situando-se em 50,8%. A situação do Posto Administrativo de Chidenguele é a mais preocupante do Distrito com uma taxa de coberura de apenas 39,4%. Note-se que a ocorrência de água salobre em Chidenguele é muito elevada (fonte: SDPIE, 2007). Os pequenos sistemas de abastecimento de água estão localizados nas sedes dos Postos Administrativos de Macuácua, Chidenguele, Vila Sede, Chalala, exceptuando o de Machulane que é sede de uma localidade do Posto de Chibonzane. A seguir apresenta-se a situação das fontes de abastecimento de água do Distrito. Gráfico 11: Fontes de Abastecimento de Água FONTES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM 2007 Número

200 100 0 Poços

Furos

P/Sistemas

Operacionais

125

183

3

Inoperacionais

12

32

3

Total

137

215

6

Fonte: SDPI, 2007

Os principais constrangimentos no abastecimento de água do Distrito prendem-se com as avarias constantes das bombas manuais; a descida de nível do lençol freático, a deficiente gestão, operação e manutenção das fontes e a distribuição inadequada das fontes no territorio. 1.8.4 – Saneamento e Drenagem O sistema de saneamento e drenagem do Distrito é deficitário pois não existe rede alguma de drenagem nem de esgotos. Na zona urbana o único sistema de saneamento que existe é constituído por fossas sépticas e, nas zonas suburbanas o saneamento é caracterizado pela existência de latrinas melhoradas. O Distrito possui um estaleiro de latrinas melhoradas no âmbito da política nacional de saneamento a baixo custo. A taxa actual de cobertura de saneamento no Distrito é de aproximadamente 55% (SDSMAS).

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

32

Distrito de Mandlakaze

1.9 – Serviços Sociais Básicos 1.9.1 – Educação 1.10.1.1 - Rede Escolar O Distrito tem uma rede escolar de 105 escolas, com uma cobertura de 100% para o EP1 e EP2, 78% para ESG1 e 21% para o ESG2. Tem 75 escolas que leccionam da 1ª a 5ª classe, 25 de 1ª a 7ª classe, 4 da 6ª e 7ª classe, 4 do ESG1 das quais 1 funciona em regime misto com o ESG2. Tabela 10: Distribuição dos Níveis de Ensino por Posto Administrativo NÍVEL DE ENSINO

ENSINO PRIMÁRIO I Grau

ENSINO PRIMÁRIO II Grau

Posto/Nome

Alunos

Prof.

Salas

Alunos

Prof.

Salas

Chidenguele Nguzene Mazucane Manjacaze Chibonzane Chalala Macuacua

12578 4189 3462 4753 6070 3325 2967 37344

182 72 62 101 93 64 36 610

142 59 52 54 79 48 40 474

2970 942 807 1888 1026 587 406 8626

60 21 18 51 20 13 6 189

12 -10 6 -18 47 88

Total

ENSINO SECUNDÁRIO I Ciclo Aluno Prof. Salas

1635 -441 2360 507 -299 5242

25 --56 12 -7 100

12 --10 6 -18 47

ENSINO SECUNDÁRIO II Aluno

Prof.

Salas

816

20

-

816

20

-

Fonte: SDEJT

No EP1, do total de salas existentes 181 são de alvenaria, 211 de pau a pique e 88 de outro material (sombras de árvores, alpendres cobertos com material local com ou sem protecção lateral). No EP2, 52 salas são de alvenaria e 16 de pau a pique, enquanto no ESG1 e ESG2, 40 são de alvenaria e 6 de pau a pique. Não obstante as longas distâncias para se chegar às escolas, o número de alunos nos últimos anos tende a crescer. As taxas brutas de admissão, escolarização e de conclusão registados em 2007 no EP1 e EP2 atingiram os 107.1%, 98,7,% e 73,5% respectivamente. 1.10.1.2 - Efectivo de Docentes No Distrito existem 1021 docentes, sendo 793 do Ensino Primário do 1º grau (dos quais 268 com formação psico-pedagógica e 190 leccionam em regime de 2º Turno); 175 docentes do Ensino Primário do 2º grau (dos quais 78 com formação psicopedagogica); 112 docentes do Ensino Secundário do 1º Ciclo (dos quais 18 com formação psico – pedagógica) e 16 docentes do Ensino Secundário do 2º Ciclo. A existência de grande parte de docentes sem formação psíco-pedagógica faz com que as escolas leccionem apenas ate à 5ª Classe. A média de frequência por turma é de 55 alunos. 1.10.1.3 - Alfabetização e Educação de Adultos No âmbito da AEA existem 105 centros por todos os Postos Administrativos do Distrito. Neste subsistema de ensino foram apurados 4546 Educandos do 1º a 3º Ano onde 89% são mulheres. Estes são orientados por 145 Alfabetizadores e Educadores de Adultos.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

33

Distrito de Mandlakaze

1.10.1.4 - Recursos Humanos O Distrito conta com 1127 funcionários dos quais 585 são do quadro e 469 fora do quadro. Destes, 1054 são docentes, 66 de Apoio Geral, 6 Instrutores e 1 Chefe da Cultura, sendo a área da Educação a que emprega o maior número de funcionários no Distrito. Os principais constrangimentos que se registam no Distrito são: a prevalência na região sul do distrito de uma rede escolar com uma taxa de crescimento inferior a taxa de crescimento da população escolarizável; taxas de desistências elevadas sobretudo das raparigas; fraca qualificação académica ou psico – pedagógica do corpo docente; existência de escolas incompletas do EP1; desproporção acentuada entre os números de escolas “EP1/EP2”, “EP2/ESG1” e “ESG1/ESG2”, bem como a prevalência de distâncias longas no sentido casa-escola, com maior relevância no Posto Administrativo de Macuácua (a distância média casa/EP1 é de 6km; EP1/EP2 8km; EP2/ESG1 12Km; ESG1/ESG2 18km). 1.10.1.5 - Conteúdos Locais a Inserir no Currículo O distrito possui inúmeras potencialidades e habilidades dos seus habitantes, que podem ser disseminados por via institucional, através da sua inserção no currículo local, à luz da legislação pertinente sobre a matéria, que prevê uma cota de 20% para conteúdos locais. Neste contexto, o distrito identificou os seguintes conteúdos para inserção no currículo local: - No PA de Nguzene: olaria (fabrico de alguidares, panelas de barro, tijolos, vasos, potes e outros); - Em todo o distrito: fabrico de óleo na base da mafurra, uso de plantas medicinais, fabrico e uso de instrumentos musicais tradicionais (Xitende, Xigovia, Xipendane, Xizambiza, Ximbveca, Mbalapala, entre outros) e danças tradicionais (Macuaela,

Ngalanga, Timbila, Makuae, Macessa, Ndlama, Xingomane, Xingombela, Baiela, Xikwacuacua, Makhara, entre outras);

- PAs de Macuacua, Chidenguele e Chibonzane: tecelagem com palha (cestos, esteiras, peneiras, vassouras, chapéus, carteiras, mesas, cadeiras, camas, e outros); - PA de Chidenguele: escultura de madeira.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

34

Distrito de Mandlakaze

1.9.2

– Saúde

Figura 6: Carta da Rede Sanitária

O atendimento sanitário à população é garantido por uma rede constituída por 25 unidades sanitárias, sendo 1 Hospital Rural na Vila Sede, 18 Centros de Saúde de nível II, em todas as sedes dos Postos Administrativos e outros locais, 6 Centros de Saúde do Nível III em Cucuine, Banguene, Chicavane, N’savelene, Laranjeiras e Matsinhane e ainda 3 Postos de Saúde Comunitários. A capacidade de internamento no Hospital Rural de Mandlakazi é de 186 camas. A assistência médica é assegurada por 2 médicos e 68 técnicos e assistentes de saúde. Do número total de profissionais, 30 são mulheres. A capacidade de atendimento é complementada ainda com 25 agentes de saúde polivalentes. A taxa da mortalidade infantil no Distrito é de 5% em crianças dos 0-5 anos e o número de partos institucionais é de 5.602. O baixo peso à nascença é de 3%, originada pela fraca dieta alimentar nas crianças e mães grávidas bem como pela ocorrência de algumas patologias. 1.10.2.1 - Nutrição A população do Distrito tem como hábitos alimentares a xima, o arroz, hórticolas localmente produzidas, tubérculos, designadamente a mandioca, batata doce e batata reno, sendo que o último é maioritariamente adquirido em outros locais fora do Distrito. Os principais constrangimentos nesta componente relacionam-se com (i) os casos de mal nutrição em crianças a partir dos 6 meses aos cinco anos, causado por infecções de HIV/SIDA, (ii) o desmame precosse, isto é, as crianças são desmamadas antes dos dois anos de idade originado pela falta de háhito da realização do planeamento familiar, (iii) a introdução tardia da alimentação artificial, para além dos (iv) problemas causados pela seca afectando o estado nutricional da população. 1.10.2.2 - Quadro de Doenças Endémicas O principal constrangimento na prestação dos serviços de saúde reside na baixa cobertura da assistência médica (vide o gráfico abaixo). De igual modo, a prevalência de um alta ocorrência de doenças endémicas, tais como o HIV/SIDA, ITS’s, Malária e Diarreias constituem também um risco para a saúde pública dos habitentes.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

35

Distrito de Mandlakaze

Gráfico 12: Cobertura Sanitária no Distrito NÍVEIS DE COBERTURA SANTÁRIA NO DISTRITO 200.000 150.000 100.000 50.000 0 No Habitantes/Unidades Sanitárias No Habitantes/Médico No Habitantes/Cama No Habitantes/Técnicos de Saúde

2004

2005

2006

7.325

6.714

6.446

161.147

80.574

80.574

921

921

866

2.302

2.238

2.066

Fonte: SDSMAS, 2007

1.9.3

– Acção Social e Género

O Distrito tem desenvolvido acções de atendimento dirigidas à vários grupos-alvo, tais como mulheres, crianças, idosos, pessoas portadoras de deficiência, toxicodependentes, doentes crónicos, entre outros. As intervenções têm sido feitas em coordenação com organizações parceiras (ONG’s e Associações). O nível da assistência tem sido satisfatório e inclui os seguintes programas: geração de rendimentos (foram envolvidas 28 mães chefes de família “MCAF”); Benefício social pelo trabalho (27 mães chefes de família integradas nas instituições do Governo); Desenvolvimento comunitário (144 beneficiários, dos quais 115 mulheres e 29 homens); Apoio social directo (35 crianças beneficiadas); Subsídios de alimento (atendidos 1833 beneficiários dos quais 1796 idosos, 2 doentes crónicos e 35 pessoas portadoras de deficiência). Gráfico 13: Assistência a Terceira Idade AT E N D I M E N T O AO I D OS O E BAS E AD O N A C OM U N I D AD E

258

156

744

963

2004

2005

170

N º d e D e f ic ie nt e s I d e nt if ic a d os e A c om p a nha d os

1917

N º d e I d os os I d e nt if ic a d os e A t e nd id os

2006

Fonte: SDSMAS, 2007

Os principais constrangimentos resumem-se da seguinte forma: Exiguidade de técnicos específicos da área e outros de carreira de regime geral; Falta de meios circulantes adequados para a realização do trabalho no terreno tendo em conta que o trabalho a realizar se faz no campo, onde se localizam os grupos alvo; e exiguidade de recursos financeiros.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

36

Distrito de Mandlakaze

1.9.4 – Desporto O desporto no Distrito movimenta as seguintes modalidades: Futebol 11, Voleibol, Atletismo e Basquetebol. A modalidade rei é o futebol de 11, praticado em 16 campos, sendo que o basquetebol é praticado apenas na sede do Distrito. 1.10 – Situação Institucional e de Governação 1.10.1

– Administração Pública

O Governo Distrital é dirigido pelo Administrador e está estruturado da seguinte forma: Figura 7: Estrutura tipo do Governo Distrital Administrador Distrital

Gabinete do Administrador

Secretaria Distrital (inclui funções não atribuídas a outro serviço distrital)

Serviço Distrital de Planificação e Infraestruturas

Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia

Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social

Serviço Distrital de Actividades Económicas

Outros Serviços (1 a 2) a definir local/ em coord. com a província

Existem ainda outros serviços públicos tais como o Comando Distrital da PRM, a representação da Água Rural e os órgãos de Justiça representados pelos Serviços de Registo e Notariado, Tribunal Judicial e Procuradoria Disrital. Os cidadãos participam na governação através dos conselhos consultivos desde as Localidades, passando pelos Postos Administrativos até ao Distrito. Os principais constrangimentos prendem-se com o fraco fluxo de informação devido à deficiente comunição, bem como ao reduzido número de técnicos especializados. Outrossim, o distrito não dispõe de uma base de dados (arquivo físico e electrónico) integrada, que possua informação relevante e actualizada, que possa ser facilmente disponibilizada aos funcionários e agentes do Estado, agentes económicos, instituições académicas e de pesquisa, ONGs, organizações da sociedade civil e ao público em geral.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

37

Distrito de Mandlakaze

O quadro geral dos recursos humanos do Distrito é caracterizado por insuficiência de pessoal técnico qualificado (vide a tabela 8): Tabela 11: Quadro dos Recursos Humanos do Distrito DESINAÇÃO T.ELEMENTAR T.BÁSICO T.MÉDIO T.SUPERIOR

G.A. e S.D. 48 10 09 02 TOTAL 69 Fonte: Secretaria Distrital, 2007

S.D.A.E. 20 04 13 00 37

S.D.P.I. 00 03 04 00 07

S.D.E.J.T. 68 434 158 324 984

S.D.S.M.A.S. 15 51 16 2 84

No que concerne a meios e equipamento de trabalho, o Distrito conta com 13 viaturas e 6 instituições têm computadores (vide tabela 9). Em termos de infraestruturas existentes no Distrito pode-se visualizar na tabela 10. Tabela 12: Relação de meios circulantes e equipamento informático existentes nas instituições públicas

Instituição Secretaria Distrital Gabinete do Administrador SDAE SDSMAS SDPIE SDEJT Registos e Notariado Polícia Tribunal

Total

Computadores

Viaturas

Motorizadas

Funciona 06 03

Avariadas 03 00

Funciona 00 02

Avariadas 00 01

01 06 01 03 00 00 00 20

03 00 00 00 00 00 00 06

01 03 00 01 00 00 00 07

02 02 00 01 00 00 00 06

Funciona 06 00

Avariadas 01 00

09 00 00 00

08 00 01 00

01 16

00 10

Fonte: Secretaria Distrital, 2007

Tabela 13: Estado de conservação das Infra-Estruturas INSTITUIÇÕES

ESTADO DA INFRAESTRUTURA BOM

Governo Secretaria Distrital SDAE SDSMAS SDPI SDEJCT Postos

RAZOÁVEL

MAU

NÃO EXISTE

1 1 1 1 1 2 (Mazucane e Chalala)

Localidades Registos e Notariado Polícia

1 2 (Macuácua e Chidenguele)

2 (Nguzene e Chibonzane)

1 (Sede) x

1

Tribunal

1 1

Fonte: Secretaria Distrital, 2007

1.10.2 – Finanças Públicas De uma maneira geral, a situação das finanças do Distrito é caracterizada por uma fraca cobertura das despesas. Em 2006, volume de receitas cobrado foi de 3.094 mil contos e as despesas realizadas totalizaram 61.151 contos (vide a tabela). O saldo deficitário foi coberto com recursos do tesouro provincial.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

38

Distrito de Mandlakaze

Tabela 14: Evolução das Receitas e Despesas Correntes do Distrito (contos) Descrição 1. RECEITAS 1.1 – Próprias 1.2 – Fiscais 2. DESPESAS 2.1 – Salários e Remunerações 2.2 – Outras Despesas c/Pessoal 2.3 – Bens e Serviços

2004 3.088.594,16 2.767.338,12 321.256,04 50.331.659,73 44.127.771,81 923.935,50 5.279.952,42

2005 3.500.250,00 3.150.404,00 349.846,00 53.409.992,61 46.438.356,74 1.066.922,87 5.904.713,00

2006 3.094.919,50 2.525.491,50 569.428,00 61.151.112,10 53.628.054,49 1.152.493,07 6.370.564,54

-47.243.065,57

-49.909.742,61

-58.056.192,60

3. SALDO

As receitas fiscais têm registado uma tendência crescente mercê de maior controlo e alargamento da base tributária do Distrito. Constituem fontes de receita arrecadadas à nível do Distrito as provenientes do pagamento de diferentes taxas e licenças em consonância com a lei, bem como o imposto próprio e o IRN (Imposto de Reconstrução Nacional). Gráfico 14: Evolução das Receitas Proprias EV O L UÇÃO DAS RECEITAS PRÓ PRIAS (MT) 1.200.000,00 Administracao Educação Saúde Agricultura Registo e Notariado Conselho Municipal

1.000.000,00 800.000,00 600.000,00 400.000,00 200.000,00 0,00 2004

2005

2006

Gráfico 15: Evolução das Receitas Fiscais EV O LU ÇÃ O DA S RECEI TA S FI SCA I S ( M et icais) 200.000,00 150.000,00 100.000,00 50.000,00

104.420,00

126.010,00

2004

2005

180.662,00

0,00 2006

Relativamente às despesas correntes, cuja tendência tem sido crescente, a rubrica com mais comparticipação é a dos Salários e Remunerações (87,7% em 2004; 86,9% em 2005; e 87,7% em 2006).

