Issuu on Google+

Os micr贸bios

Micróbios 





Dá-se o nome de micróbio ou microrganismo ao ser vivo de tamanho tão pequeno que só é visível com a ajuda do microscópio. Normalmente são constituídos por uma só célula – unicelulares. Existem alguns constituídos por grupos de células.



Microbiologia é a ciência que se ocupa dos estudo dos micróbios.

Micróbios 



A Microbiologia aparece no séc XIX, com Louis Pasteur, que provou que a fermentação e a putrefacção eram devido à acção dos micróbios. A Microbiologia teve um grande desenvolvimento com o aperfeiçoamento do microscópio e de novas técnicas de observação que permitiram a descoberta de seres cada vez mais pequenos.



 

Louis Pasteur foi um cientista francês cujas descobertas tiveram enorme importância na história da química e da medicina. A ele se deve a técnica conhecida como pasteurização. Descobriu também a vacina contra a raiva.

Tipos de micróbios 

Os micróbios podem pertencer a quatro grupos diferentes.  Vírus  Bactérias  Protozoários  Fungos

Vírus 

Os vírus são organismos muito simples que não são considerados seres vivos, pois só conseguem realizar as suas funções dentro de células vivas.

Vírus da gripe

Vírus da Hepatite

Vírus HIV

Bactérias 



As bactérias são seres vivos unicelulares, sem núcleo organizado que pertencem ao Reino Monera. Classificam-se tendo em conta a sua forma.

Protozoários e fungos 



Protozoários

Os protozoários são seres vivos unicelulares, com núcleo organizado e pertencem ao Reino Protista.

Os fungos são seres pluricelulares, excepto as leveduras que são unicelulares. Pertencem ao Reino dos Fungos.

Penicillium

Condições favoráveis ao desenvolvimento dos micróbios 



Os micróbios são seres que se multiplicam muito rapidamente quando têm condições adequadas. Essas condições são:  



Humidade Temperatura adequada ( normalmente entre 30 a 40º C) Alimento suficiente

Condições favoráveis ao desenvolvimento dos micróbios 



Se as condições forem adversas ao seu desenvolvimento, os micróbios têm capacidade de produzir esporos. Os esporos podem aguentar vários anos até que as condições voltem a ser favoráveis ao seu desenvolvimento.

Micróbios não patogénicos  



Micróbios úteis – benéficos para os seres vivos. Exs: Escherichia coli – da flora intestinal

Bactérias lácticas- iogurte



Leveduras do pão



Fungos - penicilina

Micróbios úteis 



Uma elevada quantidade de micróbios, desenvolve actividades de muita utilidade para o homem. No fabrico de alimentos   

Leveduras – cerveja, vinho e vinagre; Bactérias - fabrico de iogurte e queijo Leveduras do fermento – fazendo crescer o pão



Na digestão:



No fabrico de medicamentos:



Na fertilidade do solo



Na produção de energia









No intestino fabricam medicamentos e ajudam na digestão. Na produção de vacinas, antibióticos.

Bactérias decompositoras transformam os restos dos animais e plantas em matéria mineral, ajudando a fertilizar o solo. Obtenção de combustíveis naturais – carvão, petróleo e biogás.

Micróbios patogénicos  

Micróbios causadores de doença. Podem ser vírus:    

Herpes Rubéola Poliomielite …

Micróbios patogénicos        

Bactérias que causam doenças: Lepra Tuberculose Cólera Tétano Pneumonia Cárie …

Micróbios patogénicos    

Protozoários que causam doenças: Paludismo ou malária Doença do sono …

Micróbios patogénicos     

Fungos que causam doenças: Micoses Oídio Míldio …

Defesas naturais externas 





O homem vive rodeado de micróbios, muitos causadores de doença. O homem possui um sistema de defesas naturais que o protege dos micróbios patogénicos. As primeiras defesas naturais são :      

A pele; As mucosas; A cera dos ouvidos; Os pêlos no canal auditivo e nas fossas nasais; As pestanas; As sobrancelhas.

    

São também defesas naturais: Os cílios das vias respiratórias; O meio ácido do estômago; As lágrimas; O suor.

Defesas internas – glóbulos brancos 

Se os micróbios patogénicos conseguem ultrapassar as primeiras defesas naturais externas e entram no nosso organismo, irão ser atacados pelos glóbulos brancos e pelos anticorpos - defesas internas.

Defesas internas – glóbulos brancos 





Os glóbulos brancos protegem o organismo realizando a diapedese e a fagocitose. Diapedese - capacidade que os glóbulos brancos têm de atravessar a parede dos capilares sanguíneos. Fagocitose – destruição dos micróbios pelos glóbulos brancos que os envolvem e digerem



Fagocitose

Defesas internas glóbulos brancos - anticorpos  

Os micróbios são também atacados por um grupo de glóbulos brancos que produzem anticorpos. Os anticorpos são específicos, só actuam contra o micróbio que provocou a sua produção, atacando esse micróbio ou suas toxinas.