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

39

Distrito de Mandlakaze

Gráfico 16: Evolução das despesas Publicas no Distrito Adm inistracao Registo e Notariado Conselho Municipal

70.000.000,00 60.000.000,00

Educação Procuradoria TOTAL

Saúde Tribunal

Agricultura Com ando da PRM

50.000.000,00 40.000.000,00 30.000.000,00 20.000.000,00 10.000.000,00 0,00 2004

2005

2006

Salário e Remunerações

2004

2005

2006

2004

Outras Despesas c/Pessoal

2005

2006

2004

Bens e Serviços

2005

2006

TOTAL

Nos últimos três anos, as despesas de investimento público têm crescido a uma média de 20 % por ano, mercê da descentralização dos fundos para o efeito. Gráfico 17: Evolução dos investimentos públicos EV O LU ÇÃO DO I N V ESTI M EN TO PÚ BLI CO ( M il M T) C. Municipal Agricultura Saúde Administração 0,00

1.000,00

2.000,00

3.000,00

4.000,00

5.000,00

6.000,00

7.000,00

8.000,00

9.000,00

Administração

Saúde

Agricultura

C. Municipal

2006

7.300,00

45,00

511,06

1.145,85

2005

1.137,60

184,08

876,66

1.145,85

2004

899,76

184,54

617,24

995,50

10.000,00

Os principais constrangimentos nesta componente resumem-se da seguinte forma: (i) fraca capacidade de geração de receitas bem como falta de contenção das despesas públicas, (ii) fraco sistema de registo contabilístico, (iii) fraco cumprimento das normas de execução orçamental e de aquisicão de bens e serviços, (iv) exiguidade de meios humanos qualificados nas áreas de administração, planificação e finanças, (v) irregularidade na entrega de receitas não fiscais aos Cofres do Estado, e (vi) gestão centralizada de alguns fundos. 1.10.3 – Registo Civil e Notariado Existe no Distrito um total de 13 pessoas do quadro destes serviços, estando 10 afectos na Sede e 3 nos Postos do Registo Civil, localizados em Manhique (PA de Chibonzane), Chidenguele Sede (PA de Chidenguele) e Macuácua Sede (PA de Macuácua). Estes serviços garantem os registos de nascimento, casamentos e outros. Existe também a Direcção de Identificação Civil para a emissão dos Bilhetes de Identidade. Tabela 15: Nível de atendimento anual pelo Registo Civil e Notariado DESIGNAÇÃO REGISTO CIVIL NOTARIADO REGISTO PREDIAL REGISTO COMERCIAL

REGISTO CRIMINAL

ATENDIMENTO ANUAL 19.272 actos 10.041 actos 35 actos 20 actos 200 actos

Fonte: Conservatória do Registo Civil e Notariado, 2007 Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

40

Distrito de Mandlakaze

A capacidade de prestação de serviços não é ainda satisfatória devido a insuficiência do pessoal para responder a elevada demanda. A insuficiência de equipamento de trabalho tem contribuído, também, para o fraco desempenho. O mecanismo adoptado para assegurar a cobertura das zonas do interior é a criação de brigadas móveis. 1.10.4

– Justiça

Existe no Distrito 01 Tribunal Judicial, localizado na Vila Sede do Distrito e 04 Tribunais Comunitários, nas sedes dos Postos Administrativos de Chalala, Chibonzane, Chidenguele e Macuácua. Anualmente regista-se cerca de 1000 processos entrados e 600 findos. 1.10.5

– Segurança Pública

O desemprego, alcoolismo e consumo de estupefacientes têm sido a principal causa da criminalidade no Distrito. Os casos mais frequentes incluem a violação de mulheres, furtos, homicídios e assaltos a mão armada (incluindo roubo de gado), agravado pela falta de meios financeiros, humanos e materiais da Polícia. De salientar que só em 2007 foram registados 135 delitos. Tabela 16: Unidades Policiais POSTO ADMINISTRATIVO CHIDENGUELE MACUÁCUA CHIMBONZANE NGUZENE CHALALA MAZUCANE SEDE

TOTAL

POSTO POLICIAL 1 1 1 0 0 0 1 Comando Distrital 4

SECTOR POLICIAL 2 0 0 1 1 2 0 6

Fonte: Comando Distrital, 2007

1.10.6 – Organizações Parceiras do Distrito No distrito existem e operam 3 ONG’s: a Visão Mundial, que realiza actividades tais como a construção de infra-estruturas para a educação, capacitação institucional, abertura de furos de água, criação de animais de pequeno porte e produção de hortícolas; a Save The Children que tem intervenções também de construção de salas de aulas na educação, bem como na distribuição de lanche escolar, produção de hortícolas e reforço da capacidade institucional. A Cedes, por seu turno, realiza apenas actividades de construção de salas de aulas. Refira-se que os Programas ou Projectos definidos por estas organizações são direccionados aos Postos Administrativos, Localidades ou Povoações onde necessitam de ajuda, ou em zonas onde seja adequado/viável para a implementação de um dado projecto identificado pelos parceiros. Os principais beneficiários da actuação dessas organizações são, para além do próprio Governo, as crianças, as mulheres bem como a pequenos grupos de camponeses organizados em associações, cujo impacto das intervenções se pode resumir da seguinte maneira: Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

41

Distrito de Mandlakaze

- a construção de infraestruturais na educação, assim como a distribução de laches escolares contribuem para a melhoria das condições de ensino e aprendizagem, pois condicionam um bom ambiente de aprendizagem e contribuem para a redução das desistência escolares, principalmente das raparigas, devido a diminuição das distâncias as escolas e a motvação das crianças desfavorecidas pelos lanches escolares. Estas desistências da rapariga também são reduzidas pela construção de furos de água, uma vez que diminui a distância a procura de água, consequentemente maior tempo para ir a escola e outras actividades dentro da familia. Por outro lado, a criação de aninmais e produção de hortícolas contribui na melhoria da dieta alimentar dos agregados familiares e no aumento da renda familiar, reflectindo-se deste modo na melhoria do bem estar da população. Sobre os mecanismos intitucionais de coordenação dos planos de desenvolvimento entre estas organizações e o Governo, eles acontecem obedecendo a um processo de planificação das acções de cada ONG antecedida da ascultação junto às instituições do Governo bem como às populações.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

42

Distrito de Mandlakaze

1.11 – Pontos Fortes e Fracos, Oportunidades e Ameaças PONTOS FORTES        

Extensas áreas para agricultura Recursos hídricos (lagoas) Zonas baixas e machongos Serviços de extensão Feiras agrícolas Pequenos sistemas de irrigação Associação de agricultores Banca comercial

PONTOS FRACOS

                 

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

OPORTUNIDADES AGRICULTURA  Mercado de venda de insumos agrícolas Infra-estruturas para retenção de em Chókwe, Maputo e Países vizinhos água insuficientes  Escolas e instituições de investigação Sistemas de regadio destruídos agro-pecuária no Chókwe e Maputo Recursos hídricos sub Potenciais investidores aproveitados  Gemelagem Gaza-Limpopo Sistemas de conservação do  Lei de criação de Associações Agroexcedente deficientes Pecuárias Recursos e meios financeiros  Instituições e fundos de (micro) finanças exíguos rurais em Xai-Xai Forte dependência à factores naturais (chuvas) Uso de tecnologias rudimentares Níveis de produção e produtividade baixos Fraca capacidade de manutenção das represas existentes Queimadas descontroladas (empobrecimento de solos) Fraco desenvolvimento associativo, comunitário e do sector privado Difícil acesso ao crédito e aos insumos agrícolas Altas taxas de juro bancário Critérios de elegibilidade aos créditos complexos Custos de produção elevados Deficiente gestão de negócios Conflitos de terra Fraco domínio de técnicas de

AMEAÇAS     

Secas Inundações Pragas de animais e insectos Desvalorização da moeda Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

43

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES

  

    

Tradição na actividade pecuária Extensas áreas de pastagem Feiras agro-pecuárias Infra-estruturas de sanidade animal (tanques carracicidas e manga de tratamento e bebedouros) Extensionistas agro-pecuários

    

 

  

Lagoas Pesca artesanal e semi-industrial Associação de pescadores

  

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS processamento de produtos agrícolas Inexistência de indústrias de processamento de produtos agrícolas Reduzida cobertura dos serviços de extensão rural Fraco marketing e aproveitamento das oportunidades de negócio existentes PECUÁRIA Fraca assistência veterinária  Difícil acesso ao crédito  Fraca capacidade de maneio dos animais pelos criadores  Fraca capacidade de maneio de pastos  Fraco conhecimento do valor económico do gado pelos  criadores (aproveitamento de produtos e sub-produtos) Deficiente seguimento das cadeias de valor dos produtos Fraco marketing e aproveitamento das oportunidades de negócio existentes PESCAS Fraca qualidade do equipamento  (canoas)  Fraca fiscalização da actividade pesqueira  Desrespeito pelas normas de

OPORTUNIDADES

AMEAÇAS

Farmácia veterinária em Xai-Xai Instituto de Investigação Agrária (Chókwe e Maputo) Mercados de espécies melhoradas na SADC Mercado para compra de pintos e ração em Xai-Xai e Maputo Gemelagem Gaz-Limpopo

  

Legislação pesqueira Mercado de venda de material para pesca (Maputo) Instituições de micro-finanças rurais em Xai-Xai

 

Epidemias Secas e cheias Pragas de animais selvagens Roubos Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

44

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES

  

 

Jazigos de argila e calcário Mão de obra activa

Infra-estruturas para o desenvolvimento da actividade comercial Sector informal forte Banca comercial Mercados

 

  

       

 

Indústria de panificação Indústria de processamento

de

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS OPORTUNIDADES gestão pesqueira (período de  Condições para a piscicultura defeso e uso de redes não apropriadas) Descapitalização dos pescadores Deficiente seguimento das cadeias de valor dos produtos Fraco marketing e aproveitamento das oportunidades de negócio existentes MINAS Recursos humanos não  Gemelagem Gaza-Limpopo qualificados Difícil acesso ao crédito COMÉRCIO Lojas destruídas e paralisadas  Fornecedores de equipamento e insumos Fraca fiscalização da actividade agro-pecuários em Chókwe, Maputo e comercial países da SADC Fraca divulgação de informação  Boletins/Índices periódicos de preços da sobre mercados e preços comercialização agrícola Desrespeito pela legislação  Legislação que isenta o pagamento de comercial (licenciamento / fuga taxas aduaneiras na importação de ao fisco) equipamento agrícola (SADC) Capacidade de gestão de  Integração económica da SADC negócios deficiente  Legislação que facilita o sistema de registo Fraca comercialização agrícola comercial Descapitalização dos comerciantes Baixos preços na comercialização agrícola Altas taxas de juro bancário Critérios de elegibilidade aos créditos complexos INDÚSTRIA  Infra-estruturas industriais  Integração económica na SADC encerradas  Fornecedores de equipamento industrial

AMEAÇAS

Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

Integração económica na SADC Fraco poder de compra das populações Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

 

Integração económica na SADC

45

Distrito de Mandlakaze

 

PONTOS FORTES castanha de caju Indústria de processamento madeira Banca comercial

de

PONTOS FRACOS Falta de fábricas de processamento de produtos agrícolas (arroz) Fraco acesso ao crédito

  

 

Costa marítima Lagoas exóticas

TURISMO Insuficiência de camas para  Localização privilegiada para o turismo de acomodação, especialmente no costa período de pico  Escolas de formação de agentes turísticos e Fraca preparação dos agentes de hotelaria (Maputo e Inhambane) de hotelaria  Fundos de apoio ao desenvolvimento do Fraco domínio das línguas turismo (FUTUR) estrangeiras (inglês)  Gemelagem Gaza-Limpopo Fraca divulgação e aproveitamento do potencial turístico Fraco desenvolvimento de infraestruturas de comunicação e energia Fraco desenvolvimento das vias de acesso para os principais pontos turísticos SERVIÇOS PÚBLICOS

     

Serviços Financeiros  Bancos comerciais  Actividade económica forte

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

OPORTUNIDADES em Maputo e na África Austral Legislação que facilita o sistema de registo industrial Fundos de apoio ao desenvolvimento de micro-industrias Modelos de maquinetas de agroprocessamento

  

Fraca expansão para o interior do Distrito Altas taxas de juros Procedimentos de elegibilidade complexos

 

Serviços de micro-finanças em Xai-Xai Legislação que incentiva a expansão da Banca para as zonas rurais

 

AMEAÇAS Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

Desastres naturais Elevada incidência de HIV/SIDA e vulnerabilidade a doenças endémicas

Índice elevado HIV/SIDA

de

46

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES Serviços de Abastecimento em Combustíveis  Bombas  Forte demanda de combustível  Tendência para crescimento do parque automóvel  Banca comercial

PONTOS FRACOS 

Serviços de Transporte  Frota para transporte de passageiros (chapa 100)  Frota para transporte de carga  Banca comercial

  

 

Vias de acesso rodoviário ligando todas as localidades Mão-de-obra local (manutenção)

   

    

Furos equipados com bombas manuais Pequenos sistemas de abastecimento de água Comités de gestão de água Lençol freático a níveis satisfatórios Recursos hídricos (riachos e lagoas)

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

   

Fraca expansão para o interior do Distrito

Fraca cobertura para as zonas do interior Fraca segurança nos transportes de passageiros Fraca capacidade de manutenção das viaturas Fraca divulgação da lei do transporte e comunicações

OPORTUNIDADES  

 

Fornecedores de combustíveis Maputo Fundo Nacional de Energia (FUNAE)

AMEAÇAS 

em

Fundos/créditos para transporte Associação dos Transportadores de Gaza (ASTROGAZA)

REDE VIÁRIA Fraca manutenção das vias  Construtores em Xai-Xai e Maputo internas  Fornecedores de equipamento para Fraca capacidade técnica para a manutenção e reparação das vias em Xai-Xai construção e manutenção das e Maputo estradas e pontes;  Descentralização / desconcentração das Fraca capacidade de fiscalização competências de manutenção das estradas das obras aos distritos Algumas vias de acesso  Fundo de Estradas degradadas ABASTECIMENTO DE ÁGUA Elevado número de fontes  Políticas e estratégias do sector avariadas  Fundos para investimento no sector Furos inoperacionais e  Tecnologias para o abastecimento de abandonados água Fraca manutenção das fontes Fraca rede de comercialização de peças sobressalentes

 

Tendência crescente do custo de combustível a nível internacional Índice elevado de HIV/SIDA Elevado custo combustível Índice elevado HIV/SIDA

de de

Desastres naturais Custos elevados por Km de estrada reparada Índice elevado de HIV/SIDA

 

Seca Índice elevado de HIV/SIDA

47

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES 

 

Estaleiro de latrinas melhoradas Fossas sépticas

  

Linha de Cahora Bassa

   

 

Rede de telefonia móvel e fixa Radio de comunicação

Espaço para serviços de aviação

 

 

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS OPORTUNIDADES Fraco conhecimento da relação água potável, higiene e saúde SANEAMENTO E DRENAGEM Deficiente sistema de drenagem  Políticas e estratégias do sector Fraca capacidade técnica  Fundos para investimento no sector Fraco conhecimento da relação  Tecnologias de saneamento rural a baixo saneamento seguro, higiene e custo saúde

AMEAÇAS

 

Calamidades naturais Elevado Índice de HIV/SIDA

Elevados custos de operação

ENERGIA ELÉCTRICA Fraca qualidade de energia  Tecnologias acessíveis às populações eléctrica  Fundos e programas de electrificação rural Fraca cobertura da rede de energia Roubos de cabos eléctricos Ligações clandestinas TELECOMUNICAÇÕES Fraca qualidade do sinal de  Fornecedores de serviços de telefonia telecomunicações (móvel e fixa, em Xai-Xai e Fraca cobertura da rede Maputo)  AVIAÇÃO Deficiente manutenção da pista  Serviços de aviação e aeroportuários em existente Maputo Deficiente sistema de sinalização  Fornecedores de serviços de manutenção e da pista equipamentos em Maputo e África do Sul Deficiente sistema de protecção da área reservada ao Aeródromo