Imunidade 





Capacidade do organismo resistir às doenças infecciosas. Por vezes os anticorpos produzidos durante as infecções permanecem no corpo durante algum tempo. Alguns permanecem para toda a vida conferindo imunidade ao organismo.



Podemos adquirir imunidade a certas doenças através da vacinação.

Vacinas 



As vacinas são constituídas por micróbios patogénicos mortos ou enfraquecidos, ou ainda pelas toxinas produzidas pelos micróbios. Na presença da vacina os glóbulos brancos produzem anticorpos específicos, que se mantêm no sangue e que estão prontos a actuar logo que o organismo seja invadido por micróbios iguais aos que originaram a formação desses anticorpos.



Para se ficar devidamente protegido contra certas doenças, é preciso receber mais que uma dose de vacina e devem fazer-se reforços na altura certa.

Contágio 

 

A propagação de doenças causadas por micróbios faz-se por contágio, transmite-se de uma pessoas doente ou portadora do micróbio patogénico para outra.

Os espirros e a tosse são exemplos de meios de transmissão de doenças. Se a doença se propaga rapidamente a um grande número de pessoas, diz-se que se trata de uma epidemia.

Transmissão de uma doença infecciosa - Gripe 





O vírus da gripe ou vírus influenza transmite-se facilmente de pessoa para pessoa, através das gotículas emitidas pela tosse ou espirros. A inalação das respectivas gotículas pelo nariz ou garganta permite que o vírus entre para o organismo, infectando a membrana mucosa do tracto respiratório e as células. Este vírus pode provocar infecções secundárias, como a pneumonia, a sinusite, a faringite, a otite ou a bronquite.

Proteger o nariz e a boca quando tosses ou espirras evita o contágio com outras pessoas.

Prevenção das doenças infecciosas 



Cumprimento de certas regras básicas de higiene pessoal e ambiental impedem o desenvolvimento de micróbios. Uma atitude simples como, lavar as mãos com frequência, ajuda a prevenir doenças infecciosas.

Processos preventivos  

Esterilização

Processo que permite a destruição de micróbios através de temperaturas elevadas ou de produtos químicos





As autoclaves e as estufas são aparelhos que permitem a esterilização eficaz.

Fervura 

a fervura a 100 graus Celsius durante 15 a 20 minutos permite esterilizar vários objectos.



Certos produtos químicos são também eficazes na destruição de micróbios. Ex: formaldeído

Processos preventivos 



A desinfecção utiliza substâncias químicas chamadas anti-sépticas ou desinfectantes. Estas substâncias destroem ou dificultam o desenvolvimento dos micróbios.



Exemplos de substâncias anti-sépticas:     

Álcool Tintura de iodo Água oxigenada Lixívia …

Processos preventivos 

Quando há um corte na pele, devemos lavá-lo, desinfectá-lo e protegê-lo.



Uma medida simples mas eficaz é

Pasteurização 





Para destruir micróbios dos alimentos e permitir a sua conservação, procede-se à sua pasteurização. Durante o processo de pasteurização, a alimento é aquecido a uma temperatura entre 75º a 85º C, seguido de um arrefecimento brusco. Depois o alimento deve ser mantido fora do contacto com o ar.

A pasteurização é um processo muito usado na conservação de leite.

Antibióticos 



 

Os antibióticos são medicamentos muito recentes. Foi Fleming quem, em 1928, descobriu o 1º antibiótico, a penicilina. Ela foi descoberta a partir de um bolor, o Penicillium notatum, que fabricava uma substância que impedia o desenvolvimento de bactérias. A essa substância deu Fleming o nome de antibiótico ( anti=contra, bio= vida). Actualmente existem muitos antibióticos: uns são fabricados a partir de microrganismos como bactérias e fungos e outros são preparados quimicamente em laboratórios.

Processos curativos - Antibióticos 

São substâncias que actuam sobre as bactérias, impedindo o seu desenvolvimento, ou destruindo-as.



Para que os antibióticos desempenhem bem a sua função é necessário seguir certas regras:    

Tomar os antibióticos só com receita médica. Respeitar as doses a tomar. Cumprir o intervalo de tempo entre as doses. Cumprir o período de tempo indicado pelo médico, até se dar a cura completa da doença.

Se estas regras não forem cumpridas, os antibióticos podem tornar-se perigosos, criando resistências e originando micróbios altamente patogénicos.

Processos para eliminar micróbios 

Esterilização – processo de destruição dos micróbios do ambiente, normalmente por temperaturas elevadas.





Desinfecção uso de substâncias anti-sépticas ou desinfectantes para destruir micróbios no organismo, objectos ou instalações. Higiene – fundamental para combater os micróbios que entram em contacto com o organismo.

Escola Básica 2/3 de Penafiel nº 2

CRIE – Projecto NAVEGAR Ciências da Natureza

6º ano de escolaridade Professora: Ana Maria Pereira da Silva Ano lectivo 2008/2009


Os micróbios