48

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES        

Escolas / salas de aula de material convencional Rede escolar primária até aos povoados Rede escolar do EPC nos Postos Administrativos / localidades Ensino Básico e Médio geral Alfabetização e Educação de Adultos Material básico escolar Elevado número de crianças em idade escolar ZIP’s

PONTOS FRACOS

              

    

Centros de Saúde em todos Postos Administrativos Postos de Saúde Comunitária Hospital Rural Farmácias Agentes comunitários de saúde

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

OPORTUNIDADES EDUCAÇÃO Insuficiência de infra-estruturas  Isenção de pagamento de taxas no ensino Salas de aulas construídas com primário material precário  Material de ensino/ aprendizagem gratuito Insuficiência de equipamento  Políticas e estratégias do sector escolar  Potenciais parceiros Turmas leccionam ao ar livre  Fundos e programas de investimento Reduzido número de professores  Infra-estruturas modelo a baixo custo com formação pedagógica  Centros de Formação de Professores Falta de escolas técnico-  Universidades e Institutos em Xai-Xai, Chókwe profissionais e Maputo Falta de residências para docentes  Insuficiência de escolas do 1º e 2º Ciclos do ESG Atrasos na distribuição do material escolar Exiguidade de Fundos para o funcionamento das escolas Reduzida taxa de participação das raparigas Elevada taxa de desistências, com particular ênfase nas raparigas Deficiente capacidade de manutenção das salas convencionais construídas Fraca formação técnicoprofissional do pessoal de apoio Distâncias longas no sentido casaescola SAÚDE  Fraca cobertura da Rede  Políticas e estratégias do sector Sanitária nas localidades  Fundos e programas de investimento  Insuficiência de pessoal  Potenciais parceiros técnico especializado  Centros de formação de saúde (Chicumbane)  Insuficiência de material e  Universidades e Institutos em Maputo equipamento médico

AMEAÇAS  

 

Índice elevado de HIV/SIDA Seca, Cheias e Ciclones

Elevado índice de doenças endémicas (HIV/SIDA, Malária e Tuberculose) Secas, Cheias e Ciclones

49

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES Programa de combate HIV/SIDA

ao

  

Programas de apoio e reinserção social dos grupos vulneráveis Organizações parceiras Associações de mulheres e de outros grupos desfavorecidos

 

    

Desporto escolar Equipas de futebol de 11 Campeonato local Grupos culturais Locais históricos

Governo do Distrito e respectivo Quadro Orgânico Descentralização das decisões para o nível local Representantes do Estado em todos níveis Autoridades comunitárias reconhecidas Conselhos Consultivos aos diferentes níveis Município na vila sede

 

 

    

    

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS OPORTUNIDADES Reduzido número de médicos Deficiente sistema de conservação de medicamentos Insuficiência de meios de transporte (ambulâncias) ACÇÃO SOCIAL E GÉNERO Dispersão da população  Potenciais parceiros Escassos recursos humanos  Fundos e programas de apoio qualificados, materiais e financeiros Fraca reinserção social dos mineiros reformados CULTURA E DESPORTO Infra-estruturas desportivas e  Campeonato provincial de futebol culturais degradadas  Festival cultural provincial e nacional Escassez de infra-estruturas  Escolas de arte e cultura em Maputo ao nível das localidades  Escola Nacional de Dança em Maputo ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS PÚBLICOS Resistência à mudanças  Legislação sobre a reforma do sector público Insuficiência de recursos  Legislação sobre a descentralização humanos qualificado nas  Assistência técnica provincial e nacional instituições  Potenciais parceiros Insuficiência de infra-  Fundos/ programas de apoio estruturas para instituições e  Instituições de Formação (médio e superior) habitação em administração pública Fraca alfabetização por parte  dos membros do CC´s Fraco apetrechamento em meios, equipamentos e mobiliário Fraco sistema de comunicação e informação entre os níveis e instituições Relativa morosidade na

AMEAÇAS

  

Elevado índice de HIV/SIDA Doenças endémicas Secas, Cheias e Ciclones

 

Elevado índice de HIV/SIDA Cheias, Secas e Ciclones

Elevado HIV/SIDA

índice

de

50

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES       

Plano Estratégico de Desenvolvimento Provincial Metodologias de planificação e orçamento integradas Sistema de cobrança de receitas Orçamento de investimento e funcionamento

    

Brigadas móveis de registo de nascimento

 

Posto policial Policiamento Comunitário

 

Cadeia Distrital Equipe de Juizes e Procuradores

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS OPORTUNIDADES tramitação de expedientes Gestão de recursos humanos deficiente Exiguidade de meios de transporte Falta de uma base de dados integrada e actualizada PLANIFICAÇÃO E FINANÇAS PÚBLICAS Deficiente sistema de registo  Legislação específica e controlo das receitas  Assistência técnica a nível provincial e cobradas nacional Deficiente capacidade de  Instituições de formação em Planificação gestão financeira  Políticas de Desenvolvimento Económico Fraca capacidade de Local planificação e programação orçamental Fraca capacidade de supervisão, monitoria e avaliação Desequilíbrio entre receitas próprias arrecadadas e as despesas REGISTO CIVIL E NOTARIADO Exiguidade de meios e  Legislação específica recursos humanos Pessoas sem documentos de identificação SEGURANÇA Exiguidade de Postos policiais  Legislação específica nos Postos Administrativos Exiguidade de meios de transporte JUSTIÇA Exiguidade de recursos  Legislação específica humanos, meios e

AMEAÇAS

Elevado HIV/SIDA

índice

de

Elevado HIV/SIDA

índice

de

Elevado HIV/SIDA

índice

de

Elevado HIV/SIDA

índice

de

51

Distrito de Mandlakaze

PONTOS FORTES 

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

PONTOS FRACOS equipamentos Condições precárias cadeias

OPORTUNIDADES

AMEAÇAS

nas

52

Distrito de Mandlakaze

2

– QUADRO ESTRATÉGICO DO DISTRITO

A definição de estratégias para o desenvolvimento do Distrito deve ter como alicerce a VISÃO de Desenvolvimento, ou seja aquilo que representa a mais alta aspiração das famílias. De referir ainda que tal aspiração deve servir, não só, de desafio para o Distrito mas também de fonte de inspiração para o Governo, sector privado, organizações da sociedade civil e população em geral. Assim sendo, a Visão do Distrito é a seguinte:

M Maan nddllaakkaazzii:: pprrooddu uttoorr aaggrroo--ppeeccu uáárriioo ee ppeessqqu ueeiirroo ppoorr eexxcceellêên ncciiaa,, ddeessttiin noo ttu urrííssttiiccoo ee ccu ullttu urraall pprriivviilleeggiiaaddoo,, pprróóssppeerroo ee ccoom m bbeem m eessttaarr ddaass ffaam míílliiaass.. Para o alcance da Visão do Distrito, foram identificados três Vectores principais, nomeadamente o Desenvolvimento Económico Local, Infra-Estruturas e Serviços Básicos e a Boa Governação, traduzidos nos seguintes três Objectivos Estratégicos:

I Objectivo Estratégico

II III

Melhorar a renda, a segurança alimentar e nutricional das famílias através da agropecuária, turismo e pescas assegurando a gestão sustentável dos recursos naturais; Garantir o acesso à infra-estruturas e serviços básicos as famílias do distrito; Assegurar a governação aberta, garantindo a legalidade, justiça social e eficácia no funcionamento dos diferentes serviços do distrito

Figura 8: Visão do Distrito

Visão: Mandlakaze, Produtor Agro-Pecuário e Pesqueiro por Excelência, Destino Turístico Privilegiado, Próspero e com bem estar das Famílias

Desenvolvimento Económico Local

Comércio

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Turismo

Serviços

Governação

INFRAEST RUT URAS E SERVIÇOS BÁSICOS

Indústria

53

Distrito de Mandlakaze

O Distrito identifica o Desenvolvimento Económico Local como a principal estratégia para o alcance da sua Visão, sendo que um dos seus principais focos de actuação será o seguimento das cadeias de valor dos produtos de cada uma das actividades económicas. Para o efeito, o Desenvolvimento Económico Local tem nas actividades agrícola e turística as principais impulsionadoras, e as de pecuária e pesca as complementares, dinamizando a indústria, comércio e outros serviços. Na componente agrícola, o arroz, a mandioca e a castanha de caju constituem os principais vectores de desenvolvimento, conforme ilustra a tabela abaixo, que inclui a componente do turismo. Adicionalmente, o crédito e a utilização mais eficaz das remessas dos emigrantes constituem factores determinantes para a capitalização destas actividades. A tabela seguinte ilustra a projeccção da produção para o quinquénio 2010-2014, com base nas taxas de crescimento induzidas: Tabela 17: Projecção da produção com base nas taxas de crescimento induzidas Produção Unidade de Taxa de Produção crescime Ano 1 Produtos Medida nto 2009 induzida

2012

2013

2014

37.784

43.988

95.000

51.012

46%

10,8% 5,8%

6.750 7.476 8.280 9.170 10.157 11.249 174.919 185.085 195.841 207.223 219.266 232.009

32.000 1.500.000

20.751 1.267.991

35% 15%

(Ton)

2,1%

115.506 117.982 120.511 123.094 125.732 128.427

870.000

741.573

15%

(Ton)

26,4%

(Ton)

14,5%

(Ton) (Ton)

3,0% 13,3%

Arroz Mandioca Batata Doce Feijão Manteiga Feijão Nhemba Amendoim Tomate

(Ton) (Ton)

Lagosta Madeira Serrada Turismo

Produção Oportunidade % 2014/ potencial de negócio Potencial

32.455

16,4%

2010

Ano n+1 Ano n+2 Ano n+3 Ano n+4 2011

(Ton)

Horticolas Castanha de Caju Gado Bovino Peixe

Planificação (quantidades em T) Ano n

27.878

Milho

Cebola

2010 -2014 (Projecção)

20.569 23.946

521

659

10.110 11.581 7.988 6.000

(Ton)

18,3%

Diversas (Ton)

13,2%

450

(Ton)

10,3%

(Cabeças)

6,0%

(Ton)

2,1%

884

(Ton)

8,4%

60

(m3)

17,7%

63

(Nº Camas)

21,1%

481

(Nº hóspedes)

28,0%

7.311

8.228 6.798 532

1.052

1.330

1.681

20.000

18.319

8%

13.265

15.195

17.405

19.936

450.000

430.064

4%

8.474 7.703

8.729 8.728

8.991 9.890

9.260 11.206

24.000 15.000

14.740 3.794

39% 75%

630

745

881

1.042

5.000

3.958

21%

28.201

31.929

36.150

40.929

47.500

6.571

86%

4.947

5.456

6.017

6.636

68.000

61.364

10%

21.438

22.729

24.098

25.549

30.000

4.451

85%

902

921

940

959

979

5.000

4.021

20%

65

71

76

83

90

250

160

36%

74

87

102

120

142

200

58

71%

22.000 24.908 4.068

832

4.486

19.072 20.220

583

706

855

1.036

1.254

4.000

2.746

31%

9.358

11.977

15.330

19.621

25.114

26.000

886

97%

O acesso à Infraestruturas e Serviços Básicos, tais como estradas, ligando os principais mercados e pontos de produção, as escolas, centros de saúde, abastecimento de água e energia; bem como a governação participativa, constituem outras estratégias importantes de suporte da Visão de Desenvolvimento do Distrito. O progresso na implementação da estratégia do Distrito vai contribuir para o alcance da Segurança Alimentar e Nutricional das famílias, tendo em conta a necessidade da preservação do meio ambiente, bem como o controlo, mitigação, combate do HIV e SIDA e desastres naturais. No que concerne à Insegurança Alimentar e Nutricional, o Distrito prevê reduzir em 5% os actuais níveis considerando as seguintes linhas gerais de orientação: Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

54

Distrito de Mandlakaze

1. Garantir a auto-suficiência alimentar no Distrito através da intensificação da actividade agro-pecuária e pesqueira 2. Contribuir para a melhoria do poder de compra dos agregados familiares capitalizando as potencialidades locais no desenvolvimento de pequenas e médias empresas bem como associações económicas 3. Reduzir a incidência de desnutrição (aguda e crónica), através do melhoramento das condições de saúde, água, saneamento do meio, e educação alimentar e nutricional. No que diz respeito à gestão ambiental, o Distrito prevê implementar o plano à luz das seguintes linhas gerais: 1. Desenvolver capacidades para o combate e prevenção à erosão de solos nas zonas de habitação, agrícola e de mineração; 2. Promover o planeamento e ordenamento territorial e implementação dos respectivos planos; 3. Reduzir a incidência das queimadas descontroladas e o desflorestamento; e 4. Garantir a gestão dos recursos consciencialização ambiental.

naturais

bem

como

promover

a

Quanto ao controlo do HIV e SIDA, o Distrito prevê reduzir os actuais números de casos em 6% por ano considerando as seguintes linhas gerais de orientação: 1. Massificação do aconselhamento e testagem voluntária, da utilização do preservativo feminino e masculino bem como da prática da circuncisão masculina; 2. Reforçar as capacidades de geração de rendimento, da segurança alimentar e apoio nutricional dos indivíduos, famílias e comunidades afectados pelo HIV e SIDA 3. Garantir o apoio vulnerabilidade;

educacional

das

crianças

órfãs

em

situação

de

4. Assegurar a realização das actividades de combate ao HIV e SIDA mobilizando as lideranças e recursos financeiros para o efeito; 5. Assegurar a protecção e defesa dos direitos humanos das PVHS’s e seus dependentes bem como os cuidados médicos. Sobre os desastres naturais, o Distrito prevê reduzir os riscos considerando as seguintes linhas gerais de orientação: 1. Dotar o Distrito de meios de prevenção e mitigação através da emissão de informação atempada sobre os riscos; 2. Promover a criação de sistemas de armazenamento de águas nas zonas de estiagem; 3. Consolidar a cultura de prevenção efectuando o mapeamento das zonas de risco e reforçando as acções de coordenação institucional; e 4. Intensificar as acções de formação e educação cívica sobre os desastres naturais. Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

55

Distrito de Mandlakaze

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO LOCAL Objectivo Estratégico

I

Melhorar a renda, a segurança alimentar e nutricional das famílias através da agropecuária, turismo e pescas assegurando a gestão sustentável dos recursos naturais;

Agricultura Objectivo Específico

I.1. I.1.1 I.1.2

Estratégia

I.1.3 I.1.4 I.1.5 I.1.6

Elevar em 50% a produção de culturas alimentares e de rendimento. Aumentar as áreas de produção e a produtividade agrícola garantindo o acesso as tecnologias e técnicas modernizadas de produção; Utilizar intensivamente as zonas baixas assegurando a diversificação de culturas agrícolas e o fornecimento de insumos às famílias; Ampliar a rede de extensão e a capacidade de assistência técnica alocando extensionistas ao sector familiar e privado; Reduzir os conflitos e o congelamento de terras através da operacionalização da Lei de terras; Garantir a disponilidade contínua de alimentos criando infraestruturas de conservação; Aumentar os níveis de produção e comercialização de castanha de caju, citrinos e outras culturas de rendimento através de programas de fomento.

Turismo Objectivo Específico

I.2 I.2.1 I.2.2 I.2.3

Estratégia I.2.4

I.2.5

I.2.6

Aumentar, em 50% o número de turístas que visitam o Distrito. Potenciar as comunidades com informação sobre os benefícios referentes à exploração dos seus recurosos através da divulgação da legislação sobre a matéria; Potenciar os serviços de atendimento através da formação da força de trabalho especializada, dando prioridade aos trabalhadores locais; Promover o desenvolvimento participativo das àreas de conservação, mediante o estabelecimeto de mecanismos de Gestão Comunitária; Capitalizar os locais de interesse histórico-cultural através da promoção e marketing das infra-estruturas de interesse turístico e cultural; Garantir a prática do turismo dentro dos padrões e normas nacionais e internacionais através da certificação das áreas reservadas ao turismo e infraestruturas turisticas (inclui o PZZCM); Desenvolver infra-estruturas turísticas através da mobilização de novos investimentos e da criação de incentivos para o efeito

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

56

Distrito de Mandlakaze

Pescas Objectivo Específico

I.3 I.3.1 I.3.2

Estratégia

I.3.3 I.3.4

I.3.5

Aumentar em 50% os níveis de captura e comercialização de pescado no distrito. Garantir o acesso as famílias, associações novas tecnologias de pesca artesanal e semi-industrial através da introdução de mecanismos de crédito; Garantir o controlo e fiscalização da actividade pesqueira através da divulgação da respectiva legislação e criação de capacidade local; Pomover a pesca industrial e comercial no Distrito estabelecendo mecanismos de facilitação e incentivo ao investimento privado; Garantir diversificação do pescado através do fomento da prática da piscicultura e aquacultura principalmente nas regiões do interior do Distrito; Garantir a criação de mecanismos eficazes de conservação e escoamento da produção através da capacitação dos pescadores em tecnologias de apropriadas.

Pecuária Objectivo Específico

I.4

Estratégia

I.4.1 I.4.2 I.4.3 I.4.4 I.4.5

Aumentar o número de efectivos pecuários de gado bovino e pequenos ruminantes, em 47% e 48%, respectivamente. Promover o fomento pecuário com recurso a raças adaptaveis às condições locais, e introdução de raças melhoradas de duplo propósito; Alargar o esquema de extensão e assitência sanitária através do desenvolvimento de capacidades e de infra-estruturas; Capitalizar o efectivo pecuário do Distrito demonstrando o valor comercial a ele acoplado; Assegurar, em coordenação com as comunidades, uma melhor gestão dos pastos; Assegurar o acesso ao crédito pelos criadores do sector familiar, privado e associativo através de parcerias com instituições financeiras ou fundos específicos.

Florestas Objectivo Específico

I.5 I.5.1

Estratégia I.5.2

Aumentar em 25% ano o volume de exploração de madeira e em 20% ano a exploração de estacas, assegurando benefícios às comunidades Garantir que as comunidades conheçam as normas sobre o uso e exploração florestal através da divulgação da respectiva legislação Assegurar a sustentabilidade da exploração florestal, repovoando as espécies vegetais em perigo de extinção e as espécies de valor comercial;

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

57

Distrito de Mandlakaze

I.5.3 I.5.4

Assegurar o controlo da exploração florestal através do desenvolvimento de capacidade institucional para o efeito (inclui o PZZCM). Garantir o aumento dos rendimentos da produção de madeira através da comercialização de espécies de maior valor comercial

Indústria Objectivo Específico

I.6 I.6.1 I.6.2 I.6.3

Estratégia I.6.4

I.6.5 I.6.6

Aumentar em 60% ano as indústrias de agroprocessamento e a pesqueira. Incentivar o desenvolvimento da indústria local divulgando a legislação que orienta o processo de licenciamento das empresas; Promover o estabelecimento de pequenas, médias e grandes empresas de processamento de produtos e subprodutos agro-pecuários e pesqueiros; Promover, de forma sustentável, o processamento de produtos florestais estabelecendo pequenas, médias e grandes indústrias locais; Garantir o aproveitamento dos sub-produtos de origem vegetal e animal incentivando a criação de pequenas associações de produção de objectos de arte; Facilitar o acesso ao crédito pelos privados locais através de parcerias com fundos/ programas específicos e instituições financeiras ; Promover o uso da argila para actividades de rendimento e construção, potenciando os artesãos locais de meios e equipamentos específcos l

Comércio Objectivo Específico

I.7 I.7.1 I.7.2

Estratégia

I.7.3

I.7.4

I.7.5

Aumentar em 30% a comercialização de produtos agro-pecuários e industriais do Distrito. Incentivar o desenvolvimento da rede comercial do distrito beneficiando-se das facilidades de licenciamento definidas na lei; Incentivar a reactivação da rede comercial paralisada implementando medidas de fiscalização e controlo do comércio informal Assegurar o acesso ao crédito pelos comerciantes locais capitalizando os fundos de apoio existentes (PAFR) e outros ; Promover mecanismos de acesso a informação dos mercados interno e externo com recurso à meios e tecnologias de informação e comunicação localmente disponíveis; Densenvolver mecanimos de gestão e coordenação da actividade comercial com base na legislação em vigor.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

58

Distrito de Mandlakaze

Transporte Objectivo Específico

I. 9 I.9.1

Estratégia

I.9.2 I.9.3

Minas Objectivo Específico

I. 10 I.10.1

I.10.2 Estratégia

I.10.3 I.10.4 I.10.5

Aumentar em 12% a capacidade de cobertura de transporte de passageiros e de carga no Distrito. Coordenar a extenção das rotas de transportes para todos os Postos Administrativos e Localidades criando facilidades de acesso a novas áreas ; Promover, através da associação dos transportadores, mecanismos de facilitação e de incentivos aos operadores locais; Facilitar, através de parceiros, o acesso a crédito de transporte pelos operadores locais Aumentar, em 25%, a exploração de argila e diatomites . Promover a utilização da argila para produção de blocos de construção de infra-estruturas a baixo custo e com recurso ao uso de material local apropriado Promover, junto das famílias e associações, o valor económico da produção do tijolo a partir da argila através de uso de métodos demonstrativos e da capacitação. Desenvolver mecanismos locais de extração e transformação da produção mineira estabelecendo capacidades para o efeito Estabelecer mecanismos técnicos institucional de apoio, supervisão e controlo da exploração mineira capacitando em meios humanos e materiais Promover a exploração mineira de pequena e grande escala bem como artesanal através da atracção do investimento privado.

Terras Objectivo Específico

I. 11

I.11.1

Estratégia

I.11.2 I.11.3 I.11.4

Implementar em 70% o Plano de Zoneamento da região costeira do Distrito de Mandlakaze (inclui PZZCM) Implementar o Plano de Zoneamento através da elaboração dos Planos de Pormenor e de Reordenamento de Zonas Ocupadas (Zonas de Turismo de Médio Padrão, Alto Padrão e zonas definidas para as comunidades); (inclui PZZCM); Assegurar maior conhecimento sobre a legislação vigente, em particular para as comunidades locais, promovendo acções de divulgação; Promover a legalidade incentivando o registo do posse de terra pelas comunidades, singulares e privados; Elaborar planos de ordenamento e cadastro dos bairros Municipais bem como rever os já existentes; (CMVM).

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

59

Distrito de Mandlakaze

Objectivo Específico

II

Elaborar um Plano de Uso da Terra do Distrito

INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS BÁSICOS Objectivo Assegurar o acesso a infra-estruturas e serviços II Estrategico basicos as familias do distrito Água e Saneamento Objectivo Específico

II.1 II.1.1

II.1.2

Estratégia

II.1.3

II.1.4

II.1.5

Elevar a taxa de cobertura de abastecimento de água potável até 65%, e 35% a do saneamento. Assegurar o acesso ao abastecimento de água promovendo tecnologias alternativas de captação e armazenamento de água ; Incentivar a captação e distribuição de água a partir de locais de ocorrência de água doce realizando estudos hidrogeológicos e investimentos em infraestrutras; (inclui PCMVM); Assegurar serviços de assistência técnica aos sistemas de abastecimento de água incentivando a participação das comunidades e do sector privado ; Garantir o acesso, às populações do Distrito, à tecnologias de saneamento abaixo custo, assegurando investimentos e programas integrados de educação para higiene. (inclui o PCMVM). Promover mudanças de conhecimentos, atitudes e práticas das populações em relação a água, higiene, saneamento e HIV e SIDA, através de processos particpativos de educação para a saúde.

Estradas Objectivo Específico

II.2 II.2.1

Estratégia II.2.2

Melhorar a transitabilidade das vias de acesso do Distrito num percurso de 780 Kms. Garantir a manutenção de rotina e periódica das vias de acesso, assegurando a participação das comunidades, capacidade técnica e investimento; Garantir a construção de novas vias de acesso garantindo investimento e capacidade técnica no Distrito, privilegiando a mão-de-obra local;

Energia Eléctrica Objectivo Específico

II. 3 II.3.1

Estratégia II.3.2

Aumentar o nível de cobertura de energia eléctrica dos actuais 9% para 16%. Expandir o fornecimento de energia eléctrica aos Bairros Municipais e Sedes dos Postos Administrativos capitalizando os fundos existentes e tecnologias acessíveis a grupos de baixa renda. (inclui o PCMVM) Promover o uso de fontes alternativas de energia capitalizando os fundos e experiências/opções

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

60

Distrito de Mandlakaze

II.3.3

existentes; Estabelecer capacidade local de assistência técnica e manutenção da energia, investindo em infraestruturas e pessoal especializado

Tecnologias de Informação e Comunicação Comunicação Objectivo Específico

II.4.1 II.4.1.1

Estratégia II.4.1.2

Garantir o acesso às tecnologias de informação e comunicação a 90% da população do Distrito. Estabelecer mecanismos tecnológicos de informação e comunicação extensiva ao território do distrito mobilizando para o efeito parcerias e investimento; Incentivar as populações a utilizar as Tecnologias de Informação e Comunicação para o desenvolvimento criando, junto com o sector privado, facilidades de capacitação;

Tecnologia Objectivo Específico

II.4.2 II.4.2.1

Estratégia II.4.2.2

Estabelecer sete mini-centros de transferência de tecnologia no Distrito. Promover acções de descoberta e registo de inovadores e valorização do conhecimento local através da realização de exposições; Promover o empreendedorismo e a produção local capitalizando as potencialidades existentes e experiência de treinamento da Vila do Milénio no Distrito de Chibuto.

Telecomunicações Objectivo Específico

II.4.3

Estratégia

II.4.3.1

Aumentar a cobertura da rede de telefonia em 50% para fixa e 40% para móvel no Distrito. Estender a rede dos serviços de telefonia fixa e móvel às localidades do Distrito mobilizando investimentos para o efeito;

Aviação Objectivo Específico

II.4.4 II.4.4.1

Estratégia II.4.4.2

Assegurar 100% da operacionalização do aeródromo do Distrito. Desenvolver as infra-estruturas de transporte aéreo, estabelecendo parcerias com o sector privado local; Assegurar a manutenção regular da Pista de Aterragem da Vila Sede estabelecendo uma entidade gestora do empreendimento.

Gestão de Recursos Hídricos Objectivo Específico Estratégia

II.11 II.11.1

Aproveitar em 80% o potencial dos recursos hídricos existentes no Distrito. Estabelecer mecanismos de retenção e controlo da

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

61

Distrito de Mandlakaze

Estratégia

II.11.2

água mobilizando investimentos em infraestruturas Estabelecer mecanismos institucionais de gestão dos recursos hídricos com a participação das comunidades.

Educação Objectivo Específico

II.5.1 II.5.1.1 II.5.1.2

Estratégia II.5.1.3 II.5.1.4 Objectivo Específico

II.5.2 II.5.2.1

Estratégia

II.5.2.2 II.5.2.3

Objectivo Específico

II.5.3 II.5.3.1

Estratégia

II.5.3.2 II.5.3.3

Objectivo Específico

II.5.4

II.5.4.1 Estratégia II.5.4.2

Assegurar o acesso a educação universal a 100% de crianças em idade escolar. Estender a rede escolar do Distrito através de investimento em infra-estruturas; Garantir a continuidade da formação às crianças aproximando o ensino primário do segundo grau junto às comunidades (inclui o PCMVM) Promover a participação da rapariga na escola assegurando mecanismos participativos de controlo e tomada de decisão; Assegurar a capacidade e a qualidade do ensino, dotando às instituições de pessoal técnico qualificado, meios e equipamentos. Assegurar o acesso ao ESG1 de 22.013 alunos da 7ª classe. Alargar a capacidade actual do ESG1 existente no Distrito através do investimento em novas infraestruturas/escolas (inclui o PCMVM); Dotar as instituições de capacidade e qualidade do ensino, alocando para o efeito pessoal técnico qualificado, meios e equipamentos; Garantir a participação das raparigas no ensino, estabelcendo para o efeito, mecanismos de incentivo e controlo baseados na comunidade. Assegurar o acesso ao ESG2, a cerca de 3.300 graduados do ESG1. Alargar a capacidade actual do ESG2 existente no Distrito, através do investimento em novas infraestruturas/escolas; (inclui o PCMVM); Dotar as instituições de capacidade e qualidade do ensino, alocando pessoal técnico qualificado; Garantir a participação das raparigas no ensino, estabelcendo para o efeito, mecanismos de incentivo e controlo baseados na comunidade. Estabelecer uma Instituição do ensino técnicoprofissional de tipo modular voltado ao trabalho e promoção de auto-emprego no Distrito. (inclui o PCMVM). Garantir condições e capacidade técnica específica para formação mobilizando investimentos em termos de infra-estruturas, recursos humanos qualificados, meios e equipamentos; Assegurar potenciais candidatos aos cursos, consciêncializando-os da importância económica e social do individuo e país no geral.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

62

Distrito de Mandlakaze

Objectivo Específico

II.5.5 II.5.5.1 II.5.5.2

Estratégia II.5.5.3 II.5.5.4 Objectivo Específico

II.5.6

II.5.6.1 Estratégia II.5.6.2

Aumentar em 26% o acesso a programas de Alfabetização e Educação de Adultos; Expandir os centros de AEA’s para todo território do distrito estabelecendo capacidade em termos de formadores, espaço físico, meios e equipamentos Garantir, através das autoridades comunitárias e acções de mobilização, o envolvimento massivo das populações nos programas de AEA’s ; Priveligiar o envolvimento da mulher nas acções de formação em Educação de Adultos, definindo quotas de ingresso por Centros de Alfabetização; Assegurar a continuidade do Programa AEA, criando mecanismos participativos de incentivo aos alfabetizadores voluntários; Aumentar em 9% o número de professores qualificados no Distrito, enviando à formação para níveis médio e superior, sendo 25 básicos/3 anos e 10 médios/ano, respectivamente. Facilitar o acesso dos docentes à acções de formação e capacitação contínua, capitalizando as instituições de formação e outros mecanismos existentes; Garantir o acesso aos professores à informação através do investimento em infraestruturas, equipamentos e materiais de consulta.

Saúde Capacidade Institucional Objectivo Específico

II.6.1

Estratégia

II.6.1.1

II.6.1.2

Aumentar em 20% a cobertura da rede sanitária de qualidade no Distrito Alargar os serviços de saúde aos territórios do distrito com graves problemas de acesso assistência sanitária mobilizando investimento em infraestruturas, meios e equipamento Assegurar a qualidade e capacidade de prestação de serviços no Distrito, dotando-o de técnicos e profissionais de saúde qualificados.

Saúde Materno-infantil Objectivo Específico

II.6.2 II.6.2.1

Estratégia II.6.2.2

Reduzir a actual taxa de morbi-mortalidade materno infantil de 0,1% para 0,001% Garantir assistência às mulheres em fase pré-natal, durante o parto e pós-parto, assegurando investimentos em infraestruturas e pessoal qualificado para o efeito; Assegurar a procura crescente dos serviços de saúde pelas mulheres grávidas e em idade fértil desenvolvendo programas participativos de planeamento familiar, consciêncialização e mobilização;

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

63

Distrito de Mandlakaze

Programa Alargado de Vacinações (PAV) Objectivo Específico

II.6.3

Estratégia

II.6.3.1

Elevar as coberturas vacinais dos actuais 60% de BCG e VAS para 98%. Alargar os programas de vacinação as áreas com fraco acesso aos serviços sanitários reforçando as brigadas móveis e postos fixos com recursos humanos, meios e equipamentos.

Doenças Endémicas e Hiv/Sida Objectivo Específico

II.6.4 II.6.4.1

Estratégia II.6.4.2

Reduzir as actuais taxas de prevalência de HIV de 30% para 15%, e a de incidência da malária de 40% para 10%. Promover programas participativos de controlo e eliminação das condições e vectores para propagação das doenças, aperfeiçoando as iniciativas existentes. Estabelecer mecanismos participativos de sensibilização, tratamento e mitigação dos efeitos do HIV/Sida;

Acção Social e Género Objectivo Específico

II.7.

II.7.1

Estratégia

II.7.2

II.7.3

Aumentar para 60% o número de potenciais beneficiários dos programas de apoio social Dar continuidade aos programas de atendimento social aos grupos em situação de vulnerabilidade, consolidando a experiência e promovendo intervenções viradas para a inclusão social de grupos não abrangidos; Assegurar capacidade técnica e institucional, meios e equipamentos para extensão das actividades de apoio social à todo o território do distrito, mobilizando fundos para o efeito. Assegurar, em coordenação com as famílias, comunidades, seus líderes, e outros parceiros, o estabelecimento de mecanismos de inserção social e mitigação dos efeitos das principais endemias nos indivíduos.

Cultura Objectivo Específico

II.8 II.8.1

Estratégia

II.8.2

II.8.3

Massificar a prática de actividades culturais em 100% nas escolas e localidades do Distrito. Promover a imagem do património cultural do distrito, potenciando os locais históricos, a arte e usos e costumes locais de elementos de atracção turística; Assegurar a qualificação dos locais e monumentos históricos, Jardins Municipais, entre outros através da busca de investimento e participação comunitária; Coordenar a massificação das actividades culturais nas escolas e comunidades, organizando para efeito, eventos competitivos e de exaltação dos valores sócioculturais local.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

64

Distrito de Mandlakaze

Desporto Objectivo Específico

II.9 II.9.1 II.9.2

Estratégia II.9.3 II.9.4

Massificar a prática da actividade desportiva em 100% nas escolas e localidades. Definir as modalidades prioritárias para massificação, tendo em conta as principais potencialidades e facilidades locais Alargar e recuperar o parque de infra-estruturas desportivas do Distrito com a participação do sector privado e comunidades Assegurar o fácil acesso a meios e equipamentos para a prática do desporto contando com apoio do sector privado, comunidade e fundos de promoção existentes Assegurar maior participação do cidadão na gestão e dinamização do desporto no distrito através da promoção do associativismo desportivo no distrito

Habitação Objectivo Específico

II.10 II.10.1

Estratégia

Aumentar o acesso a habitação de material convencional em 40% da população do Distrito; Promover tecnologias de construção capacitando os artesãos locais em técnicas e métodos de produção de material apropriado;

II.10.2

Desenvolver programas de fomento da habitação utilizando material apropriado, capitalizando os artesãos locais

II.10.3

Promover, junto dos criadores, programas de fomento da habitação com material convencional capitalizando os fundos existentes

BOA GOVERNAÇÃO, LEGALIDADE E JUSTIÇA Objectivo Estratégico

III

Assegurar a governação participativa e transparente, legalidade, justiça social e melhoria na prestação de serviços ao público.

Reforma do Sector Público, Descentralização e Desconcentração Objectivo Específico

III. 1

III.1.1

Estratégia III.1.2

III.1.3

Aumentar, até 100%, a eficiência e eficácia dos actos do sector público no Distrito Introduzir mecanismos de fácil acesso aos edifícios públicos e aceleração do processo de tramitação do expediente nas instituições públicas do Distrito replicando outras experiências existentes no contexto da legislação em vigor; Fortalecer o sector público em capital humano, meios e equipamentos, mobilizando investimentos bem como a capitalização das oportunidades e instituições de formação existentes Aprimorar o funcionamento da máquina administrativa do Governo introduzindo mecanismos de avaliação do desempenho dos funcionários baseado nos resultados;

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

65

Distrito de Mandlakaze

III.1.4 III.1.5

III.1.6

Fortalecer o papel da Sociedade Civil na Governação através duma maior institucionalização dos mecanismos legais de diálogo existentes; Garantir a participação activa dos membros dos Conselhos Consultivos integrando-os em programas de formação e alfabetização. Assegurar implementação da legislação sobre a reforma do sector público e descentralização através duma efectiva operacionalização do quadro órgânico do governo bem como da representação da administração pública a todos os níveis.

Planificação Distrital Objectivo Específico

III.2 III.2.1

III.2.2 Estratégia III.2.3 III.2.4

Aumentar os níveis de investimentos económicos 20%, social 30% e cultural 30% no Distrito. Estimular e apoiar o desenvolvimento de uma atitude empresarial local capitalizando as facilidades que a legislação oferece Assegurar a implementação, monitoria e avaliação dos investimentos prioritários através da sua integração nos principais instrumentos de planificação e orçamentação do país.; Capitalizar as potencialidades do distrito atraindo investimentos privados e públicos para empreendimentos sociais e económicos; Desenvolver capacidades de elaboração, supervisão e fiscalização de projectos através do investimento em recursos humanos qualificados.

Finanças Distrital Objectivo Específico

III.3.1 III.3.1.1

Estratégia III.3.1.2 Objectivo Específico

III.3.2 III.3.2.1

Estratégia

III.3.2.2 III.3.2.3

Aumentar em 75% os níveis de arrecadação de receitas fiscais e não fiscais do Distrito. Assegurar a eficiência na cobrança de receitas através de programas de sensibilização e capacitação a todos os intervenientes; Alargar a base tributária estabelecendo mecanismos de simplificação tributária e de incentivo ao investimento. Assegurar a realização, em 100%, das despesas programadas de acordo com a legislação específica. Garantir a economia, eficiência, eficácia, e transparência na realização das despesas públicas através do cumprimento rigoroso dos mecanismos instituídos por Lei; Garantir capacidade local de programação, execução e gestão dos fundos públicos, dotando o Distrito de meios humanos e materiais adequados. Garantir capacidade local de gestão patrimonial, dotando o Distrito de meios humanos e materiais adequados.

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

66

Distrito de Mandlakaze

Segurança e Ordem Pública Objectivo Específico

III.4 III.4.1

Estratégia III.4.2

Reduzir em 50% os índices de criminalidade no Distrito. Assegurar a capacidade operativa da polícia capacitando-a em meios humanos, equipamentos e infraestruturas Consolidar os mecanismos de policiamento comunitário a todos os níveis, equipando-os e aperfeiçoando os processos de selecção e capacitação dos meios humanos.

Tribunal Objectivo Específico

III.5 III.5.1

Estratégia III.5.2

Aumentar em 75% o número de processos dirimidos por ano. Assegurar a capacidade de resposta a demanda dos tribunais investindo em recursos humanos qualificados, meios, equipamentos e infra-estruturas; Promover, de acordo com a legislação, mecanismos comunitários de resolução de conflitos dotando-os de meios e capacidade humana para o efeito;

Procuradoria Objectivo Específico

III.6

Estratégia

III.6.1

Aumentar em 75% o número de processos tramitados por ano Assegurar a capacidade de resposta a demanda dos tribunais investindo em recursos humanos qualificados, meios, equipamentos e infra-estruturas;

Registos e Notariado Objectivo Específico

III. 7 III.7.1

Estratégia

III.7.2

III.7.3

Aumentar em 25% a cobertura territorial dos serviços de registo civil até as localidades. Assegurar, com apoio de terceiros, investimento em meios humanos, materiais e infra-estruturas Estabelecer, em colaboração com as autoridades comunitárias, mecanismos participativos e integrados de registo, controlo de nascimentos e de outros serviços relacionados, ao nível das localidades. Garantir maior aderência das comunidades aos registos, desenvolvendo programas de consciencialização

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

67

Distrito de Mandlakaze

3

Plano de Acção

3.1 PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DO DISTRITO ACTIVIDADES

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHA CHI CHIB MAC MAD NGU RESPONSÁVEL ChS Mus ChS Chi De Be ChiS Mach Pon MaS Chila MaS Chica Mang NgS Banz Cum Objectivo Estratégico I: Melhorar a renda, a segurança alimentar e nutricional das famílias através da agropecuária, turismo e pescas assegurando a gestão sustentável dos recursos naturais. METAS

AGRICULTURA I.1 Objectivo Específico: Elevar em 50% a produção de culturas alimentares e de rendimento I.1.1.1 Reabilitação de regadios reabilitad I.1.1 2 Construção de pequenas barragens para irrigação dos campos 1 I.1.1.3 Construção de diques I.1.1.4 Abertura de represas 7 I.1.1.5 Fornecimento aos produtores de moto-electro bombas 13 I.1.1.6 Fornecimento de juntas de boi às famílias-associações 500 I.1.1.7 Fornecimento aos produtores tractores e respectivas alfaias 3 I.1.1.8 Fornecimento aos produtores de fertilizantes e pesticidas (ton); 17 I.1.1.9 Fornecimento aos produtores de insumos agrícolas (ton); 30 I.1.1.10 Fornecimento aos produtores de sementes melhoradas (ton); 37 I.1.1.11 Capacitação famílias, associações e sector privado em técnicas melhoradas de produção. 525 I.1.1.12 Concessão de crédito aos produtores agro-pecuários 25 I.1.2.1 Cultivo de zonas baixas e machongos pelas famílias 1300 I.1.2.2 Fornecimento de sementes de hortícolas ás famílias (ton) 4 I.1.2.3 Assistência técnica as famílias nas zonas baixas de produção 1200 I.1.3.1 Treinamento de extensionistas comunitários em técnicas melhoradas de produção; 60 I.1.3.2 Criação de associações agro-pecuárias 45 I.1.3.3 Consolidação de associações do distrito 35 I.1.3.4 Capacitação de associações do distrito 35 I.1.3.5 Assistência técnica aos agricultores famílias do distrito 800 I.1.4.1 Divulgação da Lei de Terras 35 I.1.4.2 Atribuição de DUAT's 195 I.1.5.1 Sensibilização as famílias para criação de reservas alimentares (Comunidades) 57 I.1.5.2 Treinamento de famílias em métodos e técnicas de conservação dos alimentos 300 I.1.5.3 Construção de celeiros familiares e comunitários 4 I.1.6.1 Criação de viveiros comunitários como fruteiras, cajueiros e hortícolas 16

MS/MM

x x x x x x x x

x

x x x x x x x

x

x x x x

x x

x x

x

x

x

x

x

x

x x

x x x x x

x

x

x

x

x

x x

x

x x x

x x x x

x x

x

x x

x x x

x x

x

x x x x

x x

x

x

x

x

x

x

x

x

X

x

x

x

X

x

x

x

x

x

X

x

x x

x x x

x x x x x x

x x x x

x x x

x

x x

x

x x

x

x

x

x

x x

x

x

x

X

X

x

x

x

x

I.1.6.2 Introdução de mudas de cajueiros híbridos I.1.6.3 Mapeamento de áreas para introdução da cultura de algodão I.1.6.4 Capacitação o sector familiar, privado e associações em técnicas de produção de algodão I.1.6.4 Fornecimento de sementes de algodão ao sector familiar, privado e associativo Turismo I.2 Objectivo Específico: Aumentar, em 50% o número de turístas que visitam o Distrito. I.2.1.1 Divulgação da legislação I.2.2.1 Capacitação de funcionários de diversos serviços de atendimento I.2.2.2 Contratação de Funcionários de atendimento I.2.3.1 Criação de Comités de Gestão Comunitária I.2.4.1 Restauração de lugares históricos I.2.4.2 Produção de reclames luminosos I.2.4.3 Produção de placas indicativas I.2.4.4 Capacitação de guias – angariadores turísticos

63750 0

x

Contactar a DPA Contactar a DPA Contactar a DPA

x x

x

x

x

x

x x

x

Contactar INCAJU nao aplicavel nao aplicavel

0

nao aplicavel

7 0 0 0 10

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

x

III

IV

ORÇAMENTO V

2,000,000.00 0.00

x x x

x x x x

10,500,000.00 650,000.00 20,000,000.00 4,500,000.00 510,000.00 900,000.00 1,110,000.00

x x x x x

x x x x x

x x x x x

350,000.00 6,000,000.00 6,500,000.00 6,000,000.00 75,000.00

x x x x x x x

x

x

x x x x x

x x x x x

x x x x x

30,000.00 18,000.00 175,000.00 525,000.00 0.00 60,000.00 1,440,000.00

x

x

x

x

x

285,000.00

x

x x

x x

x x

x

3,000,000.00 600,000.00 160,000.00

x

x

x

x

x

2,868,750.00

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x

x x x x x

x x x x x x

x x

x

0

21 200 120

II

Contactar a DPOH nao aplicavel Contactar a DPOH

x

X

CRONOGRAMA (anos) I

Gov. do Distrito DPTur-Gaza Sector privado repetido nas FFB

x

DPTur-Gaza

x

x

x x

67,500.00 160,000.00 14,400,000.00

x

350,000.00 0.00 0.00 0.00 60,000.00

68

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES I.2.4.5 Produção de spots publicitários nas rádios e TV's I.2.4.6 Produção de anúncios das potencialidades na Internent I.2.5.1 Certificação de unidades turísticas I.2.5.2 Fiscalização e inspecção dos serviços de hotelaria e pasto no distrito;

METAS 0 0 20

MS/MM

x

CHA ChS

CHI Mus

ChS

Chi

De

MaS

MAD Chica

Mang

NgS

NGU Banz

I

MITUR Insp. Geral/DPTur Sector Privado Sector Privado

x x x

x x x x x x

x

x

x

x

x

1 x

1 x

1 x

x x x x x x x

x

x

x x

x

x

x x

x x

x

1 x

1 x

x x x x x x x

x

x

1 x

X

X

x

x

x x

x

x x

x x

x

1 x

x

1 x

x

1 x

x

X

x x

x

x x x x x

x x x x

x

x

x x x x

x x x x

x x x

x x

x

x x

x x

5,000,000.00 75,000.00 115,000.00 12,000.00 200,000.00 45,000.00 120,000.00 19,250,000.00

x x x

x

x

x

x

x

x

75,000.00 21,000.00 24,000.00

x

x

x

x

X

x

x

x

x

x

x x

x x

X

x

x x

x

x

x

x

X

x

x

X

x

x

x

x

x

x

x

x x

x x

x x

x x

x x

14,000,000.00 2,700,000.00 0.00 112,000.00 0.00 552,000.00 1,000,000.00

x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

x x

x

x

x

x

x x x

X

x

x

x

x

Banca Comercial

Governo Distrital

x

x

x x x x

x

Governo Distrital

x

Gov. Distrinal

x x x x

Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital

25

x

Governo Distrital nao aplicavel contactar a DPA contactar a DPA Governo Distrital Governo Distrital repetido na Agricult. Governo Distrital Sector Privado Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Contactar a DPA

x

x

x

x x x x x x x x

x

x

x x

x x x

150,000.00 7,200,000.00 12,000,000.00

x x

x

0.00 0.00 200,000.00 x

Governo Distrital

x x

ORÇAMENTO V

x x

Governo Distrital

x

IV

x x x

x x

III

x x x

x x x x x

Governo Distrital

x x

x

x

Governo Distrital

x

II

x

x

x

x x

CRONOGRAMA (anos)

RESPONSÁVEL Cum

x

20 x x I.2.6.1 Construção de pousadas, acampamentos e espaços de restauração; 6 x I.2.6.2 Construção de Loges e centros de conferências e restaurantes; 12 Pescas I.3 Objectivo Específico: Aumentar em 50% os níveis de captura e comercialização de pescado no distrito I.3.1.1 Fornecimento de equipamento de pesca 10 x x I.3.1.2 Capcitação dos pescadores em novas tecnologias 50 x x I.3.2.1 Capacitação de fiscais de pesca 10 x I.3.2.2 Divulgação da legislação pesqueira 8 x x I.3.2.2 Fornecimento de meios e equipamentos de fiscalização 10 x I.3.3.1 Certificação de grandes unidades de captura do pescado 5 I.3.4.1 Capacitação as comunidades em piscicultura 6 I.3.4.2 Abertura de tanques piscícolas nas comunidades 55 x x I.3.5.3 Capacitação de pescadores em métodos e técnicas de conservação do pescado 50 x x I.3.5.4 Identificação de mercados de venda do pescado local 7 I.3.5.5 Divulgação de potênciais mercados 8 x Pecuária I.4 Objectivo Específico: Aumentar o número de efectivos pecuários de gado bovino e pequenos ruminantes, em 47% e 48%, respectivamente. I.4.1.1 Fornecimento de cabeças de gado bovino de corte e caprino às famílias e associações 1536 x x x x x I.4.1.2 Fornecimento de cabeças de gado de leite aos criadores (A/P) 150 x x I.4.1.3 Fornecimento de cabeças de gado caprino leiteiro 0 I.4.1.4 Estabelecimento de acordos com Instituições de formação e investigação 14 I.4.1.5 Implementação de programas de melhoramento genético das espécies 0 I.4.2.1 Capacitação de extensionistas agro-pecuários 12 1 1 1 I.4.2.2 Assistência técnica a criadores familiares, associados e privados 2113 x x x x x I.4.2.6 Reabilitação de represas para abeberamento dos animais 0 I.4.2.7 Construção de represas para abeberamento dos animais 14 x x x I.4.2 8 Abertura de farmácias veterinária; 7 x x x I.4.2.9 Fornecimento de medicamentos e drogas carracicidas 108400 x x x I.4.2.10 Construção de infra-estruturas para o gado leiteiro 17 x x x I.4.2.11Construção de mangas de tratamento dos animais 16 x x x x x I.4.2.12 Reabilitação de tanques carracicidas 7 x I.4.3.1 Capacitação de criadores em Agro-negócios 16 x x I.4.4.1 Mapeamento das áreas de pasto comunais e privadas 38 I.4.4.2 Produção de espécies de pasto melhorado 3 x I.4.4.3 Introdução de sistemas de conservação do pasto 2 I.4.4.4 Introdução de sistemas de suplemento alimentar ao gado 2 I.4.4.5 Concessão de crédito bancário a criadores familiares / associativo 16 x x x x x Florestas I.5 Objectivo Específico: Aumentar, em 25% ano o volume de exploração de madeira a em 20% ano a exploração de estacas, assegurando benefícios às comunidades. I.5.1.1 Divulgação da Lei de florestas e fauna bravia as comunidades 95 x x x x x I.5.1.2 Divulgação de métodos e normas de gestão comunitária da fauna animal e vegetal 38 x x x x x I.5.1.3 Revitalização e legalização de comités da gestão dos recursos naturais 12 x x I.5.1.4 Sensibilização às comunidades sobre gestão sustentável dos recursos naturais 49 x x x x x I.5.1.5 Mapeamento e divulgação das áreas reservadas a conservação da floresta 3 e fauna I.5.1.6 Mapeamento das áreas para produção de carvão vegetal e lenha 8 x I.5.1.7 Definição e divulgação de quotas anuais de abate para carvão e lenha e caça para alimentação e venda 40 I.5.2.1 Plantação de espécies arbóreas para madeira - Simbir e Chanfuta (ha); 25 I.5.2.2 Plantação de espécies arbóreas para produção de carvão e da lenha (ha); 400 x I.5.2.3 Replantio de espécies de árvores em ha de floresta; 2000 x I.5.3.1 Reciclagem de fiscais florestais 6 x x I.5.3.2 Fiscalização de areas da floresta do distrito 105 x

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Be

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHIB MAC ChiS Mach Pon MaS Chila

0.00 320,000.00 700,000.00 75,600,000.00 2,890,000.00 50,000.00 2,000,000.00 60,000.00 178,000.00 120,000.00 75,000.00 50,000.00 384,000.00

x

x

570,000.00

x

x

125,400.00 5,000.00

x

x

100,000.00 225,000.00 31,000.00

x x x x x

x x x

x x x

128,400.00 16,000.00 250,000.00 500,000.00 30,000.00 393,750.00

69

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS

MS/MM

I.5.4.1 Identificação e divulgação de potenciais mercados 5 Indústria I.6 Objectivo Específico: Aumentar 60% ano as industrias de agro-processamento e pesqueira I.6.1.1 Divulgação de legislação específica 67 I.6.2.1 Implantação de máquinas de processamento de mangas ; 6 I.6.2.2 Implantarção de máquinas de processamento de mandioca e derivados; 6 I.6.2.3 Implantação máquinas de processamento de frutas nativas (canhú); 2 I.6.2.4 Implantação de máquinas de processamento de banana; 4 I.6.2.5 Implantação de máquinas de processamento de milho ; 2 I.6.2.6 Implantação de máquinas de processamento do arroz 3 x I.6.2.7 Implantação de máquinas de processamento do pescado 5 x I.6.2.8 Implantação de empresas de processamento de produtos e subprodutos de origem animal (matadouros, talhos e lacticínios); 2 I.6.2.9 Implantação de unidades de processamento de tomate; 2 x I.6.2.10 Abertura de unidades de processamento da castanha de caju 2 I.6.2.11 Reativação de unidades de processamento da castanha de caju 2 I.6.2.12 Capacitação de famílias e associações em tecnologias de agroprocessamento 40 x I.6.2.13 Instalação de fábrica de processamento da pêra do caju 1 x I.6.2.14 Instalação de fábrica de condimentação (no âmbito do processamento) de produtos agrícolas 1 x I.6.2.15 Instalação de fábrica de embalagens para produtos agrícolas processados 1 x I.6.2.16 Candidatura para aquisição do selo «Made in Mozambique» por agentes económicos locais 8 x I.6.3.1 Criação de fornos para produção de carvão vegetal 10 I.6.3.2 Estabelecimento de carpintarias 13 x I.6.3.3 Capacitação de carpinteiros locais 24 x I.6.3.4 Estabelecimento de serrações no distrito 2 x I.6.4.1 Capacitação associações de artesão locais em técnicas de processamento da folhas, caules, frutos e raízes de plantas locais 4 I.6.5.1 Concessão de crédito monetário e equipamento para industriais locais 16 x I.6.6.1 Implantação de fábricas de tijolo queimado 3 x I.6.6.2 Capacitação de artesão locais na produção de tijolos melhorados 8 x I.6.6.3 Estabelecimento de estaleiros de materiais de construção 18 x Comércio I.7 Objectivo Específico: Aumentar em 30% a comercialização de produtos agro-pecuários e industriais do Distrito. I.7.1.1 Divulgação da legislação específica 100 I.7.1.2 Construção de mercados agro-pecuários no distrito 4 x I.7.1.3 Capacitação de produtores agro-pecuários em agro-negócios; 9 x I.7.1.4 Abertura de novas cantinas rurais; 15 x I.7.1.5 Capacitação de comerciantes locais em gestão de negócios; 11 x I.7.1.6 Formalização de novos comerciantes 44 x I.7.2.1 Reabilitação de lojas paralisadas nos Posto Administrativo; 16 x I.7.3.1 Concessão de crédito a comerciantes locais 19 x I.7.4.1 Realização de programas de RTVC sobre mercados 0 I.7.4.2 Identificação de potenciais mercados para colocação da produção agro3 x industrial e pesqueira do distrito; I.7.4.3 Realização de feiras semanais de artesanato 520 x I.7.4.4 Realização de feiras ano de comercialização de produtos agrícolas; 52 x I.7.4.5 Divulgação aos produtores das oportunidades de colocação dos produtos junto ao consumidor; 57 7 x I.7.5.1 Criação de associações de comerciantes locais I.7.5.2 Criação de fóruns de gestão de preços de comercialização agro-pecuária e pecuários 2 x Fauna Bravia I.8 Objectivo Específico: (Aumentar em X % a fauna bravia do distrito) (não expressiva) I.8.1.1 Divulgação da legislação específica I.8.1.2 Criação de comités de gestão I.8.1.3 Capacitação/reciclagem de fiscais comunita'riso I.8.1.3 Capacitação/ reciclagem de comités de gestão I.8.2.1 Contratação de técnicos I.8.2.2 Capacitação/ reciclagem de técnicos I.8.2.3 Forneciemento de meios

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

CHA ChS

CHI Mus

ChS

Chi

De

Be

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHIB MAC ChiS Mach Pon MaS Chila

MaS

MAD Chica

Mang

NgS

NGU Banz

CRONOGRAMA (anos)

RESPONSÁVEL Cum

I

II

III

IV

ORÇAMENTO V 15,000.00

x

x x

x x

x x

x

x x

x

x x

x x x x

x

x

X X X

x x x

x x

x x x

x

x

x x x

2,000,000.00 2,000,000.00 10,000,000.00 6,000,000.00

x

x

115,000.00

x x x x x

x x x x x

x x x x x

x x

x x x

x

x x x x x

x x x

x x x x

x x x x

x x x

x x x

x x x x x x x

x x x

x x x

x x

x x x

x

x x

x x

x

x x

x

x

x

x

x x

x x

x x

x x

x

x

x x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

X

x

x

x

x

x

x x

100,500.00 6,000,000.00 6,000,000.00 2,000,000.00 4,000,000.00 2,000,000.00 3,000,000.00 10,000,000.00

x x x

x

x x x x

x

x x

x

x

x x

x x x

X

x x

x X

x

x

x

x x x x

x x

x

x x

x

x

x

x x x x x

x

x

x

x

x

x

x x x x x x x

x x x

x

x

X

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x x x x

x x x x x x x

X X

X

x

x x

X

x x

x

x x x x

x

x x

x

x

x x

x

x

X

x x

x

x x x x x

x

Governo Distrital

x

Sector Privado

x

x x

x

x

x

x x

x x x

x x x

x x x x x x x

x x

70,000.00 650,000.00 75,000.00 1,500,000.00 50,000.00 800,000.00 345,000.00 150,000.00 900,000.00

1,500,000.00 850,000.00 80,000.00 700,000.00 80,000.00 66,000.00 24,000,000.00 950,000.00 300,000.00 50,000.00 2,340,000.00 18,200,000.00

x

85,500.00 35,000.00

x

10,000.00

70

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS

MS/MM

CHA ChS

I.8.2.4 Introdução de animais Transporte I.9 Objectivo Específico: Aumentar em 12% a capacidade de cobertura de transporte de passageiros e de carga no Distrito I.9.1.1 Identificação de novas rotas 8 8 I.9.1.2 Elaboração dum plano de cobertura da rede transporte de carga no distrito; I.9.2.1 Divulgação da legislação que reduz a taxa de importação de viaturas de transporte de carga; I.9.2.2 Identificação e divulgação de mercados para compra de viaturas de carga I.9.3.1 Concessão de crédito a transportadores privados locais; I.9.3.2 Fornecimento de novas viaruras a operadores locais Minas I.10 Objectivo Específico: Aumentar em 25%, a exploração de argila e diatomites I.10.1.1 Divulgação do potencial argiloso existente e seu valor na construção I.10.2.1 Criação de projectos pilotos de produção e venda de tijolos I.10.3.1 Coordenação da divulgação de tecnologias de extracção e produção tijolos I.10.3.2 Coordenação da capacitação de empresas e artesãos locais na produção de tijolos a partir de argila; I.10.4.1 Contratação e capacitação de trabalhadores I.10.4.2 Estabelecimento de mecanismos de interecção entre as comunidades locais e as indústrias de extracção I.10.4.3 Desenvolvimento de projectos sociais, económicos e culturais nas comunidades I.10.5.1 Estabelecimento de fábricas de produção de tijolos

CHI Mus

ChS

Chi

De

Be

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHIB MAC ChiS Mach Pon MaS Chila

8

x

MaS

MAD Chica

Mang

NgS

NGU Banz

CRONOGRAMA (anos)

RESPONSÁVEL Cum

I

II

III

IV

ORÇAMENTO V

SDPIE

LEGENDA MS/MM= Mandlakaze Sede e Município de Mandlakaze CHA= Chalala; ChS= Chalala Sede; Mus= Mussengue CHI= Chidenguele; ChS=Chidenguele Sede; De=Dengoine; Be= Betula CHIB= Chibonzane; ChiS= Chibonzane Sede; Pon= Ponjuane MAC= Macuacua; MaS= Macuacua Sede; Chila= Chilatanhane MAD= Madzucane; MaS= Madzucane Sede; Chica= Chicavane; Cum= Cumbane NGU= Nguzene; NgS= Nguzene Sede; Chi=Chicuangue; Mang= Mangunze

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

71

Distrito de Mandlakaze

3.2 PLANO DE ACÇÃO: INFRAESTRUTURAS E SERVIÇOS BÁSICOS ACTIVIDADES

METAS GLOBAIS

MS/MM

CH ChS

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHIB MAC

CHI Mus

Cs

Chi

De

Be

ChiS

Mach

Pon

MaS

Chila

MAD MaS

Chica

NG Mang

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL

NgS

Banz

Cum

IV

ORÇAMENTO

I

II

III

V

Comn./Gov. Dist. Não aplicável Não aplicável Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Gov. Munic. e Dist. Governo Distrital

x

x

x

x x

x x

x x

x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x

x x x x x

x

x

Governo Distrital ANE - Gaza Contactar a ANE Gaza

x x

x x

x x

x x

Objectivo Estratégico II: Garantir o acesso à infra-estruturas e serviços básicos as famílias do distrito INFRAESTRUTURAS Água e Saneamento II.1 Objectivo Específico: Elevar a taxa de cobertura de abastecimento de água potável até 65% e 35% a de saneamento. II.1.1.1 Construção de cisternas familiares e comunitárias 70 x II.1.1.2 Construção de represas II.1.1.3 Construção de diques II.1.2.1 Realização de estudos geofísicos 7 x II.1.2.1 Construção de furos de água 25 x II.1.2.2 Construção de PSAA 5 II.1.3.1 Reabilitação de fontes avariadas 68 x II.1.3.2 Capacitação de comités de água 35 x II.1.3.3 Concessão da gestão de PSAA 4 x II.1.3.4 Reactivação de Comités de Água 19 x II.1.3.5 Identificação de comerciantes de peças sobressalentes 3 x II.1.4.1 Construção de latrinas familiares e comunitárias 245 x II.1.4.2 Criação de comités de gestão de saneamento 26 x II.1.5.1 Realização de programas de educação sanitária 27 x II.1.5.2 Treinamento de elementos da comunidade para saneamento do meio 52 x II.1.5.3 Construção de aterros sanitários familiares e comunitários 2 x II.1.5.4 Estabelecimento de estaleiros de sanemento rural 7 x Estradas II.2 Objectivo Específico: Melhorar a transitabilidade das vias de acesso do Distrito num percurso de 780 Kms. II.2.1.1 Realização da manutenção de rotina de estradas interiores 480 Km x II.2.1.2 Realização da manutenção periódica de estrada interiores 160 Km x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

X

x

x

x

x

x x x x x x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

X x

x x

x x x x x

x x

x x

x x x x x

X X

x x

x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x x

x x x x

x x x x x x x x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x

x x x x

x x x x x x x x x x x x

x x

x x

x x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x x

x x

x x

x x

x

x

x x

x x

x

x x

x x

x x

x

x x

x x

x x

x

x x

x x

x

x x

x x

x x

II.2.1.3 Elaboração de um plano de manutenção das estratada classificadas II.2.1.4 Reabilitação de Kms de estrada ligando a Vila

II.2.2.5 Contratação de técnicos médios e superior de construção

47 Km 35 Km

x x

1 58 Km 3

x

x

Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital/Obras Públicas Contactar O.Públicas Contactar O.Públicas Contactar O.Públicas

x X

II.2.2.6 Capacitação de construtores locais II.2.2.7 Capacitação de fiscais locais II.2.2.8 Fornecimento de equipamento de manutenção viária Energia Eléctrica II.3 Objectivo Específico: Aumentar o nível de cobertura de energia eléctrica dos actuais 9% para 16%. II.3.1.1 Ligação da rede eléctrica a Postos Administrativos 4 II.3.1.2 Ligação da rede elétrica a famílias 3000 II.3.1.3 Ligação da rede elétrica a pontos de produção, designadamente II.3.2.1 Montagem de painéis solares II.3.2.2 Montagem de geradores II.3.3.1 Alocação de técnicos médio e básicos electricistas 4 II.3.3.2 Construção de edificios de funcionamento e habitação II.3.3.3 Alocação de meios e equipamentos Comunicações

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

x

x

x x

x

x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x x

x x

x

x

x x

x

x

EDM EDM Não aplicável Não aplicável Não aplicável EDM Contactar EDM XaiXai Contactar EDM XaiXai

x

x

x x

48,000,000.00 16,000,000.00 0.00 0.00

Contactar a ANE Gaza Contactar a ANE Gaza Governo Distrital Governo Distrital

II.2.1.5 Capacitação de artesãos e associações em manutenção II.2.1.6 Fornecimento de kits de manutenção as comunidades II.2.2.1 Construção da estrada Jongue-Mamintelane-Alto Changane II.2.2.2.Construção da estrada Macuácua- Machulane Via Maluelane II.2.2.3 Construção da ponte na travessia da baixa de Manguenhane na estrada de Macuácua/Machulane II.2.2.4 Construção da estrada Manjacaze / Chiducuane

x

840,000.00 0.00 0.00 140,000.00 4,500,000.00 2,500,000.00 3,400,000.00 15,000.00 150,000.00 6,500.00 2,500.00 147,000.00 37,000.00 51,000.00 152,000.00 5,000.00 3,000,000.00

0.00 x x x x x

0.00 4,700,000.00 3,500,000.00 2,000,000.00 5,800,000.00

x

0.00 0.00 0.00 0.00

x x

x x

x x

x x

x x

x

x

x

x

x

6,000,000.00 2,000,000.00 0.00 0.00 0.00 720,000.00 0.00 0.00

72

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS GLOBAIS

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES MS/MM

CH ChS

CHI Mus

Cs

II.4.1 Objectivo Específico: Garantir o acesso as tecnologias de informação e comunicação a 90% da população do Distrito II.4.1.1.1 Montagem de Centro Multimédia Comunitário 1

x

II.4.1.1.2 Contratação de técnicos operadores do sistema II.4.1.1.3 Ligação a Rede Electrónica do Governo II.4.1.2.1 Estabelecimento de provedores de serviços de informática e internet II.4.1.2.2 Divulgação das tecnologias de informação e comunicação

x x

6 2 60

x x x

x

Chi

CHIB De

Be

ChiS

Mach

MAC Pon

MaS

MAD

Chila

MaS

Chica

NG Mang

NgS

Banz

Acção em curso Contactar TDMGaza TDM TDM/TELEDATA x

x

x

ORÇAMENTO

I

II

III

IV

V

x x

x x

x

x

x

x

100,000.00 120,000.00 0.00

Contactar TDMGaza

II.4.1.2.3 Capacitação de funcionários públicos e sociedade civil Tecnologias II.4.2 Objectivo Específico: Estabelecer 7 mini-centros de transferência de tecnologia no Distrito II.4.2.1.1 Realização de feiras sobre inovação tecnológica 70 II.4.2.1.1 Treinar inovadores locais em matérias de qualidade e marketing da sua produção 350

x

x

x

x

x

x

x

Gov. Distrital

x

x

x

x

x

x

x

x x

x x

x x

x x

Gov. Distrital Governo Distrital/CAIP Governo Distrital

x x

Governo do Distrito TDM

II.4.2.2.1 Capacitar empreendedores locais em agro-processamento 350 x x x II.4.2.2.2 Capacitar empreendedores locais em técnicas de produção agro-pecuária 875 x x x Telecomunicações II.4.3 Objectivo Específico: Aumentar a cobertura da rede de telefone no Distrito: 50% na fixa e 40% dos Postos Administrativos em rede móvel. II.4.3.1.1 Montagem de antenas repedidoras de telefonia móvel 6 II.4.3.1.2 Ligação do telefone fixo a clientes 250 x x x Aviação II.4.4.Objectivo Específico: Assegurar 100% da operacionallizaçao do aerodromo do Distrito. II.4.4.1.1 Construção e reabilitação da pista do Aeródromo 3 Km x x II.4.4.1.2 Construção de edifícios do Aeródromo 2 x x II.4.4.1.3 Construção da vedação da área do Aeródromo 2 x x II.4.4.2.1 Criação da Unidade de Gestão do Aeródromo 2 x x II.4.4.2.2 Contratação de técnicos 2 x x II.4.4.2.3 Capacitação de técnicos Gestão de Recursos Hídricos II.5 Objectivo Específico: Aproveitar 80% dos recursos hídricos existentes no Distrito II.5.1.1 Construção de pequenas barragens/açudes nos cursos de água II.5.1.2 Construção de represas II.5.1.3 Criação de unidades locais de gestão das águas

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL Cum

2

x

x x

x

x

x x

x x

0.00

x

x

x

x

x

2,800,000.00

x

x

x

x

571,900.00

x x

x x

x x

x x

x x

605,500.00 1,261,750.00

x x

x x

x x

x x

x x

250,000.00

x x x

x x x

x x

x x x

Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital Gov. Distrital/Transport.

x

x

1,800,000.00 2,200,000.00 900,000.00 7,000.00 636,000.00

x

50,000.00

SERVIÇOS Educação II.5.1 Objectivo Específico: Assegurar o acesso a educação universal a 100% de crianças em idade escolar. II.5.1.1.1 Construção de salas de aula II.5.1.1.1 Construção de salas de aula c/respectivo equipamento 241 II. 5.1.1.1.1 Construção de salas de aula com material convencional 222 Construcao de Cisternas 61 II. 5.1.1.1.2 Construção de salas de aula com material local 19 Construcao de residencias 129 Construcao de residencias convencionais 100 Construcao de residencias com material local 29 Construcao de latrinas melhoradas 140 II.5.1.1.2 Reabilitação de salas de aula 18 II.5.1.1.3 Abertura de novas salas de aula ????? II.5.1.2.1 Abertura de Escolas Completas 15 II.5.1.2.2 Criação de Turmas Anexas em Locais Previstos 12 II.5.1.3.1 Criacão de Comités de Ligação Escola Comunidades 3 II.5.1.3.2 Revitalização de Conselhos de Escolas 117 II.5.1.4.1 Contratação de professores de carreira 325 II.5.1.4.2 Reciclagem de professores no activo 1438 II.5.1.4.3 Formação académica de professores no activo 100 II.5.1.4.4 Fornecimento de material didáctico Em anexo II.5.1.4.5 Fornecimento de livros escolares 1787421 II.5.1.1.6 Fornecimento de meios e equipamentos Em anexo II.5.2 Objectivo Específico: Assegurar o acesso ao ESG1 de 22.013 alunos da 7ª classe. II.5.2.1.1 Construção de salas de aula com equipamento 57 II.5.2.1.2 Construção de escolas ESG1 4 II.5.2.2.1 Contratação de professores 250

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

x x x x x x x x

x x x x x x x x x

x x x x x x x x x

x x x x x x

x

x x

x x

x x x

x

x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x

x

x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x

x

x x

x x

x x

x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x

x

x

x

x x x

x x

x x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x

x

x

x

x

x x

x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x

x

x x x

x

x

x

x

x x

x x x

x x

x x

x x x

x x

x x

x

x x x

x x

x x

x x

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x x x x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x x x x x x

x x x x x x x x x x x x x x x x x

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x

x

x x

x

x x

161,430.56 157,060.56 31,567.50 4,370.00 42,136.00 36,800.00 5,336.00 24,150.00 4,968.00 N/EXISTE 262,848.60 1,322.50 37,750.00 302,737.50 80,953.16 3,450.00 1,437.50 1,218,000.00 185,891.78 4,865,000.00 40,326.36 59,415.21

73

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS GLOBAIS

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES MS/MM

CH ChS

CHI Mus

Cs

Chi

CHIB De

Be

ChiS

Mach

II.5.2.2.2 Reciclagem de professores 370 x II.5.2.2.3 Formação académica de professores 50 II.5.2.2.4 Fornecimento de material didáctico Em anexo II.5.2.2.5 Fornecimento de meios e equipamentos Em anexo II.5.2.3.1 Criacão de Conselhos de escolas 4 x x II.5.2.3.2 Revitalização de Conselhos de escolas 9 x x x II.5.2.3.3 Facilitação de bolsas de estudo a raparigas/N/Previsivel a Localidade 8 II.5.3 Objectivo Específico: Assegurar o acesso ao ESG2 a cerca de 3.300 graduados do ESG1. II.5.3.1.1 Construção de salas de aula e equipamento 12 x II.5.3.1.2 Construção de escolas ESG2 1 x II.5.3.2.1 Contratação de professores 150 x II.5.3.2.2 Reciclagem de professores 252 x II.5.3.2.3 Formação académica de professores/N/Previsivel o local 2 II.5.3.2.4 Fornecimento de material didáctico Em anexo II.5.3.2.5 Fornecimento de meios e equipamentos Em anexo II.5.3.3.1 Criacão de Conselhos de escolas 1 x II.5.3.3.2 Revitalização de Conselhos de escolas 1 x II.5.3.3.3 Facilitação de bolsas de estudo a raparigas N/Previsivel a Localidade 8 II.5.4 Objectivo Específico: Estabelecer uma instituição do ensino técnico-profissional de tipo modular voltado ao trabalho e promoção do auto-emprego no Distrito. (inclui o PCMVM). II.5.4.1.1 Criação da Unidade Instaladora e de Gestão do Centro 1 x II.5.4.1.2 Estabelecimento de parcerias com instituições de formação e investigação/N/Previsivel a Localidade 10 II.5.4.1.3 Construção de infra-estruturas de apoio no treinamento 11 x II.5.4.1.4 Fornecimento de equipamentos de apoio Em anexo x II.5.4.1.5 Capacitação de técnicos - formadores locais 25 x II.5.4.1.6 Produção de módulos de capacitação N/quantifica x II.5.4.2.2 Capacitação de particpantes 500 x II.5.5 Objectivo Específico: Aumentar em 26% o acesso a programas de Alfabetização e Educação de Adultos;

MAC Pon

MaS

Chila

x

II.5.5.1.1 Criaçao de Centros de Alfabetizaçao e Educaçao de Adultos 25 x x x x x x x x x x x x II.5.5.1.2 Capacitação de educadores de adulto 800 x II.5.5.1.3 Fornecimento de material e equipamento aos CAEA ????? x II.5.5.1.4 Divulgaçao dos programas educativos de Alfa radio. 100 x x II.5.5.1.5 Criaçao de nucleos de aprendizagem audio-visual. 5 x x x x II.5.5.1.6 Fornecimento de equipamento audio-visual 20 x x x x II.5.5.2.1 Sensibilizaçao da populaçao para participar nos programas de alfabetização 5650 x x x x x x x x x x x x II.5.5.2.2 Criação de Conselhos Comunitários de Alfabetização e Educação de Adultos ??????? II.5.5.2.3 Integraçao de adultos em programas de AEA 5650 x x x x x x x x x x x x II.5.5.3.1 Integração de mulheres nos programas de AEA 5048 x x x x x x x x x x x x II.5.5.4.1 Premeação a Formadores e educadores de adulto/N/Previsivel a Localidade 10 II.5.6 Objectivo Específico: Aumentar em 9% o número de professores qualificados no Distrito, enviando à formação para níveis médio e superior, sendo 25 básicos/3 anos e 10 médios/ano, respectivamente. II.5.6.1.1 Integração de professores em programas de formação formal 48 x x x x x x x x x x x II.5.6.1.2 Reciclagem pedagógica a professores no activo (repetido) II.5.6.2.1 Construção de bibliotecas escolares 11 x x x x x x x x II.5.6.2.2 Fornecimento de equipamento informático 10 II.5.6.2.3 Montagem do sistema de internet (ver versão anterior) II.5.6.2.4 Disponibilidade de x livros diversos (ver versão anterior) Saúde Capacitação Institucional II.6.1 Objectivo Específico: Aumentar em 20% a cobertura da rede sanitária de qualidade no Distrito . II.6.1.1.1 Construção de Centros de Saúde 2 x II.6.1.1.2 Construção de Hospital Rural 0 II.6.1.1.3 Reabilitaçao de Centros de Saúde 4 x x x II.6.1.1.4 Alocaçao de meios e equipamentos 1 x II.6.1.2.1 Contrataçao de tecnicos em administraçao hospitalar 4 x x x II.6.1.2.2 Contratação/ alocação de médicos generalistas e especialistas 2 x II.6.1.2.3 Contratação /alocação de técnicos de medecina 7 x x x II.6.1.2.4 Contrataçao de tecnicos de farmancia. 5 x x x x II.6.1.2.5 Formação de funcionários 10 Actividade ainda centralizada na DPS e MISAU II.6.1.2.6 Contratação de pessoas de apoio 55 x x x x x x x x x x Saúde Materno Infantil

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

MAD MaS

Chica

x

NG Mang

x

NgS

Banz

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL Cum

x x

ORÇAMENTO

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

I x x

II x x

III x x

IV x x

V x x

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x

x x

x x x

x x

x x x

x

x

42,448.80

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

Secr.Distrital/SDEJT

x

x

x

x

x

56,328.029.59 287,425.25 20,000.00 291,000.00 770,000.00 12,837.50 12,837.50 40,000.00

Secr.Distrital/SDEJT

x

x

x

x

x

5,000.00

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

200,000 3,500.00 2,000.00 25,000.00 1,500.00 550,000.00

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x

x x x

x x x

x x x

20,000.00 75,000.00

x x x

x x x x x x x

Secr.Distrital/SDEJT x

x

x

x

x

x

x

385,25 102,400.00 261,225.00 9,578,000.00 51,750.00 116,437.50 1.840.00

x

x

x

x

x

x

x

x

x

100,000.00 15,000.00 50,000.00 60,000.00

x x

x x

x x

x x

x x

x x

Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT Secr.Distrital/SDEJT

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

40,000.00 35,000.00 20,000.00

x

x

x

x

x

x

Secr.Distrital/SDEJT

x

x

x

x

x

215,376.75

Secr.Distrital/SDEJT

x

x

x

x

x

30,360.00 400,000.00

x

x

x

15,000,000.00

x

x

x

x

2,345,810.00

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x

1,224,000.00

x

x

x

x

x

GACOPI/DPS DPS/SDSMAS MISAU/DPS MISAU/DPS MISAU/DPS MISAU/DPS MISAU/DPS MISAU/DPS

x

x

x

x x x

2,310,000.00 1,530,000.00 1,694,935.00

74

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS GLOBAIS

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES MS/MM

CH ChS

CHI Mus

II.6.2 Objectivo Específico: Reduzir a actual taxa de morbi-mortalidade materno infantil de 0.1% para 0.001% . II.6.2.1.1 Construçao de maternidades em centros de saude. 5 x x II.6.2.1.2 Contrataçao de casas de mãe-espera. 8 x x II.6.2.1.3 Fornecimento de equipamento e meios (CAMAS) 87 II.6.2.1.4 Contrataçao de parteiras e pessoal tecnico especializado. 29 x x x II.6.2.1.5 Treinamento/ reciclagem de parteiras. 22 x x x II.6.2.2.1 Realização de sessões de planeamento familiar 1460 x x II.6.2.2.2 Formaçao de parteiras tradicionais como promotoras de saude. 21999 x II.6.2.2.3. Formação de activistas para trabalharem em ateliels domésticos em todas as áreas de saúde 38 x x x Programa Alargado de Vacinações (PAV) II.6.3 Objectivo Específico: Elevar as coberturas vacinais dos actuais 60% de BCG e VAS para 98%. II.6.3.1.1 Criação de brigadas móveos e fixas 76 x x x II.6.3.1.2 Alocação de técnicos às brigadas 6 x II.6.3.1.3 Fornecimento de equipamentos e meios 6 x Doenças Endémicas e Hiv/Sida II.6.4 Objectivo Específico: Reduzir as actuais taxas de prevalência de HIV de 30% para 15%, e a incidência da malária de 40% para 10%. II.6.4.1.1 Distribuição de preservativos em locais de risco 1095200 x x x II.6.4.1.2 Realização de programas de fumigação às residências Não existe II.6.4.1.3 Realização de programas de eleiminação de fontes mosquitos 16 x x II.6.4.1.4 Realização da Prevenção Transmissão Vertical em unidades sanitarias 23 x x x II.6.4.2.1 Capacitaçao de activistas comunitarios em educaçao para a saude. 70 x II.6.4.2.2 Capacitaçao de membros da Autoridade Comunitaria em educaçao para a saude. 32 x x II.6.4.2.3 Produção e distribuição de material educativo Não produz II.6.4.2.4 Realização de programas de educação sanitária 90 x x II.6.4.2.5 Realizaçao de testes laboratoriais para despiste do HIV,colera,malaria e tuberculose. 7500 x x II.6.4.2.6 Armazenagem de medicamentos (em Kg) 1578 x x x II.6.4.2.7 Administraçao de ante-retrovirais a doentes de SIDA no distrito. 3600 x II.6.4.2.8 Tratamento a doentes de tuberculose no distrito. 2500 x x II.6.4.2.9 Tratamento a doentes com colera e outras doenças diarreicas difícil de quantif. II.6.4.2.10 Tratamento de doentes com malária difícil de quantif. II.6.4.2.11 Criação de brigadas mistas de assistência domiciliárias a infectados 90 x x II.6.4.2.12 Realização de campanhas de sensibilização para prevenção e controlo do HIV e SIDA Acção Social e Género II.7 Objectivo Específico: Aumentar para 60% o número de potenciais beneficiários dos programas de apoio social . II.7.1.1 Divulgaçao dos direitos das crianças. (palestras) 70 x x II.7.1.2 Implementação do Programa Subsidios de Alimento (beneficiários) 2800 x x II.7.1.3 Implementação do Programa Benefício Social pelo Trabalho (Comida pelo Trabalho) (beneficiários) 100 x x II.7.1.4 Implementação do Programa Apoio (Beneficio) Social Directo (beneficiários) 700 x x II.7.1.5 Implentação do Programa Desenvolvimento Comunitário (programa) 1 x II.7.1.6 Pagamento de subsidios a idosos do distrito. Repetido II.7.1.1 0 II.7.1.7 Sensibilizaçao das familias em relaçao ao papel do idoso na comunidade. 70 x x II.7.2.1 Capacitação de técnicos 5 x II.7.2.2 Afectação (Contratação) de técnicos sociais 4 x II.7.2.3 Fornecimento de meios e equipamentos Anexo x II.7.2.4 Criação de centros Infantis 0 II.7.3.1 Assistencia social a crianças orfas 589 x x x II.7.3.2 Integraçao de crianças orfas em famílias reais ou substitutas (por HIV e SIDA.) 25 II.7.3.3 Integraçao de crianças orfas nas escolas e centros educacionais 300 x x x II.7.3.4 Facilitação da integração de infectados pelo HIV e SIDA em actividades produtivas e de geração de rendimentos Cultura II.8 Objectivo Específico: Massificar a prática de actividades culturais em 100% das escolas e localidades do Distrito II.8.1.1 Construção de infra-estruturas históricas 8 x x II.8.1.2.Reabilitação de locais históricos e culturais 20 x x II.8.1.3 Capacitação de artesão locais 36 x x II.8.1.4 Criação de cooperativas de artesãos locais 35 x x x

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

Cs

Chi

CHIB De

Be

ChiS

Mach

x x x x

x x x

x x x

x x x

x x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x x x

x

x

x

x

x

x x x

x x x

x x

x x x

x

x

MAC MaS

Chila

x x

x

x x

x

x

x

x x x

x x x

x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x x

x x x

x

x x

x

x

x

GACOPI/DPS SDSMAS MISAU/DPS MISAU/DPS SDSMAS/ONG's SDSMAS/ONG's SDSMAS

ORÇAMENTO

II

III

IV

V

x x

x x

x x

x x x

x x x x x x x

x x x x

x x x x

x x x x

x

9,333,300.00 200,000.00 2,570,000.00 9,570,000.00 220,000.00 250,000.00

SDSMAS

x

x

x

x

x

200,000.00

x

2

SDSMAS SDSMAS SDSMAS

x

x

x x

x x x

x x x

890,400.00 68,400.00 48,000,000.00

x

x

70000

SDSMAS

x

x

x

x

x

x x x

x x

x

x x x

x x

x x

x x x

1,095,200.00 550,000.00 958,000.00 158,200.00 168,000.00

SDSMAS x x

SDSMAS

x

SDSMAS

x

x

x

x

4

SDSMAS

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

SDSMAS MISAU/ DPS e SDSMAS MISAU/ DPS e SDSMAS SDSMAS

x x

x x

x x

x x

x x

x

SDSMAS

x

x

x

x

x

300,000.00

157,500.00

x x

x

x

I

x

x x

x

x

x

x

x

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL Cum

1 1

x x

x

Banz

x

x

x

x

NgS

x x

x

x

NG Mang

x x

x

x

Chica

x x x

x

x

MaS

x x

x

x

MAD

Pon

x

x

x

80,520.00 585,715.00

x x

x x

x x

x x

x x

SDSMAS SDSMAS

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

SDSMAS SDSMAS

x x x

x

x

x

x

x

x x

x x x x x x

x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x x x x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

250,000.00 75,000.00 380,000.00

x x

x x x x

x x x x

x x

x x x

40,000 184,000 46,000.00 201,250.00

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x

x x x x

x x

x x x

x x x x

x x

x

x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x

x x x x

x x x

x

MMAS/SDSMAS SDSMAS SDSMAS MMAS/SDSMAS MMAS/SDSMAS

x x

x

x x

SDSMAS SDSMAS SDSMAS

x

157,500.00 50,000.00 1,560,000.00

75

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS GLOBAIS

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES MS/MM

CH ChS

CHI Mus

II.8.1.5 Produção de material de divulgação da cultura local 475 x x x II.8.2.1 Qualificação de locais de entretenimento sócio-cultural 35 x x II.8.3.1 Criaçao de grupos culturais nas localidade e escolas. 100 x x x II.8.3.2 Realização de festival cultural Distrital . 5 x II.8.3.3 Realização de mine-festivaI de localidade. 95 x x x II.8.3.4 Realização de festival de Posto Administrativo. 35 x x II.8.3.5 Realização de feiras de artesanato 40 x x Colocacao de placas identificativas de loacis historicos 4 x II.8.3.6 Realização de cerimónicas tradicionais e de exaltação 35 x x x Desporto II.9 Objectivo Específico: Massificar a prática da actividade desportiva em 100% das escolas e localidades. II.9.1.1 Realização de encontros de concertação 105 II.9.2.1 Construção de campos nas localidades 17 x x II.9.2.2 Reabilitação de campos 2 x II.9.3.1 Aquisiçao de equipamento desportivo. Em anexo II.9.4.1 Criação de associações desportivas locais 35 x x x II.9.4.2 Realização de campeonatos nas modalidades….. 19 x x x Habitação II.10 Objectivo Específico: Aumentar o acesso a habitação de material convencional abaixo custo a 40% da população do Distrit o; II.10.1.1 Capacitação de artesãos locais em construção de baixo custo 35 II.10.1.2 Divulgação das tecnologias apropriadas a abaixo custo 5 II.10.2.1 Construção de habitações de fomento 450 x x x II.10.3.1 Consciencialização de criadores do valor social do gado 80 x x

CHIB

MAC

MAD

NG

Chi

De

Be

ChiS

Mach

Pon

MaS

Chila

MaS

Chica

Mang

NgS

Banz

Cum

x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x

x

x x x

x

x

x x x

x

x

x

x

x

x

x x x

x x x

x

x

x

x

x

x x x

x

x

x x x

x

x

x

x x

x

x

x

x

x

x x x x x

x

x

x x x x x

x

x

x

x

x

x x

x

x

x

x

x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x

x

x

I

x x x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x x

x

x

x x

x x

x

x

x

x x

x x x x

x x

x x

x

x

III x x

IV x x

V x x

x x x x x x

x x x x x x

x x x x x x

x x x

x x

x x x

x x

x x

x

x

x

x

x

x x

x x

x

x

x x x x

x x x x

x x x x

x

x

SDPIE SDPIE SDPIE Governo Distrital

ORÇAMENTO

II x x x x x x x x x

x x x x x x

x

x x

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL

Cs

57,500.00 201,250.00 115,000.00 172,500.00 546,250.00 40,250.00 517,500.00 ?????? 805,000.00

735,000.00 4.250,00 120,000.00 8,533,700.00 92,000.00 39,500.00

27,500.00 12,000.00 562,500,000.00 20,000.00

LEGENDA MS/MM= Mandlakaze Sede e Município de Mandlakaze CH= Chalala; ChS= Chalala Sede; Mus= Mussengue CHI= Chidenguele; ChS=Chidenguele Sede; De=Dengoine; Be= Betula CHIB= Chibonzane; ChiS= Chibonzane Sede; Pon= Ponjuane MAC= Macuacua; MaS= Macuacua Sede; Chila= Chilatanhane MAD= Madzucane; MaS= Madzucane Sede; Chica= Chicavane; Cum= Cumbane NG= Nguzene; NgS= Nguzene Sede; Chi=Chicuangue; Mang= Mangunze

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

76

Distrito de Mandlakaze

3.3 PLANO DE ACÇÃO: BOA GOVERNAÇÃO, LEGALIDADE E JUSTIÇA ACTIVIDADES

METAS

MS/MM

CH ChS

Governo Distrital Reformas do Sector Público III.1 Objectivos Específicos: Aumentar até 100% efeciência e eficácia dos actos do Sector Público no distrito III.1.1.1 Criação de Balcões Únicos 9 x x III.1.1.2 Capacitação de técnicos dos Balcão Único Distrital 17 x x III.1.1.3 Fornecimento de equipamentos ao Balcao Unico Distrital Anexo III.1.1.4 Construção de rampas de acesso aos edifícios públicos 37 x x III.1.2.1 Alocação de equipamento e materiais às instituições III.1.2.2 Contratação de técnicos de diferentes especialidades III.1.2.3 Contratação de gestores de recursos humanos e administrativos III.1.2.4 Capacitação de funcionários públicos em diversas matérias da administração pública 38 x x III.1.2.5 Ligação de rede internet a Instituições do distrito 5 III.1.3.1 Capacitação de técnicos em gestão de recursos humanos 12 x III.1.3.2 Produção de modelos de avaliação de desempenho 2 x III.1.3.3 Realização de promoções e progressões de funcionários 800 III.1.3.4 Montagem de caixas de reclamação 20 x III.1.4.1 Realização de sessões de Conselhos Consultivos

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHI CHIB MAC MAD Mus Chs Chi De Be ChiS Mach Pon MaS Chila MaS Chica Mang NgS Objectivo Estratégico III: Garantir o Acesso à Infra-estruturas e Serviços Básicos as Famílias do Distrito GOVERNAÇÃO

x

NG Banz

I

x x

x x

x x

x x

x x

Governo Distrital Governo Distrital

x

x

x

x

x

Governo Distrital

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL Cum

x

x

x

II

III

x x

x

x

x

x

x x

x x x x x x

Governo Distrital Governo Distrital Governo Distrital

IV

V

x

x

x x

x x

x x

x

220

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Secretaria Distrital

x

x

x

x

x

620

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Secretaria Distrital Secretaria Distrital/SDEJT Governo Distrital

x

x x

x

x x

x x

x x

x x

Secretaria Distrital

x

III.1.5.1 Capacitação de membros dos Conselhos Consultivos III.1.5.2 Alfabetização de membros dos Conselhos Consultivos

28 21

x

III.1.6.1 Construção de infra-estruturas da administração pública x x III.1.6.2 Introdução de caixas de reclamação nas instituições do distrito (repetição de III.1.3.4) III.1.6.3 Colocação de rampas nas instituições (repet. III.1.1.4) III.1.6.4 Indicação de chefes de Localidades 19 III.1.6.5 Contratação de técnicos para os Serviços Distritais Planificação Distrital III.2 Objectivos Específicos: Aumentar os níveis de investimento económico 20% social 30% e cultural 30% no Distrito III.2.1.1 Facilitação de registo e licenciamento de empreendedores locais III.2.1.2 Capacitação de empreendedores locais em gestão de empresas III.2.2.1Capacitação de tecnicos distritais em planificação estratégica e operacional anual III.2.2.2 Contratação de tecnicos qualificados III.2.2.3 Elaboração de 35 Planos Anual e os Orçamentos III.2.2.4 Elaboração de 35 balanços do plano por Ano III.2.3.1 Mobilização de 11 investidores económicos III.2.3.2 Realização de investimentos sociais III.2.4.1 Acompanhamento da implementação de projectos III.2.4.2 Capacitação de tecnicos distritais sobre o ciclo de obras III.2.4.3 Capacitação de fiscais de obras III.2.5.1 Estabelecimento de sistemas de aviso prévio III.2.5.2 Realização do mapeamento das zonas de risco III.2.5.3 Realização de acções de sensibilização sobre os desastres naturais III.2.6.1 Sensibilização sobre gestão ambiental III.2.6.2 Criação de comités de gestão ambiental III.2.6.3 Capacitação das comunidades em métodos de combate às queimadas

x x

x

x

x x

x

x x

x

x

x

ORÇAMENTO O Pa To E rc tal

160 ,00 0 100 ,00 0

175 4

x x

x

x x

x

x

x

x

Governo Distrital Governo Distrital

x

x

x x

x x

x

43, 750 .00

24 7 35 35

x x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

50, 000 .00

x x

x x

x x

x x

x x

x x x x

x

x x

x x

x x

x x

x x

11

x

x

x

x

x

x

x

Secretaria Distrital Governo Distrital Secretaria Distrital Secretaria Distrital Secretaria Distrital, PA's

x

x

x

x

x

Não há Proj. 3 3

x x x

x

Governo Distrital

x x x

x

x

x

x

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

77

Distrito de Mandlakaze

ACTIVIDADES

METAS

CH

MS/MM

ChS Finanças Distritais III.3.1 Objectivo Específico: Aumentar em 75% os níveis de arrecadação de receitas fiscais e não fiscais do distrito. III.3.1.1.1 Estabelecimento e operacionalização do SISRECORE III.3.1.1.2 Capacitação de tecnicos distritais em gestão de finanças públicas 16 x x III.3.1.1.3 Contratação de técnicos gestores financeiros III.3.1.2.1 Facilitação do acesso a micro-crédito a membros da comunidade 400 x x III.3.1.2.2 Capacitação a membros da comunidade em gestão de negócios 76 x x III.3.2 Objectivo Específico 3: Assegurar a realização, em 100% , das despesas programadas de acordo com a legislação específica III.3.2.1.1 Divulgação da legislação específica 16 x x III.3.2.1.2 Realização de auditorias as contas do distrito 16 x x III.3.2.2.1 Capacitação de técnicos em gestão de finanças públicas 16 x x III.3.2.2.2 Contratação de técnicos gestores financeiros 3 x III.3.2.3.1 Capacitação de técnicos em gestão patrimonial 10 x x III.3.2.3.2 Contratação de técnicos gestores do património 5 x

CHI

1 19 2 19

x x x x

MaS

MAD Chica

Mang

NgS

Cum

Chs

Chi

De

Be

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x x x

x x x

x x x x x

x x x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x

x

x

x

x

x

x x x

x

x

x x x

x

x

x

x

x

x x x x x x

x

x

x

x x x x x

x x x x x

x

x

x

x

x

CRONOGRAMA

RESPONSÁVEL

NG Banz

Mus

Segurança e Ordem Pública III.4 Objectivo Específico: Reduzir em 50% os índices de criminalidade no Distrito III.4.1.1 Construção de infra-estruturas da polícia 22 x x III.4.1.2 Afectaçao de viaturas de patrulhamento 5 x III.4.1.3 Afectaçao de equipamentos as esquadras distrital 78 x III.4.1.4 Reforço de agentes de segurança e ordem 36 x x III.4.2.1 Criaçao de comites de policiamento comunitario 17 x x x III.4.2.2 Treinamento de agentes de policiamento comunitario 0 III.4.2.3 Realizaçao de encontros de coordenação policias e comunidades 50 x x x Tribunal III.5 Objectivo Específico: Aumentar em 75% o número de processos dirimidos por ano. III.5.1.1 Contrataçao de tecnicos de Justiça 2 x III.5.1.2 Afectação de Juízes 0 III.5.1.3 Fornecimento de meios e equipamentos 0 III.5.1.4 Construção de edifícios do Tribunal 2 x III.5.2.1 Criação e legalizaçao de Tribunais Comunitarios 0 III.5.2.2 Legitimaçao de juizes de eleitos nas comunidades 0 Procuradoria III.6 Objectivo Específico: Aumentar em 75% o número de processos tramitados por ano. III.6.1.1 Contratação de técnicos de justiça 3 x III.6.1.2 Afectação Procurador 1 x III.6.1.3 Fornecimento de meios e equipamentos 3 x III.6.1.4 Construção de edifícios da Procuradoria Distrital 2 x Registos e Notariado III. 7 Objectivo Específico: Aumentar em 25% a cobertura territorial dos serviços de registo civil até as localidades. III.7.1.1 Afectação de tecnicos médios e superiores 4 x III.7.1.2 Apetrachamento de equipamentos e meios 5 x III.7.1.3 Construção de um edifício dos Registos III.7.2.1 Criação de brigadas móveis de registo civil III.7.2.2 Criação de postos fixos de registo civil III.7.3.1 Realização de palestras de sensibilizações

MUNICÍPIO, POSTOS E LOCALIDADES CHIB MAC ChiS Mach Pon MaS Chila

I

II

III

IV

V

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x x x x x

x x x x x x

x x

x

x x x x x x

x x x x x

x x x x x

x x x x x

x x x x x

x x x x x

x

x

x

x

x

x x

x x

x

x

x

x

x

x

x

x

Tribunal Provincial

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

DPRN em coord. Gov. Dis. DPRN DPRN/Gov. do Distrito CRCN CRCN CRCN

x x x

x

Governo Distrital

Procuradoria Prov. PGR Procuradoria Prov. Procuradoria Prov.

ORÇAMENTO O Pa To E rc tal

x

x x x x

x

x x

x x x

LEGENDA MS/MM= Mandlakaze Sede e Município de Mandlakaze CH= Chalala; ChS= Chalala Sede; Mus= Mussengue CHI= Chidenguele; ChS=Chidenguele Sede; De=Dengoine; Be= Betula CHIB= Chibonzane; ChiS= Chibonzane Sede; Pon= Ponjuane

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Distrito

78

Distrito de Mandlakaze

MAC= Macuacua; MaS= Macuacua Sede; Chila= Chilatanhane MAD= Madzucane; MaS= Madzucane Sede; Chica= Chicavane; Cum= Cumbane NG= Nguzene; NgS= Nguzene Sede; Chi=Chicuangue; Mang= Mangunze

Plano EstratĂŠgico de Desenvolvimento do Distrito

79

Distrito de Mandlakaze

Plano EstratĂŠgico de Desenvolvimento do Distrito

80


Plano Estratégico do Distrito de Mandlakaze